22 junho 2012

De alma lavada

















Avenida Paulista, 18h07. É hora de partir. Mais cedo do que deveria; é um transtorno, mas não tem outro jeito. Problemas com a carona rumo ao interior. Maldito rodízio!. Ligações e tentativas frustradas. Todos já estão a caminho e há até quem já tenha chegado lá. Plano B. Metrô Consolação. A poucos metros dali, quase dá para ver a cancha municipal. Vazia, refletores apagados, à espera de um jogo que mentes pequenas fizeram sair dali. Horário de pico. Fila na catraca - não a que eu gostaria naquele momento. Linha verde. Chácara Klabin. Rua Vergueiro. Carro. Maldito rodízio! Ricardo Jafet. Os radares que me perdoem e que venha depois a porra da multa. Chove. Imigrantes. O jogo é na Vila? Uma, duas, três saídas. Rodoanel. 19h. Chove mais forte. Os relatos dão conta de trânsito caótico. 64km para o estádio, um crime. Tudo livre, 100km/h. Um, dois, três pedágios. Obrigado, Tirone. Passam Régis e Raposo. Eis a Castello. Acabou a paz. A melhor rodovia do Brasil é também a pior. Alphaville de merda! O trânsito para. A alça de acesso toma um quarto de hora. Km 20. Falta muito ainda. Dizem que vai assim até o 24 pelo menos. Mas o 32 parece estar ainda pior e o acesso ao buraco onde fica o estádio é intransponível. Obrigado, Frizzo! Não vai dar tempo. Já são 20h. O próximo quilômetro é percorrido em quase 20 minutos. Fodeu! Pior de tudo é que o ingresso está no cartão de um amigo. Pânico. O que fazer? Saída 21. Curva para a esquerda. Carapicuíba. Viaduto. Chove mais. À direita. Avenida Tancredo Neves. Isso é Carapicuíba ou Barueri? Estação de trem. Não há onde deixar o carro. Os celulares dos amigos perto da Arena não têm mais sinal. Acabou o contato. 20h37. Será que dá? O trânsito na paralela segue livre até o centro de Barueri. Tudo parado. Faltam 4km. Chove. Estação de trem. Vai ser aqui mesmo, porra. O carro fica em qualquer lugar. CPTM. Cadê a porra do trem? 5 minutos. Lá vem ele, alguns palmeirenses dentro. Estação Jardim Belval. Descida. Uma avenida deserta. Faltam longos 2km até o estádio e o jogo está para começar. Corrida. Passos largos, poças d'água como obstáculos, carros no sentido contrário. Será que eles já entraram? Muita gente segue o mesmo rumo. Não há mais onde estacionar tantos carros. Mesmo correndo, o estádio parece não querer chegar nunca. Refletores acesos. Fumaça por entre a chuva que segue caindo. Um mundo de gente do lado de fora. Filas enormes, o jogo rolando, um verdadeiro caos. O celular não funciona. Maldita Globo! Correria de um lado para o outro. Fila, barraquinhas, vai e volta. Lembro, depois disso tudo, que temos uma semifinal pela frente. O esgotamento já veio antes mesmo do jogo começar. A porra da fila não anda. Coxinhas de merda. O corredor de entrada está alagado. Quando piso na Arena Barueri, já se passou quase metade do primeiro tempo. O 20 não está em campo e veio o 8? PQP! Há enormes clarões em todos os setores. Muita gente do lado de fora. A semifinal, porra. Concentração. Jogo ríspido, duro, quase violento. É clássico, é Palmeiras x Grêmio. O Grêmio é mais time e entra com mais força. Perdemos o meio. Apreensão. O jogo começa a ficar por demais perigoso. Mais gente entrando. Sem parar. É muito cruzamento para a nossa área. Vai dar merda. PQP! O 19 anda em campo. A torcida apoia. Tá bonito o tobogã, mas ainda há muitos clarões. Tem mais gente lá fora. Tem gente até na rodovia. The horror, the horror... Pressão do Grêmio. Apita logo, juiz! Intervalo. Mais gente entrando. Um verdadeiro absurdo. E tem palmeirense até não poder mais do lado de fora. Gente que pagou muito caro por um ingresso. Volta o mesmo time. Vai dar merda. Acreditem: continua passando gente pela catraca. O 19 morreu. Vem o 10. Mais bola na área. gol. Entram em campo os fantasmas de todos os vexames anteriores. A torcida segue apoiando. O medo se faz presente. De novo não, porra! Minutos de apreensão. O 10 faz o que dele se espera: chama a responsabilidade, joga como 10 e decide. GOOOOOOOL! A bola nem estufa a rede; prefere repousar no fundo do gol. Explosão. Alívio. A final se aproxima. A Arena Barueri vira um caldeirão. Ao menos por uma noite, o bom e velho Palestra Italia voltou. A torcida se incendeia. Sinalizadores. Fumaça. Êxtase. Barulho. Aqueles dois gols do Olímpico não haveriam de ser à toa. O time cresce, passa a jogar melhor. Vem a briga, necessária e esperada. Os vagabundos à beira do campo, bandeirinha e quarto árbitro, nos deixam sem um jogador importantíssimo na final. Bola na trave. Jogo sob controle, é hora de dirigir ao judas o que ele merece. Mais sinalizadores. Somos todos heróis os que chegamos àquele lugar. A chuva cai. A alma está lavada. Final. Parecem até os anos 1990. Mais dois jogos. Curitiba. Aqui é Palmeiras!

###


Comemoremos, palestrinos. É justo! Estamos na final 14 anos depois e toda comemoração é válida. Comemoremos e logo chegará o momento de pensar nos dois jogos que faltam para esta campanha ter o desfecho esperado. E é exatamente por saber que a comemoração é ampla e irrestrita que eu não posso deixar de registrar nesse post a absurda situação de que foi vítima a torcida do Palmeiras nesta quinta-feira e em todos os jogos que vierem a ser disputados neste lugar maldito e inacessível que é a Arena Barueri. O relato acima é um tanto sintomático do sofrimento por que passamos para ver o time jogar "em casa" e eu imagino que há casos muito piores que o meu, uma vez que eu pelo menos consegui entrar no estádio. Se a torcida de um clube é o seu maior patrimônio - e é -, então os senhores Arnaldo Tirone e Roberto Frizzo estão roubando o Palmeiras. Que paguem por isso!

###

_Quero deixar o espaço dos comentários aberto para os depoimentos de quem sofreu ontem para chegar ao buraco de Barueri. Por favor, não deixam de publicar suas histórias. Todas elas serão encaminhadas para os responsáveis.

_A ideia não era escrever esse post no mesmo estilo do anterior. Mas eu fiz questão de fazer assim para que os senhores comparem esse relato com o da última quarta. Isso feito, peço que me respondam: qual parece ser de um jogo fora de casa?

_Como podemos chamar de "casa" um lugar tão inacessível? Como podemos chamar de "casa" um lugar que submete a torcida a tamanho sacrifício? Como podemos chamar de "casa" um lugar que deixa palmeirenses do lado de fora mesmo com ingresso na mão? Como podemos chamar de "casa" um lugar que provoca tanto sofrimento? Como podemos chamar de "casa" um lugar que faz o palmeirense correr riscos? Como podemos chamar de "casa" um lugar que nos obriga a perder cinco, seis horas apenas para chegar e sair?

_O absurdo maior da Arena Barueri é ser um buraco às margens de uma rodovia que é a melhor (por sua estrutura) e a pior (pelo trânsito absolutamente insuportável) do Brasil. Existe praticamente uma única via de acesso e, em um cenário de caos, o palmeirense sequer pode largar o carro no meio do caminho e seguir a pé. Ou seja: o sujeito fica preso a caminho do estádio e acaba perdendo o jogo.

_Depois do jogo, em entrevista para as rádios, o senhor Arnaldo Tirone buscou relativizar o tormento vivido pela torcida nesta noite chuvosa. Disse que enfrentou o trânsito também, mas que "as pessoas que saíram atrasadas chegaram atrasadas". Será que o sujeito, além de incompetente e inapto, é também retardado? Porra, será que está falando sério? Será que ele acha normal alguém não conseguir chegar ao estádio depois de ficar três horas (ou mais) no trânsito? É muita falta de respeito!

_Boa viagem de volta, traidor!

_Curitiba vem aí!

###

Peço desculpas pelos eventuais erros e pelo texto pouco inspirado, mas procurei escrever já chegando em casa, na madrugada, e o cansaço já começa a bater. Depois eu edito.

56 comentários:

Pedro Pellegrino disse...

ANIMAL!

Eder disse...

Deixei o carro na beira da Castelo, logo no acesso... Fui correndo para o estádio e só entrei nos 15 do segundo tempo. Parabéns aos envolvidos.
Na volta um guardinha safado não me deixou retornar e sair pelo mesmo acesso, tive que enfrentar quase 1h de transito para retornar para Castelo.
Final no Paca, por favor!

gregory disse...

Sai de Praia Grande 5 horas com alguns amigos, pegamos o Rodoanel e estava tranquilo até travar aonde você travou, além que os nossos ingressos tava com um cara na porta do estádio, quer dizer? E o medo dele cansar de esperar e entrar?

Além da fila pra conseguir passar por aqueles 4 pm's, entrar com 15 minutos de jogo, e gastar o dobro do que gastariamos com gasolina, foi tudo perfeito.

Valeu Palmeiras, VALEU!

CASSELLl disse...

Eu tinha condições e cheguei 15:30 em Barueri mas para quem não tem foi o inferno!!!!!

Estou transtornado pelo fato de estar nos EUA do dia 02/07 ao 13/07.... inconsolável.....

Anônimo disse...

Lindo....
Emocionante....
Digno de uma batalha entre Palmeiras e Gremio....

Parabens aos guerreiros da arquibancada....e aos do campo....
Maravilhoso de ser ver e ouvir....

Toda vez que penso me dá um nó na garganta....

E a comemoração do chileno feiticeiro......sensacional....
E o argentino.......um monstro....

Valeu Palmeiras....

Com esse espirito não a time que nos pare.....

Vamos ser campeões.....



Alex Amaro

Raul Martins Dias disse...

Quanto ao buraco de Barueri: se o jogo fosse no Pacaembu, talvez eu pegasse a ponte aérea Brasília-São Paulo para ir à cancha municipal. Dava um jeito de pegar um voo bem cedo e vir trabalhar hoje. Como a diretoria fez a cagada de colocar a partida em Barueri, nem me arrisquei. Depois, acompanhei pelas redes sociais o sofrimento de quem tentou chegar no estádio e não conseguiu, contrastando com alguns IMBECIS que nunca pisaram em um estádio pedindo que a final fosse em Barueri, porque "dá sorte". E agora vejo que a diretoria, que está CAGANDO E ANDANDO PARA A TORCIDA, quer fazer a final também em Barueri. E que se foda quem não conseguir chegar ao estádio, e quem mora em outro estado e não poderá nem sonhar em ir.

Quanto ao jogo: uma partida para trazer de volta o orgulho de ser palmeirense. Não foi um time primoroso, mas jogou com a mesma vontade que vinha faltando nos últimos jogos. E um juiz fraco, que deixava os jogadores do Grêmio gritarem na cara dele e meterem a porrada nos nossos, mas não deixava o Valdívia tirar a camisa para comemorar. Contra tudo isso, passamos, e agora teremos duas guerras contra o Coritiba. Vamos buscar mais essa taça.

CIOL, Felipe disse...

o Texto é foda, como sempre.

Saimos de americana por volta das 17h. Parei o carro num lugar lazarento que tinha como nome "RUA DA BICA" ... na casa de uma senhora que me cobrou 50 reais. Era aquilo, ou mais meia hora no carro, e o jogo pra começar...

Consegui entrar no estadio faltando 10minutos pra começar. Que alivio...

O que era pra ser fila, era um aglomerado de gente se empurrando, enquanto os 'homens da lei' assistiam tudo de longe, sem tomar nenhuma providencia.

Pra revistar, tem que ficar de costas? ah vai toma no cu!

Mas valeu, a melhor chuva que tomei na minha vida!

Mas pra ir embora, mais um inferno! mais de 1hr com o transito parado. Todo mundo molhado, pensando que a volta pra americana ainda ia ser longa. Mas nem tanto, com a vitória, o caminho pra casa fica mais curto!

Fabrizio disse...

Saí da Paulista 17h30 e levei cerca de 2h para chegar ao estádio. Larguei o carro num buraco que eles chamam de estacionamento, R$ 60,00. Entrei no estádio vazio às 19h45.

Mais 2h para conseguir chegar em casa, entre espera dentro do buraco-estacionamento e trânsito insuportável.

Pelo que ouvi nas entrevistas pós-jogo, vão tentar levar a final para a Gaiola das Loucas.

Abs!

André / Americana disse...

Sempre fomos de carro pra Barueri mas dessa vez estávamos em dez e alugamos uma van de um tiozinho chato bagarai...o combinado era sair as 18h de Americana, saímos as 18h30 e eu já previa o caos. A sorte é que o cooler lotado de cerveja, os vídeos do palmeiras e as conversas sobre tantos outros jogos e experiência de cada um fizeram a viagem ser rápida e tranquila, até chegarmos na castelo e avistarmos o caos!

Corta daqui, corta dali...entramos na avenida do estádio faltando meia hora pro jogo e cinco ingressos do Master Card pra trocar. Fomos a pé, trocamos (pelo menos isso foi muito rápido), passamos SEM REVISTA e catraca adentro, dava pra perceber que todas as entradas estariam lotadas. Muita paciência e muita chuva, jogo inesquecível, rouco de tanto xingar o Judas 30, feliz de ver o camisa 10 fazer o que dele se espera e chorar que nem criança quando ouvi o apito final.

Depois, muito trânsito pra voltar mas a vantagem é que na van deu pra relaxar, se fosse de carro eu estaria muito puto ali. É muito sofrimento pra poder assistir ao jogo nessa cidade maldita.

Um detalhe...quando cheguei em casa a adrenalina não permitiu que eu dormisse e assisti ao VT do jogo, pela Sportv e depois ESPN. Notem o trabalho árduo do bandeirinha para foder o Palmeiras o tempo todo, invertendo laterais, faltas e depois vendo o que ninguém viu no lance com Henrique e alcançando seu feito. Que esse miserável morra com o * estourando de queijo mineiro, maldito!

viviprataviera disse...

Sai de São Carlos - Sp as 16h e a van foi parada pela polícia antes da entrada 26a para dar passagem aos ônibus de torcedores gremistas . Dois km de corrida até o estádio. Fila no setor C1, entrei com 5 min de jogo, chinguei os gremistas, ovacionei o Palmeiras, voltei pra São Carlos encharcada por 3 horas e rouca. Cheguei as 4h, acordei as 6h, mas to pouco (Y) feliz pela classificação ! #VAIPALMEIRAS Parabéns mais uma vez pelo belo texto, Barneschi

Suardi disse...

Barneschi,

Ontem no pós jogo o Mauro César na rádio estadão disse que a torcida do Palmeiras é a torcida que mais sofre com as ações dos seus dirigentes. Que foi um absurdo o que eles fieram com os seus torcedores na noite de ontem. Usou exatamente essas palavras: Dirigentes de mente pequena.

@babibradley disse...

Eu consegui, mas meu pai e minha irmã não!

Quando ele viu que não daria tempo, pediu que ela descesse e fosse andando (pai é pai) que ele ficaria no carro.

Ela entrou com uns 20 do segundo tempo. Quando meu pai finalmente parou o carro e correu pro estadio, portões fechados e a polícia muito companheira.

Justo ele, que vai a todos os jogos desde 1900 e nada ficou de fora tendo saído do trabalho as 18:00.

Ficou lá, do lado de fora "ouvindo" a classificação do nosso time. Eu não me conformo com isso!

Parabéns a todos os envolvidos que insistem em pensar como time pequeno. Vocês estão fazendo um esforço desgraçado pra afastar o que o Palmeiras tem de melhor, uma torcida que Mesmo apanhando ano após ano, está presente. Filhos da puta!

Arena Palestra Itália disse...

Mais um!!!! Nem entrei em Barueri! Vejam lá no blog tbm!

http://arenapalestraitalia2012.blogspot.com.br/

Victor disse...

4 horas no transito pra chegar naquela merda, muita chuva e quando finalmente chegamos na porta do estádio, somos recebidos com os portões fechados, a cavalaria avançando e a polícia jogando bomba na cabeça do torcedor. E eu, que PAGUEI meu ingresso, com ele na mão, não pude apoiar meu time em um jogo tão importante.. e depois tenho que ouvir desse FILHO DA PUTA do Tirone que a culpa é de quem saiu atrasado(!) e não de meia dúzia de arrombados que decidem por moais de 15 milhões de palmeirenses.

Frederico disse...

Não tá na hora da torcida ir lá na academia dar uma dura nesses viados?
Se eu morasse em São Paulo isso não ia ficar assim. E esse bandeirinha, gambá duma figa, só faltou ir pra área tentar fazer os gols que o Gremio precisava, maldito seja pro resto da vida dele.

Rafael B disse...

Barneschi, me ví no seu relato (com algumas diferenças de trajeto, claro).

Sai da paulista as 18h15 (ALÔ TIRONE, NÓS TRABALHAMOS, NÃO SAÍMOS ATRASADOS!!!) rumo Av. do Estado, havia olhado no Google e estava tranquilo - de fato estava. Meu caos começou antes do pedágio da Castelo, e só terminou em casa as 3h da manhã (ACREDITE, O HORÁRIO QUE CHEGUEI EM CASA).

Do pedágio, até conseguir parar o carro em um local decente (fiz a besteira de tentar o acesso pelo Km 32 e não o 26), foram 2 hrs. Estacionamos num lamaçal onde carros se amontoavam em busca de um quadrado, e corremos em direção ao distante estádio. Maldito estádio!

Fila, desorganização, fim do primeiro tempo. Consegui entrar no intervalo, ufa!

Ao término do jogo, mais 2 hrs para tirar o carro do buraco em que fora deixado. Rodízio me fodeu tbm, então tive que deixar meu carro em SP e ir de carona, o que me fez perder mais tempo, levando em conta que sou de Jundiaí. Finalmente à 1h00 conseguimos andar, até parar novamente no pedágio (porra, metade das cabines desativadas!). Mais meia hora perdida, e finalmente trânsito livre rumo a Paulista novamente.

De lá, pegar o carro e enfrentar mais 40 min até Jundiaí. Nessa quebrada, já era 2h45 a hora que abri a porta de casa e desmaiei, para, como bom vagabundo (que é assim que nos tratam), vir pra SP trabalhar novamente.

Que caia o cú dos morféticos responsáveis pelo jogo naquela maldição de Barueri. PACAEMBU, PORRA!

Zoinho disse...

Sai do trampo as 18h00, peguei o metrô, duas baldiações, trem e uma leve caminhada. As 19h30 já estava no estádio !!
Se pararmos pra pensar, qualquer lugar em SP são 3 horas pra chegar, o municipal é bom pq moramos ao lado, mas quem mora nos extremos leste e sul tb se fode.
Morumbi se vc pegar chuva e ter que usar a marginal, certeza de pelo menos duas horas jogadas fora.
Se tratando de transporte público, o trem é bem perto do estádio, o Morumbi com jogo as 21h50 é de longe bem pior !!

@mirandolla2 disse...

Meu irmão e um amigo conseguiram sair bem cedo e as 16hs ja estavam em Barueri. Eu fui com mais 3 amigos de trem, e o trajeto é bem tranquilo, sai de Santo Amaro as 19hs, 20hs eu estava na Jardim Belval, consegumos entrar a tempo. Quem tem algum amigo com disponibilidade de chegar mais cedo acho que essa é a melhor opção, já que pra ir de transporte publico é tranquilo, pra voltar é impossivel.

Anônimo disse...

Conheci o Blog algumas semana atras! Acesso direto! Comunicação de quem esta na arquibancada... PARABÉNS!!!

Robson disse...

Minha sugestão é que deixem o carro em casa e vão de metrô/CPTM. foi o que eu fiz e não me arrependi. cheguei as 20:00 horas, tudo tranquilo e gastei 6 reais, enquanto se tivesse ido de carro teria gasto no minimo uns 80 reais entre gasolina, pedágio e estacionamento e ainda correria o risco de nem conseguir entrar no estádio. o problema é se a final for no criminoso horário das 21:50. ai não tem jeito, só de carro.

Rafael disse...

sai de rio claro as 18:00, tempo de viagem pelo google 2:07horas, resultado final entrei no intervalo do jogo, andei uns 4km pra chegar no estadio pois tivemos que descer na van no meio da rodovia, e ainda pegamos fila pra entrar, nao grande mais pegamos, pra sair de barueri outra fila...carros que nao andava pois policia fechou as ruas e mais tempo esperando...depois de ter corrido na chuva.

TALVEZ A ARENA BARUERI SO MEREÇA TER JOGOS DO CURINTIA LÁ...PQ OLHA É RUIM PRA KACETE LÁ... nao acredito que a diretoria faça isso pra ganhar uns trocados a mais só...
ontem a renda passou 1 milhão, se fizer no morumbi passa facil dos 2mi, sera que o aluguel custa 1 milhão?

Bruno Lauria disse...

Sai da Avenida Paulista às 18:05, ou seja, 3 horas antes do jogo. Mas mesmo assim não foi suficiente.

Entrei dentro no estádio às 21:50. Perdi o 1 tempo inteirinho.

Não sem antes enfrentar um caos na Marginal/Castelo/ e aquela maldita via de acesso.

Larguei o carro no meio do pasto, 2km longe do estádio (conferi no Google Maps!).

Lama até a canela. Ainda bem que foi barato. R$30,00 p/ não destruírem o carro (cade a incrível PM nessa hora?).

Na porta do estádio, tudo aquilo que você relatou Barneschi. Fila, fila, desordem, poças que pareciam verdadeiras piscinas.

P/ voltar, tranquilo. 01:30 da manhã tava em casa. Fácil. 07:30 ao todo por conta do jogo.

Obrigado, de coração, a todos os envolvidos. Espero realmente que tenham uma morte dolorosa. Bando de filho da puta do caralho.

Luiz Fernando disse...

Barneschi,essa diretoria é criminosa,Barueri é impraticável de carro,pensei em ir pra ve se arranjava ingresso com cambista ou entrar no estádio de uma maneira ou outra,mas não fui,não tive condições,vc devia ter ido de trem cara,é uma merda mas é o menos pior,a distância da Jd.Belval até o estádio é a msm da Marechal até o Pacaembu.

Se fosse a torcida dos gambá nessa situação,fariam um especial pela-saco no globo esporte,mas foda-se aqui é Palmeiras,contra tudo e contra todos(principalmente juízes e bandeiras).

Eu sei que esse blog trata jogadores como vagabundos,mas temos que ressaltar a espetacular atuação de nossa zaga,do Chileno(finalmente!),do cordobês(catimba pura),do Felipão e ressaltar a sacanagem que foi feita com nosso capitão,maldita CBF!!,maldito Sérgio Corrêa!

Todos estão de parabéns pois honraram a camisa nos 180 minutos!

Anônimo disse...

Ae forza palestra, eu era o muleque que atrapalhou por alguns minutos o seu jogo. Estava anestesiado por causa do gol (um pouco bebado tb), acho que voce notou. Essa é a primeira final de um campeonato que participo ativamente(tenho 18 anos). Tudo isso teve um significado que até agora não consegui entender. O PALMEIRAS que meu pai me ensinou a amar voltou para o seu devido lugar.
Admiro muito seu trabalho aqui no blog, é uma fuga dessa imprensa maldita. Parabens
Vinicius SEP

Leonardo disse...

Ontem foi uma noite em que QUASE tudo deu errado, afinal de contas, estamos na final!

Por causa de um professor que possui a audácia de marcar uma prova em dia de jogo do Palmeiras, tive que ir à escola. Fiz a prova tão loucamente que se tirar mais do que zero, estou no lucro.

Deixei a Zona Norte literalmente correndo, em meio a uma chuva que nem me dei conta, às 19h45, e segui de metro, da Armênia até o Butantã, e lá encontrei meu pai às 20h15. Já estava tarde, muito tarde, o professor atrasou em mais de 20 minutos o início da avaliação.

Ali, ouvindo a "Transámérica Trânsito", passei a tomar conhecimento de que a cidade de São Paulo vivia mais um típico dia de trânsito caótico. Já estava tarde demais e passei a me contentar em entrar na Arena apenas no intervalo.

Nas quartas-de-final, contra o Altéico Paranaense, foi isto que ocrreu. Bom, participaríamos de metade da guerra, ainda daria tempo. Acelera, pai, acelera!

A cidade que tanto amo estava, mais uma vez, nos deixando na mão. A Corifeu estava toda parada, passamos por Osasco quase uma hora depois e só depois das 21h10 chegamos a Castello Branco.

Trânsito livre, acelera! O maldito pedágio nos recebe com uma fila catastrófica, até mesmo o 'Sem Parar' está congestionado.

Passado mais um obstáculo, o painel eletrônico nos informa que o trânsito está lento até o km 24. Será que tudo daria errado nesta noite? Ao som da 'Transamérica' já ouvíamos nevosíssimos a partida.

Mais de meia hora até o km 32, fazemos o retorno e a Castello sentido capital está toda parada. O desespero já era muito grande e ali passei a me conformar, não entraríamos na Arena, ainda nos restava parar o carro.

Exatamente na entrada do km 32, o ônibus a frente dá ré e acerta o pára-choque do carro do meu pai. Descemos os dois, desceram do ônibus também o motorista e meia dúzia de torcedores do Grêmio.

Vejam só, as coisas teimam em piorar. Será possível que tudo dará errado? Anotamos a placa do veículo gaúcho e deixaram com conosco um cartão da empresa. Seguimos nosso caminho.

Palmeirenses que seguiam em caravanas desciam de seus ônibus e se dirigiam apressados.

Não havia lugar para estacionar o carro, meu pai me entregou o cartão de crédio, desci do carro e corri o mais rápido possível em direção ao detestável estádio.

Fui recebido pela cancha, às 22h15, por uma bomba lançada pela Polícia Militar. Parece-me que alguns momentos antes haviam fechados os portões e em frente de cada entrada se prostavam oficiais com cassetetes e armas à mão.

Alguns torcedores, exaltados, arremessavam algumas pedras. Mas não éramos muitos - acredito que 200 palmeirenses - para começar uma confusão e invadir o estádio à força.

Dei a volta no estádio e todas as entradas estavam fechadas, os policiais não dialogavam, os policiais ameaçavam.

De repente, vem da arquibancada, um urro. Gol do Palmeiras. É gol, porra! Eu não devia estar ali, desesperado, eu devia estar abraçando meu pai nas arquibancadas da Arena.

A minha batalha pessoal estava perdida. No campo, o Palmeiras se classificava, nós nos classificávamos. A final vem aí.

Em meio a um sentimento de grande alegria, mas de grande decepção, voltamos pra casa. A Castello Branco, a Marginal Tietê, a Avenida do Estado e todas as ruas que pegamos até o Ipiranga, todas, estavam livres. Que irônico.

Que nunca mais tenhamos que voltar à Barueri. O que eu e meu pai passamos ontem é algo que não desejo nem aos malditos gambás.

Que venha a final!

Leonardo disse...

P.S. : 1- meu pai enviará ao site Futebol Card um email cobrando o ressarcimento dos ingressos. É justo que o prejuízo não pese em tanto em nossos bolsos, mas é difícil acreditar que recebamos alguns centavo de volta.

2 - em minha contagem de jogos, estará o jogo de ontem. Afinal de contas, em corpo estive a poucos metro do estádio, mas a minha alma esteve lá dentro.

Gersinho Rodrigues disse...

Deus me iluminou e me fez ir de trem.

Sai as 18 da Granja Julieta e quanto eu vi a Marginal parada, não titubeei, fui de trem.

Trem tranquilo, baldiação, outro trem tranquilo. Cheguei as 19:30 no estádio, que por sinal é longe pra diabo da estação.

Mas, lá dentro, vendo os espaços vazios, eu sabia que havia milhares de palmeirenses passando perrengue na maldita Castelo Branco.

Uma coisa é fato, eu nunca mais vou pra Barueri de carro.

Muito provavelmente, a final será no panetone, porque o Tirone bundão cederá as pressões da CBF. Eu odeio o Panetone. A arquibancada é longe do campo, tem as cores mais feias do mundo e o transito também é infernal.

Na real, não há NADA que substitua o nosso querido palestra. De fácil acesso, familiar, aconchegante e com a cara do Palmeiras.

Parabéns aos heróis que apoiaram ontem o tempo todo.

felipe cruz disse...

Barneschi,
Saí da República às 17h, e, APENAS por isso, consegui chegar cedo na Arena. 18h25. Mesmo assim, (já) não havia lugar para parar o carro e não dava para estacionar em estacionamento de SESSENTA REAIS (acho que nem pra comer no D.O.M. do Alex Atala o valet seria tão caro). Acabei estacionando perpendicularmente numa rua deserta, em cima do meio-feio, a 100 metros do estádio.

Eu levei meu amigo Leandro, deficiente físico, comigo e me surpreendeu ver que o tal do ESTÁDIO MODERNO S2 TIRONE não tem elevadores e condição alguma de acessibilidade. Acabou que ficamos na região central do tobogã (bem no espaço onde os sinalizadores foram acesos, QUE CENA LINDA E ÉPICA!), mas o Leandro teve de ficar encostado no corrimão central do tobogã, para não se desequilibrar (ele não é cadeirante, mas tem uma deficiência nas pernas, e mal se locomove).

Na saída, tive problemas muito mais graves do que na entrada, já que cheguei mais cedo do que os demais torcedores.

Acabou que meu carro ficou em meio ao congestionamento na saída do estádio. Seria normal demorar 20, 30 minutos para sair, como nos velhos tempos de Palestra e transtornos no West Plaza. Mas os 20 minutos habituais de trânsito pós-jogos foram substituídas por tenras UMA HORA E VINTE. SIM, UMA HORA E VINTE no trânsito do acesso bizarro da Arena para a Castello Branco e vice-versa.

Esse lugar é ridículo. Não podemos mandar a final lá, não podemos. Não sendo Barueri, e nem Prudente, estará de bom tamanho. Não sei se aprovo o Morumbi, chegar ao estádio e ver SPFW bem grande não é lá muito legal. Mas já me arrepio de ver 65 mil palmeirenses comemorando o bi da Copa do Brasil juntos. VAI, PALMEIRAS!

Rogério B. disse...

Saí da ponte Transamérica, às 17:00hs e só consegui chegar em Barueri após 5 horas de trânsito, cortando várias vezes pelo acostamento.

Vários torcedores vinham correndo a pé, de longe, nesse momento. Outros muitos, menos persistentes, já haviam desistido e ficado no posto de gasolina da Castelo.

Larguei meu carro na saída da Castelo e me recusei a deixar 50,00 para o flanelinha. Arrisquei, deixando 30,00 e ele não se importou, afinal haviam caras pagando o dobro.

Vários torcedores vinham correndo a pé, de longe, nesse momento. Outros muitos, menos persistentes, já haviam desistido e ficado no posto de gasolina da Castelo.

Teria chegado tranquilamente se o jogo fosse no Pacaembú, mas entrei nos 15 do segundo tempo. Fui o último a entrar (com a porta pela metade), logo atrás de mim, a PM fechou as portas do estádio dizendo: quem tá fora não entra mais. Ainda que algum maluco estivesse bebendo do lado de fora no 2o tempo com ingresso na mão, deveria ter o direito de entrar, mas não era esse o caso. Vi vários caras chegando e ficando de fora. Insano, tipo portão de vestibular.

Para voltar, outro transtorno... em casa à 01:30 da manhã.

Na internet vários caras clamando, do sofá, por Barueri pois dá sorte. Que se foda... eu vou acompanhar o Palmeiras em qualquer lugar, e espero que os cerca de 4.500 torcedores que acompanharam o Palmeiras por toda a temporada consigam entrar. E que os demais, vão com seus controles remotos e seus teclados, todos para a putaqueopariu...

felipe cruz disse...

Esqueci de acrescentar que, como eu moro no ABC, cheguei em casa às 3h da manhã.


Valeu, Tirone!

Weindler disse...

Bom, eu não poderia estar em Barueri ontem... Nem que eu quisesse ou conseguisse ingresso! Tinha prova na faculdade... Começava as 19:00 e tinha duração de 1:30.. Eu estudo em São Caetano e moro em Osasco... Normalmente, levo em torno de 45 minutos no trajeto Faculdade-Casa... Mas ja estava contentado em assistir ao jogo pela TV, apesar de querer muito estar entre os torcedores dentro do estadio!

Sai da prova as 20:00, comemorando por ter conseguido faze-la de maneira rápida... Calculei o tempo e achei que conseguiria ver o jogo inteiro! ACHEI! Nunca peguei tanto Transito em SP como ontem... Demorei mais de 2Hrs pra chegar em casa e perdi uma parte do segundo tempo... Claro que isso nem se compara a quem comprou o ingresso e não conseguiu entrar no èstádio... mas é só pra ilustrar que o Transito foi geral na cidade...

Rogério B. disse...

A discussão, não tem nada a ver com o caos da cidade de SP. O trânsito foi geral na cidade toda, mas o Pacaembú, tem muito mais formas de acesso que Barueri. Essa é a questão.

Só há uma forma de chegar em Barueri, um lugar que não está preparado para receber essa quantidade de gente.

Marcos Vinicius disse...

Tive que sair DEZ minutos antes do término da partida. Isso pq o jogo terminaria 23 horas, se fosse no Pacaembu, eu (e muitos outros) poderia ficar pra esperar o apito final e ainda tomar uma lá fora. Merda de lugar. Trem, metro e ônibus, fora a chuva, uma verdadeira odisséia. VAI PALMEIRAS!

Raphael S. Alfieri disse...

SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DOS MANDOS DE JOGOS DA FINAL: DECIDIREMOS FORA!

IDA DEVE SER DIA 05 E VOLTA DIA 11!

Pergunta:
Quem foi lá tomar de 6 ano passado tem ingresso garantido!?

A vingança será DIGNA!

FORZA PALESTRA!!

CIOL, Felipe disse...

/\

"Sorteio" né?

Vitor dos Reis disse...

Acho que eu sou um dos poucos que tive sorte e fui tranquilo para aquele inferno.

Saí de carro do centro de São Paulo as 17:20 e exatamente as 18:25 estava em Barueri, deixei o carro em uma casa na Av. Itaqui,e paguei R$ 20,00, vcs que pagaram 60,00 deveriam voltar lá hj e jogar uma bomba na casa..rsrs

Na volta, fiquei por lá bebendo e comemorando até 00:00 hs e vim tranquilo tbm, tirando um pequeno congestionamento no pedágio, que era um buzinasso só de tanta felicidade.Mais sei que ontem foi um excessão, pq com públicos menores já sofri bastante em Barueri.

E é isso aí, rumo aos dois jogos das finais com o segundo em Curitiba. Vamos Palmeiras, essa é nossa hora!!

siamopalestra disse...

Corri a semana inteira. Deixei de almoçar. Deixei o trabalho às 17h. Peguei táxi, carona, trânsito pra cacete, fila no pedágio e chuva. Chegamos além das 19h. Encharcados. Cantamos, vibramos, saímos vitoriosos. Quase 2h pra sair da avenida do estádio... 2 horas! Chego a SP às 2h da manhã.

9h de correria, amor, humor, horror, torpor. Barueri, Prudente... é tudo a mesma coisa!

Matheus Trunk disse...

Trabalho em Alphaville, sai do escritório umas 17h. Peguei um ônibus e trem para estação Belval. Cheguei no estádio uma 19h40! Esse estádio fica no fim do mundo. É o tipo do lugar que você vai quando faz um bagulho errado, sabe? rsrs. Não quero ofender os palmeirenses que moram nesta Barueri, mas fizeram um estádio num lugar inacessível. Em qualquer país decente, fariam uma semifinal de um campeonato nacional em um local de melhor acesso. Mas a torcida fez uma festa incrível, foi uma das maiores noites da minha vida sem dúvida nenhuma. A volta no trem foi rápida até, cheguei em casa na zona oeste umas 00h30.

Rafael disse...

Fui de trem e foi a melhor coisa que fiz.

Deixei o carro próximo a estação da Lapa, por volta das 19:00. Até a Jardim Belval deve ter dado uns 50 minutos, e o trem apesar de cheio não estava abarrotado.

Na saída da estação Belval comprei uma capa de chuva por 5 conto e fui caminhando (de 15 a 20 min) até o estádio, debaixo de muita chuva e poças.

Peguei uns 10 min de fila pra entrar no estádio, nem estava acreditando que tava indo tudo dentro de padrões normais.

Pra voltar fiz a mesma coisa e ainda voltei sentado no trem. Cheguei em casa meia noite e pouco.

Recomendo a todos que usem a CPTM.

Mudando de assunto, como comprar ingresso pra Curitiba? Só no estádio no dia do jogo? Dá pra comprar antes?
Valeu, abraço

André Rebechi disse...

Rodrigo, entrei no estádio com 5 minutos do segundo tempo.

Seu texto já diz tudo e acho que nem preciso acrescentar mais nada, detalhe que eu desci da van que eu e um grupo de 14 amigos alugamos no KM 32 e fomos a pé até o estádio, já que os fdp dos flanelinhas estavam bloqueando o acesso ao estádio, tinha gente deixando o carro no acostamento da Castelo e nem sabia se ia voltar e encontrar o carro lá no mesmo local! Fora a saída do estádio em que eles bloquearam as saídas, fui chegar em casa eram mais de duas da manhã... nota dez para a diretoria no quesito incompetência.

Abraços.

diogo bruzantim disse...

eu assisti em casa

torci do mesmo jeito

vibrei com o meu time do mesmo jeito

enquanto a diretoria não esta nem ai (e não esta mesmo, ta cagando e andando para voces) com voces torcedores que vão ao estádio, voces todos pagam pau pra ir assistir jogos em estadios

hoje em dia não da mais para assistir jogos em estadios

em tempo: o diretor juridico do Palmeiras foi um tanto quanto sarcastico dizendo que valdivia é valdivída........

é esses os dirigentes que temos, e voces pagando pau indo assistir jogos

eu não...

CIOL, Felipe disse...

esse maldito não deve ter pisado nunca no cimento!

Lucas disse...

Os ingressos pra nós pro jogo lá em Curitiba serão vendidos pela internet?

Luiz Fernando disse...

Diogo Bruzantim

vc não entendeu nada do que escreveram aqui né?

FODA-SE A DIRETORIA,FODAM-SE QUEM NÃO VAI A ESTÁDIOS E FODA-SE A SUA OPINIÃO

Anônimo disse...

Sai do interior as 16 hrs com duas amigas! Matamos a tarde de trabalho!

Chegamos as 18 hrs e pegamos uma das ultimas vagas na rua. Tão bom estacionar ali e nao ter flanelinha. 60 reais é crime.

Fomos as três primeiras meninas a entrar no setor B!

Quero ver na final... Morumbi ou arena barueri tem que sair muito antes.

Palmeiras disse...

A equipe do meu amor

Anônimo disse...

diogo bruzantim,

se você realmente pensa dessa forma e não está aqui só para provocar (troll), saiba que todos nós por aqui só temos pena de você. pq vc provavelmente nunca entenderá esse sentimento e o que realmente nos move a fazer essas loucuras.

Rafael

diogo bruzantim disse...

só quero expressar minha opinião, meu direito de ir e vir.....não estou pedindo pra ninguém me seguir no que eu faço pra assistir jogos do Palmeiras, voces tem suas opiniões e eu tenho a minha e expresso aqui no blog, só isso, ou isso aqui não é um espaço democrático????

CIOL, Felipe disse...

diogo bruzantim

ta carente mermão? precisa de atenção?vai pro inferno com seu sofá!

lauro alcarde bruzantim, primo do diogo disse...

felipe ciol, voce é um alienado

Eduardo disse...

Please, do not feed the trolls.

bandeira disse...

Barneschi, o(s) senhor(es) é um guerreiro!

Obrigado.
Abraços, Michel

CASSELLl disse...

Muita lenga-lenga...ao Pacaembu amanhã, seus punheteiros...

Anônimo disse...

Família Bruzantim:

Desejo que vc´s tenham um defeito congênito e hereditário bem grave e que essas merdas que estão dizendo agora sejam apenas o começo da manifestação dessa doença...

Democracia é o que é feito no cu das Bruzantim, AQUELAS VAGABUNDAS!!!

ISSO AQUI É PALMEIRAS, CARÁLIO !!!

E AMANHÃ É DIA DE CHUTAR LIXO NO PACAEMBU!!!

Gabriel, verde até o osso

Anônimo disse...

huahauaha...casquei com seu depoimento Gabriel!!!
Familia Bruzatim vai à merda!!!!!
Seus filhos da puta!!!!

Guilherme

Vinicius Leite disse...

Familia Bruzatim, tradicional família de putas da rua Augusta.