16 janeiro 2007

O Palestra e a arena

O sempre bem informado amigo Fábio Finelli, do Arena FC, noticiou, na última semana, o interesse da empresa holandesa Amsterdam Arena em levar adiante o projeto de modernização e reformulação da nossa casa, o Parque Antártica. Os detalhes todos estão neste link. Vale ler.

O que eu tenho a dizer é simples:

Nunca vi com bons olhos essa coisa de arena, de ingresso numerado e de modernidades de brasileiro metido a europeu. Mas talvez isso seja necessário para o processo de profissionalização do nosso Palmeiras. Neste caso, o projeto seria bem-vindo desde que:

1. não servisse a qualquer tentativa de elitização, quer seja pela elevação no preço dos ingressos ou pela ausência de setores populares;

2. fosse mantida a estrutura original dos anos 30, sem demolições (não me conformo com o sangue frio dos ingleses em relação a Wembley) ou reformas estruturais impactantes;

3. fosse mantido o nome Palestra Itália/Parque Antártica;

4. fosse construído, em algum lugar de destaque, um monumento aos bravos italianos que resistiram à tentativa de invasão das hordas sem alma em 1942;

5. o contrato fosse bastante interessante ao Palmeiras em longo prazo;

6. as cadeiras numeradas fossem parte dispensável da coisa.

Claro que são as minhas idéias, os meus preceitos. Não sei o que vocês pensam, mas o essencial, a meu ver, é que fosse respeitada a tradição e a história do eterno estádio Palestra Itália
.

18 comentários:

mancha z/s disse...

pow mas ia ser loko o parque todo reformado com mais pressaum da torcida mano...

Craudio disse...

Falando em elitização, o prefeito que o pessoal aqui do blog elegeu vetou aquele projeto que tinha sido aprovado na Câmara, proibindo os jogos de começarem tarde.

Mais uma derrota do povo paulistano.

Barneschi disse...

1. Eu ajudei a eleger outro prefeito. Não vou entrar no mérito da questão, mas não votei no Kassab.

2. Não votaria jamais em uma cidadã que envergonha a cidade ao apoiar a tal parada pederasta.

3. Qualquer que fosse o prefeito, a lei não passaria. Você sabe disso.

Craudio disse...

1- Era de conhecimento geral e irrestrito que o vampiro sanguessuga ia abandonar o cargo e não ia cumprir nem o que registrou em cartório. Tanto que a campanha da Marta ressaltou isso. Quem votou no vampiro, votou no kassab.

2- Apoiar um movimento que reúne mais de 2 milhões de pessoas, traz receita e movimenta a economia da cidade e ainda promove a tolerância à diversidade é algo que merece aplausos.

3- Discordo, já que a lei foi de autoria de um vereador tucano. E já é fato a oposição gratuita à petistas da Rede Globo. Perseguição por perseguição, valeria o atrito.

Barneschi disse...

1. Ok. Preferi correr o risco.

2. Discordo totalmente e entrar em detalhes representa iniciar uma discussão sem fim.

3. Não passaria. Os interesses por trás são muito fortes, mas aí entraria aquele argumento de que não cabe ao poder público interferir em um evento privado (de certo modo, a mesma premissa que motivou o veto à lei da gratuidade nos estacionamentos de shoppings).

Rodrigo disse...

Obrigado, Barney, por contribuir para que o Kassab administrasse nossa cidade.

(provocação gratuita)

Quanto ao projeto de lei, escrevi algumas linhas no meu blog...q vc bem viu.

Quanto à parada bambi:concordo com o que o Cráudio disse. Apoiar à diversidade é uma atitude sensata. Cabe a nós deixarmos rolar e ter certeza de ficarmos longe...hehehe

E sobre à reforma do estádio de vocês: nem sempre modernidade destrói tradições. Acho que vocês deveriam apoiar qualquer resolução que melhorasse suas estadias no local durante os jogos.

Abraços

Filipe disse...

1) com o çerra a gente nunkassab.

2) ninguém merece comer a bosta da vaca amarela.

3) político é tudo igual. Realmente.

Mas se fizessem a reforma no palestra não ia sobrar arquibancada, Palestrino. Você sabe que o sonho mustafento/moniquento/cipulento é determinar o fim das organizadas (óbvio que, se questinonado, nenhum deles iria dizer isso abertamente. Mas que são, são). De forma que o sonho perpassa encher o jardim suspenso de cadeirinhas.
Lascia estare; os caras da cooperfiel, se bobear, também sonham com isso...
abraço

Anônimo disse...

Vcs tem que jogar no Chiquerinho mesmo, ate pq o futebol de merda de vcs vai continuar

ZOINHO CENTRO/SUL disse...

Sobre politica nem vou discutir, votei no Serra mesmo e votaria de novo.
Sobre achar legar ter sua cidade conhecida como a capital da viadagem eu naum quero , quero que essa passeata exploda qualquer dia e menos 1.000.000 de viados a menos no mundo !!!

Agora o que importa, achu que de todas as colocações a principal em relação ao estadio é o nome , o nome Palestra Italia tem que ser para sempre !!!
Podiam fazer uma arena que acomodaria mais gente, separar um lugar para as organizadas e ainda ganhar um alugando para shows !!!

Mas caimos na real, quem sabe o que é o Palmeiras sabe que isso no minimo vai demorar MUITO e se sair !!!

Craudio disse...

Você não quer falar dos viado porque naquela vez que o cara passou por vc na Paulista e te chamou de gatão vc ficou bastante tentado...

E belo risco vc correu. Aumentos abusivos no preço das passagens, enquanto o número de ônibus diminuiu drasticamente, CEUs sucateados e com as piscinas fechadas em pleno verão - pobre não pode ter piscina - e o maior plano de moradia para os mendigos: muros debaixo das pontes!

Isso sem falar no buraco do metrô. Mas, ah, se fosse a Marta...

Barneschi disse...

Já que resolveu-se falar de política aqui, vou dar uma de político - dos mais ditatoriais, por sinal:

O assunto Política está proibido até segunda ordem. Aqui só se fala de futebol.

Filipe disse...

Se fosse a Marta teria os Ronan Maria da vida pra superfaturar a coleta de lixo, as benesses para as empresas de tranporte, e um rombo gigantesco nas contas públicas por conta de um projeto (bom, por sinal) mal planejado, que garantiria quantas viagens o passageiro quisesse, tudo custeado pelo próprio passageiro, nos impostos que ele mesmo paga. Ele e todo mundo - e todos achariam ótimo, achando que tem mais "direitos"...

E se fosse o vampiro, ele reduziria as viagens para no máximo quatro, alegando que na sociedade tem muito picareta usando o bilhete único para tirar vantagem (como se trabalhador, 99% dos usuários do sistema, tivessem tempo para ficar pensando nessas coisas).
E ainda construiria uma rampa antimendigo. E não construiria nenhuma casa e não geraria nenhum emprego. E jogaria esses mendigos bem longe.

Defender político, galera?... ainda mais esses??...
É... o maluf fez escola mesmo...

Craudio disse...

Apelou, perdeu!

Craudio disse...

Aliás, nessa discussão acalorada, sinto falta de um assíduo visitante do blog, que sempre colabora com suas opiniões sensatas e nada radicais.

Dizem os informantes q ele está na praia do Guarujá, treinando...

luigi up 1914 disse...

Só pra deixar claro, estou em sp, trabalhando e já com o meu ingresso pra amanhã... Vamos ver quem é quem...
E pau no cu de todos que não forem PALMEIRENSE e dos que vem encher o saco com politica aqui... Foda-se a politica!!!

Craudio disse...

Barneschi, eu quero prêmiação por levantar a audiência do blog hahahahahaha

Craudio disse...

prêmiação é foda...

Premiação.

marcelo_geral disse...

Tem que ir com muita calma nesse negócio de estádio/arena. Acabaria elitizando, não tem jeito. O ingresso já é caro do jeito que está, imagina o estádio no modelo europeu.
As "lojinhas" da arena também só seriam frequentadas pelas classes A e B.
A ótima localização do Palmeiras já abriga tudo, o que mais querem fazer na arena? Também sou a favor de manter a estrutura original, e as piscinas atrás do gol.
Seria praticamente impossível continuar com o mesmo nome do estádio, a principal divulgação da empresa seria no nome do estádio/arena, associar um ao outro.
Modernização é necessário, mas algo simples, não essa mega mudança.