26 julho 2011

Sobre a MV

O penúltimo post rendeu uma série de manifestações sobre a Mancha Verde e questionamentos sobre o papel da entidade. Deixei para emitir minha opinião em um novo post:

Eu sou da Mancha há 12 anos - e tomo por base aqui a associação à entidade, com a carteirinha 1561, número baixo porque referente ao recadastramento pós-extinção das organizadas paulistanas. Mas sou mancha há mais tempo, pra mais de 15 anos, porque aí considero o período de dedicação à torcida na arquibancada. Já viajei o Brasil quase inteiro nas caravanas da torcida, conheço gente de todas as gerações, desfilo pela escola de samba todos os anos e estou sempre junto na arquibancada.

Até por isso tudo me sinto à vontade para eventualmente discordar de certas posições da MV nos dias de hoje.

Começo por dizer que sou amplamente favorável às torcidas organizadas, todas elas, desde que tenham um mínimo de representatividade numérica.

Sigo com algo que já apontei há poucos meses: tenho discordado da maioria das decisões recentes da entidade e, por vezes, não sinto minhas opiniões representadas por ela (tipo aqui). Vejo na Mancha desses dias - e em boa parte das outras organizadas paulistanas - uma certa crise de identidade, e me sinto agora pouco capacitado para explicar as razões disso. Uma tentativa de avançar em um diagnóstico mais preciso poderia me levar a cometer injustiças.

O tempo passa e às vezes não nos damos conta disso: notem os senhores que o período pós-extinção (1995-2011) já é mais representativo para a entidade Mancha Verde do que todo o período anterior (1983-1995). Não quero entrar em discussões filosóficas sobre isso, mas é algo que certamente deve trazer subsídios para qualquer análise que se pretenda mais embasada.

Não quero também entrar no mérito dos protestos contra alguns jogadores do atual elenco ou de qualquer outra situação que tenha provocado divergências em outros setores da torcida palmeirense. Já disse que discordo da atitude tomada em Volta Redonda, mas entendo como legítimo o direito de a torcida protestar contra o que julga equivocado no time ou no clube. E é legítimo porque se trata a Mancha Verde da voz mais ativa que temos na arquibancada.

Discordo da posição adotada, mas defendo o direito de a Mancha se posicionar. E entendo, como já dito inúmeras outras vezes, ser incontestável a legitimidade alcançada por um grupo que leva 13 onibus para Volta Redonda em um jogo que valia muito pouco. E eu talvez tenha essa visão dos fatos porque tenho pelo Palmeiras a mesma dedicação - e a diferença agora é que, por uma série de circunstâncias, encaro as longas viagens não mais na caravana da torcida, mas de carro e aproveitando mais a viagem.

Observo - e peço que entendam o fato de não estar me dirigindo a ninguém em específico - que algumas críticas contundentes contra a Mancha partem exatamente de setores pouco participativos na vida do clube. Não admito, por exemplo, reclamações de gente que não vai a estádios. Admito contestações de todos os outros, mas é preciso tomar como parâmetro toda a dedicação de gente que sacrifica muito de sua vida para acompanhar o Palmeiras onde ele for.

Não há um lado certo e um lado errado. Há posições divergentes, e isso sempre vai acontecer em se tratando de Palmeiras.

Lembro que a Mancha já adotou longos períodos de cessar-fogo em relação ao time, e tal situação já foi importante para blindar elencos até mais fracos que o atual da pressão exercida por setores, digamos, mais críticos da coletividade palestrino. Não adiantou muito, mas a torcida "fechou" com o time - e é criticada agora exatamente por não fazer isso. Lembro que já cantamos o nome de um monte de vagabundo pior que os atuais, e que já apoiamos o time mesmo quando outros setores expunham contrariedade durante os 90 minutos. E lembro ainda que determinados episódios de pressão ou agressão a jogadores vagabundos se mostraram necessários.

Na minha visão, uma entidade como a Mancha Verde - e qualquer outra organizada representativa - tem o direito (ou seria dever?) de cobrar jogadores, técnicos, dirigentes ou o que quer que seja.

Contesto um pouco da falta de um posicionamento político da entidade. A meu ver, teria a Mancha um papel fundamental para questionar certas excrescências às quais somos submetidos quase que diariamente. Isso acaba por acontecer apenas entre a velha guarda e às vezes de maneira isolada. Não deixa de ser alguma coisa.

Mas, por fim, e reside aqui o mais importante, entendo que não se pode culpar a Mancha pelos maus resultados do time. A culpa é de muita gente, menos da organizada. Não aceito que seja creditada a quem encarou a estrada em um enorme comboio a responsabilidade por uma derrota como a de domingo para o Fluminense. Como não admito qualquer responsabilidade na derrocada de 2009 ou de qualquer outra competição.

E agora, relendo o que escrevi, percebo a confusão em meio a tantas ideias soltas. Vai ficar assim mesmo. O texto acima não pretende ser um editorial em defesa da MV - até porque eu já disse que discordo da maior parte das decisões recentes. O texto acima é apenas a exposição de alguns argumentos que talvez nem façam assim tanto sentido. Enfim, é a minha sincera contribuição para o tema. Respeito as opiniões divergentes.

27 comentários:

Leonardo disse...

Vou a estádios de futebol apenas desde 2002, e bem novo sempre vi a Mancha Verde como uma entidade de grandes palmeirenses. Torcedores que realmente viviam o time, que sempre faziam a diferença. Um torcedor deste tipo, uma entidade deste porte, tem sim poder de cobrar. Pra dizer a verdade, tem o dever de cobrar quem representa o Palmeiras.

Gregory disse...

Estranhei também a atitude de domingo, mas não crítico, chega um momento que cansa. A sequencia de vexames passou do limite. E tenho certeza que esse ano será igual.

O problema não é a gente ter tido elencos piores, o problema é a apatia desse elenco. Não dá pra esquecer que é o mesmo elenco do ano passado, não dá pra esquecer que tem jogador que vai pra balada ao menos 3 vezes por semana e assim mesmo é blindado pela diretoria. É foda viajar pra ver um jogo de meio de tabela, ser tratado a borrachada pela PM como fomos domingo e ver o time não correr em campo DE NOVO.

Tenho 5 anos de organizada, 8 anos de estádio, acho que chegou o ponto que só protestar não basta, pra mim protesto cantando para vagabundo é a mesma coisa que porra nenhuma, chegou a hora de tomar uma solução mais drástica e não tem que ser em cima dos jogadores não e sim em cima da diretoria. Ai sim vão saber respeitar a gente.

André disse...

Eu sou sócio da MV há 12 anos mas discordo há muito tempo de algumas posições.

Também discordo de cobrança excessiva, muitas vezes mascarada, motivadas por violência. Torcedor tem que pagar ingresso, incentivar, cantar, acompanhar...e protestar depois caso seja necessário, mas nunca usando violência, partindo pra cima de jogador. Ou ninguém lembra do caso do Love e de tantos outros ameaçados por um bando de vagabundos?

O problema é que ultimamente, já há alguns anos, a MV é mais um espaço pra marginais inconsequentes do que torcedores verdadeiramente apaixonados. O que mais me irrita é acreditarem que são a voz de todos os torcedores palmeirenses, que representam a torcida como um todo.

Lamentável!!

Anônimo disse...

Sou Palmeirense e devido a distancia ainda nao pude acompanhar um jogo do Palmeiras, mas ja conheci o palestra e a sede da MV quandoe ra na Turiasu. Sei q o Blog defende q so eh torcedor quem vai ao estadio, discordo mas respeito ateh pq faz sentido, mas me sinto muito torcedor do meu time e como a maioria vejo na MV a minha principal voz.
Discordo plenamente em criticar jogador antes do jogo, ate pq o q nos move eh o nosso escudo a nossa camisa e nao quem a usa, mas se ao final do jogo ocorrer um protesto ai eh outra historia sem violencia sempre.
Mas endendo tb o lado de quem vai estadio e a MV vai sempre, sei q todo palmeirense esta cansado das derrotas, eu tiro por base eu e meus amigos, sempre nos reuniamos pra ver os jogos juntos na ksa de algum ou em alguma churrascaria mas deste a semi do paulista q nao vamos mais, justamente por estarmos cansados olhamos pra esse ano e ja vemos ele como praticamente perdido...comclusao, quem leve 13 onibus pro RJ pra um jogo q nao valia quase nd, quem a tanto tempo vem fazendo festa na bancada e o time nao responde tem direito a quase td, so nao tem a violencia.

@batista_mv

Arena Palestra Itália disse...

Esses torcedores tem um certo conflito que já vivi! A raiva pelo fato de muitos diretores que estão lá dentro nao darem o sangue como muitos que viajam e acompanham o time por amor! Só quem viaja de caravana, no busao, sabe o tormento que é! Aventura e sofrimento!

Arena Palestra Itália disse...

Esses torcedores tem um certo conflito que já vivi! A raiva pelo fato de muitos diretores que estão lá dentro nao darem o sangue como muitos que viajam e acompanham o time por amor! Só quem viaja de caravana, no busao, sabe o tormento que é! Aventura e sofrimento!

Anônimo disse...

Barneschi concordo em muita coisa que vc escreveu. Apesar de ñ te conhecer pessoalmente vejo que eu e vc vivemos momentos identicos como torcedores. Eu também me afiliei a torcida na sua refundaçao, troquei ha muito tempo a caravana pelo carro e sofro com a falta de identidade da torcida hj. Mas vc ñ tocou em uma situação muito delicada que para mim diz muito com que a torcida está preocupada: FALE SOBRE A ATITUDE CAMBISTA DA MANCHA! Parece-me um Tabu em seus posts.....Cadê a idoneidade de expressão do blog?

Casselli o Carcamano MV Z/S

Anônimo disse...

Gostaria de ler uma entrevista ou declaração do presidente ou representante da Mancha discorrendo sobre o citado no post

fernando t. disse...

o problema é que muitas vezes a postura que a Mancha toma em relação a determinado jogador é diferente baseada na relação do jogador com a torcida fora de campo. Exemplo, o daniel martins, ex ponte preta e gambá, quando chegou no Palmeiras era odiado, num jogo contra a lusa no canindé um torcedor até invadiu o campo pra tentar dar um salve no cara, a Mancha sempre xingava ele... aí do nada a Mancha resolveu dar uma trégua pro cara, e CURIOSIAMENTE, depois disso eu vi o cara numa daquelas antigas festa do hawaii na quadra da Mancha... outro exemplo é o Magrão, que vivia na quadra tb, nem preciso lembrar o que aconteceu depois... e me lembro também do Pedrinho, quando chegou ele fez um gol na estréia (se nao me falha a memória foi contra o américa/MG) e na comemoração foi lá na Mancha atrás do gol comemorar... (Brasileirão 2001 a Mancha estava ficando atrás do gol), depois do jogo o paulinho falou pro jornal lance "só pelo jogo de hj tenho ctz que o Pedrinho em 1 ano vai dar mais alegria pra torcida do Palmeiras do que o Alex deu em 5 anos" isso pq o cara foi comemorar com a Mancha, coisa que o Alex não fazia... e pra Mancha, o Pedrinho era rei!!

Sandro Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sandro Cabral disse...

Barneschi,
Opinião é como cú cada um tem o seu. Posso ter os pensamentos mais estranhos, as ideias mais extremadas, contanto que eu não gere com minhas ações, como direi?, externalidades negativas (nossa que termo pedante).
Não queria entrar no mérito sobre quem é mais ou menos palmeirense, condicionado a ida ou não a estádios. Isso é inútil, mas vamos lá. Vários palmeirenses que moram a léguas de SP sofrem, ficam de mau humor, brigam com a mulher e com o cachorro de forma tão ou mais intensa do que um membro de uma organizada. Nessa linha de raciocínio, pode-se falar que é mais palmeirense aquele que viaja com a caravana do que aqueles que se deslocam de carro ou avião. Não digo que essa seja sua opinião, mas que muita gente pensa dessa forma, ah!, pensa, sim.
É obvio e evidentemente que a MV tem o seu papel, mas ao tentar reivindicar uma espécie de monopólio de representatividade da massa palmeirense, a MV comete erros e acertos. No caso em tela, a meu ver, a MV errou, pois o próprio técnico já disse que está de olho nos eventuais baladeiros e nas limitações do elenco. Reconhece que sair à noite é normal, desde que com moderação. Honestamente, confio muito mais na observação diária de Felipão e sua dedicação inconteste ao clube do que a opinião extremada e, não raro, irrefletida de alguns membros da MV, em sua maioria gente que ainda não tem noção do alcance de seus atos. Além disso, tenho dúvidas em relação à fidedignidade das fontes usadas pela torcida para justificar suas ações.
Boa parte das denúncias e observações são bem fundamentadas, mas há também muita maldade nas supostas fontes. Eu mesmo já presenciei isso aqui na Bahia, ao ver um jogador jantando com sua esposa num bar-restaurante local tranquilamente. Dias depois boatos irromperam acusando o coitado de estar na farra com uma periguete. Mentira que a imprensa local, sedenta por sangue e toma lá da cá, ecoou. Sem entender o contexto em que foram obtidas as informações fica mais difícil saber a pertinência.
O time é limitado e está entre os primeiros. Mais uma vez, demos munição para a imprensa que persegue o Palmeiras, na medida em que nós mesmos criamos mais uma pauta negativa para eles explorarem. Quando não é a diretoria e os conselheiros amadores/rentistas, é a torcida que faz o serviço. Me bata um abacate!
Em tempo, o monopólio da representatividade da MV gera distorções, como a mencionada acima em relação aos ingressos.
Abraço......Sandro (Salvador-BA)

Alex disse...

Barneschi, não sou MV, anos atrás até assistia jogos com a torcida, discordo de algumas atitudes dela, mas não sou, e nem me sinto no direito de cobrar nada da MV. Muitas vezes aplaudi e outras questionei.
O que penso (e faço) é apoiar seja lá quem for, durante os 90 minutos, depois é outra história... Acredito que se todos os setores da torcida palmeirense fechassem com essa ideia faríamos um Palmeiras mais forte.

Sergio Mendonça disse...

Ola amigo tudo ok.

O Sr. Felipão é um cara muito esperto, tirou o foco da ridicula apresentação da equipe por ele comandada e jogou em cima da torcida organizada toda a responsabilidade.

Em agosto temos dois jogos importantes contra nossos inimigos SPFC e SCCP, só a vitória interessa, isso sim é importante para o Palmeiras.

Enrico disse...

Fala Barneschi,
Nunca fui da MV ou de qualquer outra torcida mesmo frequentando estádio desde 1975 (ia sozinho, com 10 anos, Pacamebú era do lado de casa, pulava o muro atrás da quadra de salão e ia pra dentro do tobogã)com isso acabei assisitindo a muitos jogos e não somente do nosso amado Palmeiras...no começo dos anos 80 era amigo do Atibaia, cheguei a ir em alguns jogos com ele no seu dojão preto mas não me filiei à mancha porque na época até o dinheiro da mensalidade me fazia falta... hoje vou bem menos a estádio (falta de tempo, de saco e um pouco cansado de ver nosso tristes vexames)mas quando vou - caso do último jogo - sempre me desencanto com a atitude e vibração da torcida...como é possível num estádio com 35 mil pessoas mal e mal ouvirmos o incentivo da torcida? Outra coisa é o problema dos ingressos, fui no Palestra na terça de manhã comprar os meus e tive mais uma vez que me deparar com a abordagem, às vezes intimidatória, de integrantes de torcida organizada querendo vender ingressos.. e isso na boca do guichê! No meu entender se a diretoria cede os ingressos às torcidas é para que as mesmas entrem no estádio regularmente e incentivem o time e não para fazer caixa...sendo que estes mesmos elementos ficam nas bocas dos caixas pedindo pra "inteirar um real" pra comprar ingresso...PORRA!
Divaguei bastante mas o resumo é: sim às torcidas organizadas mas elas que saibam respeitar a opinião dos não organizados que muitas vezes se sacrificam e amam o clube até mais que elas

Luiz Fernando disse...

Vi alguns falando da atitude cambista da MV,gente,isso eh problema deles com a polícia,eu não compro ingresso com eles,fora da arquibancada eles que resolvam os problemas deles,eu só fico perto deles porque eh a parte mais representativa da torcida no estádio,simplemente por isso

Forza Palestra disse...

Além de tudo o que eu já disse, vale uma abordagem especial para o tema "cambistas". Sim, isso acontece entre alguns manchas e é mais uma sinal dessa crise de identidade. Condeno veementemente qualquer iniciativa nesse sentido, mas quem frequenta estádio sabe que são sempre os mesmos caras que praticam isso. Na época em que eu era mais ativo na torcida, cambista era agredido pelos manchas. Deveria continuar assim.

Ivan disse...

Sou Mancha desde 2005 e concordo com quase todas as atitudes da torcida.
Eu não aguento mais tanto papelão, anos e anos na merda e todo mundo achando maravilhoso.
Tenho muito orgulho da torcida.

Quanto aos cambistas, não concordo embora ache necessário em alguns casos (é uma forma de segurar ingresso pra um torcedor mais verdadeiro e deixar o de final de fora).

Ivan disse...

E tem que parar com essa bichesse de não gosto de violência, violência não resolve, marginais travestidos de torcedores... VAI A MERDA! Vocês torcem pro PALMEIRAS e não pro time cor de rosa.

Anônimo disse...

Aí sim Barneschi.... cambista tem que apanhar de gato morto até o gato miar....O foda é que os caras são grandes rs....

Casselli

Cesar disse...

Parabéns pelo texto Barneschi!!

Faço parte de Mancha há exatos 10 anos, e infelizmente por questões profissionais e pessoais já não consigo acompanhar o dia-a-dia da Torcida como fazia a pelo menos uns 3 anos...

Mas ainda sim, tenho concordado com a maioria das atitudes da Mancha, e o que mais me irrita nesse debate sobre a "importância" da MV na vida do Clube é o preconceito como forma de argumento!

Muita gente chuta o pau da barraca, chama td mundo de marginal e fim de papo, e as coisas não são assim!

E também não acho que a Mancha Verde "chame pra si" a voz de toda a Torcida do Palmeiras! A Mancha é a maior Torcida Organizada do Palmeiras há pelo menos 20 anos, sua representatividade na Arquibancada é imensamente maior que a das outras Torcidas, então é natural que TUDO que vier da Mancha vai fazer mais barulho!

Me lembro que a pouco tempo a T.U.P. fez um protesto não sei pra que no C.T., apareceram 20 caras e só vi uma notinha no UOL, nem na TV apareceu! Não estou querendo dizer com isso que uma é mais do que a outra, apenas exemplifico que qualquer atitude que a Mancha tomar será avaliada da forma mais senssacionalista possível.

As vezes parece até mesmo inveja ou ciúme quando vejo gente metendo o pau sem mais nem menos na MV!

A Mancha tem feito caminhadas históricas em dias de clássicos para o Pacaembú, tem feito Caravanas enormes para fora do estado desde que ganhamos o Paulista, como vc msm disse, blindou elencos mais fracos e até mais safados do que esse, e agora não tem direito de expor sua opinião?!

Só é ouvido quem fala, e a Torcida do Palmeiras hj em dia acha que vai resolver td na internet, entram em fóruns e ficam infestando a cabeça de td mundo com esse "òdio" contra as Torcidas Organizadas, mas não levantam a bunda da cadeira para fazer alguma coisa só sabem criticar quem o faz!!

O que nos salva é o seu Blog, pq a "Mídia Palestrina" já perdeu sua essência a muito tempo pra mim!!

A Mancha tem uma voz ativa pq ela conquistou, se outros grupos querem ter a msm representatividade que façam o mesmo!!

Abraços

Raoni Leal disse...

Concordo com voce em partes, apesar de voce conhecer muito mais do que eu

mas enfim, acho qeu nao tenho o que acrescentar nesses comentários, ja foi bastante coisa dita

concordei bastante com o ultimo comentario, o do Cesar!

Abraço, Barneschi e parabens pelo post, isso mostra que voce se importa com os seus leitores!

André Fix disse...

Forza,

importante essa dicussão. Parabens por finalmente ter trazido a MV para ser discutida. Não ha lugar mais apropriado. O Palmeiras precisa de uma MV agindo positivamente para o Palmeiras.

Compartilho a indignação com alguns comportamentos da MV, ou de pessoas em nome da MV. Assim como considero a falta de posicionamento político oficial da MV, um sinal de que as cabeças mandantes da MV se beneficiam (no pior sentido) desta omissão.

Felizmente, apesar dos erros de comportamento, a MV é muito importante pro Verdão. Quando atua em prol do Palmeiras (time e torcida) será respeitada e admirada.

Temor e pagação de pau tem vir das torcidas adversarias. Aqui é Palmeiras!

Espero que a liberação da bandeiras sejam um marco para uma nova fase da nossa torcida.

André disse...

Relativizar, comparar, ou ficar tentando discutir quem é "mais ou menos" torcedor por X ou Y é mais do que estúpido, é infantil. Parece coisa de ensino fundamental.

Dito isso, volto a dizer: a MV e a maioria das organizadas virou há muito tempo um antro de marginais que sequer conhecem a história do clube. Estão interessados em outras coisas, não no futebol, no Palmeiras.

Apesar de sócio, me afastei muito nos últimos anos. Prefiro reunir amigos que sei que são verdadeiros palmeirenses e ir de carro, bebendo nossa breja, falando sobre o Palmeiras!!

Anônimo disse...

Mustafá continua mandando e afundando o clube e alguns diretores da torcida são cambistas. Ainda perguntam pq a torcida do clube não respeita a MV?

Anônimo disse...

Se tivessem a mesma energia para peitar o Mustafá, o Palmeiras poderia estar no seu devido patamar. A MV tem uma grande força. Eles poderiam causar uma revolução pró-Palmeiras. Infelizmente, ganhar ônibus e ingressos é o suficiente para silenciar qualquer organizada. Cobrar de jogador é muito fácil.

Ivan disse...

A Mancha não ganha nem ônibus e nem ingresso. Foi a unica torcida a protestar contra o Mustafá. E se é fácil cobrar jogador, porque você não vai lá peitar os mesmos, com 5 seguranças ao lado?
Você deve ser só mais um idiota, que não frequenta a torcida e não sabe de porra nenhuma. Lê qualquer merda em comunidade do orkut e abraça.

Mais estádio, por favor! E viva a mais gloriosa torcida dessa merda de país!

Anônimo disse...

A MV é a única entre as maiores torcidas do país que não leva o peito o distintivo do clube que diz defender. Ela leva no peito o distintivo da própria torcida que ainda leva inserido a palavra "SAMBA". Jovem-Fla, Gaviões, Independente, Força Jovem Vasco, Jovem do Santos, Raça-Fla, Leões da Fabulosa, Galoucura, etc, etc, etc. Todas as torcidas de tradição levam no peito o distintivo de seus clubes. Só a MV leva a palavra "Samba" substituindo o escudo do clube. Precisa falar mais???