05 novembro 2007

A vaga no lixo

O Palmeiras fez aquilo que é sua especialidade nesta década: jogou no lixo algo que já estava assegurado. Pois todo mundo ajudou, menos o próprio alviverde. E a vaga na Libertadores, antes tão próxima, agora é livre devaneio para os sonhadores de plantão.

A classificação para a Sul-americana (que eufemismo!) veio não necessariamente ontem, mas sim na quinta-fera, na inaceitável derrota sofrida diante do finado Juventude.

E também nos dois pontos perdidos em Natal, assim como nos seis pontos que conseguimos perder para Brisa do Paraná e Sport.

Aliás, este elenco demonstra uma incompetência tão grande nesta reta final que nem sobra vontade para falar sobre a arbitragem.

É bem verdade que o primeiro gol dos caras teve origem em um lance questionável, de interpretação – a maioria não teria marcado –, mas o árbitro ao menos teve a coragem de desafiar a norma vigente, que proíbe a marcação de pênaltis a nosso favor.

Ontem, 37 jogos depois, fomos para a cal novamente. E poderíamos ter ido ainda uma outra vez na etapa inicial, mas nada foi marcado, como de costume.

Ah, mas um time que toma dois gols daquele sujeitinho lá tem mais é que ficar quieto...

***

A realidade

Basta observar a tabela com mais cautela para deixar de lado qualquer ilusão patética. Vejamos:

Nos três jogos que faltam, o Palmeiras pode fazer seis pontos.

Digamos que consiga tal feito.

Neste caso, o Flamengo teria de fazer no máximo seis, e o desempate se daria no saldo de gols (o pior dos mundos para nós, ainda mais depois do terceiro gol de ontem). É fácil supor que o rubro-negro marque mais do que isso, pois joga em casa duas vezes e pega o Náutico, já sem aspirações, na última rodada. Sete pontos é o mínimo.

Sobraria então o Cruzeiro, morto até ontem. Aos bambis mineiros, considerando os prováveis - mas não certos - seis pontos alviverdes, quatro bastariam. Três já estão certos, na última rodada, diante do América/RN no Mineirão. Contra Inter e Sport (vejam a coincidência), um empate resolveria tudo.

Vem aí a Copa do Brasil/2008.

E pior: a Sul-americana.

***

E a torcida do Santos, o virtual vice-campeão, continua dando vexame. Ontem, dia de promoções na Vila, míseros sete mil pagantes deram as caras. Eles não merecem a vaga.

15 comentários:

Craudio disse...

Cêis conseguem cada proeza...

Daniel disse...

falou tudo...

filipe disse...

Japonês, cê tá ligado que aqui é disputa por "cada proeza". Nós ganhamos nessa...

Quanto aos bambis marinhos, devemos reconhecer que a filial acéfala que teve por acaso o assim chamado "Rei do futebol" (corinthiano na infância) nunca teve torcida. Punhado de gente não é torcida. Punhado de corneteiro menos ainda. A máxima de nossas infâncias "Pelé parou, o santchos acabou" ainda vale. Mesmo depois do Palestrino comemorar pedaladas (de um corinthiano na infância) na arquibancada estivadora.

Vem aí a Taça SP/2008...

darkness disse...

bem que eu te falei, barney!

mancha z/s disse...

ta sabendo disso, barney???


Torcida acusa jogadores de bebedeira. Dirigente nega e repudia.


São Paulo (SP) - Bastaram duas derrotas consecutivas para o elenco do Palmeiras entrar em turbulência com os torcedores. Na madrugada desta segunda-feira, quatro jogadores foram acusados por membros de uma facção da torcida organizada do clube de estarem embriagados no embarque em Recife rumo a São Paulo e ainda foram cobrados no aeroporto por conta da derrota por 3 a 1 para o Sport, na Ilha do Retiro.
Os atletas envolvidos nos boatos foram os laterais Paulo Sérgio e Valmir, o meia Deyvid Sacconi e o atacante Luiz Henrique, acusados de terem sido flagrados bêbados. As especulações, no entanto, foram afastadas pelo diretor Savério Orlandi, que ainda criticou a postura crítica adotada pelos torcedores após o revés deste domingo.

“Esses comentários não correspondem à realidade do fato”, disse Orlandi, em entrevista à rádio Jovem Pan. “O Deyvid foi liberado antes mesmo do jogo para visitar os pais em Aracaju. Os outros voltaram com a nossa delegação para São Paulo. O Valmir inclusive entrou direto para o embarque, enquanto o Paulo Sérgio e o Luiz Henrique foram autorizados a embarcar um pouco mais tarde para fazer algumas compras”, completou.

O dirigente, aliás, revelou que tanto Paulo Sérgio como Luiz Henrique foram abordados no banheiro por torcedores. “Eles disseram que foram abordados de forma hostil. Não foram agredidos fisicamente, mas verbalmente, e entraram bastante assustados na sala de embarque. Mas uma coisa que é possível afirmar é que ninguém estava embriagado, até porque o abatimento depois da derrota foi tão grande que ninguém quis saber de bebidas alcoólicas”, assegurou.

Orlandi também lamentou que fatos assim tenham sido protagonizados pela própria torcida palmeirense, que deveria apoiar o time na reta final de Campeonato Brasileiro. “É lamentável que circunstâncias assim sejam criadas. Repudio isso, que só atrapalha a conquista do nosso objetivo. Isso não corresponde à realidade do que aconteceu e não vai nos ajudar em nada”, finalizou.

Forza Palestra disse...

A Mancha diz que rolou porrada mesmo. Sei lá. A merda já tá feita.

Craudio disse...

Pois é, Filipe. Eu acho que já até tinha falado isso antes aqui. Tá uma disputa braba pra ver quem perde mais pontos imbecis...

Aliás, tu sumiu ontem caraio!

Barneschi, já comprou sua cadeira na área vip?

Forza Palestra disse...

Veja a que ponto chegamos, japonês: vão cobrar R$ 49,50 para o torcedor ficar nessa merda de área VIP. Serão R$ 45 para o Palmeiras e outros R$ 4,50 (os tais 10%) para a Visa. Antes era R$ 20 (e já era caro). Meu palpite: vai ser um fracasso retumbante. E eu ficarei feliz.

Ah, fui jantar no Vico d'O Scugnizzo sábado. Lembrei daquela vez que fomos com o Galuppo. Grande figura!

Zoin ho centro/sul disse...

Porra que feriadinho de merda !!!
Quinta foi ridiculo, mais domingo conseguiu ser pior ainda !!
E sobre a Mancha, sempre fui e sempre serei Mancha, Mais naum é a primeira vez que ela toma uma atitude que ao me ver só prejudica.
Assim foi com o Tite, assim foi quando antes de terminar o jogo xingaram todos os jogadores, o maior problema naum é a torcida em si, os diretores e tal, é que tem muito muleque alienado na torcida, é triste mais é verdade, nego que vc pergunta para quem ele torce e o cara fala mancha !!!
Sei lá, tb naum vou tomar uma atitude que nem o Vitor e o Luis e sair de vez e nem ficar na Mancha, mais se rolou isso ai mesmo é mais uma cagada na minha opinião, abraços !!

Palmeiras - Eternamente

Forza Palestra disse...

Concordo plenamente, Zoinho.

Juliano CAY disse...

Queria entender, Rodrigo: por que só podemos fazer 6 pointos em 3 jogos? Não seriam 9?
abs

Craudio disse...

O Vico é um grande lugar. Vinho excelente, piano excelente, comida excelente.

Marquemos uma volta triunfal.

Forza Palestra disse...

Porque podemos - e acho que vamos - ganhar do Fluminense e do Galo. E só.

Vencer em Porto Alegre?

Ah, eu até digo qual é o script para este jogo: o Palmeiras vai jogar bem. Muito bem até.

Vai pressionar, criar mais chances, enfiar uma bola na trave e o escambau.

Mas vai tomar um gol cagado aos 11 do segundo tempo.

Aí vai buscar o empate, com Edmundo, aos 27 do segundo tempo.

Vai dar esperança à torcida. Vai pressionar mais e mais.

E levará um segundo gol ali pelos 38 ou 39 minutos.

É sempre assim.

Pode me cobrar depois.

Fernando disse...

Esqueceu de dizer que, antes de levar o segundo gol, nessa pressão, vai perder um gol cagado e escarrado, por preciosismo do Caio.

Forza Palestra disse...

Bem lembrado, Fernando. O gol acontece no contra-ataque. Lançamento na ponta para o Nilmar. Ele avança e cruza no meio da área. O Dininho fica para trás e o Fernandão estica o pé direito para foder a nossa vida.

É o script de todo jogo nosso lá no Beira-Rio. Não é à toa que é um dos dois times que têm vantagem (e já bem grande) contra o Palmeiras.

Por sinal, não ganhamos lá desde 1994 (Edmundo e Rivaldo). Aquela de 97 não vale...