20 julho 2007

Contra todos, aqui é Palmeiras!

O sujeito que atende pelo nome de Sálvio Spínola Fagundes Filho fez de tudo para derrubar o Palmeiras ontem. A começar pela invenção que foi o segundo gol do Santos, mas não só por isso. A imprensa nada fala, é claro, mas quem esteve no Palestra presenciou uma noite em que os guerreiros alviverdes lutaram contra um árbitro que, não à toa, saiu de campo debaixo do ódio de 17 mil torcedores.

Saímos fortalecidos. Na raça, na vontade e na força da torcida - que cantou do início ao fim. Um empate que vale por muitas vitórias.

Foi uma noite de guerreiros, que lutaram para compensar as falhas individuais e a má intenção do árbitro, um pilantra de marca maior.

Valeu pela garra do time!

Valeu por Caio Jr., que engoliu o Madureira.

Valeu por Edmundo, que quase balançou a rede duas vezes - faltou mais sorte do que competência - e trouxe ao time o ritmo que faltou na etapa inicial. Ah, coitados dos que desdenham do Animal...

Valeu pela torcida!

E pela segurança do Palestra Itália - cadê o major agora?

Ah, e pelo fim do campo de concentração!

No fim das contas, o gol aos 47 minutos do segundo tempo devolveu um pouco de justiça ao placar e manteve o Verdão embolado na classificação, a um ponto da vice-liderança.

Ficou de bom tamanho. Mas poderia ter sido melhor se não fosse o nosso problema de sempre: o árbitro...

11 comentários:

Craudio disse...

O gol aos 47 me lembrou de uma história do último fim de semana. Não fui testemunha ocular, mas muitos aqui o foram.

O local era a mansão dos Barneschi. Os carcamanos se reuniam depois da pizza para um campeonato de Winning Eleven. E escutavam Corinthians x bambis. Depois do gol - cagado, por sinal - da bicharada, todos passaram a torcer pelo empate corinthiano. Algo lógico, porque o empate beneficiaria os comedores de macarrão.

47 do segundo tempo. Dinélson cobra a falta e sai o gol do Corinthians. Sem escutar quem havia sido o autor, um sujeito sai gritando feito louco pela rua e é contido apenas na Av. Nazaré, aos berros de "É craque! É craque! Finazzi é craque!!! Puta golaço!"

Ao voltar à mansão em busca do seu 44º pedaço de pizza - que havia escondido no bolso da jaqueta - ele percebe que Zelão era o verdadeiro marcador do gol. E todo a Vila Monumento, agora, acha ali na mansão dos Barneschi mora um Corinthiano.

Barneschi disse...

Muito bem observado, japonês. Por causa deste cidadão, estou passando por maus bocados lá na rua... nunca mais convido o cara pra minha casa!

vitor disse...

esse rodrigo é um fdp msm...ele e o luiz c abraçaram comemorando o gol dos gambás como se fosse título do PALMEIRAS e eu q levo a culpa...a irmã do barneschi tava lá, ela pode falar, fui o unico q fiquei indiferente ao gol gambá.

e no winning eleven, 6 x 1 fora o baile. chupa imprensa marrom.

vitor disse...

aliás a mansão dos barneschis tem um toque bambi com aquela parede rosa da frente da casa..."super fashion", 2º o próprio dono do blog.

Barneschi disse...

O cara não sabe aceitar as brincadeiras e já parte pra agressão...

Chorou, perdeu...

Rodrigo disse...

A se lamentar...

Aliás, ganho do dono do blog no Winning Eleven até jogando com a Bolívia...

Craudio disse...

É Vitor, não apela... Se bem que a casa é rosa mesmo...

Barneschi disse...

Tem nego aí precisando de óculos...

Rodrigo disse...

Barney, acho que você devia fazer um post sobre o último filme do Harry Potter, ja que vc é fã...

Fica a sugestão...

Filipe disse...

Palestrino, de férias quero apenas anotar aqui, continuando o nosso último papo: um clássico sem ocorrências...

Aliás, leu o Xico Sá na D11 de hoje? Na mosca.

mancha z/s disse...

valeu mais que ganhar mano!!!!

raça!!!!