14 dezembro 2011

O país do futebol? (40)

Pois é, senhores, chega ao fim a série "O país do futebol?". Um dia isso iria acontecer e este é o momento ideal, até para não "virar o fio". Foram 39 capítulos úteis (e mais este aqui), e eles todos contribuem para comprovar a afirmação feita por este blog logo no início do ano: o Brasil pode ser o país de muitas coisas, mas o futebol certamente não está entre elas. É uma questão cultural, de identidade, de alma. Já ouvi alguém dizer que "o brasileiro não gosta de futebol; o brasileiro gosta de vitória". É verdade. O brasileiro típico é oportunista. Quem gosta de futebol é o argentino. É o italiano. É o polonês. É o uruguayo. É o búlgaro. É o grego. É o turco. É o sérvio. É o inglês. Mas não o brasileiro.

O "brasileirinho" (empresto aqui a expressão cunhada pelo Mauro Cezar Pereira) permite a existência de um imbecil retardado como Tiago Leifert - e, vejam vocês, até gosta desse cretino. O "brasileirinho" endossa a exploração da Rede Globo. O "brasileirinho" é alienado e serve como massa de manobra para a atuação de crápulas como Ricardo Teixeira, Del Nero e que tais. O "brasileirinho" é incapaz de se indignar com o que existe de efetivamente podre no futebol. O torcedor daqui não tem consciência de classe, não luta pelos seus direitos, desconhece até o que é o "futebol moderno". O "torcedor" de futebol neste país é uma vergonha.

Peço desculpas pelas tantas aspas aí do parágrafo acima, mas elas são necessárias para ressaltar o termo. Isso tudo que afirmo textualmente, senhores, pode ser observado em detalhes (ou melhor, em imagens) ao longo de toda esta série que começou de maneira despretensiosa, lá em fevereiro, e só ganhou força graças à audiência e à colaboração dos leitores desta página. Todo o trabalho que eu tive para colocar isso no ar só foi possível e fez sentido porque havia gente que, semana após semana, estava interessada em saber como seria o capítulo seguinte.

A série "O país do futebol?" foi o que de melhor aconteceu para este blog em 2011. Foi ela que permitiu um respiro em meio às tragédias todas envolvendo o Palmeiras. Foi ela que deu uma motivação diferente a esta página - e à minha dedicação. Foi ela que me fez ter ainda mais prazer de assinar isto aqui. Foi, enfim, uma exceção em meio a um ano com quase nada para lembrar.

Aos números:

Foram 287 vídeos e 12 fotos de 55 países diferentes: Alemanha, Argélia, Argentina, Áustria, Bélgica, Bolívia, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Chile, Chipre, Colômbia, Coréia do Sul, Costa Rica, Croácia, Dinamarca, Egito, Equador, Escócia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Grécia, Guatemala, Holanda, Honduras, Hungria, Índia, Inglaterra, Irã, Irlanda, Israel, Italia, Japão, Lituânia, Malásia, Malta, Marrocos, México, País de Gales, Paraguay, Peru, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia, Rússia, Sérvia, Suécia, Suíça, Turquia, Ucrânia e Uruguay.

A seguir, todos os 39 capítulos anteriores, com os países retratados, todos os times que por aqui passaram e a quantidade de vídeos. Se me permitem fazer um pedido, gostaria que os leitores desta página, dos mais aos menos habituais, escolhessem os cinco capítulos preferidos e publicassem a lista nos comentários - se possível justificando a escolha. Aí vai:

Capítulo 1 (10.02) - 4 vídeos
A série, dá pra perceber pelo tom do post, começou sem qualquer pretensão. Alguns vídeos soltos, mas todos eles muito expressivos: Argentina, Italia, Polônia. O Lech Poznań virou um clássico absoluto. E a reação da hinchada do Chacarita é emblemática.
Argentina (Chacarita): 1
Italia (Napoli): 1
Polônia (Lech Poznań): 2

Capítulo 2 (15.02) - 7 vídeos
É um dos meus preferidos, em especial pelos confrontos entre San Lorenzo e Huracán e pela festa da hinchada do Nueva Chicago para um time já rebaixado.
Alemanha (St. Pauli): 1
Argentina (Huracán, Nueva Chicago e San Lorenzo): 5
Grécia (Panathinaikos): 1

Capítulo 3 (21.02) - 5 vídeos
Grande Turquia! Um incendiário Fenerbahçe x Galatasary e as torcidas locais fazendo um barulho ensurdecedor. E o Crawley justifica uma menção das mais honrosas.
Croácia (Hajduk Split): 1
Inglaterra (Crawley): 1
Turquia (Fenerbahçe): 3

Capítulo 4 (01.03) - 5 vídeos
A série segue para o leste europeu com os belos vídeos da Sérvia. De quebra, dois países 'ocidentais' com forte cultura ultra.
Áustria (Sturm Graz): 1
Holanda (Groningen): 1
Sérvia (Crvena Zvezda e FK Vojvodina): 3

Capítulo 5 (09.03) - 7 vídeos
O monstruoso Boca-River ganha três referências espetaculares e o Uruguay aparece pela primeira vez, com seus dois grandes clubes e com a Celeste no Centenario.
Argentina (Boca Juniors, Estudiantes e River Plate): 4
Uruguay (Nacional, Peñarol e seleção do país): 3

Capítulo 6 (15.03) - 4 vídeos
Uma edição enxuta, mas matadora; bastaria o primeiro vídeo, do cipriota APOEL, para que ela fizesse sentido.
Chipre (APOEL): 2
Polônia (Widzew): 1
Suíça (Basel e Luzern): 1

Capítulo 7 (22.03) - 5 vídeos
Peñarol-Nacional e West Ham-Milwall: isto já resolve tudo. Mas temos ainda uma grande hinchada da Costa Rica e o primeiro vídeo ACAB da série.
Costa Rica (Saprissa): 1
Inglaterra (Milwall e West Ham): 1
Portugal (Benfica): 1
Uruguay (Nacional e Peñarol): 2

Capítulo 8 (28.03) - 7 vídeos
Para descobrir que até os japoneses torcem melhor que o povo daqui. Humilhação total...
Croácia (Dinamo Zagreb): 2
Grécia (Panathinaikos): 2
Japão (Urawa Red Diamonds): 3

Capítulo 9 (30.03) - 2 vídeos
Sem planejamento algum, este aqui surgiu em reconhecimento a uma notícia da época: a torcida do Cúcuta, da Colômbia, levou um torcedor morto ao estádio. Com caixão e tudo.
Colômbia (Cúcuta): 1
Italia (Salernitana): 1

Capítulo 10 (04.04) - 6 vídeos
A união dos ultras italianos para protestar contra a morte de um torcedor - por policiais - mostra bem qual é a diferença de mentalidade entre os torcedores de lá e os daqui.
Italia (Atalanta, Juventus, Lazio e Roma): 6

Capítulo 11 (12.04) - 14 vídeos
Só Racing. Todas as principais músicas, a festa de La Guardia Imperial, o Cilindro lotado, o histórico de devoção de uma hinchada por seu clube, situações que são inimagináveis para o "brasileirinho" médio. "Vamos La Acadé!"
Argentina (Racing): 14

Capítulo 12 (18.04) - 7 vídeos
Uma viagem ao Egito, terra do grande clássico Al Ahly-Zamalek (um dérbi como poucos no mundo). De quebra, as primeiras imagens direto de Sarajevo, outra cidade que vive o futebol intensamente.
Bósnia e Herzegovina (FK Sarajevo e Željezničar): 3
Egito (Al Ahly e Zamalek): 4

Capítulo 13 (26.04)
Este é diferente, sem vídeos, apenas com a personificação de tudo de ruim que existe no futebol brasileiro: o imbecil que, se este fosse um país que leva o futebol a sério, já teria sido espancado em praça pública.

Capítulo 14 (03.05) - 6 vídeos
Alguns grandes clássicos europeus: Genova, Istambul e Sevilla. E Dortmund x Gelsenkirchen.
Alemanha (Borussia Dortmund e Schalke 04): 1
Espanha (Betis e Sevilla): 1
Italia (Genoa e Sampdoria): 1
Turquia (Besiktas e Galatasaray): 2

Capítulo 15 (08.05) - 8 vídeos
Um time da quarta divisão argentina, batalhas campais em Vasóvia e em Belgrado e, pra detonar de vez, o dérbi de Malta.
Argentina (San Martin Burzaco): 1
Eslovênia (Maribor): 1
Malta (Floriana e Valletta): 1
Polônia (Legia Warszawa e Polonia Warszawa): 3
Sérvia (Crvena Zvezda e Partizan Belgrado): 1

Capítulo 16 (16.05) - 7 vídeos
Clássico de Budapeste, confrontos entre torcidas em Bucareste e imagens impressionantes dos ultras do Stuttgart.
Alemanha (Stuttgart): 2
Finlândia (seleção do país): 1
Hungria (Ferencváros e Újpest): 4
Romênia (Steaua Bucuresti): 1

Capítulo 17 (23.05) - 11 vídeos
América Latina. Uruguay e Chile são escolhas óbvias; tem também Equador e países menos tradicionais da América Central.
Chile (Colo-Colo e Universidad de Chile): 3
Equador (Barcelona e Emelec): 2
Guatemala (Xelajú): 1
Honduras (Real España e Olimpia): 3
Uruguay (Peñarol): 2

Capítulo 18 (30.05) - 10 vídeos
Provavelmente o melhor entre todos os capítulos desta série: do início ao fim, grandes hinos de países, de clubes e de torcida. Imagens grandiosas e históricas. Um pouco da alma do futebol que ainda resiste aqui e ali: "You´ll never walk alone", Beatles, o hino da Italia e "O Surdato 'Nnammurato". É, de longe, o mais emotivo; e é também o meu preferido.
Escócia (Celtic): 2
Inglaterra (Liverpool): 4
Italia (Napoli, Roma e seleção do país): 3

Capítulo 19 (06.06) - 9 vídeos
Fugindo dos grandes centros...
Áustria (Rapid Wien): 2
Bulgária (CSKA Sofia e Levski Sofia): 4
Grécia (Aris Tessalônica): 3

Capítulo 20 (10.06) - 5 vídeos
Uma edição bem humorada, a única. A campanha Puma Hardchorus deu início a tudo, e aí ultras de todo o mundo fizeram suas próprias versões:
Alemanha
Coreia do Sul
Inglaterra
Italia
Lituânia

Capítulo 21 (13.06) - 5 vídeos
A despedida de Martín Palermo foi uma oportunidade sem igual de mostrar a diferença entre a forma como brasileiros e argentinos encaram o futebol. Empresto de um comentário feito pelo amigo Cesarotti no próprio post uma definição inspirada: "Para os míopes que acompanham daqui o futebol sul-americano com um ar de nefasta superiordade, Martín Palermo é só um cara que perdeu três pênaltis no mesmo jogo. Bobalhões, não sabem o que tão perdendo." Sim, Palermo foi um gigante. Um gigante. E as cenas de sua última partida, elas todas contidas neste capítulo 21, mostram isso.
Argentina (Boca Juniors, Huracán e Vélez): 5

Capítulo 22 (20.06) - 8 vídeos
A estreia de alguns importantes países europeus...
Bélgica (Anderlecht e Standard Liège): 2
Dinamarca (Badedyrs): 1
França (Olympique de Marseille): 3
Suécia (AIK Fotboll, Djurgårdens IF Fotboll e Hammarby IF): 2

Capítulo 23 (26.06) - 9 vídeos
Caiu o River. E este blog prestou uma homenagem a uma das maiores e melhores hinchadas da Argentina. De quebra, uma menção necessária ao Peñarol, vice-campeão da Libertadores.
Argentina (River Plate): 8
Uruguay (Peñarol): 1

Capítulo 24 (30.06) - 2 vídeos
Uma edição curta, mas necessária e contundente. Uma das mais necessárias de toda esta série. Além da indicação para um texto mais do que necessário, dois vídeos magistrais que mostram a diferença entre o tratamento destinado ao futebol por grandes emissoras de TV e rádio do Brasil, da Argentina e da Italia. Não à toa, o futebol vive nestes dois últimos. Vale conferir.
Argentina (River Plate): 1
Italia (Napoli): 1

Capítulo 25 (03.07) - 10 vídeos
Nada de Europa ou América... só países sem tradição alguma no futebol e que, mesmo assim, humilham os "brasileirinhos"
Índia (East Bengal e Mohun Bagan): 1
Israel (Hapoel Tel Aviv, Maccabi Haifa e Maccabi Tel Aviv): 4
Malásia (Kelantan e Selangor): 2
Marrocos (Raja Casablanca e Wydad): 3

Capítulo 26 (11.07) - 9 vídeos
Bogotá, Cali e Medellín, as principais cidades colombianas, aparecem neste capítulo, que tem ainda bons vídeos da Argentina e da Suíça.
Argentina (Nueva Chicago): 1
Colômbia (Atletico Nacional de Medellín, Deportivo Cali, Independiente Medellín, Independiente Santa Fe e Millonarios): 6
Italia (Sampdoria): 1
Suíça (Young Boys): 1

Capítulo 27 (18.07) - 10 vídeos
Todos os principais clássicos bolivianos (La Paz, Santa Cruz e Cochabamba) estão representados aqui, em uma edição que vai ainda a outros países da América Latina.
Argentina (Racing e River Plate): 1
Bolívia (Aurora, Blooming, Bolivar, Oriente Petrolero, San Jose, The Strongest e Wilstermann): 6
Honduras (Motagua): 1
Paraguay (Cerro Porteño e Olimpia): 1
Peru (Cienciano): 1

Capítulo 28 (26.07) - 6 vídeos
ACAB. Confrontos entre torcedores e policiais em todo o mundo.
Argentina (Boca Juniors e River Plate): 3
Bulgária (CSKA Sofia): 1
Marrocos (Raja Casablanca e Wydad): 1
Romênia (Steaua Bucareste): 1

Capítulo 29 (01.08) - 9 vídeos
Só ultras alemães, com destaque para o Borussia...
Alemanha (Borussia Dortmund, Dynamo Dresden, Fortuna Düsseldorf, FC Köln e Mainz): 9

Capítulo 30 (09.08) - 6 vídeos
"Um capítulo sem times ou países específicos. Se aqui no Brasil vagabundo leva cartaz alienado para ser filmado pela maldita Rede Globo e se jogador se dispõe a fazer papel de idiota, lá fora as torcidas protestam contra o "futebol moderno". Tem a ver com o nível cultural, tem a ver com a decência do povo, tem a ver com a capacidade se revoltar contra quem é inimigo do esporte."
Europa: 2
Inglaterra: 1
Italia: 1
Polônia: 1
Portugal (Sporting): 1

Capítulo 31 (22.08) - 4 vídeos e 11 fotos
Mais protestos contra o futebol moderno. Mais resistência. Um capítulo que condensa vídeos e fotos - que eram muito necessárias e diziam mais do que quaisquer sequências de imagens.
Inglaterra (Liverpool): 1
Italia (Avellino, Bologna, Catania, Genoa, Internazionale, Milan e Roma): 10
Lituânia (FBK Kaunas): 1
Portugal (Acadêmica de Coimbra): 2
República Tcheca (Viktoria Plzeň): 1

Capítulo 32 (03.10) - 4 vídeos
Mais ACAB e mais manifestações contra o futebol moderno.
Áustria (Rapid Wien): 1
Portugal (Benfica e Sporting): 1
Suécia (AIK e Djurgårdens IF): 1
Suíça (Grasshopper e St. Gallen): 1

Capítulo 33 (10.10) - 8 vídeos
Um compilado de vários países europeus.
Áustria (Rapid Wien): 1
Bélgica (Anderlecht): 1
Espanha (Athletic Bilbao): 1
Grécia (Aris FC e Olympiacos): 3
Rússia (CSKA e Spartak Moscow): 2
Suíça (Basel): 1

Capítulo 34 (27.10) - 9 vídeos
Um pouco de muita coisa pelo mundo... até os EUA!
Argélia (seleção do país): 1
Bósnia e Herzegovina (FK Sarajevo, Željezničar e seleção do país): 2
Croácia (Hajduk Split): 1
EUA (Portland Timbers): 2
Japão (Vegalta Sendai): 1
México (Puma e Veracruz): 2

Capítulo 35 (08.11) - 10 vídeos
Outro daqueles capítulos que resumem o espírito da série: uma comparação entre as propagandas sobre futebol no Brasil e em países onde o esporte é efetivamente levado a sério. Destaque para todas as da Quilmes e para as do Atlético de Madrid.
Argentina: 5
Espanha (Atletico de Madrid): 3
Uruguay: 2

Capítulo 36 (18.11) - 9 vídeos e 1 foto
O estoque de sugestões dos leitores era enorme e aí o jeito foi aproveitar boa parte delas em um capítulo que, embora sem muita lógica, é bastante efetivo no recado.
Argentina (Chacarita): 1
Alemanha (Borussia Dortmund): 1
Italia (Barletta e Cavese): 2
Irã (Chooka Talesh e Shahrdari Dezfool): 1
Polônia (Cracóvia Kraków e Wisla Kraków): 2
Turquia (Besiktas e Fenerbahçe): 4

Capítulo 37 (24.11) - 9 vídeos
Alguns participantes clássicos da série (Aris FC, Fenerbahçe, Napoli, Poznań...) e novidades como um time do País de Gales.
Argentina (Godoy Cruz): 1
Grécia (Aris Tessalônica): 1
Inglaterra (Nottingham Forest): 1
Italia (Internazionale, Napoli e Palermo): 3
País de Gales (Swansea City): 1
Polônia (Lech Poznań e Legia Warsawa): 2
Turquia (Fenerbahçe e Galatasaray): 1

Capítulo 38 (30.11) - 14 vídeos
Muitas nações diferentes e muitos clássicos europeus: Amsterdam-Roterdam, Birmigham, Bratislava, Budapeste, Copenhague, Lisboa... e não só: tem ainda Buenos Aires e Rosario.
Argentina (Newell's Old Boys, Rosario Central e San Lorenzo): 3
Dinamarca (Brøndby IF e F.C. København): 1
Eslováquia (ŠK Slovan Bratislava e Spartak Trnava): 2
Grécia (OFI Crete e PAS Giannina): 1
Holanda (Ajax-Feyenoord): 1
Hungria (Ferencváros e Újpest): 1
Inglaterra (Aston Villa e Birmigham City): 1
Irlanda (Shelbourne e Sligo Rovers): 1
Portugal (Benfica, Porto e Sporting): 3
Romênia (Rapid Bucuresti): 1
Ucrânia (Dynamo Kyiv e Shaktar Donetsk): 1

Capítulo 39 (08.12) - 15 vídeos
Alguns pequenos argentinos que não haviam tido espaço, mais dérbis de Belgrado, Glasgow e Praga.
Alemanha (Borussia Dortmund): 1
Argentina (All Boys, Atlanta, Ferrocarril Oeste, Independiente e Temperley): 6
Escócia (Celtic e Glasgow): 3
Espanha (Celta de Vigo e La Coruña): 1
Sérvia (Crvena Zvezda e OFK Beograd): 1
República Tcheca (Slavia Praha e Sparta Praha): 2

###

Os países que mais apareceram

60
Argentina (em 16 capítulos)

31
Italia (em 12 capítulos)

15
Alemanha (em 6 capítulos)
Turquia (em 5 capítulos)

11
Inglaterra (em 8 capítulos)
Grécia (em 6 capítulos)

10
Polônia (em 6 capítulos)
Uruguay (em 5 capítulos)

8
Portugal (em 5 capítulos)

7
Colômbia (em 2 capítulos)

6
Espanha (em 4 capítulos)
Bolívia (em 1 capítulo)

5
Áustria, Bósnia, Bulgária, Escócia, Hungria e Sérvia

4
Croácia, Egito, Honduras, Japão, Suíça, Israel e Marrocos

3
Chile, Romênia, Bélgica, França, Suécia e República Tcheca

2
Chipre, Equador, Holanda, Lituânia, Dinamarca, Malásia, Rússia, EUA, México e Eslováquia

1
Coréia do Sul, Costa Rica, Eslovênia, Finlândia, Guatemala, Malta, Índia, Paraguay, Peru, Argélia, Irã, País de Gales, Irlanda e Ucrânia

###

Os times que mais apareceram

15
Racing (Argentina)
River Plate (Argentina)

11
Boca Juniors (Argentina)

8
Fenerbahçe (Turquia)

7
Peñarol (Uruguay)
Borussia Dortmund (Alemanha)
Besiktas (Turquia)

5
Aris FC (Grécia)
Napoli (Italia)
Liverpool (Inglaterra)
Celtic (Escócia)

4
Lech Poznań (Polônia), Rapid Wien (Áustria), CSKA Sofia (Bulgária), Panathinaikos (Grécia), Úpjest (Hungria), Wydad (Marrocos), Crvena Zvezda (Sérvia) e seleção da Italia

3
Huracán (Argentina), Newell´s Old Boys (Argentina), San Lorenzo (Argentina): 3, Željezničar (Bósnia e Herzegovina), Atletico de Madrid (Espanha), Olympique de Marseille (França), Ferencváros (Hungria), Roma (Italia), Lazio (Italia), Urawa Red Diamonds (Japão), Raja Casablanca (Marrocos), Legia Warszawa (Polônia), Sporting (Portugal) e AIK Fotboll (Suécia)

2
Stuttgart (Alemanha), All Boys (Argentina), Chacarita (Argentina), Ferrocarril Oeste (Argentina), Nueva Chicago (Argentina), Rosario Central (Argentina), Anderlecht (Bélgica), Blooming (Bolívia), Bolivar (Bolívia), Oriente Petrolero (Bolívia), The Strongest (Bolívia), FK Sarajevo (Bósnia e Herzegovina), Universidad de Chile (Chile), APOEL (Chipre), Atletico Nacional (Colômbia), Dinamo Zagreb (Croácia), Hajduk Split (Croácia), Al Ahly (Egito), Zamalek (Egito), Rangers (Escócia), Portland Timbers (EUA), Olympiacos (Grécia), Olimpia (Honduras), Maccabi Tel Aviv (Israel), Avellino (Italia), Genoa (Italia), Internazionale (Italia), Juventus (Italia), Milan (Italia), Sampdoria (Italia), Kelantan (Malásia), Selangor (Malásia), Veracruz (México), Acadêmica Coimbra (Portugal), Benfica (Portugal), Slavia Praha (República Tcheca), Sparta Praha (República Tcheca), Djurgårdens (Suécia), Basel (Suíça), Galatassaray (Turquia) e Nacional (Uruguay)

1
FC Köln (Alemanha), Duisburg (Alemanha), Dynamo Dresden (Alemanha), Fortuna Düsseldorf (Alemanha), Mainz (Alemanha), Schalke 04 (Alemanha), St. Pauli (Alemanha), seleção da Argélia, Atlanta (Argentina), Estudiantes (Argentina), Godoy Cruz (Argentina), Independiente (Argentina), San Martin Burzaco (Argentina), Temperley (Argentina), Vélez Sarsfield (Argentina), Sturm Graz (Áustria), Standard Liège (Bélgica), Aurora (Bolívia), San Jose (Bolívia), Wilstermann (Bolívia), seleção da Argentina, Levksi Sofia (Bulgária), Colo-Colo (Chile), Cúcuta (Colômbia), Millonarios (Colômbia), Independiente Santa Fe (Colômbia), Independiente (Colômbia), Deportivo Cali (Colômbia), Saprissa (Costa Rica), Badedyrs (Dinamarca), Brøndby IF (Dinamarca), F.C. København (Dinamarca), Barcelona (Equador), Emelec (Equador), ŠK Slovan Bratislava (Eslováquia), Spartak Trnava (Eslováquia), Maribor (Eslovênia), Athletic Bilbao (Espanha), Betis (Espanha), Celta de Vigo (Espanha), La Coruña (Espanha), Sevilla (Espanha), OFI Crete (Grécia), PAS Giannina (Grécia), Xelajú (Guatemala), Ajax (Holanda), Feyenoord (Holanda), Groningen (Holanda), Motagua (Honduras), Real España (Honduras), East Bengal (Índia), Mohun Bagan (Índia), Aston Villa (Inglaterra), Birmigham City (Inglaterra), Crawley (Inglaterra), Millwall (Inglaterra), Nottingham Forest (Inglaterra), West Ham (Inglaterra), Chooka Talesh (Irã), Shahrdari Dezfool (Irã), Sligo Rovers (Irlanda), Shelbourne (Irlanda), Hapoel Tel Aviv (Israel), Maccabi Haifa (Israel), Atalanta (Italia), Barletta (Italia), Bologna (Italia), Catania (Italia), Cavese (Italia), Palermo (Italia), Salernitana (Italia), Vegalta Sendai (Japão), FBK Kaunas (Lituânia), Floriana (Malta), Valletta (Malta), Swansea City (País de Gales), Cerro Porteño (Paraguay), Olimpia (Paraguay), Cienciano (Peru), Cracovia Kraków (Polônia), Polonia Warszawa (Polônia), Widzew (Polônia), Wisla Kraków (Polônia), Porto (Portugal), Viktoria Plzeň (República Tcheca), Rapid Bucuresti (Romênia), Steaua Bucareste (Romênia), CSKA Moscow (Rússia), Spartak Moscow (Rússia), Partizan Belgrado (Sérvia), OFK Beeograd (Sérvia), Vojvodina (Sérvia), Hammarby IF (Suécia), Young Boys (Suíça), Grasshopper (Suíça), Luzern (Suíça), St. Gallen (Suíça), Dynamo Kyiv (Ucrânia), Shaktar Donetsk (Ucrânia)

###

Considerações finais

_Há aqui e ali algumas injustiças na lista - em especial por grandes torcidas que não tiveram o espaço merecido. Mas o que eu efetivamente lamento é o fato de três países não terem aparecido como deveriam. São eles a Holanda (2), o México (1) e o Peru (1). Fato é que não tive muita sorte quando fui atrás de bons vídeos destes lugares, outras prioridades foram aparecendo e deu no que deu. Certamente há uma cultura ultra na Holanda que justificaria mais destaque, assim como no México (são inúmeros os clubes que deveriam ter parado aqui) e também em Lima (Alianza Lima, Sporting Cristal e Universitario). Fica o registro.

_Noruega: dizem que há boas torcidas por lá, mas não encontrei nada que merecesse registro.

_Já me perguntaram se há espaço para seguir com a série. Eu sempre respondo que há material para infinitos capítulos, mas que era preciso encerrar - até para evitar um desgaste que seria inevitável depois de tanto tempo. Então é melhor parar por aqui, não sem antes registrar um agradecimento especial a todos os que entenderam que se tratava de um espaço colaborativo e enviaram suas sugestões. Muitos continuam fazendo isso até hoje. Agradeço a esses também. Obrigado!

_Disse lá atrás que esta série foi o que de melhor aconteceu para o blog neste 2011. Nada mais justo, portanto, que encerrar o ano com este capítulo 40, que serve como referência e índice de tudo o que foi produzido ao longo desses últimos 11 meses.

_Férias! Bom fim de ano a todos e até a volta em 2012!

21 comentários:

Ivan disse...

Vamos lá!

Realmente a série ficou muito boa.
Acho até que cabia uma finalização por nocaute com aquele vídeo do PAOK x Fernerbache que te mandei.
Parabéns pelos posts!

Minha ordem fica assim:

1° - Capítulo 21:
Até pelo fato de ser um carrasco nosso, devo reconhecer a importância deste cidadão ao futebol. A homenagem, como você escreveu, mostra muito das diferenças das culturas. Simplesmente esse fato resumiu a série.

2° - Capítulo 23:
Sou um simpatizante declarado do River. A queda do gigante foi uma facada ao futebol e a guerra civil em decorrência é algo que não vemos muito por aqui. Além da final da Libertadores com a ressurreição do outro gigante Peñarol... Uma homenagem às duas das maiores torcidas do mundo (porque torcedor do Flamengo que reside em Teresina e não vai ao estádio não é torcedor).

3° Capítulo 35:
Simplesmente porque as propagandas argentinas e uruguaias resumem o que nós sentimos por nossas camisas.
Simplesmente porque as propagandas do Atleti são disparadas as mais geniais já feitas na história.

4° - Esse fiquei em dúvida do 2 ou do 39. Mas os motivos são os mesmo:
Clubes "pequenos" da Argentina roubando a cena. Tirando Ponte Preta e Guarani, no Brasil não somos acostumados a ver torcidas legítimas e fanáticas de clubes pequenos fazendo frente a qualquer torcida considerada grande.
Fico com o capítulo 2 pela torcida do Nueva Chicago e pelo clássico entre Huracan e Ciclón.

5° - Capítulo 11:
Não há como não respeitar a gente de Avellaneda (as duas, por mais que a vermelha seja considerada amarga).
Este post ficou muito bem detalhado. Completo a ponto de resumir bastante a ideia da série, que é o "respirar e viver futebol".
Você poderia fazer um capítulo com cada torcida de pelo menos 10 clubes argentinos, escolheu o Racing e ficou foda.

Sem duvida nenhuma.
Argentina, o país do futebol.

Luan disse...

Muito bom seu trabalho nesta ótima série que diz muito a verdade sobre nosso país de merda.
Acompanhei a série desde o começo e os capítulos que mais gostei foram os seguintes:

Capítulo 18: aquele vídeo da seleção italiana, pela feição dos jogadores na hora do hino, mostra o amor a pátria e que eles vão dar o sangue para conseguir a vitória. As torcidas britânicas cantando YNWA mostra o amor incondicional ao time e os vídeos antigos com as torcidas espremidas é sensacional.

Capítulo 2: Incrível a rivalidade Huracan x San Lorenzo, e também a torcida do Nueva Chigaco. E foi o começo da Grécia na série, um país espetacular que leva o futebol muito a sério.

Capítulo 11: Grande Racing! Serviu para eu conhecer mais deste grande time argentino, suas belíssimas histórias e quando encheram duas canchas no mesmo dia.

Capítulo 5: Belos vídeos do clássico River x Boca e um vídeo espetacular do Peñarol e como lá no Uruguay a seleção representa de verdade o seu povo e o povo é devoto da seleção.

Capítulo 37: Esse eu gostei por ter dois belos vídeos do Napoli no jogo contra o Man. City pela UCL e pude ver a vibração da apaixonada torcida do Napoli que sempre acompanha o time e enche a cancha em qualquer momento do time.

Abraços Barneschi e parabéns pelo excelente blog.

AVANTI PALESTRA!

Anônimo disse...

Meu caro Barneschi,

Parabéns, essa série é genial. Você é inspirador e minha grande motivação.
Pena que é preciso ter férias! Veja que gosto tanto do que você pensa e fala, que sou egoísta: não quero ficar um dia sem ler o que você escreve!
Mas, vá lá: os guerreiros também têm direito a uma trégua.
Tenha um final de ano muito feliz ao lado das pessoas que você mais ama!
Forte e palestrino abraço,

Forza Verde disse...

Grande Barneschi!

Eternos parabéns pela série mais sensacional já vista sobre o futebol!

Um grande abraço e boas férias meu caro.

Eduardo Vasco disse...

Capítulo 5: Boca-River, Nacional, Peñarol e Celeste;
Capítulo 7: Nacional-Peñarol
Capítulo 11: Hinchada del Racing
Capítulo 17: Peñarol, Colo Colo, La U, Equador, América Central
Capítulo 23: Queda do River e Peñarol vice da Liberta
Capítulo 27: Racing-River, Bolívia, Paraguai, Peru e Honduras

Escolhi esses seis porque retratam a hinchada latinoamericana. A hinchada do Peñarol, do Nacional, dois dos maiores clubes do mundo, de muita tradição, que não vivem seus melhores dias, mas a torcida é foda, nunca abandona e empurra o time até à final da Libertadores, como fez a do Peñarol. Também a hinchada do River Plate, que assim como eu, chorou no dia em que o time caiu para a segunda divisão, porém, mais que um choro de tristeza, foi um choro de orgulho, orgulho de um time que nos deu tantas alegrias e a certeza de que os jogadores se doam o máximo para alcançar os objetivos da hinchada, percebendo como é um centimento diferente do que jamais sentimos. Ademais, as outras torcidas latinoamericanas, como da Bolívia, Equador e Chile, em que não perco um jogo de Libertadores e Sul-Americano, para ver a atuação dessas maravilhosas hinchadas. E os cânticos são muito foda!

Abraços

Bruno Lauria disse...

Barneschi,

Chovendo no molhado: sensacional a série. Realmente "de puta madre".

Minhas edições favoritas:

Capítulo 9 - Pelo vídeo do velório do líder dos ultras do "pequeno" Salernitana. Arrepia.

Capítulo 11 - "Só" Racing. Já está justificado.

Capítulo 18 - Como vc disse, realmente a edição mais emotiva da série. "You´ll never walk alone" é simplesmente demais e deve arrepiar até quem não sabe o que é futebol.

Capítulo 35 - Utilizar as propagandas para demonstrar a diferença no tratamento destinado ao futebol foi genial. Os vídeos da Quilmes são excelentes (e dão uma baita inveja dos hermanos) e o vídeo do velhinho do "Atleti me mata" é foda.

Capítulo 39 - Capítulo muito bom, bem abrangente e com vídeos que prenderam a atenção. Mas a grande sacada dessa edição realmente vai p/ menção ao All Boys. "Otra vez en primera van a ver a papaa...". Sensacional. P/ mim, iguala à "De pendejo te sigo" dos inchas do Racing.

Abraços,
Bruno

Julio disse...

PARABENS PELA SERIE!!!!! ESPETACULAR!!!!

OLHA MEUS VOTOS:

37, 35, 20, 21 E 11

E OS SEUS BANRESCHI???

Leo Damin disse...

Amigo, quer dizer que o Brasil não pode ser o país do futebol graças às torcidas estrangeiras? Ok. E toda a história de nossa seleção, nossos clubes, nossos jogadores? Vai pro ralo?
Argumentar que o brasileiro gosta de vitória e não de futebol é, no mínimo, ridículo. Primeiro, todo argumento deve ser livre de generalizações.
Segundo, um time ou seleção de futebol vive de vitórias. É errado querer isso? E, há pouco tempo até, há vários exemplos de torcidas que apoiam seus times mesmo nas épocas ruins.
Antes de querer desbancar uma citação tão antiga, histórica e honrosa, reflita sobre o assunto, principalmente no passado acerca dele. Grande abs

Giorgio Migliani disse...

Saudações Barneschi,

Apesar de nunca ter comentado em seu blog, o acompanho à muitos anos. Ele sem dúvida é imprescindível a qualquer um que se julgue torcedor, e não meramente um espectador de futebol.

Os meus preferidos:

Cap. 2 - A hinchada do Huracan com a faixa da Buteler é algo que não se consegue explicar.

Cap 5 - Fantástico

Cap. 11 - La acade se justifica por si só.

Cap. 18 - O hino Italiano é de arrepiar...

Cap. 23 - Los borrachos del tablon. A hinchada tem hinos os quais as letras são verdadeiras obras de arte.

Isso para não falarmos do 27, 28(espetacular sobre ACAB), 30, 31 32 e 35.

De qualquer forma parabéns pelo trabalho magnifico.

Estaremos sempre junto ao Palmeiras, com ele, por ele, para ele.

Abraços.

Anônimo disse...

Ei. Eu fiquei um tempo sem passar aqui. O conteúdo continua mto bom, mesmo tom polemico. Vc quase me convence. Parabéns pela série. Mto bacaba. Seu primeiro livro tá pronto.
Bjo

Vinicius Paes disse...

Sensacional a série.
Acompanhei ela completa, vi a maioria dos vídeos (os que o tempo me permitiu).
Continue assim Barneschi!
Com posts assim e sobre nosso Palmeiras.
Dias desses fui ao dentista, e tava folheando uma revista da TAM ('antiga' como td revista de consultório) e lá tinha uma matéria assinada por você, da sua viagem à Argentina para acompanhar CINCO jogos, achei sensacional.
Lembro que vc fez menção dela algum momento aqui no blog.
Parabéns pela dedidação!

Saudações, FORZA PALESTRA!
E que venha 2012, que pelo jeito não será tão diferente desse ano!
Mas seguiremos lutando...

Abraço,
Vinicius Paes

Cesar disse...

Parabéns pela série!!

Fica difícil escolher os melhores, farei o "sacrifício" de assistir td de novo para escolher rs...

Boas festas e que 2012 seja melhor para todos nós!!

Abraços

Forza Palestra disse...

Obrigado a todos os que escolheram os seus capítulos preferidos. A minha lista seria a seguinte:
18
21
23
11
30

É complicado deixar uma série de outros de fora, mas eu privilegiei nessa escolha aqueles capítulos que mostram a diferença de identidade entre o torcedor de fora e o daqui. São capítulos emblemáticos.

Leo Damin
Creio ter sido assertivo o bastante para demonstrar a minha argumentação. É tudo uma questão de identidade, de cultura e de reconhecimento de classe. Há exemplos inúmeros ao longo de 40 capítulos para comprovar isso. Sugiro, por favor, que confira os que eu cito logo acima para entender o que está em jogo aqui. Não tem nada a ver com títulos, clubes, jogadores ou o escambau. Por favor, entenda o que está em discussão.

Nicola disse...

"O "brasileirinho" (empresto aqui a expressão cunhada pelo Mauro Cezar Pereira) permite a existência de um imbecil retardado como Tiago Leifert - e, vejam vocês, até gosta desse cretino. O "brasileirinho" endossa a exploração da Rede Globo. O "brasileirinho" é alienado e serve como massa de manobra para a atuação de crápulas como Ricardo Teixeira, Del Nero e que tais. O "brasileirinho" é incapaz de se indignar com o que existe de efetivamente podre no futebol. O torcedor daqui não tem consciência de classe, não luta pelos seus direitos, desconhece até o que é o "futebol moderno". O "torcedor" de futebol neste país é uma vergonha."

Pois é... E a personificação disso tudo é aquele maldito João Sorrisão.

Obrigado por compartilhar os vídeos, a série foi bastante enriquecedora. Pena que tem sido investido muito dinheiro pra destruir a cultura do futebol. Resta a nós (e os clubes, mas ao que parece isso já é utopia) lutar contra isso. Abraço!

Luigi SEP 1914 disse...

E só pra não esquecer, o dia 16/12 passou em branco de novo!

Anônimo disse...

O que o amigo Léo Damin não entendeu é que no Brasil o futebol é brincadeirinha, diversão e entretenimento. Enquanto as torcidas de foras (inúmeros exemplos da série do Barneschi) encaram como a vida deles e uma verdadeira guerra.

Vai na Argentina e tenta fazer piadinha futebolísticas como temos aos montes aqui. Se você fizer isso, duvido que saia ileso. Em alguns países não aceitam esse tipo de comportamento, tão comum do brasileiro, que fica fazendo gracinha com futebol. Pros caras é guerra e o time adversário é o inimigo que precisa humilhado.

Já adianto: se você não compartilha do pensamento, VAZA DAQUI

Biaggi

Leo Damin disse...

"Forza Palestra", o título "Brasil, o país do futebol?" sugere todos esses aspectos citados. Não é só rivalidade entre torcidas. No mais, não repito o que já escrevi antes.
***
Biaggi, me desculpe, mas esse seu pensamento de que o futebol deve ser tratado como guerra é lamentável. Jogadores de futebol são companheiros de profissão, além de, principalmente, seres humanos. Se não for levar o futebol como "brincadeira", sem deixar de lado a ética e parte da seriedade, é claro, não há porquê gostar do esporte. Ou deveremos reviver a era dos gladiadores?
E mais: não compartilho, e torço para que nunca compartilhe, desse seu pensamento. Como pediu, não acesso mais esse blog, até porque há muitos outros em que eu visitar e opinar sem ser desrespeitado. Grande abraço a todos.

Vou ao Estádio disse...

acompanhei todos capitulos!! foda demais!!
e aproveitar pra divulgar meu novo blog! haha muito parecido mas ao invés de Palmeirense sou Xavante Fanático!! abraço

Julio Cesar /+/ disse...

Grande Barneschi

Fazia tempo que não visitava seu blog (põe tempo nisso), e acredite ou não, passei o fim de semana inteiro com o PC ligado acompanhando não só essa série foda, mas dando uma lida no conteudo do blog.
Procurei pelo teu antigo Blig que carregava teu sobrenome e não o achei. Lembro que lá pra 2003 / 2004 eu pesquisava por coisas relacionadas a Mancha e Força Jovem
e encontrei o "Barneschi". Desde então, mesmo que esporadicamente, sempre dava uma sacada nos teus relatos.
Já tive a oportunidade de encontrá-lo duas vezes. A primeira se não me engano em 2007 no Maracanã num Botafogo x Palmeiras, a outra também no Maracanã em 2009 em algum jogo do Vasco na Série B e pude te dizer cara a cara o quanto admirava teu trabalho frente a esse blog.
Não tenho uma vida virtual ativa, mas vou me habituar a frequentar essa página. Ela é uma extensão da arquibancada meu caro !
É impressionante como tua forma de se indignar e traduzir em palavras toda a raiva que gera essa falcatua que a fodida copa está nos trazendo.
Teu posicionamento em prol do futebol verdadeiro é uma marca cara, e é notório que você não está sozinho nessa. Os comentários com conteúdo que a galera que te acompanha faz aqui provam isso.
Tomadas as devidas proporções, me coloco com a mesma atitude no que diz respeito a militar contra toda corja de aproveitadores que querem fazer do futebol um palanque para campanhas políticas, enriquecimento ilícito, destruição de estádios, torcedores (??) fanfarrões que só aparecem em finais e toda a sorte
de pregos e filhos da puta que agente sabe muito bem como são e como agem...
Achei engraçado quando você vc citou em algum desses posts, os manés que se dizem "torcedores" e
no máximo oque fazem pelo clube é compartilhar montagens infantis nas redes sociais.
Falo isso justamente porque aqui no RJ se proliferou uma corrente escrota de manifestações ao Vice Campeonato do Vasco por parte de uma massa até então indefinida, gente que eu nem sabia que torcia (??), e que só resolveu botar a cara do dia 04/12 em diante.
Cara, vou parar por aqui...
Caso não lembre, meu nome é Julio Cesar e espero ter a oportunidade de encontrá-lo novamente e trocar idéias contigo.
Preferencialmente se o encontro acontecer pela autêntica rede social do verdadeiro torcedor:
A arquibancada !

Um abraço guerreiro ! Forza !!! Aguante !!!

Anônimo disse...

Do sul agora parabenizo esse blog!!

pena que acabou a serie !!

DE TODOS OS BORRACHOS DO GREMIO UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO DE SUCESSO A TORCIDA DO PORCO QUE MERECE!!


PARABENS!!


OS BORRACHOS DA GERAL DO GREMIO.

felipe disse...

Rodrigo,
Passei os últimos dias pondo a leitura em dia desta seção O País do Futebol, e digo-lhe que valeu muitíssimo a pena.

Como você, me pego pensando a respeito das péssimas torcidas brasileiras. Me incomoda o fato de não sabermos cantar e vibrar como poloneses, argentinos, ingleses e alemães, dentre tantos outros mostrados nos vídeos. Estive pensando: um dos problemas não seria a heterogeneidade das nossas torcidas? Na Argentina, todo mundo canta "Que esa barra quilombera..." durante os jogos da Albiceleste. Todos. Já no finado Palestra, por exemplo, não era raro ver a dessincronização de um simples "OLÊ PORCO" entre dois setores distintos do estádio, simplesmente porque um é tomado pela TUP e o outro pela Mancha.

Estaria eu correto incorrer por este raciocínio? Reforçando: egos e vaidades entre torcidas que não necessariamente são amigas, dentro de um mesmo time - o que acontece também no Flamengo, entre Raça e a outra lá, e tantos outros times por aqui - não influenciam negativamente neste jeito mambembe de torcer do brasileiro? Parece que não há uma união, não há um grito forte em comum, não há uma cooperação entre todos os torcedores em prol do time nesse sentido.

Abraço!