02 outubro 2008

Inversão de valores

Nossa diretoria, que, segundo o Painel Leonor, andaria às voltas com uma possível renovação com a BWA (notinhas abaixo), não entendeu o espírito de um jogo como o de ontem à noite.

Vejamos o cenário: frio, chuva ininterrupta, 22h, TV aberta ao vivo para SP, jogo desinteressante em torneio idem, time reserva, adversário desconhecido, perspectiva de futebol ruim, povo sem receber o salário do mês.

Considerando as informações acima, chega a ser absurdo alardear ingressos a R$ 20 como sendo “mais baratos”. Afinal, é este o valor cobrado pela maioria dos clubes do país, sendo que alguns são até mais honestos com seus torcedores.

O jogo de ontem não deve ter sido o pior a que eu já assisti em meio a tantas centenas no estádio. Mas o conjunto da obra, com a lembrança do 0 a 0 de Lima, o corpo molhado pela chuva sem fim e a certeza de chegar em casa só de madrugada, fazia parecer que sim.

Até que veio Jumar, bem a caráter, e nos livrou dos pênaltis e de mais 20 minutos sob o dilúvio da noite paulistana.

Por isso tudo e pela dedicação habitual, nós, quatro mil e tantos heróis que agüentamos até o último minuto, é que deveríamos receber R$ 20 desta diretoria que insiste em maltratar o seu torcedor e quebrar a identidade com a massa.

Em tempo: como dito ontem aos amigos de arquibancada, eu ainda acho que era mais fácil ter ficado no 1 a 0 contra o Vasco...

***

As tais notinhas do Painel Leonor de hoje:

Fora. Após pressão de pessoas favoráveis ao acordo do clube com a BWA, o conselheiro Gilton Avalone, presidente da comissão de sindicância que investiga a venda de ingressos no Parque Antarctica, deixou o cargo. Um novo posto foi oferecido a ele.

Banco. A empresa responsável pela comercialização de ingressos no Palmeiras tem socorrido o clube financeiramente. No início do ano, por exemplo, a BWA emprestou R$ 800 mil por 15 dias.


Será possível?


(Atualização do fim de tarde: o assunto acima foi contextualizado pelo Conrado, lá no Parmerista!)

15 comentários:

Forza Verde disse...

Desculpe por sair do assunto, mas não poderia deixar de comentar.

Hahahahahaha...só rindo mesmo.

Como é de costume no Jd.Leonor se utilizar de dinheiro público, afinal dnheiro privado fica mais difícil já que qq empresa que se preza não vai querer se associar a um clube sujo e ter seu nome "embosteado" não é?

Enfim...

Se já não bastasse o tal filme dos gambás que com certeza será hilariante, agora é o goleirinho frangueiro mau-caráter quem parece que terá sua "obscura estória" contada por um amigo, afinal quem mais iria fazer uma porcaria de produção dessas?

Por fim...

Lembram daquele esquema de usar apenas dinheiro público e tal? Então...

Adivinhem de onde virá o dinheiro para esse suposto relato das sujeiras dessa goleirinho vagabundo?

Exatamente! É isso mesmo! DO GOVERNO!

Segundo o Diário Popular de hoje, em seu caderno de esportes, o Governo Federal liberou R$500.280,00 para a produção desse lixo.

Dispensa maiores comentários não é?

RODNEI T.T.I MUAY THAI disse...

esse senhor que escreve nesse blog nunca foi a estadio algum....é um mentecapto da mais baixissima credibilidade e escuta só:

TUM TUM TUM TUM TUM INDEPENDENTEEEEEEEEEE

DIA 19 RÓSEOS....DIA 19 O BICHO VAI PEGA PROS SEUS LADOS

Rafael [Palmeiras Let's Gol!] disse...

Considero este tipo de torneio interessante. Pena que os próprios dirigentes do futebol sulamericano fazem com que ele seja desprestigiado.

Ele é um ótimo treino para a Libertadores. Podemos usar como exemplo o estilo de arbitragem que tivemos ontem. Totalmente diferente da brasileira.

E este torneio, deveria sim dar uma vaga na Libertadores, até para caracterizar sua inferioridade em relação ao maior torneio de nosso continente.

A Recopa, a meu ver, é uma tentativa de colocar no mesmo patamar os campeões de cada torneio. Isso não faz sentido algum, é absurdo. É igual essa baboseira do L! de querer comparar os líderes das Séries A e B do Brasileiro.

E o excesso de jogos exige que seja feita uma priorização dos torneios mais importantes.

Para melhorar isso, a Sulamericana deveria ocorrer no mesmo período da Libertadores. A Copa do Brasil se tornaria uma extensão dos campeonatos regionais. E o Brasileirão tinha que ter 5 times a menos. Isso tudo enxugaria nossa tabelas de jogos, para que os times possam se dedicar a cada um deles com todas as suas forças.

Rafael [Palmeiras Let's Gol!] disse...

E deveriam se classificar para a Libertadores somente o campeão da Copa do Brasil e o campeão do Brasileirão.

Não tem essa de brigar pelo quarto ou terceiro lugar do nacional, tem que brigar para ser campeão!

E manda só os vices de cada torneio para a Sulamericana. Isso diminuiria ainda mais o número de jogos.

Forza Verde disse...

Olha o RODGAY EMO aí gente!

Quem disse que esse HERMAFRODITA não viria?

Veio nos presentear mais uma vez com uma clara demontração de como ser UM BOSTA!

Parabéns RODGAY! Vc se supera cada vez mais. Mostra a insignificância de sua existência perfeitamente bem!

mancha z/s disse...

hahahahahahahaha... tah querendo ganhar pra torcer mano?????

Xadrezderua disse...

Prezado Barneschi.

Li, hoje (juro que não consegui re-localizar a págian na web), uma notícia sobre um convênio da BWA com a CEF, no sentido de disponibilizar ingressos dos jogos do Brasileirão, em Casas Lotéricas.

Aparentemente, é ótimo.. Mas, talvez mereça um pouco mais de atenção na maneira como esses ingressos serão repassados às Lotéricas. Afinal, devem existir milhares de Lotéricas na Cidade.

Soube de algo a respeito ??

palestra1914 disse...

Xadrez , a notícia é essa mesma! Também acho que a idéia é muito boa , pois , sendo feita da maneira correta , facilitaria muito a compra dos ingressos sem que seja necessário 'sofrer' , como acontece hoje em dia. Porém , há o agravante de ter a BWA envolvida nessa história.E onde essa empresa está , sempre tem confusão.

Abraço ,

Bruno D'Angelo

Forza Palestra disse...

Armando e Bruno,

O tal Balsimelli, em entrevista recente ao Mesa Redonda, tinha falado sobre essa parceria com uma "instituição bancária" para vender ingressos em lotéricas. Deve ser isso que vem a público agora.

O que eu penso:

TUDO o que vem desta BWA deve ser tratado com a desconfiança que merecem as empresas incompetentes. Portanto, é melhor esperar.

Não sei se é esta a solução, pois entendo que a venda de ingressos não cabe a uma lotérica, mas a locais devidamente equipados para este fim, com número suficiente de pessoas habilitadas a receber a demanda e horários decentes.

É muito simples fazer isso; basta ter vontade.

De toda forma - e respondendo à pergunta do Armando -, a venda aconteceria de maneira descentralizada, por meio de um sistema informatizado. Parece bonito, mas é um retrocesso, que facilita ainda mais a vida dos cambistas.

E deixo aqui uma questão:

Diz o Balsimelli que teremos até cinco mil pontos de venda de ingressos (seriam as lotéricas). Pois bem, em uma final com 30 mil ingressos, cada lotérica poderia vender seis ingressos, é isso? E para onde iria o torcedor?

Abraços

palestra1914 disse...

Barneschi , vc tem toda razão!

A idéia seria boa se , antes de qualquer coisa , o nosso futebol fosse bem administrado.
Não acho que a BWA colocaria 5.000 casas lotéricas para vender os ingressos simultâneamente. O que o tal Balsimelli quis dizer , deve ter sido que essas 5.000 lotéricas estarão cadastradas , mas vender mesmo , devem ser em n° bem menor.

Mas reforço : pelo que a BWA já mostrou , o melhor mesmo é que a diretoria do Palmeiras corte toda e qualquer relação com essa empresa!
Um lida no que o Conrado escreveu no "Parmerista" , já confirma isso. Chega a ser assustador ouvir/ler o nome do sr Salvador H. Palaia.

Abraços ,

Bruno D'Angelo.

Vitor MV disse...

Bruno e Barneschi, na questão dos ingressos em lotéricas concordo com vocês..
Acho que facilitaria e muito a vida(já facil) do cambista..E sem contar que as "mulheres" que trabalham em lotérica não tem treinamento nem pra fazer jogo da mega-sena, imagina vender ingressos?? Precisaria de muito trabalho pra essa idéia dar certo pro torcedor, e todos sabemos que quanto menos trabalho eles (BWA,diretores,PM) tiverem com o torcedor, é melhor..

Abraços,

Forza Palestra disse...

E a solução é simples:

1. Ampliar os pontos de venda que já existem hoje: estádios, ginásios e algumas lojas.

2. Capacitar os funcionários encarregados da venda.

3. Regularizar a merda do sistema.

E O MAIS IMPORTANTE:

4. Adotar um horário de vendas que não seja o atual e vagabundo das 11h às 17h. AS PESSOAS TRABALHAM, BWA DE MERDA!

FORA BWA!

palestra1914 disse...

Esse horário de compra é o pior de todos os problemas. Não adianta nada melhorar todos os outros , enquanto quem trabalha , tem horário certo para cumprir. E olha que eu tenho a "boiada" de fazer o meu horário.

Rafael disse...

Próximos confrontos da Sulamericana:

Internacional x Boca Juniors
River Plate x Chivas
Estudiantes x Botafogo
Palmeiras x Argentinos Jrs

Diversos times de peso e tradição. Se ganharmos, pode ser considerada uma conquista importante.

***
Tomara que funcione bem esse esquema das lotéricas. Mas, como o Barneschi e o Bruno disseram, tudo que tem a BWA no meio, é para ficar desconfiado.

Pelo menos eu poderei ir andando daqui da minha cara para comprar um ingresso antecipado. Esse é um lado positivo.

Bruno, normalmente tudo o que uma lotérica faz, as outras também fazem. Vamos ver como vai ser para esse caso dos ingressos.

E eles lançaram também um esquema de cartão pessoal para comprar os ingressos:

(...) "Lançaremos no mercado um cartão private label associado ao Sistema I-Fácil de Ingressos, que por sua vez estará integrado ao sistema da Caixa Econômica Federal e a outros parceiros, para a comercialização de eventos e produtos, com carga nas lotéricas da Caixa e acesso aos estádios de futebol e outros espetáculos", explicou Walter Balsimelli, diretor-sócio do Grupo BWA.

O Cartão IF funcionará como cartão de débito com recarga. O torcedor compra o seu ingresso (...) na lotérica. O crédito será descontado do cartão nas catracas de entrada.

Para contar com o Cartão IF, o torcedor terá que fazer o seu cadastro no site da Ingresso Fácil e pagar uma taxa de R$ 15,00. A cada compra de ingresso, uma taxa única de administração de R$ 2,50 será cobrada. "Não importa se ele comprar um ou dez ingressos de uma vez, a taxa tem esse valor único. É menos do que passagem ida e volta de ônibus até a lotérica", comparou Bruno, outro sócio-diretor do grupo. (COMO SE A MAIORIA DAS PESSOAS NÃO TIVESSE UMA LOTÉRICA PERTO DE CASA!)

A maior vantagem do produto, segundo a BWA, é impedir um problema que aflige o país para compra de entradas em eventos: os cambistas. Para cada CPF será emitido somente um cartão, que também é à prova de qualquer tipo de fraude e falsificação. "Acreditamos que esse novo sistema vai neutralizar a ação dos cambistas e dar mais segurança contra fraudes, na medida em que o cartão é pessoal e intransferível. Uma pessoa não poderá comprar com o cartão de outra", explica Bruno.

A idéia também é evitar filas por ingressos nas partidas com grande público, já que os postos de vendas se multiplicaram.

http://esporte.ig.com.br/futebol/2008/10/02/torcedor_podera_comprar_ingressos_nas_lotericas_1967870.html

Raphaello disse...

Meu velho: amanhã volto aos gramados! Espero te encontrar no mesmo bat-local