30 janeiro 2009

Noite de Libertadores

Esta semana fez o palestrino relembrar um período glorioso para todos nós, aquele entre o final do século passado e o início deste, quando Felipão criou uma identidade única entre clube, torcida e jogadores. Fazia tempo, provavelmente desde 2000, que não jogávamos na terça e na quinta de uma mesma semana (ou quarta e sexta, como era mais habitual). Por mais que seja cansativo, a maratona faz bem à alma do torcedor, em especial quando o time, antes desacreditado, mostra todo esse potencial de 12 gols em 4 jogos.

O melhor de tudo é viver novamente o clima dessas noites de Libertadores, como resume bem o
blog do Júnior. Claro que o rival de ontem, quase amador, não está à altura (não confundir com altitude) da competição, mas o entrosamento entre time e torcida foi bem aquele que se espera de uma Libertadores. Casa cheia, clima de decisão, festa e guerra ao mesmo tempo, tensão, incentivo incondicional, pressão no adversário.

Na base da velocidade, vieram os cinco gols e uma vitória que poderia ser ainda maior e mais contundente, em especial porque os bolivianos não poderiam ter encontrado o maldito gol de fora. No fim das contas, as coisas ficaram de bom tamanho. Porque aqueles indígenas só devem conseguir jogar futebol mesmo em ambientes sem oxigênio...

***

1. Ao lado dos bambis, o Palmeiras é o clube brasileiro que mais vezes disputou a Copa Libertadores da América. É um feito considerável, e a ele podemos acrescentar também a nada agradável marca de torcermos pelo time mais roubado em sua própria casa em jogos do interclubes continental. Não cabe agora elencar todos os erros que impediram trajetórias ainda mais gloriosas no passado, mas eu digo apenas que ontem, diante do amador Potosí, tivemos um pênalti não assinalado e um gol anulado após impedimento inexistente. Dois erros graves. Provavelmente não terão peso algum ao final da disputa, mas são bastante emblemáticos.

2. Domingo tem mais, lá no campo daquele clube dos 109 anos sem título. Vai o time reserva e tal, mas nós temos de fazer a nossa parte na arquibancada. Saída de SP para Campinas ainda pela manhã.


3. Peço desculpas pelo post sucinto. A idéia era escrever algo maior e tal, mas não vai dar tempo agora.

13 comentários:

south park disse...

Freguesiaaaaaaaa! :D
Boa tarde!

2014 no Morumbi então? Se vemos por lá.

Nesse ano não vão ganhar nem paulistinha! hUAEHAUHAUhUA

dedos disse...

Meu caro, acompanho seu blog e estás de parabéns por ele, apenas fiquei um pouco triste quando se referiu ao time boliviano como "aqueles indígenas". Tive a impressão de esta expressão carregar desdém e falta de respeito pela etnia indígena-andina, o que eles não merecem de maneira alguma...
Por favor corrija-me se estiver errado ok? um abraço e forza palestra, esse time promete!

Forza Palestra disse...

Obrigado, cara. Mas não era esse o objetivo. É mais um protesto por permitirem ainda que partidas de futebol sejam disputadas em altitudes como a de Potosí. Abraços

Nicola disse...

Realmente, o clima de Libertadores é diferente... Dava pra ter colocado uns 30mil pagantes, não fossem regras de "estatuto do torcedor" e afins, e a empresa vagabunda que fazer o que bem entende com os ingressos, e a diretoria que permite esse absurdo. Quem sabe agora mude, com o Belluzzo... Aliás, viram ele subindo a Caraíbas, cumprimentando e tirando fotos com torcedores? Sensacional!

Quanto ao jogo, grande atuação da equipe, aliás em todos os 4 jogos desse ano. 12 gols até agora é realmente impressionante, mas vamos com calma, pois só pegamos adversários fracos. De qualquer forma, dá pra ver que esse time é bem melhor que o do ano passado, mas versátil e rápido. E o melhor, parece que o Luxa tá afim de trabalhar mesmo.

Barneschi, ainda não foi a despedida. Temos Libertadores e Paulista nesse semestre para aproveitar bem esses últimos momentos. Pena que uma eventual final da Liberta's não poderá ser disputada em nosso querido Palestra, pela mesma merda das regras feitas para o não-torcedor... Abs!

Vitor MV disse...

Eu particularmente gosto muito de jogos a noite, acho que tem um charme a mais, sei lá,e se tratando de libertadores então, nem se fala.O jogo dessa quinta foi espetacular, não somente pelo placar, mas por todo o ambiente do jogo.

Abraços,

E "south park" meus pêsames pelo seu nanismo mental.

Rafael disse...

Não ignoro os efeitos da altitude, mas penso que isso não é motivo para proibir jogos nesses lugares muito altos.

A cidade dos caras é assim, e simplesmente temos que ir jogar lá. Absurdo maior é exigir que eles joguem distante de sua torcida e do lugar onde se sentem em casa.

Ninguém manda os malditos cartolas incharem o calendário, de modo a não permitir uma preparação adequada para esse tipo de jogo.

Forza Palestra disse...

Então, o comentário do bambi fica aí porque é bem característico da alienação dessa gente. Mas o imbecil caprichou no "Se vemos lá". Pobre coitado...

Claudio Yida Jr disse...

VIVA A BOLÍVIA! SALVE EVO!

palestra1914 disse...

Barneschi , beleza?

Duas coisas :

1 - não há como ficar sem dar risada do comentário bambi. Apesar de não termos como negar que somos fregueses na Libertadores , é bom também lembrar a esse infeliz que o mundo é redondo;

2 - Eu também achei que ficou um pouco pesado o comentário sobre os bolivianos; mas é só uma opinião;

Abraço.

Bruno D'Angelo.

Junior disse...

Valeu pela referência. Felizmente, sentimos aquele clima novamente. E foi só o primeiro jogo.

Assim como o Rafael, também sou favorável aos jogos na altitude, O mando de casa deles deve ser respeitado.

San Lorenzo venceu lá. Flamengo empatou. Acho que a prática de futebol, apesar de extremamente dificil é viável por lá.

Assim como também era extremamente dificil encarar os times uruguaios no Centenário. Ou as famosas pedradas do Defensores del Chaco. Ou mesmo o forte calor do Nordeste em jogos do Brasileiro.

Ps: Campinas estou dentro, alguma novidade sobre ingressos?

Forza Palestra disse...

Bruno:
Então, eu não vejo problemas em chamar os caras de indígenas, mas isso tudo deve ser influência do nosso amigo Vitor, que adora os bolivianos do Brás. Se mais alguém se manifestar contra a ‘brincadeira’, eu até mudo as palavras lá, mas não vi ofensa, sinceramente.

Junior
Os ingressos já estão à venda, mas somente lá em Campinas. São 13.300, 9 mil para os sem-título e 4,5 mil para a gente (eu só não sei onde cabe tanta gente naquele muquifo atrás do gol). As vendas acontecem até o meio-dia de domingo.

palestra1914 disse...

Não acho que vc tenha ofendido , mas é que soou um pouco pesado. Mas sem erro.
Sempre que preciso fazer algum serviço de cartório , tenho que ficar esperando atrás de uns 25 'evo-morales-covers' que enfestam a região tentando registrar os filhos para se legalizarem no país.
E por falar em Brás , recomendo uma 'peluqueria' que tem serviços a módicos R$3,00.Se não me engano , fica na rua 21 de Abril , quase esquina com a Bresser.

Abraço.

Bruno D'Angelo.

Abraços.

don vitotti disse...

VIVA A BOLÍVIA!!!