03 julho 2011

O país do futebol? (25)

Outro capítulo dedicado a países estreantes, pensado para humilhar de vez qualquer um que ainda insista em dizer que o Brasil é o país do futebol. Vamos visitar recônditos pouco (ou nada) conhecidos: Israel, Marrocos, Índia e Malásia.

Vídeo 1: As torcidas de Israel não combinam em nada com a imagem que se pode ter do país. Falo por mim, mas imagino que tal percepção vai se aplicar a boa parte dos leitores do blog. O tour pelas torcidas locais começa com os ultras do Maccabi Tel Aviv. Eu não gosto de publicar vídeos editados, mas é assim que eles fazem por lá:


Vídeo 2: Mais um do Maccabi Tel Aviv, em duelo contra o Panathinaikos, da Grécia:


Vídeo 3: Um compilado de boas imagens da torcida do Maccabi Haifa, a Green Apes 2002 (sim, apes pode ser traduzido como "primatas"). Nunca tinha pensado em como este poderia ser um bom nome para uma torcida organizada.


Vídeo 4: Belo recebimento e boas imagens de incentivo da torcida do Hapoel Tel Aviv:


Vídeo 5: Da Ásia (ou Europa, se considerarmos que Israel é um país filiado à Uefa) para a África. Vamos para o Marrocos, direto para o dérbi de Casablanca: Raja Casablanca x Wydad. O estádio é o Mohamed V.


Vídeo 6: Mais uma do dérbi local, com as duas torcidas mandando bem nos mosaicos.


Vídeo 7: Um solo do Wydad.


Vídeo 8: A torcida do Mohun Bagan comemora um gol contra o East Bengal no clássico de Calcutá, a capital indiana. O duelo é disputado no Salt Lake Stadium, com capacidade estimada em 120 mil pessoas. Considerando que os velhos malditos da Fifa ainda não aprontaram por lá, eu até acredito.


Vídeo 9: Malásia. Que tal? Imagens do jogo entre Selangor e Kelantan. Digo aos senhores que é muito difícil encontrar informações 100% confiáveis sobre o que estava em disputa aí e mesmo sobre a relevância dos dois times, mas pouquíssimas partidas aqui no Brasil reúnem um público tão grande:


Vídeo 10: A melhor parte dessa pesquisa sobre o futebol da Malásia foi perceber que os caras lá não são nada pacíficos. Confiram abaixo a briga na arquibancada:


###

_Crédito: Vitor Birer, o israelita. Foi a partir dos vídeos de Israel que eu me aventurei a procurar torcidas lá do outro lado do mundo.

7 comentários:

Guilherme disse...

Puta blog mano! Parabéns mesmo, ainda mais pela sequência do ´´país do futebol´´, olha, mais fácil ser do volei, hahah.
logo mando uma contribuição de algumas torcidas!
parabéns pelo trabalho e que não pare nunca.

Anônimo disse...

Olá! Acompanho seu blog há algum tempo. Discordo de algumas coisas, como é natural. O que eu não entendo é o seguinte:

Por que vc nunca toca no assunto da situação política do clube?

Vc não acha esse o principal motivo por termos um time de merda, formado com chinelinhos e que nos fizeram perder tudo e mais um pouco? Que a consagração da política do bom e barato culminou com mais uma década perdida, não acha? Que nós temos uma diretoria que se importa mais com a ala social do clube do que com o futebol??

Por que as organizadas não se manifestam sobre isso? Já que alguns se arvoram a fazer protesto contra jogador, porque não fazer o mesmo contra os que realmente são o sanguessuga no Palestra?

Espero sua manifestação, pois gostaria de entender sua postura a respeito. Atenciosamente,

Lenita.

Anônimo disse...

Lenita,

O primeiro passo desta discussão é ter em mente que o clube e o futebol são dissociados.

AFRANIO MOURA disse...

POR QUE O SENHOR NÃO FAZ POSTAGENS SOBRE A BAGUNÇA POLITICA QUE É O SEU TIME???SOBRE O CONSELHEIRO QUE CHAMA O PRESIDENTE E O DIRETOR DE FUTEBOL DE ''SEM CARATER'' APESAR DE SEREM SEM CARATER, E QUE NINGEUM FAZ NADA????

REALMENTE O PALMEIRAS TEM A TORCIDA MAIS FROUXA DO BRASIL....CONSELHEIROS VELHACOS E IDIOTAS FAZEM O QUE QUER E NINGUEM, ABSOLUTAMENTE NINGUEM FAZ NADA....OOOOOOO TORCIDINHA FROUXA HEIN OU TEM RABO PRESO HEIN?

Anônimo disse...

Anônimo 2

Pois é, clube e time deveriam ser independentes... No Palmeiras não é, todo mundo sabe disso. Daí a minha dúvida. Qualquer pessoa que queira o bem da INSTITUIÇÃO PALMEIRAS deveria lutar para a dissociação de clube e time, não? Assim os velhos se matam em paz e deixam o time ser o que nasceu para ser.

Mas as organizadas não fazem isso. Por que???

Lenita.

Forza Palestra disse...

Lenita,

É o seguinte: eu tenho nojo da política do Palmeiras. Trato disso de maneira marginal, com críticas relacionadas normalmente ao tratamento destinado por estes imbecis à torcida palmeirense, que é a única coisa que efetivamente importa para o clube.

A questão é a seguinte: o reflexo da escrotidão dos dirigentes palmeirenses está presente nos mínimos detalhes do tratamento que é concedido ao torcedor e é isso que eu pretendo destacar aqui no blog.

O próximo post deve trazer algo nesse sentido.

Os dirigentes nunca são poupados aqui. Todos eles já foram devidamente atacados e, por vezes, faço menções mais contundentes no Twitter, que permite manifestações mais pontuais e imediatas.

O perfil do blog é outro, a linha editorial é toda voltada à arquibancada, e não faz muito sentido fazer análises sobre a política do clube.

Se você quiser esse tipo de análise, certamente encontrará bom material no Verdazzo (o Conrado tem um conhecimento muito mais profundo que eu sobre o tema) e também no 3VV (que traz análises bem contextualiazadas sobre o assunto).

Por mais que seja sócio do clube e que esteja acompanhando tudo o que eu acontece, eu não tenho um conhecimento tão profundo quanto o deles.

Recomendo que você procure o blog deles para esse tipo de análise. As minhas vão sempre trazer o olhar da arquibancada, e isso vocÊ não encontra nos outros.

Obrigado pelo comentário.

André Fix disse...

Parabéns por vc ter dado uma reposta a Lenita, pois eu entendo sua posição de não analisar a política pobre do Verdão.

Permita tocar no assunto, apesar de achar que vc não se sente confortável para discutir sobre as torcidas organizadas, especificamente a MV. Como vi vc se manisfestar, nos comentários, um par de vezes este ano sobre seu descontentamento por atitudes da MV, gostaria de ter sua análise sobre o futuro da arquibancada popular, ja que cada vez mais ha distanciamento da MV com a massa Palmeirense.
Mesmo antes do setor Visa, a MV ja era mais Mancha do que Palmeiras, mas o posicionamento no Palestra proporcinava a ela o comando da arquibancada. To falando apenas da direção do espetaculo da bancada, nada ligado a força bruta, ok?

A falta de posicionamento coerente e positivo da MV em defesa do Palmeiras, ou atitudes pouco intelgientes de violencia a atletas, só prejudica mais a identidade do torcedor organizado para o comum (essa distinção não desce bem, mas paciencia). A bancada precisa de um grupo que a coordene, mas isso é um respeito que deve ser conquistado por admiração, e apesar de não ser Manchista sempre escolho pra ficar ao lado da MV (acho que até tenho nº de sócio da epoca de pivete), tenho certeza que foi assim que a MV cresceu. Com atitudes positivas e contundentes.

Não entendo nada do assunto, apenas é minha percepção do que rola no estadio, apeasar das poucas idas ao estadio nesta fase sem Palestra.
Torço para que possa novamente achar na MV uma parte (muito importante) da minha identidade de torcedor do Palmeiras.

Saudaçoes Palestrinas, e obrigado pela série "O país do futebol?".