22 dezembro 2006

Del Nero, fantoche do mal

Del Nero é um nome eternizado na história da Sociedade Esportiva Palmeiras. Descendente de italianos, este meia-esquerda defendeu o clube por quase 10 anos. Foram 244 jogos, o bastante para conquistar cinco títulos paulistas, incluindo aquele, de 1942, contra a sub-raça.

Del Nero, que descansa em paz, não merece o filho que tem.

Del Nero, o pai, não merece ver Marco Polo sujar o seu nome.

Del Nero, o filho, é um dos maiores vilões que o futebol já teve.

E é certamente o grande inimigo do torcedor na atualidade.

Ao agir como fantoche da emissora-câncer-do-futebol, Del Nero apenas ratifica o que já sabia desde o fatídico dia em que assumiu a presidência da FPF e elevou, de maneira ditatorial, de R$ 10 para R$ 20 o preço da arquibancada: ele é contra o torcedor de futebol neste país.

Del Nero não leva em conta o interesse dos que sustentam o futebol. Age de acordo com interesses espúrios - como já fizera no episódio da venda dos direitos de transmissão das próximas edições do Paulista. "Se passar, vamos jogar fora de São Paulo", disse, em resposta à lei, aprovada na Câmara Municipal, que proíbe que jogos de futebol tenham início após as 21h nesta capital.

Fantoche do mal, Del Nero encampa o discurso de toda aquela gentalha maldita: "Quem tem dificuldade nesse horário fica em casa", vociferou, na maior cara de pau.

E mais: "Se ouvissem a maioria, não tomariam essa decisão".

Ah é? Pois eu pergunto: seria uma minoria a ter dificuldades para voltar para casa após jogos que se encerram quase no dia seguinte? Seria uma minoria a reclamar das tantas arbitrariedades já cometidas pela emissora-câncer-do-futebol? Seria uma minoria a ficar em casa porque os jogos acontecem em horários estúpidos?

Vai prevalecer um único interesse.

E não é o do torcedor...

12 comentários:

Filipe disse...

Palestrino, tem de haver uma manifestação conjunta de todas as organizadas - impossível? não sei.
Além de sermos fichados como vagabundos (ontem, lá na quadra, estavam cadastrando ninguém menos que a tia da cantina. O que ela fez pra merecer ser fichada????), tratados como marginais, não só pela puliça como pelos flavios da puta, temos que "aceitar" que haja a "força" do interesse de uma cambada que nem assiste nem gosta de futebol?
E a maioria somos nós, torcedores!!! Nós!!! Esse canalha tem que ouvir a nós!!! Assim como fez a câmara, num gesto raro de decência.
Meu vô assistia (participava, sejamos francos), quando tinha minha idade, a brigas homéricas entre Corinthianos e Palestrinos. E pasme! o poder público contornava tudo isso. Presos? quase nenhum. Fichados?? HA! Era o tempo "do onça". Depois usaram as organizadas para fazer a acusação de que tudo acontecia por causa delas, quando na verdade 1)sempre foi assim, e 2)são as organizadas as únicas capazes de controlar e comandar uma situação dessas, de "violência".
enfim, isso já tá se tornando um post...
abraços

Barneschi disse...

Deveria sim, cara. Não só das organizadas, mas dos torcedores comuns também. Especialmente daqueles que têm problemas com esse horário e que são privados de ir ao estádio por um capricho da tal emissora de TV.
Abraços

Craudio disse...

Pior é ver os sofás querendo dar palpite numa coisa que eles nem fazem idéia do que seja...

Lamentável, lamentável. Essa cidade se encaminha cada vez mais para o buraco.

Marcos disse...

Como se não bastasse tudo isso, ainda apóia o candidato do Mustafá para presidente do Palmeiras e só monta tabelas que beneficiam os bambis e prejudicam o Palmeiras no Campeonato Paulista... palmeirense com certeza esse cara não é...

Filipe disse...

No Projeto Piloto de Prevenção à Violência no Futebol para 2007 está lá no "Art. 15 - Os atletas, dirigentes e membros da Comissão Técnica ficam proibidos de dar proteção a qualquer torcedor que invadir o campo de jogo", apenas para justificar, erradamente, burramente que "lhes é vedado qualquer incitação à torcida por gestos ou palavras".
Vejam como o torcedor é tratado como bandido - ele não é um civil. Ele é caso de polícia. O jogador não pode aceitar aperto de mão dele. E só porque ele não pode mais comemorar gol gritando, porque senão vai ter que responder civilmente, afinal "é trabalhador". E é mesmo. mas é meio escravo, como todo trabalhador...
E a coisa vai mais longe.
"Art. 7º – A CPTM e o Metrô, em suas respectivas áreas de atuação, adotarão as medidas necessárias para prevenir a ocorrência de tumultos e desordens". Tumultos e desordens, que fique claro. Não pode cantar na rua. No ônibus, no metrô, se cantar vai responder civilmente.
Estamos fichados.

filipe disse...

O artigo 16 claramente desestimula o clube a deixar torcedor entrar quando o mando é seu. Se os caras fizerem 'baderna', o clube é reponsável.
Isso auxilia também a dependência das verbas fáceis da TV.
E quando se fala em jogo antes das 21h... magina, não terminou a novela, tá maluco?
Já faz tempo que você mencionou que o pai Del Nero chacoalhava no túmulo. E agora? vai puxar o dedão dele de noite...

Filipe disse...

"A Câmara Técnica de Relações de Consumo do Desporto mobilizará esforços (...) para que deixem de ocorrer novos cadastramentos de ambulantes (...), bem como para que, (...), os ambulantes que estiverem regularizados mantenham distância de, no mínimo, 1 Km (um quilômetro) do estádio em que se realiza o evento, a fim de evitar tumultos e aglomerações de pessoas ao redor desse, contribuindo simultaneamente para deslocamentos rápidos diante de quaisquer urgências"

Torcedor gera aglomeração que gera tumulto - e isso é tido como uma equação necessária, danosa e que precisa ter fim.
Não vai poder comer pernil porque gera tumulto.

Craudio disse...

Deu na Falha de S.Paulo:

"Em Santos, a prática de frescobol, por exemplo, é proibida das 9h às 17h, nos meses de dezembro a março."

Tem nego aí que chora... hahahahahahahhahahahahahahahhahaha

Anônimo disse...

Pelo menos eles impedem que bandidos de uniformizadas matem ou assaltem inocentes. Afinal para que presta Mancha, TUP, Independentes a não ser abrigar vagabundos? Boa Del Nero!

Barneschi disse...

Anônimo covarde,

Sou da Mancha há 12 anos. E não sou vagabundo. Como eu, há dezenas de milhares que o são. Na Mancha, na GdF, na TTI, na TJS, enfim...

Generalizar é coisa de quem não consegue elaborar um raciocínio minimamente lógico. É postura de gente como você e Flavio Prado, que não sabem o que se passa e querem dar opinião sobre o que não entendem.

Torcida organizada serve para muita coisa. Abrigar vagabundos talvez seja um efeito colateral, inevitável se considerarmos o cenário social do nosso país.

Se você fosse aos estádios, saberia disso.

E se você tivesse um mínimo de vergonha na cara, não se esconderia atrás de um comentário anônimo.

Barneschi disse...

Anônimo covarde,

Sou da Mancha há 12 anos. E não sou vagabundo. Como eu, há dezenas de milhares que o são. Na Mancha, na GdF, na TTI, na TJS, enfim...

Generalizar é coisa de quem não consegue elaborar um raciocínio minimamente lógico. É postura de gente como você e Flavio Prado, que não sabem o que se passa e querem dar opinião sobre o que não entendem.

Torcida organizada serve para muita coisa. Abrigar vagabundos talvez seja um efeito colateral, inevitável se considerarmos o cenário social do nosso país.

Se você fosse aos estádios, saberia disso.

E se você tivesse um mínimo de vergonha na cara, não se esconderia atrás de um comentário anônimo.

Filipe disse...

Anônimo covarde, perde seus direitos de cidadão e acha bom. Além de covarde é burro. Burro pois gosta de ser burro. Ciclo vicioso? É anonimato, além de tudo! Incrível como tem gente que faz questão de ser burra.

"boa del nero" foi foda...

Mais foda é acordar quatro e meia da manhã para trabalhar, tendo chegado em casa depois da meia noite porque foi ao estádio.
E vem um ser burro desses falar em "vagabundo".

Mas isso tem conserto. Vá até a Rua Cristina Tomas para ver que ali não tem vagabundo, apenas. Como disse o Palestrino, é efeito colateral da nossa çoçiedade. Há por ali uma escola. E lá ninguém é anônimo.