03 outubro 2011

O país do futebol? (32)


A foto acima é de uma rua de Napoli (bem perto da Catedral de San Gennaro), mas é possível encontrar este tipo de referência em qualquer grande cidade europeia

A série voltou e temos, contando com este, mais nove capítulos até o 40º, o último. É necessário começar com a indicação de um post do blog do Mauro Cezar Pereira sobre o despreparo da PM paranaense em partida recente da Brisa/PR. O que temos aí é um bom retrato do que acontece em todos os estádios brasileiros, inclusive aqui em SP, terra dos bravos, valorosos e destemidos homens do 2º BP Choque. As armas apontadas para a multidão e a expressão de ódio daqueles dois últimos coxinhas são bem reveladoras da guerra desigual que existe entre torcedores (não só os organizados) e policiais.

Dado o devido destaque para o post acima, retomo um episódio do último dia 28 de agosto, quando homens fardados dispararam contra um grupo de torcedores palmeirenses em Presidente Prudente/MS. O caso já foi debatido à exaustão, qualquer pessoa que frequenta estádios sabe o que efetivamente aconteceu, mas eu quero me debruçar sobre as consequências: aos diligentes homens da lei, a impunidade; à organizada que teve dois de seus integrantes baleados, o afastamento dos estádios paulistas.

Eis aí um bom resumo do que acontece no dito "país do futebol". Com raras exceções (Mauro Cezar Pereira é uma delas), a imprensa "esportiva" endossa a conduta repressora de policiais despreparados e mal intencionados e apela para chavões já há muito desgastados para atacar quem vai a estádios: somos "vagabundos", "marginais" e "delinquentes", não necessariamente nesta ordem.

É neste cenário que um ex-coronel do 2º BP Choque vira chefe dos bandidos do apito. É neste cenário que um promotor oportunista vira deputado. É neste cenário que outros promotores desocupados resolvem seguir o mesmo caminho da política. É neste cenário que canalhas como Marco Polo Del Nero extravasam seu ódio contra o torcedor impondo restrições seguidas de restrições às torcidas organizadas. É neste cenário que jornalistas "esportivos" tratam o torcedor como vagabundo e recomendam que as pessoas não frequentem os estádios de futebol. É neste cenário que oportunistas de todo tipo aparecem às custas do futebol.

E é neste cenário que as torcidas organizadas, todas elas, mostram enorme incapacidade de reagir a esta situação, muito por falta de algo que poderíamos chamar de "consciência de classe". O que eu quero dizer com isso? Bom, aí vale revisitar os capítulos 10 e 28 da série "O país do futebol?". O primeiro, mais que o segundo, ratifica a tese de que a diferença entre as torcidas do Brasil e de fora pode ser resumida em uma única palavra: mentalidade.

Coloquei lá no alto, abrindo o post, a foto de uma rua de Napoli, com o ACAB pichado na parede. É possível encontrar esse tipo de referência em qualquer grande cidade europeia. Na Italia, são muitas as inscrições de protesto contra o "calcio moderno" pelas ruas - isso acontece ainda em cidades como Amsterdam, Paris, Budapeste, Praga e em qualquer lugar que leve o futebol a sério. Aqui no Brasil, no entanto, filho da puta só se preocupa em lançar mão de uma porra de uma frase que já virou um clichê dos idiotas: "É este país que vai sediar a Copa do Mundo?"

Sim, filho da puta. E é assim também por causa da sua mentalidade.

Está dado o recado. O post vale mais pelo texto acima do que pelos vídeos abaixo, tentativas não muito inspiradas de retratar a diferença de mentalidade entre os torcedores de fora e os daqui.


Vídeo 1: Gotemburgo, Suécia. As torcidas de AIK e Djurgårdens IF, rivais da capital, protestam contra o futebol moderno. Cada uma do seu lado, é evidente, mas conscientes de que uma manifestação desse tipo seria mais eficaz se envolvesse todo o estádio. Foram 10 minutos de silêncio seguidos então por um espetáculo de pirotecnia e por um barulho que chegou a paralisar o dérbi local. Ganhou espaço na mídia de todo o mundo e tornou-se mais um bom exemplo de resistência ao futebol moderno.


Vídeo 2: Em Portugal, a torcida do Sporting bota os coxinhas para correr durante o clássico de Lisboa (contra o Benfica). Foi apenas e tão somente uma reação à truculência dos policiais na arquibancada.


Vídeo 3: Suíça. Jogo entre St. Gallen (da cidade homônima) e Grasshopper (de Zurich). Pouco importa o que aconteceu em campo; o que vale é o golpe abaixo:


Vídeo 4: Mais um pouco de ACAB. Edição de imagens feita pelos ultras do austríaco Rapid Wien:


###

_Este capítulo teve a colaboração de Ivan Bianchin e Caio Filardi.

18 comentários:

Ivan disse...

Brazileiro é acomodado por natureza e o apelo popular vai contra os torcedores, em casos como o de Prudente/MS...

Policial é inimigo de torcedor por essência, e torcedor que se prese, tem de odiar policial.
Tenho amigo na Mancha que é policia e que sempre me diz isso. hahahahaha

A JuveLeo é uma senhora torcida, lá na terras dos padeiros. Não é o primeiro ato contra filhos da puta e nem será o ultimo. Aliás, não só a torcida do Sporting, mas a maioria das claques portugas fazem grandes protestos "ACAB" e contra o futebol moderno. Ando gostando bastante das torcidas lusitanas. Que tem times horríveis e um campeonato bem chato pra acompanhar e mesmo assim, são bem ativas e baderneiras.

Essa é uma mentalidade global no futebol que infelizmente só nós, brahmeiros, ainda não adquirimos.

Não confio nos coxinhas! E viva o Palestra!
abraço

Ivan disse...

E esta foto do início tem um cunho político maior do que imaginamos.
Casapound na Itália é um movimento que invade construções antigas e abandonadas e que defende famílias sem-teto. Não sabia dessa. Uma breve pesquisa na internet nos fornece brisas magnificas sobre as torcidas mundão afora. hahaha

Fico imaginando aqui no Brazil, a torcida do time preto fazendo protestos para seus associados terem moradia digna e sairem das favelas enquanto a Mancha queima bandeiras do movimento sem-terra. hahahahaha

No mínimo interessante.
Não tem como negar. A mentalidade Ultras está anos luz na frente da mentalidade de nossas torcidas.

Anônimo disse...

ha algum tempo que eu falo sobre 'consciencia de classe' do torcedor, mas parece algo quase impossivel com um povo tão apatico e passivo.

esse video do policial tomando uma bica é genial. me faz lembrar de outros: um torcedor do atletico paranaense dando uma voadora num policia e no oficial atingido por uma murga voadora, se nao me engano no mexico.
recentemente eu vi um policial rolando metade da arquibancada visitante do pacaembu. foi na treta entre tjs e sjs. quem assistiu a cena riu bastante

agora um video incrivel: a 12 do boca correndo a policia e eles cantando a famosa "... va correr.. la yuta tambien"
http://www.youtube.com/watch?v=lK994pA3zsY

grande abraço
gabriel uchida

Gabriel Manetta Marquezin disse...

Grande Gabriel Uchida, já tinha dado ctrl+c no link do mesmo vídeo para postar aqui, você foi mais rápido haha achei que o Barneschi por ser amante do fútbol fosse por no post...

se der pra editar bem que poderia adicionar este vídeo, sempre que possível a Argentina deveria ser citada nesta série, para mostrar o abismo que existe entre o futebol de lá e o de cá, entre um país que leva o esporte a sério, e outro que o vê como entretenimento.

Forza Palestra disse...

Valeu, Uchida e Manetta! Mas vale lembrar que eu já tinha aproveitado esse vídeo épico e histórico de La 12 no capítulo 28 desta série, o primeiro ACAB: http://forzapalestra.blogspot.com/2011/07/o-pais-do-futebol-28.html

Era perfeito para usar agora, mas não dava para repetir, né?

Abraços

Gabriel Manetta Marquezin disse...

outro vídeo que reforça como aqui os torcedores são baba ovo da imprensa e submissos a qualquer merda, enquanto na Suiça, mais um país onde o futebol é coisa séria, os torcedores ficaram putos quando a TV deixou de transmitir, ou começou a transmissão com atraso, de um jogo do FC Luzern, para passar um jogo de tenis, parece que tinha um espanhol e/ou um suíço qualquer praticando esta gincana chamada tenis...os torcedores então esperaram o próximo jogo do Luzern a ser transmitido, um jogo contra o Basel, um dos principais clubes do suíços, e assim que o juiz apitou, a torcida lançou infinitas bolinhas de tenis em campo, a retirada destas atrasou um bom tempo a transmissão...a vingança estava feita...

http://www.youtube.com/watch?v=K2iRzoTbmxQ

aqui, me lembro bem de um episódio parecido, envolvendo inclusive o Palmeiras....a Globo estava transmitindo um jogo de algum rival, e era uma daquelas raras datas que a Band pode transmitir um jogo diferente, e escolheram o nosso....mas os fdp fizeram vários cortes ou ainda dividiam a tela em 2, para mostrar os últimos lances da final do volley, aquela brincadeira simpática, cheia de jogadores bonzinhos e espectadores acéfalos e corporativos...o fato passou batido, a torcida aceita numa boa esse tipo de canalhice, e ainda sou obrigado a ver "palmeirense" levando cartaz "Neto, filma eu", "mãe to na Band"...

Gabriel Manetta Marquezin disse...

Barneschi, realmente, já são tantos capítulos que alguns vídeos que sugerimos, na realidade nós vimos aqui mesmo, este do protesto contra o jogo de tenis talvez tenha sido aqui também...

abs

Forza Palestra disse...

Opa, meu caro, valeu! Este vídeo aí saiu na edição 6: http://forzapalestra.blogspot.com/2011/03/o-pais-do-futebol-6.html

Abraços

PS: O capítulo 33 vai trazer mais algumas indicações suas.

Gustavo Moraes disse...

Fala Rapaziada,

realmente o "idealismo torcedor" ainda fica em segundo plano por aqui. Torço para q alguma liderança consiga impregnar isto nas cabeças de nossas torcidas.

Sem união e organização, não vamos conseguir exigir nossos direitos como torcedores.

abraço

Anônimo disse...

na atual exposição da bienal de artes em sp tem uma instalação que é um painel gigante com vários policiais e ao lado está escrito ACAB. fiquei muito surpreso em ver aquilo e pensando.. quantos brasileiros vao ver aquilo e entender? haha

gabriel uchida

Anônimo disse...

Como sempre o post está sensacional, o primeiro video e muito loko ginialidade pura entre as torcidas, quando q vamos ver algo parecido um dia no Brasil...
Sabe é por issu q eu escolhi o Palmeiras pq apesar de td a nossa torcida é um pouco melhor q as outras, tem uns cara q nem vcs aqui deste blog com esse pensamentos.
Pra mim o nosso Major tinha q iniciar uma Ultra Palmeirense, vc ja pensou nisso????

Passeando pelo twitter eu achei uma tal de Camorra1914 q se diz uma Barra Brava palmeirense, vc conhece já os viu e o q achou????

É muito triste ver q somos o pais penta-campeão mundial e ñ temos nd em relação a torcida, até mesmo a MV deixa muito adesejar tem hora, esse rixa q tem entre MV e TUP atrapalha muito, o q eu mais gosto nos Ultras e nas Barra é q ele usam a camisa do time e as cores do time, q é o verdadeiro motivo pra se torcer.

@batista_mv

Bruno Ricardo SEP disse...

Barneschi, neste dia da revolta da torcida do Atlético o que eu achei mais absurdo foi nos minutos 9:51 e principalmente no 10:21, quando os coxinhas provocam fazendo sinal de 2ª divisão pra torcida... Patético!
http://www.youtube.com/watch?v=nhLecUXufAM

Domingo, mesmo sem aqueles caras merecerem, estarei em Santos pelo Palmeiras. No Visa, no meio da torcida dos Sardinhas. Já que não conseguirei ingressos, né!

Fique com Deus!

Leonardo disse...

Mais um grande post. É triste ver que as torcidas de nosso país não possuem mentalidade alguma e são incomparáveis com outras torcidas latinas e as torcidas europeias.

Já vi a sigla ACAB pichada próximo ao local onde moro, no bairro do Ipiranga. Mas não me lembro de ter visto em outra oportunidade.

UltraAlviverde disse...

Tai Um belo nome para uma grande torcida; ULTRA ALVIVERDE, e por coicidencia, sempre foi meu "APELIDO".

Sergio Mendonça disse...

Ola amigo tudo ok.

Tenho uma curiosidade e você muito observador pode me ajudar.

Nesta sua recente viagem pela Europa, você viu pessoas utilizando camisas de clubes do Brasil? Em especial do PALMEIRAS?

Ou mesmo camisa dos times da Europa.

Sabemos que é normal muita gente usar camisas de clubes da Italia, Espanha, Inglaterra por aqui, passando a impressão que todos torcem por um clube do velho continente.

Obrigado

Forza Verde disse...

Sempre a disposição meu caro!

Naturalmente sempre contra o futebol moderno e claro, como não poderia deixar de ser, A.C.A.B.

Abs.

Anônimo disse...

É, impressionante como as coisas se invertem. Pra começar, a polícia MILITAR não deveria existir, por essência. Depois, sou da opinião de que policial deveria ser extremamente respeitado e valorizado. Lugar de vagabundo e transgressor da lei, é na cadeia. Mas aí a conversa vai longe, passa pela impunidade e por um suposto cenário ideal.

Acontece que no Brasil a própria polícia faz esforço pra ser odiada. Minha irmã foi policial civil e saiu...os relatos são os piores, de ambos os lados. Mas aprendi uma coisa: PM não teria obrigação de fazer "segurança" em estádio, então já vai com uma vontade desgraçada de fazer merda e descer o porrete. Se for "marginal" de organizada adversária, melhor ainda!

Me lembro que há uns anos atrás, no estádio do união são joão de araras, contra o Paulista de Jundiaí na semi do Paulistão, eu tomei borrachada por comemorar no alambrado depois de um golaço de falta do Pedrinho, empatando a cancha. Apanhei de graça, de um fdp que não suportou ver a felicidade de um torcedor.

Só sei que o buraco é mais em baixo. Lugar de PM não é dentro de estádio. E nem fora dele.

Abs!
André

Anônimo disse...

Em tempo, depois de ler um comentário acima falando sobre MV x TUP.

Essa viadagem da mancha pedir pra td mundo ir de branco e bla bla bla já deu no saco. Querem "se destacar" dos demais? Aparecer? É a coisa mais carnavalesca, narcisista e infantil do mundo. Tá parecendo uma certa torcidinha de bixa que torce mais pra torcida que pro time.

Deu no saco!