01 março 2007

E esse Pato?

Depois de muito ouvir falar, acabei vendo o gol do tal Alexandre Pato ontem. Gol de craque, jogada plasticamente perfeita e tudo mais. Mas fica a pergunta: é correto chamar o cara de craque?

Confesso que me irrito constantemente com quem eleva à condição de gênio da bola jogadores que mal começaram a aparecer em seus clubes. É o caso agora.

Vejam vocês que ele estreou ontem no Beira-Rio. Estréia! Depois de toda a badalação, foi apenas a primeira vez do cidadão no estádio em que o seu time manda todos os jogos.

Dá pra chamar de craque?

Pelo sim, pelo não, o cara é um fenômeno. Pois é o primeiro a se consagrar craque com um único jogo, aquele do Parque Antártica.


***

FALTAM 8!

5 comentários:

Craudio disse...

Craque o caralho. É um bom jogador. Craque foi Maradona. Craque é o Ronaldinho Gaúcho.

Esse daí tem muita grama pra comer ainda. Mas falar o quê? Aquele Lulinha, que jogou a Copa SP pelo Coringão, tb bate um bolão. E a imprensa já tava colocando ele no time titular do profissional.

Pato é bom. E só.

Fernando disse...

Desculpa aí, senhores, mas eu discordo. Claro que é cedo ainda e que comparar com o Maradona é demais, acima dele só o negão. Mas chamar ele de "bom jogador é só" é pouco. Deu pra ver na seleçãozinha que ele está bem acima disso. Eu acho que vai mais longe que o Robinho e, arrisco dizer, que o dentuço citado pelo Craudio.
Algo me diz que, daqui a alguns anos, o Rodrigo e o povo da grade que estavam no Palestra aquele dia (eu estava na redação e quase joguei uma maçã na TV) vão poder dizer que, com muita raiva, viram um jogo histórico.

É claro que isso é um palpite e eu posso quebrar a cara. Mas eu trocaria meio Pato por oito Osmars, seis Cristianos e 13 Florentíns.

Filipe disse...

Senhores,
Que a imprensa joga muita bola pelo cara, isso lá é verdade. O cara por enquanto é um bom jogador, uma "promessa".

Mas Craudio, craques não são aqueles que jogam bola quando precisam jogar bola? O neo-gorducho dentuço provou na seleção e no barça que essa denominação, para ele, ficou suspensa. Você não acha?

Craque mesmo é o gustavo, aquele zagueiro artilheiro, que todo mundo queria ter no time... do adversário.

Barneschi disse...

Cara, não sei se vou dizer um dia que vi um jogo histórico, mas eu não me lembro sequer de um lance do tal Pato. Ok, eu estava mais preocupado com o jogo do Goiás e, depois, em invadir a tribuna pra bater em vagabundo, mas o fato é que a atuação dele passou em branco. Enfim, vamos dar tempo ao tempo... acho muito cedo ainda!

Rodrigo disse...

Recomendo a coluna do Torero, que fala dessas promessas...

Como o Filipe disse, dentro da seleçãozinha, ele se destacava, juntamente com o Lucas. Toda e qualquer jogada passava pelos pés de um dos dois. Sem contar que durante o sul-americano, o Pato e o Lucas davam a impressão de serem de outra categoria, tipo quando um jogador profissional se mistura na pelada do famoso casados x solteiros. Isso sim foi espantoso...