29 setembro 2009

A tabela no lixo

Virgílio Elísio é o diretor de competições da CBF. Isso significa que ele é o sujeito responsável pelas tabelas dos campeonatos organizados pela nossa estimada confederação. É a ele, portanto, que se poderiam atribuir alguns dos absurdos nas datas e horários em jogos da Copa do Brasil ou do Brasileirão. Poderiam, vejam só. Acontece que o problema todo é a inteferência sem limites concedida à emissora câncer, aquela que detém os direitos de transmissão de qualquer torneio disputado neste país. E é então que o trabalho de Virgílio Elísio - e de qualquer um do seu departamento - deixa de fazer sentido.

Sim, porque a tabela aqui no Brasil é divulgada até com certa antecedência, mais do que acontece em qualquer uma das modernas e exemplares ligas do Velho Continente. Via de regra, a tabela já é conhecida pelo menos dois meses antes de ter início a disputa seguinte. E assim, já em março, é possível saber, por exemplo, que o Palmeiras vai enfrentar o Grêmio em Porto Alegre no final de semana de 21 e 22 de novembro.

Em tese.

Porque agora, sem nenhuma porra de time paulista na falida Copa Sul-americana, a emissora câncer ficou com um buraco na grade de programação. E aí resolveu que vai sempre puxar um jogo do final de semana seguinte (ou anterior) para as madrugadas de quarta-feira.


Tem sido assim há mais de mês, e Palmeiras, SCCP e agora os bichas já tiveram seus jogos alterados poucos dias antes. Contestação parece ter havido só do nosso lado, porque o time teria pouco tempo para treinar entre uma quarta de madrugada e um sábado, mas ninguém parece muito preocupado com o torcedor, em especial com aquele que costuma programar sua agenda em função do time.

Eu, por exemplo, tenho o costume de viajar por aí para acompanhar o Palmeiras. Vou de carro quando o jogo é em SP ou no RJ (ou no Mato Grosso do Sul, caso da abjeta cidade de Presidente Prudente) e corro atrás de promoções para comprar passagens aéreas com antecedência para jogos que acontecem em Minas, no Nordeste ou no Sul do país.

E aí pergunto: de que vale a porra da tabela feita pelo senhor Virgilio Elisio e divulgada com enorme antecedência se tudo pode mudar nos dias que antecedem o jogo ao sabor dos interesses de uma meia dúzia de diretores filhos da puta da emissora câncer?

De que adianta, por exemplo, eu já ter garantido há meses as passagens para Porto Alegre, onde o Palmeiras pega o Grêmio pela 36ª rodada? De que adianta se tudo isso pode mudar na semana anterior? E quem se preocupa com isso?

A tabela foi para o lixo. Virgílio Elísio poderia muito bem ser substituído por qualquer diretor de programação da Rede Globo. Seria mais honesto. E aí o torcedor não precisaria se esforçar tanto para estudar a tabela, programar suas folgas e nem perder horas nos sites de companhias aéreas para ir atrás do seu time.

Já que está assim, melhor voltar ao caos dos anos 80 e 90.

***


Posts aleatórios sobre o mesmo assunto:

Câncer incurável (13.10.2006)


As invencionices do sr. Del Nero (20.12.2007)

Tabela mutante (23.01.2008)

E o torcedor, como fica? (02.02.2008)

Nada pelo torcedor (19.02.2008)

O povo dá o recado (10.05.2009)


Tabela mutante (03.08.2009)

Domingo, o dia do futebol? (03.09.2009)

14 comentários:

JoãoP disse...

Cara, nunca li o Estatuto do Torcedor. Há nele algum item que vete a alteração injustificada das datas e dos horários das partidas, ou que pelo menos toque neste tema?

Abraço.

João Medeiros disse...

O amigo do primeiro comentário, observação bastante razoável aliás, esquece que a emissora câncer parece pairar acima de estatutos e leis.

Viva para o sapo gordo que colocou o VASCO em campo com o logo do SBT, num jogo transmitido pela vênus para todo Brasil. Atitude mais sensata dele em anos no comando do clube.

Por isso eu digo que para nós, párias da mídia, as vitórias tem que ser mais completas: arbitragem, imprensa, globo etc, tudo adversário a ser batido.

P.S.: "(ou no Mato Grosso do Sul, caso da abjeta cidade de Presidente Prudente)". Toda vez que leio isso, me escangalho de rir.

Forza Palestra disse...

João P
Cara, eu nunca sei dizer que o prazo mínimo para alterações é de sete ou 10 dias, mas a verdade mesmo é que esse tal estatuto é uma grande farsa. Não dá pra levar a sério!

João Medeiros
Valeu, irmão! E logo mais o Vascão tá de volta... e tudo volta ao normal!

Anônimo disse...

Deixa eu te perguntar, você já pensou em tomar alguma providencia mais séria a respeito desses atos picaretas daqueles que comandam o futebol e tanto nos lesam, tipo processar esses arrombados

Lucas

Rafael disse...

Grande Canalha!

bem vindo de volta!

saudades da acidez deste brógui!!!!

como é bom ver o seu fígado desopilando sobre a imprensinha colorida...

a Midia Palestrina tá meio morna ultimamente...bom sinal...o apelo midiático está cada vez perdendo mais força...

agora o Palmeiras que está fogo viu?! 13 rodadas sem ganhar posição....logo logo o Lanche! inventa uma crise no líder do campeonato que está estagnado na tabela....

hauhauhauha

abraço!

Claudio Yida Jr disse...

Cara, assim como venderam as privatizações como um jeito de modernizar e organizar as coisas, essas regulamentações do futebol só servem para inglês ver. Como você bem disse, se é para ficar essa putaria, que seja a nossa putaria, ou seja, seguindo interesses dos clubes.

E pau no cu de Prudente e dos caipiras sul-matogrossenses que moram lá!

JoãoP disse...

Ok, não se discute que o Estatuto é uma grande farsa. Mesmo assim, fiquei curioso com essa história e decidi conferir o documento.

Li às pressas. Não encontrei nada sobre as datas. Mas uma coisa me chamou a atenção: para todo campeonato esportivo promovido no país deve ser designado um Ouvidor, cujas principais responsabilidades são "recolher as sugestões, propostas e reclamações que receber dos torcedores".

No endereço da CBF consta uma breve apresentação do ouvidor da série A, bem como o seu e-mail.
Acho que é o caso de repassar pra esse sujeito críticas sobre o campeonato. Venda desorganizada de ingressos, mudanças repentinas na tabela... Tá na cara que não vai resolver nada, mas ao menos nós, torcedores, vamos poder analisar as desculpas que esse pessoal tem na manga.

Abraço.

Rodrigo disse...

Fala Rodrigão,

Quer dizer q foi dar uma volta pelo velho mundo?rs
E voltou realmente afiado hein...rs...fiquei algum tempo sem ler o blog e hj me atualizei.
Esse post em especial é perfeito. Concordo plenamente com cada linha. Essas mudanças de jogos estão realmente passando dos limites!
Bom, escrevi rapidinho só pra constar mesmo...uma outra hora volto com mais calma!

Abraço mano

Rodrigo Perobelli

cesar disse...

pq vc nao fala nada da cointusao do mauricio ramos?????? nemhum registro nem nada....

cesar disse...

nada??????

Luiz Gómez disse...

Nesse seu caso (de viajar pelo Brasil para acompanhar o palestra), entendo que vc tem o direito de ser ressarcido das passagens graças ao CDC (Código de Defesa do Consumidor).

Sei que pra vc Torcedor não é consumidor (eu concordo em larga medida), mas a lei te protege, e um qualquer no bolso é sempre bom.

Além do que, seria interessante que a CBF figurasse como ré em ações desse tipo. Eventuais derrotas (e indenizações) poderiam fazer com que a Confederação endurecesse para cima da Globo.

Uma outra idéia é a de fundar uma organização de defesa do torcedor. Há bastante campo para trabalhar nessa área.

Enfim... são só divagações de quem compartilha de grande parte das opiniões desse blog.

Aueeeee

Leonardo disse...

Parabéns pelos textos.
Imagino as coisas mais ou menos do jeito que você imagina.. a emissora câncer é quem manda e desmanda nesse campeonato. E os clubes nada podem fazer, vendidos por migalhas pagas a eles..

Forza Palestra disse...

Lucas e Luiz Gómez,

Vivemos em um país que tem uma justiça vagarosa ao extremo. Só de pensar em um processo desse tipo, já perdemos mais dinheiro do que poderíamos ganhar lá na frente.

Além disso, eu nem sei se existe embasamento jurídico para isso.

Abraços

Luciano Stinchi disse...

Barneschi, dá um pulo no Juizado Especial Civel, antigo Pequenas causas (Tem um na PUC e um na Consolação). Você ganha rapidinho uma ação dessas por perdas e danos. Se não me engano o limite de indenizações são 20 salários mínimos.