07 julho 2006

Mania de conspiração




















Nada escrevi até agora sobre a Squadra Azzurra. Dois foram os motivos: falta de inspiração e respeito ao próximo adversário. Aguardemos, pois, a final de domingo.

Ficam a torcida e a constatação de que, com ou sem título, a vitória sobre a Alemanha é por demais grandiosa. Apoteótica. Daquelas que deveriam merecer uma sala especial em um museu do futebol. E só mesmo ele, o futebol, é capaz de algo tão grande.

A propósito: quem é parasita?

***

MANIA DE CONSPIRAÇÃO(É este o texto que dá título ao post. Deveria estar no alto, mas questões operacionais determinam a inversão)


Brasileiro adora uma teoria conspiratória. Tanto quanto não reconhecer as próprias deficiências e os méritos alheios. É aí que surgem absurdos que ferem os tímpanos (ou os olhos) das pessoas de bom senso. De certa forma, a atuação magistral de Zidane no último sábado deveria servir para o povo calar a boca. A França destruiu. Mereceu o resultado com sobras. E ponto.

Longe disso. O povo adora conspirar. E eis que, Zizou à parte, tem gente disposta a ressuscitar a pior de todas as teorias conspiratórias, a da final da Copa de 98. Teriam Zagallo e seus comandados sucumbido ao talento de Zidane? Ou foi tudo uma armação entre Nike, CBF e Fifa, com a conivência de algumas dezenas de pessoas, incluindo o Velho Lobo e alguns atletas honrados?

Só gente muito ignorante para propagar tal absurdo. São as mesmas pessoas que agora, frustradas com a derrota da 'imbatível' seleção de 2006, ousam estabelecer uma ligação entre a derrota no Stade de France e a provável Copa de 2014 no Brasil.

Por favor, não me peçam para reproduzir a história. Ela está rolando por aí, no mar de atrocidades que é a internet. E tem gente burra ao ponto de acreditar e até ampliar tamanha estupidez.

Não seria mais decente reconhecer que Zidane é um gênio?

Que o Brasil pode ser derrotado?

Que o adversário, qualquer que seja, pode ser superior?

Que o futebol, como a vida, é assim, cheio de altos e baixos?

De vitórias e derrotas?

Seria, é fato.
Mas o brasileiro não tem nada de decente.

Pois não merece seus ídolos.

Nem os seus carrascos.

***

Em tempo: aposto com quem quiser que a Copa de 2014 não será no Brasil. Vontade política é o que não falta. Da Fifa, da Conmebol, da CBF, até do governo brasileiro. Mas isso não basta. Pois faltam basicamente três coisas: estrutura, competência e decência. E, depois do que vimos nos estádios da Alemanha, é até falta de respeito o Brasil cogitar sediar um Mundial de futebol.

***

Chuteiras sem pátria


Na falta de algo melhor, reproduzo aqui a coluna do Arnaldo Jabor - sim, eu gosto dele - em uma dessas edições do Jornal da Globo - sim, eu assisto a um ou outro programa da emissora nefasta:

Derrota heróica

Fiquei com inveja da derrota da Alemanha. Derrota heróica.

Já a nossa derrota, foi parecida com o que acontece dentro do país, onde a esperança virou decepção por promessas não cumpridas.

Esse fracasso foi uma desilusão educativa. Aprendemos que a república não pode viver na mentira e que a Copa não compensa crimes políticos e tragédias sociais.

Parreira disse a frase suicida: "Não estávamos preparados para perder". Como se a seleção fosse um "anúncio" , programado para nos manter num ingênuo otimismo.

Até outro dia, zé manes e celebridades, bóias frias e banqueiros, todos torciam juntos, como se todos fossem iguais. Nunca tivemos uma torcida tão sedenta.

Mas foi diferente de 1950. Lá, sonhávamos com um futuro para o país. Agora, queríamos esquecer o presente dramático. E a realidade voltou.

E vendo o jogo com a França, lembrei-me do Neném Prancha, velho treinador, que dizia aos meninos do Botafogo: "vai na bola como num prato de comida".

Nossos craques jogaram com a displicência de ex-famintos, de milionários soltos na Europa, com louras vertiginosas.

Nossa seleção não foi a pátria de chuteiras, não. Foram apenas chuteiras sem pátria.

10 comentários:

Rodrigo disse...

Fico contente de fazer parte das pessoas q sofrem mais em ver seu clube perdendo do que a seleção. Perderam e mereceram perder. Aliás, por falar em merecer, eles mereciam (perdoe a repetição) era serem humilhados. Pq não dá pra jogar daquele jeito em uma partida de Copa do Mundo. Inveja eu tenho dos alemães, argentinos e portugueses, que perderam de cabeça erguida, lutando e fazendo valer os milhões que recebem.

Abs

Barneschi disse...

Boa, cara! E acrescente à lista os ingleses, que também morreram de pé.
Abraços

Anderson Ugiette disse...

pows.... tem coisa mais humilhante do q ter feito parte daquele jogo!??!
a frança naum tinha e naum tem time pra ganhar do brasil e muito menos pra ganhar a copa....
mas o brasil, jogou sem vontade... sem fome mesmo....
sabe... se vc tem milhões na conto bancaria... pra q fazer a alegria de milhões... se tenhu milhões pra receber do barcelona (hipotetico, exemplo) pra que vou me esforçar?!? pra que vou correr o risco de me contundir?!?
num vale mesmo a pena naum (mombojó)!!! nunca valeu a pena torcer por eles....
a simplicidade de zidane encanta....
a atitude boçal dos brasileiros "DES"encanta....
PARECE QUE ESSE "DES" eh o unico DEZ que merecemos...
mais o SPORT CLUB DO RECIFE vai voltar a elite do futebol brasileiro e udo vai se resolver!!!

darkness disse...

Recebi tb essa babaquice. Mas esse papo vem desde 98 mesmo. Completamente sem proposito...

sobre o Jabor, esse texto de fato foge à regra do que eu penso.

mancha z/s disse...

aeewwww mano, ta chegando a hora de volta pro palestra. e eh logo contra o vasco... cê achja que os caras vao vir na pazz ou nem??? e esses reforcos que tao chehando???

demonio mv disse...

e o ilsinho naum vai ganhar post???

Craudio disse...

Sobre 98, outro dia estava vendo uma reprise do jogo contra a Holanda. E a gente tinha Junior Baiano e Aldair na zaga... Só por isso já dá pra justificar aquela derrota. E outras semelhanças com 2006 existem:

- corte de Romário (lá) e corte do Marcos (aqui). Pode até parecer insanidade, pq o Marcos me deu uma das maiores tristezas da vida, mas só pelo q o cara fez em 2002, ele mereceria estar na Copa até aleijado.

- Zagallo (isso é auto-explicativo e eu nunca me convenci com ele)

- marketing agressivo antes da Copa

Em 2002, por outro lado, o Brasil estava desacreditado. Assim como em 94. Como a gente discutiu, é preferível um time horrendo, mas que dê raça e saia vencedor, a uma unanimidade que não tem alma e ainda por cima perde q nem time pequeno...

E duas coisa pra finalizar. Sobre a Copa no Brasil, é piada né? E pára de insultar minha inteligência e não cite nunca mais o Jabor ahhahahahhaa...

Vandré Fernandes disse...

Em 1982, Paolo Rossi, me fez chorar a primeira vez em Copa do Mundo. Pois no futebol comecei a chorar quando Jorge Mendonça e sua cabeleira destruiram o meu time num campeoanato brasileiro (hoje, faz tempo que o Palmeiras não ganha do Timão). Mas voltando à Copa, fico indignado com a "caça as bruxas" com o Roberto Carlos, parece ser o único culpado pela desclassificação brasileira. Uma grande injustiça. Como pode Ronaldo 2 vezes melhor do mundo, não ter dado nenhuma assistência eficiênte. Até Ricardinho, em 10 minutos foi melhor...Bem, o fato é que falta apenas 3 horas para a final entre a França e a Itália, e como bom brasileiro, que sabe que só estamos vivos e e de sangue quente devido a nossa miscenação. Negros (desclassificados), portugueses (quarto lugar), indios (?), japoneses (estes sairam na 1ª fase) e os italianos. Que sejam os campeões, porque a França, nunca passou por aqui!

André Rebechi disse...

Não podemos negar a importância que os franceses tiveram participação na história do Brasil, principalmente no Norte/Nordeste.

Estou criando um novo blog, afinal começa tudo de novo, e a esperança é verde para sempre.

Daniele Moraes disse...

Tb d-e-t-e-s-t-o as teorias conspiratórias. Entretanto, elas só crescem, e seus defensores olham para pessoas como nós, que não consideram essa besteirada, com um ar de "coitada, como é ingênua!". Isso é que é o pior.
Adorei o texto (até o do Jabor).
Bjs
Dani