25 março 2015

O futuro em risco

“Não há gratuidade no Allianz Parque”.

A frase se faz onipresente na moderna estrutura que substituiu o antigo estádio Palestra Italia. É quase um lema. É um mantra. É algo de que se orgulhar: ninguém brinca no feudo de Paulo Nobre, o elitista, sem pagar. Ninguém. Nem as crianças.

O que você vê na foto abaixo?


























Eu vejo o futuro da nossa torcida.

Paulo Nobre enxerga uma nota de R$ 100.

...

E nessa outra foto, o que você vê?


























Eu vejo a certeza de um Palmeiras sempre grande.

Paulo Nobre vê o 10 na camisa, já acrescenta outro zero e, pronto, temos outra nota de R$ 100.

###

























O menino observa o estádio em construção. Nas mãos, um brinquedo. Na cabeça, o amor que ele ainda nem entende direito. Pela frente, todo um futuro de palestrinidade.

6 comentários:

João Felipe disse...

Barneschi , me tira uma dúvida (se você souber , é claro). A renda dos jogos (ingressos) de um clube tem qual tamanho percentual na renda total do clube? O clube em si faz os cálculos para estipular um valor a ser recebido dos ingressos ou simplesmente colocam o preço de acordo à importância do jogo?

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Barneschi disse...

João Felipe,
Peço desculpas pela demora em responder. Meu caro, o fator "arrecadação é muito importante, mas não tanto quanto tenta fazer crer o mandatário. Ademais, não justifica a extorsão de que tem sido vítima a torcida do Palmeiras.
Vou tentar escrever um post sobre isso.
Abraços

Elton disse...

brneschi, por favor escreva um post sobre o preco dos ingressos no aliazn parque..... eu entrei pro avanti mas nao consigo comprar ingressos pros jgos pq so sobra o de 140 e eu nao posso levar meus 2 filhos com esse preco

Barneschi disse...

Elton,
Todos os últimos posts falam sobre este assunto. É uma luta muita dura e, por isso mesmo, eu insisto no assunto.
E é por pessoas como você, que querem transmitir a palestrinidade para os filhos, que eu perco tanto tempo me debatendo com essa corja maldita.
Abraço