20 junho 2013

Maurílio, um injustiçado

O título do post talvez nem seja exatamente correto (parece forte falar em injustiça...), mas é que eu me sinto meio no dever de exaltar uma figura tão pouco lembrada em nossa história recente. Porque Maurílio (Cléverson Maurílio Silva, hoje com 43 anos), eterno reserva dos esquadrões alviverdes de 1993 a 1995, seria hoje titular do Palmeiras sem muito esforço. Mas é, em meio à infinidade de craques que pelo Palestra passaram duas décadas atrás, um nome quase nunca lembrado.

Maurílio era o reserva imediato de Evair em 1993 (e também em 1994). Tanto é assim que foi titular em boa parte da campanha do título paulista, em virtude da contusão do Matador. Teve participação destacada em alguns jogos naquele ano, em especial no 6-1 contra o Rio Branco (com 2 gols), na abertura da fase final. Mas sua trajetória com a camisa alviverde tem momentos ainda mais destacados e este post cumpre o objetivo de trazer à tona quatro dessas situações:

1992 
Vejam os senhores: Maurílio, 23, recém-chegado do Paraná Clube, foi vestir a camisa alviverde (ainda com o peso de 16 anos de fila) pela primeira vez logo em um clássico contra os gambás. Não foi problema para ele: o atacante sofreu o pênalti do primeiro gol e deu a assistência para o segundo. Bela estreia, não?




1993
Ainda antes da final do Brasileiro, Palmeiras e Vitória se encontraram em um mata-mata no mesmo ano. Foi pela Copa do Brasil. Na ida, em Salvador, derrota por 2 a 1. O jogo de volta, no Palestra, seguia complicado, com placar em branco. Daí que Jean Carlo (salvo engano) avançou pela ponta e cruzou para o toque certeiro de Maurílio: 1-0 e a classificação assegurada.
(não localizei nenhum vídeo desse gol; trabalho com a memória)

1994
1º de maio 1994, novamente Jd. Leonor. A campanha comentada daquele Paulistão encontra-se aqui, mas, para todos os efeitos, o que importa é que Maurílio foi a campo para marcar o gol de empate e depois sofrer a falta que resultaria no 3-2 final contra os bichas. Uma tarde notável. Para a história.



1994
Maurílio era mesmo um cara de decisão. Ainda em 1994, pelas quartas-de-final do Brasileiro, foi dele o gol que garantiu o triunfo contra o Bahia na Fonte Nova. Mas não foi um gol qualquer; foi de uma plasticidade espetacular. Confiram aí:



Entre 1992 e 1995, Maurílio vestiu a camisa alviverde 154 vezes e marcou 25 gols. Venceu todos os títulos daquela fase gloriosa (2 Paulistas, 2 Brasileiros e o Rio-SP). Não é pouca coisa. Nesses tempos de ídolos tão frágeis e em que prevalecem os vagabundos travestidos de jogadores, é justo enaltecer alguém como Maurílio. Fica aqui o reconhecimento deste blog.

###

A foto abaixo (da Agência Estado) traz Maurílio em sua apresentação (1992), ao lado do então meia Cuca:




16 comentários:

Felipe Teodoro da Silva disse...

Sem medo de jogar e creio que não deve ter ficado com birra de ser reserva e entrar nos jogos como alguns jogadores fazem hoje.


Obs: Eu não sabia nem que o Cuca havia jogado pelo Palmeiras. Ressaltando que eu nasci em 94.

Anônimo disse...

Felipe, o Cuca jogou muito no Palmeiras, raçudo demais, me lembro de um jogo contra o Mogique ele fez um gol de cabeça no Palestra, bem no finalzinho, mais de 30 mil pessoas presentes, saudade daquele tempo, e estávamos na fila!
Rodrigo, o foda do Maurílio era bater escanteio, tudo baixo, irritante, me dava raiva ele não bater por cima, até hj quando vejo alguém igual me lembro do Maurílio!!

Marcelo

Anônimo disse...

da hora essa imagem com o Cuca...

na epoca que o palmeiras ainda era um time....

Emerson Baixada disse...

Esse jogo contra o vitória da bahia foi tenso antes do gol do maurilio quase no fim do jogo e muito hilário depois do gol.O Maurilio coitado foi xingado o jogo todo e tinha o famoso coro entoado pela torcida:'Ai que bom será se o Maurilio voltasse pro Paraná e lembro que após o gol ele correu na direção da mancha verde que ainda ficava no meio do estádio se ajoelhou beijou o escudo com lagrimas nos olhos e no mesmo instante a torcida em tom de deboche começou a gritar ão ão Maurilio seleção.Lembro dessa cena claramente pq ele comemorou bem na minha frente já que eu sempre via os jogos bem colado na mureta da bancada na penultima entrada do Palestra,ali era meu lugar desde sempre que comecei a frequentar o velho Palestra

thiago disse...

acabei de ver as imagens do jogo na fonte nova e está passando na tv um jogo no mesmo local. lamentável. se nao tem a placa escrito salvador eu nao saberia nunca onde é o jogo. fora as imagens das pessoas, compare o torcedor de 94 e o de hoje. parece que a bahia se transformou na noruega.

Waldemar disse...

O Cuca jogou apenas em 1992 pelo Palmeiras. No início de 1993 ele inventou de se transferir para a Baixada e se deu mal por lá, pois deixou de fazer parte de um momento glorioso no Palestra para jogar em um time de merda. Acredito que ele teria lugar fácil neste período.

A lembrança feita pelo blog ao Maurilio é muito boa, realmente teria vaga de titular fácil nestes ultimos plantéis palestrinos. Parabéns pelo texto.


Waldemar

Rafael Scalize disse...

Nesse jogo de estreia ainda anularam um gol legítimo do Tonhão no finalzinho.

Celso Marcal disse...

Maurílio é um jogador que me remete a memórias incríveis. Lembro claramente destes momentos decisivos dos quais ele fez parte. O mais curioso é que ele rendia muito mais quando entrava no decorrer da partida. Não lembro de um bom jogo dele quando foi titular. Merece o destaque mesmo assim.

Fabrizio disse...

Sensacional!!!

César SEP disse...

Vídeo Bahia 1 x 2 Palmeiras - 1:48

Esse narrador é um filho da puta falar que foi pênalti no lance que o Cléber desarmou...

Marquinho ZN disse...

O Gol q o Cuca fez no fim do jogo foi contra o Bragantino,uma das maiores chuvas que eu tomei no estádio.

CASSELLl disse...

Falei isso esses dias: Maurílio, Sérgio, Gil Baiano seriam titulares fácil, fácil

César SEP disse...

E a dupla PN/CEO transferiram o jogo contra o Oeste (dia 06/07) pra Presidente Prudente - MS, e irão voltar a aumentar o preço do ingresso. As esperanças de uma nova gestão em prol do clube vão se esgotando, e esse presidente junto com esse seu "staff" estão provando ser igual aos outros pilantras que já passaram pela SEP nesses últimos anos.

Luiz Fernando Sanchez disse...

Esse gol do Maurílio contra o Bahia foi um dos mais bonitos q já vi na vida

Luan disse...

mais um crime contra o palmeirense...

mais um jogo na longíqua presidente prudente.. eu achei que isso nunca mais aconteceria,

estou sem palavras

não conformo com decisões estapafúrdias como essa dessa diretoria

Anônimo disse...

Grande Maurilio foi meu vizinho no começo de carreira no Parana Clube , uma otima pessoa e grande carater , até viajamos juntos pelo time do bairro do Parana ao Rio Grande do sul.
Luciano - Curitiba - Pr