03 janeiro 2011

Sobre a unificação dos títulos

Não que eu seja um estudioso do futebol como é o meu grande amigo Galuppo, por exemplo, mas tenho lá a minha dedicação de quase duas décadas à história do esporte, de tal modo que me permito fazer breves apontamentos, talvez um tanto tardios, sobre a unificação dos títulos brasileiros:

-Depois de tantos anos de omissão, a CBF errou na medida. Na minha concepção, o Robertão (1967-1970) deveria ser equiparado ao Brasileiro (1971-), mas a Taça Brasil (1959-1967) não. Este último torneio, seja pelo número de jogos ou pelo perfil de disputa, é equivalente à Copa do Brasil;

-A intransigência da CBF em relação ao título do Flamengo em 1987 chega a ser constrangedora. Para ficar claro: o campeão nacional daquele ano é, por definição e com a aceitação de todos os outros clubes grandes, o Clube de Regatas do Flamengo e nunca aquela merda chamada Ixpót;

-A unificação anunciada por Teixeira não modifica em nada as minhas concepções sobre futebol. Eu sempre entendi o Robertão como um legítimo Campeonato Brasileiro e a Taça Brasil como uma pré-Copa do Brasil. É notável, no entanto, a importância da decisão para colocar o assunto nas mentes alienadas de imbecis que antes desconheciam a existência dessas competições. O fato de estarem agora debatendo conquistas de até cinco décadas atrás é o mérito principal disso tudo;

-Sobre comemorar o título ou não: vai de cada um. Eu aqui não fiz e nem farei qualquer tipo de exaltação, porque entendo que as conquistas já foram comemoradas no tempo devido e a homologação da CBF não aumenta em nada a importância delas. É importante pelo resgate histórico, e nada mais;

-Houve questionamentos os mais variados sobre a decisão da CBF. É interessante notar a argumentação utilizada por gente como Juca Kfouri e Marcelo Damato (este um imbecil dos mais maléficos, por dirigir o veículo que dirige); todos vêm carregados de um interesse bem conhecido, aquele mesmo que tantas vezes já manipulou a opinião pública contra a Sociedade Esportiva Palmeiras. Ou, se preferirem, contra a Società Sportiva Palestra Italia. Não é coincidência, estejam certos disso.

***

Ainda sobre números e títulos, deixo-os com ponderações sobre as edições de fim de ano do Ranking da Folha, um dos que serviu para proclamar o Palmeiras como Campeão do Século XX:

-Ainda que o ranking nacional não tenha levado em conta a unificação imposta pela CBF (Robertão e Taça Brasil continuam com a mesma pontuação de antes) e em que pese a última década de ostracismo, o Palmeiras segue bem posicionado nas edições nacional e internacional do Ranking da Folha;

-Mesmo tendo alcançado míseros 10 pontos na última década (fruto do Paulistão/2008), o alviverde perdeu ‘apenas’ duas posições, para SPFW e Flamengo, desde o início do século. Para efeito de comparação, o Internacional conquistou nesse mesmo período um total de 230 pontos. Ainda assim, continua bem atrás do Palestra;

-O ponto é: o Palmeiras pode acumular mais umas três ou quatro décadas sem títulos e, ainda assim, continuará à frente de Botafogos e Fluminenses. No entanto, perderá ainda mais postos e deixará de se situar entre os outros gigantes se não corrigir o quanto antes o desvio histórico que foi a década de 2000;

-Na esfera internacional, o Palmeiras é o sexto melhor brasileiro, posição que deveria ser bem melhor se o clube não fosse tantas vezes roubado dentro de campo no período de 1998 a 2001 e também nos anos 1960. Um eventual título da Copa Sul-Americana de 2010 pouca diferença faria na lista, a não ser pelo efeito moral;

-Os senhores sabem que não é do meu feitio fazer piadas ou brincadeiras relacionadas ao futebol e o que vem a seguir não teria também esse caráter: a questão é que o SCCP, com 80 pontos, ocupa no ranking internacional a 59ª posição, atrás até do Mazembe. Perguntarão os senhores: o que são esses 80 pontos? Pois bem, eles se devem a um único fator: a conquista do Torneio de Verão de 2000, uma fraude de que deveriam se envergonhar todas as pessoas de bem. Como pode um clube que chegou no máximo a uma semifinal continental (e só uma mesmo!) querer comemorar um título desse tamanho?

-Segue o jogo. Que a década nos traga resultados mais condizentes com a nossa história (deste próximo ano eu não espero nada).

4 comentários:

Rafael Pereira disse...

Pouco sabia sobre os detalhes dos torneios pré-71 e o que aprendi foi agora com os debates e argumentações dos favoráveis e contrários.

Sobre a Taça Brasil, penso que a comparação não deve ser focada no sistema de disputa ou número de partidas.

Será que o campeonato inglês começou do tamanho que é hoje? Ou o alemão, o argentino, o italiano... não pesquisei, mas arrisco dizer que eram torneios de dimensões bem menores se comparados aos atuais, mas os campeões dos primórdios também tem seus nomes na lista de vencedores.

E para disputar a Taça Brasil era preciso antes ser campeão do Estado, o que elevava o número de jogos necessários para conquistá-la, num esquema semelhante ao do Mundial de Clubes da FIFA. Ninguém diz que a Inter de Milão precisou de apenas dois jogos para ser a Campeã Mundial, mas sim do título europeu para ter o direito aos dois míseros jogos.

Assim a comparação iria mais pelo lado da da importância e do reconhecimento que os campeões tiveram na época da disputa e pelos argumentos que vi, principalmente os do jornalista que montou o dossiê, tanto o Robertão como a Taça Brasil foram reconhecidos com justiça.

Um bom ano novo a todos e ao nosso Palmeiras!

Luciano Coelho disse...

Uma pequena correção: a galinhada alcançou a semi-final uma vez, mas eles preferem esquecer aquele dia.

Forza Palestra disse...

Luciano,
Foi mal. Cometi um erro terrível mesmo. Foi na correria.
Abraços

Cesar disse...

Eu discordo um pouco, acho que a Taça Brasil deva ser equiparada ao Brasileiro sim, foi a primeira competição Nacional, e acredito que foi por causa dela também que os Estaduais devem ter ganho tanta força na época, vc tinha que ir bem para chegar a Taça Brasil...

Com relação aos rankings, esse da folha sempre foi o único que eu considerei correto, o resto eu nem procuro saber, e agora com as correções que eles fizeram, podemos passar bambis e urubus em pouco tempo até, ainda voltaremos para o nosso lugar!!