18 março 2008

O estelionato bambi


Não mais do que quatro anos de relativa supremacia bastaram para que a geração vitrine do Jd. Leonor fosse tomada por uma soberba ainda maior do que aquela que contaminou a geração aborto dos anos 90. Mais do que antes, a sub-raça de agora julga-se superior, como se todos os outros times fossem coadjuvantes na missão bambi de conquistar, sem esforço, tudo o que for possível.
Por tudo, entenda-se isso mesmo: vitórias, títulos, jogadores, dinheiro, espaço na mídia e, claro, torcedores (ou melhor, consumidores).

Planejamento, inovação e marketing: com base em discursos adaptados do mundo corporativo, é assim que os bambis vendem a idéia de um clube diferenciado no cenário brasileiro. A receita de sucesso do Jd. Leonor permite cooptar gente sem alma para um mundo do faz-de-conta, em que é possível acumular vitórias sem esforço, sem sacrifício, sem sofrimento.

Por trás dessa trinca, temos o aliciamento de criancinhas para compor uma massa consumidora, as manobras de bastidores para tomar atletas de clubes rivais e até mesmo a lucrativa estratégia (igualmente corporativa) de lucrar com a exploração do meio ambiente.

Para um bambi desta nova geração, não existe sofrimento. Afinal, foi isso o que venderam os arrojados dirigentes do Jd. Leonor, com seus bichinhos de pelúcia, excursões de aliciamento e promessa sem fim.

Duvidam? Pois eu pergunto: o amigo palmeirense, corintiano ou santista conhece algum bambi que não tenha desprezo pelo rótulo de "sofredor", normalmente aplicado ao torcedor de futebol neste país?

"Torcer para o SPFC é uma grande moleza". Lembram disso?

Milton Neves inventou os adesivos dos clubes lá no começo dos anos 90 sem saber que esta frase se tornaria uma estratégia de marketing inconsciente para o clube do Jd. Leonor.

A bem da verdade, a história deles foi construída assim, com o dinheiro da elite paulistana, com o tenebroso Jogo da Barrica e com o estádio erguido às custas do povo.
Não há dificuldades na trajetória bambi. Tampouco episódios de superação, viradas históricas, vitórias para lavar a alma.

Um bambi vira bambi (ressalto que torcedores de outras agremiações nascem com essa característica, e não mudam de idéia no meio do caminho) não por uma identidade familiar ou por aquelas situações todas que moldaram a minha ou a sua decisão.

Um bambi, ao menos este da geração atual, vira bambi porque acredita na promessa de estar "comprando" uma grife vencedora, uma marca que transmite um ideal de vitória garantida, sem a necessidade de sofrer ou de lutar por ela.

Não é preciso fidelidade ou amor à camisa para ser um bambi. Não é preciso empurrar o time nos bons e nos maus momentos. Basta consumir o produto, gerar lucro e aparecer na hora da decisão.

O bambi exerce o seu papel de consumidor. Paga pelo produto, mas apenas se for bom, e usufrui dele enquanto parecer conveniente. Exigente, reclama até do que não deve.

Ah, o produto não é bom? Deixe estar; logo virá a nova coleção, com as últimas tendências da moda. É o momento de descartar o velho e comprar o novo, como em toda relação comercial.

Simples, fácil e indolor. Sob o ponto de vista marqueteiro, não há produto melhor para oferecer a uma geração de jovens alienados.

Sofredor?

Ah, isso é pra palmeirense, corintiano, santista...

Não para um bambi, pois a ele é concedido o direito de ser feliz sem transpirar. A vitória é sinônimo de planejamento.

Quando ela não vem, culpa-se o juiz, o bandeira, o gramado.

O adversário não pode ter sido melhor, pois isso é impossível.

Fala-se até em complô, como se alguém estivesse disposto a quebrar esta bem-sucedida fórmula empresarial, escancarando o estelionato por trás da promessa de felicidade sem esforço.

O anão de barbicha, pobre coitado, é vítima e artífice da arrogância sem propósito que tomou conta da sub-raça.

Comprou e agora ajuda a vender uma ilusão.

Desconhecem os marqueteiros do Jd. Leonor que o futebol, como tudo na vida, é cíclico. À fase das cinco participações seguidas em Libertadores pode se seguir uma não tão produtiva, como aquela anterior, que inclui nove anos de ausência.

Todos sabemos como se comportou a escória entre 1995 e 2004.

Logo, o estelionato atual virá à tona.

E aí, como se comportará a iludida geração vitrine?

***

Recomendo o post do Cesarotti, que, sem saber, me inspirou a escrever o texto acima.

21 comentários:

Luiz disse...

Texto sensacional!!!

Grande Major!!!

Abraço,

Luiz

Daniel disse...

pqp barney!!!!! mandou mto bem!!!!!

CHUPA BAMBI!

Heinz-von Bhölz disse...

Valeu Rodrigo,belo texto..agora em relação a atual ''geração vitrine'',ou irão ''migrar'' para outros times(típico deles) ou ficarão pianinhos como entre 1995 a 2004,até por que nessa época pouco se via são paulino(em geral) vomitar arrongância como atualmente.Essa meninada que hoje veste a camisa do São Paulo,que muito erradamente as pessoas dizem ''criançada é tudo são paulino''pode amanhã vestir a do Palmeiras,Corinthians e etc,sem esse papo furado de ''Ah,mas a criança odeia imagem de perdedor e outras baboseiras''.Tudo mundo lembra da época do Robinho no Santos,voce via um monte de muleque com a camisa do Santos por causa do Robinho,até se pensou que o Santos teria uma torcida mirim muito grande e o escambau.Deu no que deu,voce não ve mais camisas do Santos nas ruas,e hoje essas crianças que vestiram a camisa do Santos por causa do Robinho vestem a do São Paulo,justamente por causa dessa imagem vencedora,mas como a supremacia são paulina esta acabando,a imagem de tudo que é bom esta ruindo,vamos ver que camisa vestirá essa meninada daqui a algum tempo.

Abraços.
Heinz-von Bhölz

Craudio disse...

No período de vacas magras, a bicharada mandou embora, no mínimo, 3 titulares da seleção brasileira atual, tendo entre eles o jogador que hoje é o melhor do mundo. Foi o máximo de apoio que conseguiram dar, chegando ao cúmulo de abdicar de torcer pelo time num clássico e vestir-se de amarelo.

Irrita profundamente ver o anão querer inverter os valores. Quem está perseguindo a bambilândia? Aquela mesma imprensa que calou ano passado quando elas ganharam, de lambuja, 12 pontos? A mesma imprensa que vive a criar factóides nos parques São Jorge e Antártica, mas que esquece do fracasso que é a imperatriz?

Gramado, juiz, calcinha apertada... Tudo é desculpa. Do alto da soberba não conseguem admitir que não jogam nada há tempos (e isso vem desde ano passado). Com exceção do último domingo, se não tomam gol, também não conseguem fazer. Bons tempos aqueles em que o gramado parecia um canavial, a bola era mais pesada que o Vitor e a chuteira, quando chovia, parecia uma bigorna no pé.

Vergonha na cara é bom e mantém os dentes no lugar...

Leonel disse...

brilhante!

luiz - uberlãndia disse...

"O São Paulo não merece mesmo ser chamado de rival, de inimigo. Merece sim o nosso desprezo." (Cesarotti)

isso é o que eu também tenho dito, aqui, já há alguns meses...

Mas vamos ao tema em si:

e, mais uma vez, ouso 'disconcordar', um pouco.

eu que vivi a década de 80 percebo que a movimentação pró-'torcer' para o são paulo é mais ou menos a mesma do C.R. Flamengo... Nada mais natural (com relação ao SPFC) em razão dos bons títulos conquistados, das boas equipes montadas ao longo destes 10, 13 anos.

Daí o mais assistido programa esportivo semanal (esporte espetacular) anuncia o projeto do SPFC de amealhar torcedores em um número capaz de ultrapassar flamengo e coríntias.

peraí: Primeiro teriam que nos ultrapassar. O jogo em Ribeirão deixou claro pela televisão a maioria visível de Palmeirenses. Na timemania, é verdade que o SPFC ocupa o 3º lugar, mas a diferença é milimétrica entre SPFC e S. E. PALMEIRAS.

o fato é - e isso me causa sim um desconforto - que ao invés de tentarmos desmontar esse castelo de areia, de mentira, falácia, bazófia e galhofa, ficamos batendo nos caras.. nos desprezíveis caras...

ora, que fique demonstrado no próximo domingo, no mesmo esporte espetacular, que TEMOS UMA TORCIDA MAIOR DO QUE A DELAS. que temos uma história 10 vezes mais bonita do que a delas, que somos nada mais nada menos o CAMPEÃO DO SÉCULO, etc etc. E que nós sim, seremos a maior torcida do Brasil nos próximos 10 anos, em razão da excelente perspectiva e projeção financeira capaz de dar ensejo à montagem de novas seleções doravante.

mas não. Ao invés de simplesmente desprezá-los, atacamo-los.

é disso que eles gostam. Vocês acham que artista aparece sem calcinha ou trocando de namorado a cada dia à toa? Não. Fazem essas palhaçadas para que FALEM DELAS. Em evidência (positiva ou negativamente) continuam sempre na crista da onda, pegando comerciais e papéis em novelas.

O SPFC mostra a calcinha e a gente, ao invés de simplesmente desprezá-las, ficamos falando delas, como se valesse a pena...

que falemos de nós mesmos. De nossas glórias. De nossa história de títulos, sofrimentos e glórias. Não desse lixo-bicha chamado SPFC.

Finalizando:
"O São Paulo não merece mesmo ser chamado de rival, de inimigo. Merece sim o nosso desprezo." (Cesarotti)

MANCHA IPIRANGA disse...

E CHUPA BICHARADA

vitor disse...

não a toa, o cara é o Major.

que torcida no mundo tem o Maníaco de líder e o Rodrigo de Major???

chupa bicharada!!!

Luiz disse...

MV e os cagões inconseqüentes estão fora do paulista.

filipe disse...

...e o teatro está armado para esta quarta-feira na vila dos chinelos, também.

Os caras tão conseguindo.

Impedir as organizadas é um passo gigantesco para acabar com a cultura da arquibancada. E eles estão conseguindo.

mancha z/s disse...

e ai major o q vc achou dessa proibicao da mv no paulisya???

Forza Palestra disse...

Luiz,

O fato de desprezar alguém não significa que este alguém não deva ser tratado como inimigo.

Deve sim.

A história ensina isso.

No caso específico do Palmeiras, foi o desprezo por esta escória que nos levou a organizar, junto com o rival SCCP, um jogo para arrecadar fundos em prol de quem estava quase chegando à falência.

Se lá atrás tivéssemos concedido a eles o rótulo de inimigo a ser esmagado lá atrás, é possível que não tivesse acontecido nada do que ocorreu nos 60 anos seguintes.

O ódio por esta gente é eterno.

E do meu jeito, eu entendo que faço tudo o que está a meu alcance para destruir esse "castelo de areia" (palavras suas) sobre o qual eles julgam estar.

Bater nos caras é uma maneira de não compactuar com a imprensa suja. E é também uma maneira de defender os interesses da S.E. Palmeiras acima de tudo.

O meu avô, palestrino dos tempos em que se fez uma trincheira humana para impedir a invasão da nossa casa, merece que eu não descanse enquanto esta sub-raça insistir em respirar o mesmo ar que nós.

Abraços

luiz - uberlãndia disse...

Rodrigo!,

o fato é que não estou pedindo para que mostremos a calcinha, como elas fazem a todo tempo.. (mesmo porquê, não é da nossa tradição exibicionismos e bazófias...)

o fato é que - e essa é a impressão - elas provocam, elas fazem e a gente é que fica correndo atrás. Batendo. Esperniando..

Não.

A Sociedade Esportiva Palmeiras, por intermédio de sua diretoria e torcedores (sobretudo os formadores de opinião) deve se IMPOR. Deve demonstrar que É MAIOR não só que o SPFC mas maior também do quê muitos outros por aí que pensam que são "os bons".

Valorizando-se que será valorizado. Chega de correr atrás do que o Marco Aurélio Cunha fala, deixa de falar, do que ele peida ou deixa de peidar... Para mim, é um dirigente insignificante de merda mas que até anda tendo seu valor, pois tudo que ele fala todo o mundo se volta contra ele, vociferadamente...

Não posso deixar de concordar com o amigo pelo ódio que nutres do SPFC, seus dirigentes e torcedores.. Sei que a história impede de ser outro o raciocínio.. Mas o fato é que muitas das vezes o spfc É o foco..

abraços verdes,
(e obrigado pela resposta!)

Luiz, Uberlãndia

luiz - uberlãndia disse...

ainda:

no nacional do ano passado perdemos para elas em casa, com um gol mal anulado pelo bandeira (Max estava em condições regulares, por cerca de 13 cm)...

daí, havia "roubo" para o são paulo; havia "um complô" contra o Palmeiras; "10 pontos roubados para o são paulo", etc. etc.

na verdade, tudo decorrência de falhas humanas.. tudo decorrência de contingências humanas.. Falharam, sim. Mas vão falhar sempre, contra a gente, ao nosso favor, contra o spfc, em favor delas... Futebol é assim mesmo.

o fato é que as bixas sobraram no campeonato do ano passado. COMO SOBRAREMOS NESTE ANO, podem escrever.

Mas, daí, compêndios e compêndios foram escritos pela 'mídia palestrina' contra o spfc, não só insinuando mas CONFIRMANDO existir favorecimento, etc.. E sempre correndo atrás das bixas. Sempre se esperniando contra elas...

Agradeço o Souza, do Flamengo.

Explico:

Após acachapante derrota imposta no botafogo, o cara inventou a comemoração "xororô", adotada, agora, pelo Valdívia.

Virou mania nacional: quem perde, quem é derrotado, em 90% dos casos fica colocando a culpa em juiz, em complô.

O ridículo que os sãopaulinos estão passando agora após a humilhante derrota, foi o mesmo que passamos no ano passado... Pensemos nisso!!


valeu!!

abraços verdes,

Luiz, Uberlândia

André Batatais disse...

Vamos lá...

A) Primeiramente peço desculpas ao Rodrigo e demais amigos que estiveram no pinicão domingo. Devido a fatores familiares não pude comparecer, mas sempre é tempo de um CHUPA BIXARADA!!!

B) Belo Texto Barneschi!!!

C) Chupa Darkness!!!

D) Major? como assim? Não foi esta a impressão pacífica e cordial que você demonstrou no Palmeiras x Juventus aqui mesmo em Ribeirão...rsrsrsrsrsrsrsrs

Abraços...

Luiz disse...

Rodrigo,

Acho que você deve estar pensando a mesma coisa que eu.

E não é que o Del Nero conseguiu o que queria. Teve a confusão que ele queria e agora ele pode tirar a torcida do Palmeiras do estádio.

Porque esse cara não morre?

DOBER disse...

Quero lembrar, só para completar o excelente texto que, além da tentativa de roubo do P A e a tomada do Canindé, tem o caso da reforma do Morumbi, feita com dinheiro DADO pelo Ministra das Comunicações - o são paulino Sérgio Motta - usando para tanto um pseudo contrato de publicidade do SPFW com a monopolista TELESP, que não precisava de nenhuma publicidade porque era monopolista.
E para completar a reforma do elefante branco que estava caindo a FPF pagou os amortecedores do estádio, com um suposto empréstimo que até agora ninguém disse se foi pago.

Ulisses disse...

Ao Luiz Uberlândia,

Primeiramente, você usa em seus argumentos a seguinte frase: "Sempre se esperniando contra elas...", por favor, não repita tal desrespeito com a massa alviverde!! Quem esperneia é bicha e nós não somos esse tipo abominavel de pessoas!!

Segundo, você tem uma teoria interessante sobre o que ocorre no mundo futebolistico, pena que teoria não é pratica. Quando RECLAMAMOS (não esperniamos) temos razões históricas para isso e não o fazemos por apenas 1 jogo. Em compensação as BIXAS quando esperneiam o fazem por um jogo na intenção de apagar a BOSTA de planejamento que a "MELHOR" diretoria do mundo fez!!

O foco se volta para elas e sinceramente, quero mais é que falem delas, deixem o Palmeiras em paz!!

Já dizia o velho ditado "o feitiço vira contra o feiticeiro", isso acontecerá, afinal, enquanto os focos estiverem nelas os problemas e a MÁ gestão (exemplo do país) virão a tona!!
sem mais!!

filipe disse...

O painel efiçê da FSP de hoje:

"No bolso
Marco Polo Del Nero orientou ontem o departamento jurídico da federação paulista a acionar torcidas organizadas na Justiça por prejuízos causados ao futebol do Estado nos últimos cinco anos. Apesar da complexidade do tema, o cartola crê ser possível produzir provas. É nisso que os advogados irão trabalhar a partir de agora. "Essas torcidas provocaram danos materiais. Muita gente deixou de ir aos estádios, com medo. Tivemos até danos morais", disse o dirigente. A estratégia é quebrar as torcidas com indenizações."

Como queríamos demonstrar.
Mais um capítulo desta palhaçada neste 26/3, quarta-feira, na vila dos chinelos.

PAU NO CU DE QUEM "deixou de ir aos estádios" POR CAUSA DESSA VIOLÊNCIA CRIADA E PROPAGANDEADA PELA AGENDA DE DESTRUIÇÃO, ASSUMIDA E PROMOVIDA PELOS INCONSEQÜENTES ANIMALÓIDES.

A Cultura de Arquibancada vai se recriar, modificar, reinventar.
MAS JAMAIS ACABARÁ!!!

------------------------

PS: Dober, o Canindé era a antiga "Floresta", terreno que a aristocracia cafeeira cedeu ao finado "SP da Floresta", que por osmose a merda que hoje assenta no jd leonor herdou. O que eles fizeram foi, antes de todo mundo, ter informações a respeito da especulação imobiliária na região da antiga fazenda do Morumbi (onde construíriam o maçônico palácio dos Bandeirantes). Fato é que aquele cafundó da fazenda pertencia aos lusitanos, que de bom grado e certa benevolência extrema aceitaram fazer uma troca pelo terreno da Floresta, em troca da ajudinha para erguer o estádio do Canindé.
A verdade é que os purtuga foram enganados, pois as padarias tiveram de completar a verba do estádio que nunca foi inteiramente concluído... além do metro quadrado ter se desvalorizado drasticamente nos últimos sessenta anos, enquanto o jd leonor só se valorizou, e muito...
Enfim, mais uma vítima da esperteza da corja bambi.

Agora, esse imbróglio com o finado bambi tucanocrata poderia dar muito pano pra manga... não à toa aquele que foi presidente da corja bambi, o portugal gouvea, é hoje diretor de planejamento, ou algo assim. A chave disso está na cabecinha de merda desse filho da puta, que continua vivo.

Forza Palestra disse...

Luiz Uberlândia:
Ninguém está correndo atrás do anão de barbicha ou de quem quer que seja. Estamos apenas defendendo os interesses do Palmeiras, e ficar calado não me parece ser a solução ideal. Reitero, no entanto, que os 12 pontos concedidos aos bambis no Brasileirão de 2007 não são coincidência alguma. Não há time mais beneficiado que este. E o nosso, meu caro, é o mais prejudicado. Não dá para ficar quieto. Mas é preciso ter bom senso.

André Batatais:
Relaxa, mano! Seria bom se você estivesse lá, mas o importante é massacrar a sub-raça. Quanto ao apelido de major, que os caras resolveram inventar agora, nada tem a ver com pacifismo; pelo contrário.

Dober:
Valeu! Agradeço pelas excelentes contribuições.

Filipe:
Agradeço a dica. Já fiz o devido comentário lá no blog.

Abraços

luiz - uberlândia disse...

Prezado Ulisses,

pelo menos o sr. reconheceu que tenho uma teoria "interessante". Obrigado.

quanto à expressão que utilizei (esperniando), foi apenas parte de um contexto que eu quis expressar. Foi o que veio à minha mente, na hora. Peço desculpas (sinceramente) mas digo, pincelá-la para criticar a idéia - penso - não foi um ato muito sensato de vossa parte (acho).

Rodrigo,

beleza pura! Como você (evidentemente de maneira diferente, muitas das vezes) também zelo pelos interesses do nosso Palmeiras. O fato - na minha modesta opinião - é que SIM, estamos sempre correndo atrás do SPFC e de seus representantes. Isso é erro estratégico - ou qualuquer nome que se queira dar para isso.

Lí hoje, aqui(!!): "Carta Aberta da mídia palestrina" contra o dirigente do são paulo... é se apequenar demais...


abraços verdes,

luiz, uberlândia