09 dezembro 2008

Madonnão-2008: para fechar

A rede de blogueiros do mal, liderada pelo arauto da moral e dos bons costumes, exerceu o seu papel midiático. E os leonores, sempre oportunistas, conseguiram transformar uma situação que poderia ser amplamente desfavorável – se investigada com seriedade – em acusação contra um clube que nada tinha a ver com a história, logo o nosso Palestra, inimigo histórico desta escória.

Não que eu confie em Del Nero ou em qualquer um dos sujeitos que estão por aí, mas o fato é que já passou da hora de a nossa diretoria partir para a guerra, a mesma que eu sempre evoco por aqui. GUERRA, sem meias palavras, pois é tudo o que essa gente merece!

É como eu sempre digo: não devemos nos esquecer nunca de quem é esta gentalha alienada e oportunista, tampouco de tudo o que eles já fizeram. O Palmeiras cresce ao se opor a esta sub-raça sem alma.

***

*Vi o termo Madonnão-2008 no Observatório Verde. Não sei se surgiu por lá mesmo, mas este é o jeito que eu encontrei para lamentar o fim de uma das páginas mais resistentes e conscientes desta Mídia Palestrina. Obrigado e boa sorte ao Rafael e ao Tiago!

***

*Do anão-de-jardim à FSP de hoje:

"Nossa torcida não costuma ir em peso no Paulista. Em vez de 5.000 torcedores, teremos 3.000 nos jogos".


É o que eu digo: a geração vitrine não gosta do clube, mas sim de conquistas fáceis para pura ostentação.

12 comentários:

Scoppia Che la Vittoria e Nostra disse...

Caros amigo,

Queria fazer uma observação:

Mesmo com todo esse lamentavel episódio madonna,Tardeli, a imprensa paulista defende os bambis.

Imagine se o Palmeiras ou os gambás fossem os campeão desse brasileiro.

A imprensa paulista inteira iria cair matando em cima do verdão ou dos sem tetos.

Mas como foi a favor dos bambis ( o queridinha da imprensa ) não passou apenas de um mau entendido.

Alias, de “entendido” o São Paulo conhece bem !

abraços.

Forza Palestra disse...

Pois é, meu caro, mas é exatamente isso que eu coloco aqui. O papel da mídia foi desprezível.

Ademir Castellari disse...

Não é uma defesa do Corinthians, mas em 2005 (Szveitão 2005) o PVC disse que o título deles deveria conter um asterisco. Isso mesmo, um aterisco, pois assim quando alguém - no futuro - visse o título do Corinthians deveria ir até o rodapé e ler o que aconteceu naquele campeonato. As coisas são diferentes, mas nesse ano PVC, que se diz Palmeirense e jornalista independente, escreve em seu Blog que o SPFW é campeão indiscutível. Nojento.

Daniel disse...

mano o q vc achou dessa historia do ronaldo nos gambas????

Forza Palestra disse...

Foi uma baita contratação!

Hiran disse...

O SPFW poderia ter ganho o jogo com gol impedido, aos 48 do segundo tempo, com 4 jogadores a mais e com inversão do mando de jogo, que ninguém falaria nada.

palestra1914 disse...

Del Nero não será homem o suficiente para colocar às claras o que realmente aconteceu.
E quem vai se f.... nessa? O Palmeiras , claro , pois é administrado por bananas.

Será que não dá prá perceber que , assim que começaram a divulgar que havia acontecido uma tentativa de suborno vinda lá do spfw , estas putas começaram a fazer um puta barulho , indignados com a acusação , só para encobrir qualquer suspeita?

Lamentável e nojento.

Abraços ,

Bruno D'Angelo.

pedro disse...

Olá Barneschi,

Não sei se cabe aqui neste post, mas acredito ser pertinente ao espírito do seu blog.

Você (ou melhor, acho que foram comentaristas de seu blog) já deixou claro que é fã de cinema. Pois nesta última sexta fui assistir ao filme dos irmãos Cohen no cinema. Antes de começar, entre tantas propagandas, veio uma de futebol, não sei se do pfc ou sportv, era de um canal a cabo. Imagens belíssimas, muito close, naquela telona do cinema. Quem tem a minha idade só pode lembrar do canal 100, com suas imagens sensacionais. E, claro, "que bonito é...". Minha mulher comentou, com essas imagens até eu gosto de futebol...

Só que algo incomodava. E conforme a propaganda avançava o texto ficava cada vez mais abjeto. Futebol sem sofrimento, dizia o texto. E as imagens, belíssimas, mostrando a paixão e o sofrimento estampado no rosto dos jogadores. Como assim, futebol sem sofrimento? Torcer sem sofrer, eles diziam. Como assim? Seja um torcedor do futebol, eles insistiam.

Não que eu goste de sofrer. Detesto. Mas para realizar meu prazer pleno, tem que haver a possibilidade de sofrer. Como não sofrer se meu time perde? Só se eu não torcer para um time (Seja um torcedor do futebol, dizia a propaganda). Mas como ter o prazer de ver meu time ganhar, se eu não vou sofrer quando perder? Impossível.

No futebol, como no amor, quem não sofre não ama. Se você ama, você sofre. A gente sofre até com a dor de dente do filho... não é porque gostamos de sofrer mas porque gostamos de nossos filhos. Digam para não me envolver tanto com meu filho, que meu sofrimento será poupado. Sim. E ficarei um pouco mais longe dele... e só compartilharei de seus sucessos, não de suas dores. Mas vibrarei bem menos com seus sucessos do que vibraria se houvesse sofrido com suas dores.

No futebol como na vida tentamos nos poupar dos sofrimentos. E com isso nos distanciamos das coisas importantes de fato.

Abraços,
Pedro.

Carlos Rodrigues disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Vitor MV disse...

Esse é o pensamento delas:

"Pra que ir em um SPFW x Barueri pelo "paulistinha" com 4.000 pessoas, sendo que eu posso esperar e ver um SPFW x Boca Juniors pela Libertadores com 60 mil pessoas no morumbi?!"

Ps:frase dita por um alienado aqui do serviço, que resume tudo.

Abraços,

Forza Palestra disse...

Pedro,

Opa! Modéstia à parte, penso que este é o melhor espaço para discutir tal assunto. Vou tentar colocar um pouco da minha opinião:

Eu sou fã de cinema sim, tanto que escrevia muito sobre isso no blog antigo e em alguns outros sites. Começo por dizer que este novo filme dos irmãos Coen é muito bom, mas para poucos. A maioria das pessoas vai ao cinema esperando uma comédia convencional e não entende o senso de humor dos caras. É uma pena...

Quanto a esse comercial, eu não vi. Felizmente. “Futebol sem sofrimento” é algo que está bem de acordo com a mentalidade dos alienados, que vendem essa ilusão como se fosse possível. Pior: ainda acham bonito e fazem pouco de quem vê no sofrimento justamente a beleza do futebol (vide a frase do cretino diretor bambi sobre a “Batalha dos Aflitos”).

É a mentalidade dessa gente, meu caro. É a mentalidade desses novos tempos, dessa geração sem valores, sem princípios morais, sem dignidade.

Meus filhos, quando vierem ao mundo, terão uma outra educação, de outros tempos e não destes, em que se vende de tudo, até a perspectiva de não sofrer.

O que você disse faz muito sentido e reforça o que eu sempre digo: esta geração vitrine não gosta do time. Eles gostam de cantar vitória sem esforço. Ao menor sinal de dificuldade, somem todos.

E é por isso que eu faço questão de ficar no canto oposto de qualquer batalha contra essa geração de alienados.

AQUI É PALMEIRAS!

Suardi disse...

A frase acima resume em a torcida da moda.

Hiram, se até gol de mão no paulistão foi validado, imagina os demais lances descritos por você.

O que me intriga é a imprensa não questionar o favorecimento ao SPFW.