03 novembro 2007

O fim



Amigos,

A foto que vocês vêem aí no alto é de 2003, quando ajudamos o Palmeiras a retornar ao seu devido lugar. Pertence a um passado relativamente próximo, mas já distante em nossos pensamentos.

Mais distante, no entanto, pois impossível agora, é toda essa festa.

A nossa casa deixou de existir oficialmente no decorrer desta semana, depois que a diretoria (o Mustafá, com todos os seus defeitos, ao menos não mexia em nada disso) resolveu implantar um setor VIP (que sigla mais nojenta!) exatamente no lugar mostrado na foto, não à toa o mais privilegiado da arquibancada do Palestra Itália.

A derrota de quinta-feira foi, portanto, a nossa despedida.

O estádio que teremos a partir do próximo jogo – e mais claramente em 2008 – será outro, um mero simulacro do que foi o Palestra Itália nos últimos 70 e poucos anos.

Do nosso lugar, pela última vez, só conseguia pensar nisso.

Implacável, a chuva só fez ampliar o lado sombrio da noite de quinta-feira, véspera de Finados.


A derrota doeu, mas nem foi o pior.

Mesmo com toda a repercussão de ordem imediata, ela pouco significou diante do que está por vir.

Em campo, não poderia ser outro o resultado. Contra um time já rebaixado, perdemos uma dezena de gols. Bolas na trave, goleiro operando milagres, chutes sem direção...

Sem padrão de jogo e desprovido de qualquer dose de sorte, o Palmeiras poderia jogar por mais algumas horas sem conseguir chegar pelo menos ao empate.

Diante de tudo isso, no entanto, só dava para pensar no tal projeto inovador. Cadeiras numeradas, acesso exclusivo, cartões de crédito que valem como ingresso, serviço de bar, torcedores VIP, segregação na arquibancada, formação de castas, grades e mais grades...


É o início da elitização.

Enquanto for possível, seguiremos em frente, mesmo em uma casa dilacerada pela ganância de poucos.

Se vamos ou não para a Libertadores?

Eu já não sei; e, sinceramente, pouco importa.
Só me resta manter a tola ilusão de que as coisas tomarão um rumo tal que permitirá a meus filhos conhecer um Palestra Itália como o nosso...

***

Peço desculpas pelo tom rancoroso e pessimista do texto, mas não é possível reagir de outra maneira.

É triste ver o rumo tomado por essa nova diretoria, que cede a equivocados apelos de marketing sem sequer pensar na história do clube e do estádio mais tradicional da cidade.

***

Já vai tarde...


Perdemos em casa para o Juventude pela primeira vez. Menos um tabu para ser ostentado. Mas fica o consolo de que este time de merda ao menos não mais ficará na Série A a partir de 2008.

9 comentários:

Craudio disse...

Começou a elitização, fato. Eis aí o que vai acontecer com a Copa 2014. Pra quem defende, é porque não freqüenta arquibancadas...

Só falta trocar o Pq. Antártica pelo Parque Schin...

O mundo fica mais bambi a cada dia...

marcelo_geral disse...

Entao no lugar de quem apóia o time ficarão os amendoins mor.

E no lugar onde dá mais pra pessionar o adversário, vao jogar contra o Palmeiras? Esses filhos da puta são mais exigentes que a puta que pariu! Querem show de futebol, times da academia, parmalat.

Muito triste mesmo hein, velho.

Daniel disse...

assino embaixo, infelizmente!

e não vamos pra Libertas, até porque não fazemos por merecer.

mancha z/s disse...

diretoria de pilantras!

MANCHA IPIRANGA disse...

AINDA ACREDITO QUE DA PRA IR PRA LIBERTA, MAIS ESSE TIME NAUM DEIXA CONFIAR MANO..... ONTEM ERA FACL CONSEGUIR OS 3 PONTOS, MAS O CAIO JR CONSEGUIU FODER TDOP DE NOVO


SOBRE O PARQYE, VAI SER FODA....

Rê disse...

oi Rô...
não vinha aqui faz tempo... vejo mais o fotolog. mas precisava deixar um oi aqui... e vc não perde esse jeito doido com o palmeiras, né??
se cuida!
bjão!!!!

morre mustafa disse...

isso sim merecia luto....

e como vc colocou ai, o Mustafa nao fazia essas coisas. olha que situacao chegamos!

Anônimo disse...

Mustafa, cê tá de brincadeira. Esse é o maior inimigo do time.Não tenta levantar a bola desse aproveitador.

Forza Palestra disse...

Além de anônimo, o cara não sabe interpretar textos. Quem tá defendendo o Mustafá, zé?