14 junho 2012

Olímpico, 0-2

















Nevoeiro. Aeroporto fechado. Apreensão. Voo atrasado. CGH-POA. Calor. Vacio. Picanha. Polar. São Marcos. Hotel. Os cinco que iniciamos a jornada em SP já somos 20 - e mais alguns agregados. Trânsito no caminho. É mata-mata. É Grêmio x Palmeiras. Camisas azuis. Passos largos, apressados, uma só direção. Refletores acesos ao longe. Não dá mais pra segurar a expectativa. Recepção amistosa. Mais Polar. O estádio a poucos metros. Portão 20. Somos centenas. Os primeiros gritos ecoam lá de dentro. Revista policial. Catraca. Cimento. O Olímpico aos nossos pés. Logo na entrada, a vista panorâmica. A torcida rival do outro lado. E por todos os lados. Clima de decisão. Anos 90 de volta. No banheiro, um alterado Seo Cruz nos recebe. A cena é indescritível. À arquibancada. Recepções calorosas de lado a lado. O camisa 30 adversário vem a campo. O ódio nos fortalece. Jogo tenso, travado, imprevisível. Um Palmeiras frio, copeiro mesmo. "Comandante Felipão". O árbitro inverte faltas, não disfarça suas intenções, espera pela oportunidade de definir o jogo. Ela não vem. O Palmeiras segue entre o frio e o vibrante, na medida exata. A torcida, aquela que faz ser o Palmeiras ser o que é, segue indiferente à imensa maioria gremista. Pulamos, cantamos, vibramos. Apoiamos sem parar. Segundo tempo. O time parece mais forte. As chances começam a aparecer aqui e ali. O outro lado parece sentir. Silêncio. O empate sem gols começa a parecer bom negócio. Mas pode ficar melhor. Jogada pela direita. Passe por trás da zaga. Chute rasteiro, seco, rápido. De onde estamos, não dá pra ver nada. A bola passou pelo goleiro? Vem o estrondo. É gol. Porra. É gol, caralho! Êxtase. Sem querer, uma avalanche. Abraços, um caindo por cima do outro, alguns momentos de uma plenitude que só sente quem vai buscar a vitória tão longe de casa. O gol fica na memória sem qualquer clareza, a visão encoberta por placas de publicidade, gruas da emissora de TV, cabos, microfones, pessoas aqui e ali. Mas é gol! Cada um de nós passa a avaliar o tamanho daquela vitória que parece tão próxima. O jogo da volta. A final. O título. Mas pode melhorar ainda. Bola levantada de um canto a outro da área. Não tão forte, nem tão precisa. Vem o toque de cabeça, nada clássico, mas efetivo. Parece que o goleiro defendeu. Não vejo mais a bola. Não vejo mais nada. Um urro vem de cima. Os jogadores reservas, colados na placa de publicidade, vibram. É gol de novo porra! Gol! 2 a 0. O êxtase é ainda mais intenso. Caímos um por cima dos outros. Alguns ficamos no chão, estirados, a olhar para o céu de Porto Alegre. Um momento sem igual. Foi aí que um rombo se abriu na minha calça jeans - efeito colateral da batalha. Ao final, os jogadores vêm até a torcida para agradecer. O silêncio da massa é aplacado pelo grito incessante dos 2 mil que viemos de longe. Uma vitória gigante. Uma vitória de gigante. Uma vitória de Palmeiras. É hora de dar adeus ao Olímpico Monumental. Despedimo-nos em grande estilo. Fizemos história. Buscamos o que era nosso por nosso direito. Fica o Olímpico. Hora de voltar para casa. Amanhece em SP e chegamos à cidade sabedores do feito que alcançamos. Ele fica até maior. Mas não é definitivo. Tem jogo ainda. Faltam 90 minutos. À batalha!

















###

_É esse o espírito, senhores. Faltam 90 minutos. Foco na batalha de Barueri. Já protagonizamos vexames enormes em tempos recentes. Chegou a hora de acabar com isso.

_Obrigado a todos os que comigo estiverem nessa batalha única. Johnson, Barberi, Giocondo, Teo, Aragonez, Cabrerão, Boi, Sylvio, Duchene, Felipe, Guilherme, Samora, Tchack, Moacyr, Julio, Beto, Del, Luigi, Luiz, Ulisses, Daniel, Fernando, Vesgo, Japa, Leandro, Caio, Zupo, Victor, Durante, Ademir, Seo Cruz, Maníaco, Renan, Vinnie, Casselli, Gerson... e a todas as demais centenas. Peço desculpas se esqueci algum nome, mas são todos guerreiros de alma verde. A vitória é nossa!

31 comentários:

CIOL, Felipe disse...

Parabens aos que foram. Muito bom texto, me sentí lá com vocês... foi foda. sem mais! FORZA!!!!

Vinícius Andrade disse...

Barneschi:

Grande giornata da squadra palestrina em POA ontem a noite. São vitórias como essa que nos devolvem o orgulho de acreditar que é possível sim um ano mais tranquilo sendo campeão da copa do brasil. desde aquele jogo com o vitória no municipal há 2 anos que não vibrava e me emocionava tanto com o Palmeiras. Mesmo sendo na longinqua barueri, vamos invadir a arena e cantar os 90 minutos, pois a camisa gremista é tão pesada quanto a nostra e não podemos ser surpreendidos novamente, vide goiás em 2010. essa vaga tem que ser nossa; esse campeonato VAI ser nosso!!!

Scoppia!!!

Paty disse...

Mais uma vez obrigada.Ontem estava super desanimada, ate ler seu post.
A partir dai a adrenalina tomou conta de mim, como a muito tempo não acontecia.Nem sei descrever o que senti nos gols.Ri e chorei ao mesmo tempo.E foi assim ao final da partida, ao ver vcs, nobres guerreiros, que representavam uma nação.Agora lendo, seu relato estou rindo e chorando novamente.Demais.A gente merecia essa vitoria! Seu texto corou essa alegria.

jlcolli disse...

...e o Palmeiras mandou na partida. Torcida que canta e vibra!!!

AVANTI PALESTRA!

Joab Barros

Anônimo disse...

Emocionante, espetacular, seu texto dá a noção exata do que foi essa vitória. Uma vitória do Palmeiras, não de técnico ou jogadores, mas sim da conjunção de todos em um único objetivo. Pela TV se via a força de nossa torcida no estádio, vejam só que os comentaristas do sportv estavam impressionados com nossa (minha alma estava lá) presença no estádio olímpico.
Concordo com o Vinicius, foi o mesmo sentimento do 3 x 0 no Pacaembú contra o timinho da bahia, esse eu estava lá e ainda ecoa em meus ouvidos o momento da falta e todo estádio (com pouca gente é verdade, mas palmeirenses assíduos), começou o coro " É Assunção" e lá foi a bola na gaveta nos dar a classificação.
Quinta-feira farei tudo para ir!

Marcelo

Guzz disse...

Textos como esse me fazem ter ainda mais orgulho da nossa torcida. Simplesmente do grande caralho!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sanna disse...

Aeh Anônimo Bambi aí de cima... a final vai ser com o Coxa, sua bixinha do caralho... vafanculo troia schifosa

Luiz Fernando disse...

Barneschi,no segundo gol ontem o momento em que a torcida canta a música da libertadores foi de arrepiar,pena que não tenho condições de viajar num dia de semana,mas não tem problema tnho certeza que fomos bem representados ontem.

Ao bambi anônimo:

Em primeiro lugar,vocês não vão passar do Coritiba nem a pau,em segundo lugar quem tem medo do gente são vocês,vide 1942,vcs ficaram 25 anos sem ganhar da gente no Brasileiro,não vem querer dar uma de bonitão aqui não por que vc não consegue

Marcos Vinicius disse...

A sintonia dos bares da Turiassú, com certeza foi a mesma da arquibancada visitante do Olímpico. O gol sai e só se ve cerveja voando pra todo o lado, tento pagar a conta, preocupado com o horário do metrô e dando passos lentos em direção à saída, olhando para o televisor, o segundo gol. Vibração e alegria.Há muito tempo o palmeirense não tinha uma noite tão tranquila e ao mesmo tempo eufórica.

Anônimo disse...

Parabéns a todos que foram para o outro "país" defender nosso manto...mandaram muito, o musica da liberta ecoava no estadio com 45 mil rivais calados!!!

Rumo ao Carrefour de Barueri para a próxima batalha...

Temos mais 3 jogos pela frente, nosso time campeão vai sacudir a cidade!!!

Salve Barneschi, belo texto!!

@BrunnoAnimal7

Anônimo disse...

Barneschi, obrigado! Você certamente me influenciou com seus textos / seu blog. Um pouco por causa disso que ontem fui conhecer o Olímpico pela primeira vez e consegui ter a sensação que você cansa de descrever nos jogos do Palmeiras como visitante. Foi duca, valeu cada centavo, mesmo tendo que trabalhar agora praticamente sem dormir e totalmente sem voz. Eu não sou muito fã das organizadas, mas preciso dar os parabéns para a Mancha. Foram impecáveis.
Abraços!
Felipe Pascale

CASSELLl disse...

To até agora embasbacado.... foi uma dose cavalar de adrenalina...foi foda!!!! Churrasco em Barueri já marcado. quinta-feira a partir das 14:00 ...kkkk

Jean disse...

Belissimo texto Barneschi...
Estou a tantos e tantos kms de distancia, pois estou a trabalho no extremo norte do país... no hotel hora do jogo, porra! as emissoras daki so passam jogo dos gambás, porra a lcd do quarto nao pega bem, porra tão longe o q fazer... vem a loucura de Palmeirense, chego na recepcao do hotel alienados assistindo outro jogo, entro na frente da lcd deles e solto a voz... ou me da um jeito de assistir meu Verdao ou ninguem assiste porra nenhuma... de lado coitado o funcionario, me traz um tvzinha de quatorze polegadas, puta q pariu, ela sintonizou a porra da band..putz ja ta valendo... começa a batalha...Palmeiras calculista,frio... final do jogo, vem os gols... a vibração foi tão forte do segundo gol, q pronto me tomaram a tvzinha de 14'' alegando q eu acordei metade dos hospedes...porra mas como ser diferente... vim pra recepção e vi o jogo terminar pelas tv's dos gambás... é nois agora atura!!! Coisas de Torcedor apaixonado pelo Verdão do Palestra!

Néspoli disse...

É uma honra poder dividir a arquibancada com vc e com os outros citados no texto, além de mais alguns esquecidos...

Foco total e união entre torcida, time, comissão técnica nos garantem o título. Sem oba oba, mas todos unidos ninguém tira esse caneco da gente. Nossa torcida merece jogos como os de ontem.

Jafé Praia disse...

Foi espetacular! Que vitória! Isso é Palmeiras que nós amamos! Sou de Manaus e apaixonado pelo Palmeiras. Rumo à final!

Gian Arena disse...

Belo texto!
Detalhe: derrubamos um tabu antes do Olímpico ser derrubado! O Gremio não perdia em Copa do Brasil em seu estádio desde 2005!
Tinha que ser nós!
Sempre somos nós!

Diego Marques disse...

Sem palavras para descrever essa sensação, valeu todo esforço quase 40 horas no busão, mas sensação de dever comprido. Ainda temos mais 3 batalhas pela frente mais agora mais do que nunca confiante que resgataremos nossa história.

Gian Arena disse...

Opa, 2005 não, 1995!

Anônimo disse...

Quando me perguntaram o porquê eu e mais dois amigos dormíamos em Barueri, pois não tínhamos como voltar pra SP devido a precariedade do transporte público metropolitano. Respondi que seríamos campeões, deram risada!
Gostaria muito de encontrar tais figuras no domingo, ou na próxima quinta...
AQUI É PALMEIRAS!

Sergio Mendonça disse...

Você e a todos os demais torcedores do Palmeiras que estiveram no Olímpico, este dia estará para sempre marcada nas suas lembraças.
O que mais importante o Palmeiras tem é com certeza sua torcida.

Anônimo disse...

Isso mesmo, foi exatamente assim. Só gostaria de dizer que mais uma vez foi um privilégio estar ao lado dos senhores.

Aragonez

Boina disse...

Barneschi, leio seu blog já faz 4 anos, sou Palmeirense é claro , esse com certeza foi o post mais insano de todos! Cara pode ter certeza que palmeirense no segundo gol se jogou no chão ao ver algo tão lindo e calado! calamos o Olimpico porra! valeu.

Anônimo disse...

Barneschi....

Me emocionei demais com seu texto cara...
Só quem já pisou num estadio sabe que emoção é essa descrita por voce...
Voces fizeram um otimo papel....digno da grandeza do Palmeiras.....e os jogadores corresponderam em campo....
Até que enfim vejo uma luz no fim deste imenso tunel....
Espero que não nos decepcionemos de novo.....sai pra lá zica....
Vamos á 2ª parte da batalha.....

Abraço....

Alex Amaro

Luan disse...

Barneschi seu texto é excepcional, descreve de forma emocionante o que vcs passaram lá! PARABÉNS POR TER AJUDADO NOSSO VERDÃO A CONQUISTAR ESSA ENORME VITÓRIA! EU DAQUI DE CASA SÓ PUDE COMEMORAR FEITO DOIDO NA RUA GRITANDO COMO UM MALUCO A MEIA NOITE!
AVANTI PALESTRA!!!!!!

Celso de Campos Jr. disse...

O texto é de arrepiar. Parabéns a todos os guerreiros que estiveram no Olímpico, dentro e fora das quatro linhas. Esta sim é a verdadeira Sociedade Esportiva Palmeiras.

CIOL, Felipe disse...

Barneschi , vi que você disse sobre o oportunismo de ir ao jogo quarta...

eu realmente queria ir mais em mais jogos, mas moro a 130km da capital, então, alguns fatores me deixam mais distante do estadio :
- o custo de se ir e voltar;
- chegar as 2 ou 3 da manhã, acordar as 6;
- arrumar mais gente, pra dividir a viagem, nem sempre tem gente afim de ir pelos mesmos motivos citados acima.

Seo Cruz disse...

Eu tava bebecho mesmo, pode falar. Brilhante texto, Barneschi. Estilo apropriado, como sempre. Quinta tem mais!

Barneschi disse...

Obrigado a todos! Essas mensagens são o que me estimulam a continuar investindo tanto tempo (e dinheiro) no blog.
Abraços e valeu!

Samora Jr disse...

BArney... Faltou a Hamma... A funcionaria do mes... rsrsrs