04 fevereiro 2015

Quem paga a conta?

Cinco jogos foram disputados no novo Palestra Italia. Em dois deles, contra Atlético/PR e contra o time chinês, sequer tivemos setor visitante. Conta o Sport/PE, eles não se fizeram notar – e nem seria o caso, tendo em vista a comoção pela reinauguração do estádio. As duas últimas partidas foram disputadas contra clubes (?) desprovidos de torcida. Em resumo: não houve ainda uma experiência com torcidas visitantes no redivivo Palestra Italia. Isso vai acontecer muito em breve, e em dose dupla, com as torcidas de Ponte Preta e SCCP vindo à nossa casa em questão de três dias.

A presença desses visitantes no estádio seria, por si só, digna de registro, mas toda e qualquer análise que se queira fazer a esse respeito pode ser eclipsada pela insanidade do senhor Paulo Nobre e dos comparsas que respondem pela precificação dos ingressos no nosso estádio.

Que se faça aqui tal registro para antecipar, por ora, um ponto crucial da análise pormenorizada sobre o descolamento entre o preço dos ingressos no Palestra e a realidade.

De minha parte, devo dizer que sinto vergonha ao saber que a Sociedade Esportiva Palmeiras cobra R$ 200 de um torcedor visitante em jogos válidos pelas primeiras rodadas do Campeonato Paulista. Vergonha.

 Há três pontos relevantes aqui, ambos relativos à frágil argumentação segundo a qual o preço do ingresso daquele espaço deve ser o mesmo cobrado de quem fica no setor vizinho, no caso o Gol Sul:

# 1. Tal afirmação cai por terra quando se constata que, no sábado último, contra o Audax, cobrou-se R$ 200 pelo Setor Sul e R$ 60 pelo espaço ao lado, do visitante. É, portanto, questão de boa vontade. Mais que isso: de bom senso.

# 2. Ainda que se queira insistir com tal proposição, há que se considerar a inadequação do valor em si. R$ 200 por um setor atrás do gol? Em um jogo do Campeonato Paulista? Em que mundo vivem estes senhores?

# 3. É tão desconectada da realidade a precificação levada a cabo por Nobre que nem ele nem os seus parecem capazes de justificar a disparidade entre os R$ 60 (ou R$ 80) do Gol Norte e os R$ 200 do Gol Sul. Os mais incautos, os deslumbrados e os puramente mal intencionados poderão fazer pouco caso do assunto, como se nada fosse. Poderão fazer piadinhas até, como bem compete a certos defensores desta gestão que arruinou nosso centenário.

A verdade é que, por nunca terem ido a um estádio na condição de visitantes, são incapazes de entender as consequências por trás de tal conduta. Aponto duas delas:

# 1. Ao cobrar preços extorsivos pelos ingressos dos 2.000 torcedores visitantes, a gestão Nobre turbina um pouco mais a renda (ou não, se não houver lotação total), mas faz isso a um custo altíssimo, o da erosão completa do relacionamento institucional com outros clubes – o que, salvo honrosas exceções, não parece ser uma medida inteligente.

# 2. Conduta assim tão mesquinha não vai passar em branco, e a conta será paga não por Nobre nem pelos seus correligionários, mas pelo próprio Palmeiras, à medida que os clubes atingidos por esta decisão haverão de retaliar na mesma moeda: quando voltarmos ao Itaquerão, por exemplo, seremos agraciados por preços igualmente abusivos – no que terá razão o nosso rival. Em curto prazo, impõe-se um enorme sacrifício aos que vamos empurrar o clube pelo Brasil agora; em médio prazo, tem-se cenário ainda pior, com o alijamento de boa parte da torcida alviverde nas ocasiões em que o clube mais precisa dela.

É necessário debater a predatória precificação de ingressos no Palestra Italia. De imediato, Nobre e os seus precisam refletir sobre o mal que causarão à torcida alviverde – e ao clube – se insistirem com tão nefasta política contra as torcidas visitantes. Resolver isso, para além de urgente, é questão de bom senso e de educação.

Domingo está chegando, senhores. Será a primeira visita do SCCP ao nosso estádio em quase 40 anos. O clássico poderia ser a notícia. O embate (saudável e em paz) entre as torcidas, mais ainda. Mas Nobre, por mesquinharia, corre o risco de colocar o preço dos ingressos em primeiro plano. E a conta, vale reforçar, será paga muito em breve por cada um de nós.

###

Voltarei ao tema.

17 comentários:

Leonardo disse...

Concordo com tudo. E o maior problema é que muitos palmeirenses apoiam o preço cobrado por Paulo Nobre, sendo que seremos nós que pagaremos muito caro por isso.

Ano passado no clássico em Itaquera pagamos R$50 pelo ingresso e parece que todo mundo já esqueceu. O Palmeiras está abrindo um precedente que só virá a nos prejudicar.

...

Saiu agora à tarde que para o jogo de amanhã os ingressos da torcida visitante serão metade do preço, R$100, sem meias. É uma melhora, mas ainda completamente fora de realidade.

Leonardo Nakamura

fabio disse...

usufrua do momento vivido e pare de criticar as coisas, paulo nobre esta trabalhando direito agora e vem voce com criticas nada a ver. ta caro??? nao va ao jogo simples assim, ou o senhor vai bloquear meu comentario ditadorzinho de blog, com com voce entalado na garganta ja

fabio disse...

critique a globo, que mais uma vez ignorou nosso time nas transmissões, critique a globo que nao ta nem ai com o nosso time ao inves de ficar criticando o nosso condutor, o presidente

Luan disse...

Paulo Nobre chegou a pedir torcida única pra domingo mas não foi atendido.

Anônimo disse...

gostaria de saber oq achou do pastor e sua preeleção historica contra o imbativel audax??

César SEP disse...

De acordo com o Paulo Nobre o avanti também irá sofrer um reajuste nos valores dos planos , "porque os preços estavam adequados ao Pacaembu, e agora na Arena tem que ser elitizado". Não sei o que cada torcedor pensa, mas muitos sentem falta da atmosfera do pacaembu, e com razão. Pra quem fica na mancha, deve saber que o pessoal que canta se estende até a segunda fileira acima da bateria. O resto, tudo calado. Contra o red bull teve até um sujeito com a camisa do Barcelona (??) lá no meio. Futebol moderno é uma merda. E esses preços nos ingressos não irão só afastar os visitantes, mas também os próprios palmeirenses. O mês começou agora e existem vários torcedores que já desembolsaram quase (e até mais) 100 reais em dois jogos (ponte amanhã e gambá domingo). Isso porque estamos no dia 4 ainda! Se continuar nesse ritmo , teremos que começar a dar "uma freada" nas idas aos estádios, tá loko. E quando o novo palestra deixar de ser novidade??!!! Só quero ver o público presente com esses valores dos ingressos....
Abraços

César SEP disse...

Valeu pastor Zé Roberto pela liderança exercida, tomare que sirva de lição para o safado do Valdívia....

Barneschi disse...

Vou até deixar aí o comentário do fabio. É sintomático do nível das mensagens que eu tive de ler neste dia tão triste para o futebol.

Claudio disse...

Apesar de eu achar que você tem total razão em reclamar do valor do ingresso, permita-me discordar da forma a qual você cita o Presidente, visto que, graças a ele ainda temos um time para torcer, por que se dependesse de "outros" que tens-se láh dentro do clube, com certeza estariamos falidos hoje.
Talvez seja o momento da torcida se aproximar mais da Presidencia, de uma forma mais "saudavel" e negociar algo diferente em determinados ponto da Arena, principalmente no antigo visa e atraz do gol das piscinas.
A proposito, XV vs Mogi, R$ 80,00 para sentar no cimento, por isso tambem acho que o centro das reclamações tem que outro, talvez o Presidente da FPF.

Anônimo disse...

Boa tarde Rodrigo.
Primeiramente queria agradeçer pelo espaço dedicado na rede ao Palmeiras, do qual eu acompanho assudiamente há mais de 2 anos. Segundo que espero o seu livro, pois admiro em muito a sua maneira de escrever.

Não costumo fazer comentários, porém, achei justo comentar este assunto do qual também tem me "lesado".

Concordo em gênero, número e grau em todos os pontos levantados por você, com excessão ao que cita o jogo do Audax. Pelo mando invertido, nós fomos a torcida visitante em nosso próprio estádio (utópico). Conforme o ponto levantado essa semana, onde o Sr. Nobre se apóia no que diz o Estatuto do Torcedor, o preço a ser cobrado pelo setor equivalente a torcida do Palmeiras, deveria ser o mesmo do Audax. E isso sim, não deve se passar despercebido.

Em segundo, e tentando entender a estratégia do Sr. Nobre, assim como foi feito no ano passado, a intenção deste Sr. é "forçar" a torcida a se tornar sócia. Conforme exemplo citado pelo nosso amigo César, estamos no dia 4 e existem palestrinos que ja desembolsaram mais de 100 reais com a cancha. Caso este mesmo torcedor fosse sócio do plano de R$ 69,90, ele teria o mesmo benefício, ao invés de ter gasto os R$ 100 reais, e ainda teria direito as demais entradas no Parque até o fim do mês corrente.

Partindo deste pressuposto, e do fato do Estatuto do Torcedor não permitir cobrar o valor diferenciado para torcida local e visitante no mesmo setor, o Sr. Nobre está sacrificando o setor de visitante, para aumentar o preço do ingresso, e "forçar" nossa torcida a ser sócia.

Confesso que não tenho opinião formada sobre isso. E como disse acima, estou sendo "lesado", pois sou Avanti do plano R$ 19,90 e pra mim é sacrificante ao final do mês se eu for a 4 jogos de R$ 50 reais por exemplo. Neste caso especificamente, estou sendo forçado a me afastar do estadio ou, como disse acima, mudar meu plano.

Seremos prejudicados a frente, se o Estatuto não for cumprido. Como disse o presidente da Ponte, se ele cobrar R$ 200 reais de nós em Campinas, ele teria que cobrar da própria torcida também, o que seria um crime.

Abraço.

Dalton Trevizan

Raphael disse...

Você há de concordar que o Palmeiras caminha para o fundo do poço, Barneschi. Aquele fundo do poço que Real Madrid, Chelsea, City, United, Barcelona e tantos outros clubes o integram. O fundo do poço este que poderia ser muito bem chamado de 'futebol moderno', ou até 'dinheiro é tudo', ou algo do tipo.

o futebol acabou para o palmeiras. os torcedores mudaram. eles gostam do valor para os visitantes. eles chegam na """"allianz parque"""" e tiram fotos, para depois postar no facebook dizendo que a arena é linda, fantástica. acabou. o palmeiras morreu.

abs, raphael

Anônimo disse...

Não sou palmeirense. Lembro que o maior clássico desse país SCCP X SEP tinha o tobogã para o visitante. Aí a SEP mudou isso. Agora PN insiste em ter torcida única. As duas torcidas precisam atuar de alguma forma para isso não acontecer...Será a morte do futebol e um crime contra a maior rivalidade do Brasil.

SEP Ferraz disse...

É uma pena, mas ao que tudo indica, teremos apenas uma torcida no domingo. Agoniza o menino futebol...

diego disse...

vou prestat concurso pra promotor publico e botar na bunda de voces

castilho é meu idolo

Rafael disse...

Fala Barneschi..
Cara, é assustador o tanto de gente que defendeu essa medida. Aliás, dentre uns 50 palmeirenses, só eu não concordei. Até mesmo pessoas que vão ao estádio compraram o discurso midiático e dos desocupados promotores.
O futebol está vegetando e agonizando, mais digno seria a morte.

Abraço

Anônimo disse...

Tiraram os Gambás do jogo...

é realmente O FIM DO FUTEBOL

Gabriel, verde até o osso

Alexandre Giesbrecht disse...

Também não sou palmeirense, mas concordo com o texto. As federações e a CBF, que adoram interferir no preço dos ingressos — primeira fase do Paulistão a R$ 40 é uma palhaçada —, poderiam também criar uma regra em que o preço dos ingressos para visitantes não pode ser mais alto que o ingresso mais barato do time mandante. Ou algo parecido, porque isso poderia inibir eventuais promoções.

Mas é necessário que haja um teto. Fui a Criciúma assistir a um jogo do meu time, e o ingresso dos visitantes era mais caro que o de qualquer outro setor do estádio, que estava lotado de torcedores do time da casa. O resultado disso? Torcedores organizados do meu time estavam vendendo ingressos com desconto de 20%. Nesses ingressos, estava escrito "Convite - R$ 0,00". Mesmo assim, eram vendidos por um preço proibitivo.