12 janeiro 2009

Sobre o “Forza Palestra”


As férias aproximam-se do fim, e eu senti a necessidade de publicar aqui um texto que cumprisse o papel de apresentar este blog aos visitantes mais recentes ou àqueles que ainda não tiveram a oportunidade (ou o interesse) de entender o que motiva a existência desta página. Seria uma espécie de “Quem Somos”, algo que inexiste na atual configuração permitida pelo Blogspot.

Começo por dizer – e isso é importante – que este blog é um projeto estritamente pessoal, se é que tal designação se aplica a algo que existe apenas em função de um sentimento.

O “Forza Palestra” existe desde 2003, quando poucos entendiam o que era um blog. Lá se vão seis anos desde o início de tudo, ainda com outro nome e então no BliG. Por motivos pessoais, o conteúdo teve de ser retirado do ar, mas está disponível, em cd, para os que quiserem conhecer o que eu escrevia antes de adotar o atual endereço.

Saibam, de qualquer forma, que o que existia antes não difere muito do que vocês encontram no blog de agora, que é amador qualquer que seja a análise. É amador na concepção, pois existe em função de uma paixão, e na execução, pois é fruto de raros momentos de folga.

Assim sendo, não é lá grande coisa do ponto de vista estético ou tecnológico, tampouco sob a ótica dos recursos de interatividade. Nos últimos dias, pensei em mudar o visual ou jogar aí uma série desses aplicativos da web 2.0, mas faltam tempo, conhecimento técnico e competência para tanto.

A bem da verdade, não é este o foco, pois o blog não se presta a ser um repositório de conteúdo ou mesmo uma fonte de informação para o palmeirense, à medida que existe gente mais capacitada para cumprir tal função. O que temos aqui é uma página de cunho opinativo, que busca defender certos ideais.

Eu disse ‘ideais’? Bom, há uma definição melhor: ‘princípios’.

Princípio básico: “Torcedor é aquele que vai ao estádio. E vai não para assistir ao jogo, mas para levar seu time à vitória”. Ou: “Torcedor é aquele que freqüenta a arquibancada. O resto é simpatizante”.

É um conceito particular e, como tal, discutível, mas indispensável para entender a mente de quem atualiza este blog. E é radical, admito, mas qualquer texto opinativo sobre uma paixão tende ao extremismo.

Sei que pode soar como ofensa para uns e outros, mas me parece uma afirmação das mais lógicas. Vejamos: que sentido faz alguém se dizer torcedor fanático se não torce efetivamente?

Eu bem poderia perder alguns longos parágrafos discorrendo sobre o assunto, mas a pergunta acima já me parece suficiente para apresentar o princípio básico deste blog. Se não for - ou se alguém tiver argumentos contrários -, prometo que volto ao tema.

Aproveito para dizer que este blog não se preocupa com jogadores (salvo em casos excepcionais), análises táticas ou técnicas. Ídolos têm espaço, claro, mas a maioria dos atletas está no clube apenas de passagem, motivo pelo qual são vistos como a mercadoria que desejam ser.

Mesmo os textos sobre os jogos do Palmeiras não seguem uma lógica linear, pois as partidas são pensadas sob a ótica do torcedor de arquibancada, que nem sempre é a mais adequada.

E a política, agora tão em destaque, tem importância restrita àquilo que afeta mais diretamente o torcedor. Está, portanto, bem longe de ser uma postura apolítica.

Vamos a outro princípio: “Futebol é guerra!”

Sim, guerra.

Não se trata de fazer apologia à violência, mas o futebol é, como definido na arte lá do alto, muito mais do que uma questão de vida ou morte. E os inimigos devem ser tratados como inimigos, pois a história de um clube é algo que deve ser defendido como a própria vida.

Não pretendo contaminar este texto de apresentação com referências explícitas ao nosso inimigo, mas uma leitura superficial desta página é o suficiente para entender o tratamento que é dedicado à escória.

A genética oportunista do inimigo é pauta recorrente por aqui, em uma abordagem semelhante à do irmão Cruz de Savóia, o melhor blog desta Mídia Palestrina. E isso acontece essencialmente porque focos de resistência são necessários diante do quadro geral de alienação.

Na condição de jornalista, dedico grande parte dos meus esforços à tarefa de contestar muitas das canalhices propagadas por esta imprensa esportiva vendida. Volto a recomendar os brilhantes textos do CdS, e procuro fazer a minha parte sempre que possível.

Mas a maior parte dos posts trata da visão do torcedor de estádio. Por razões óbvias, nunca são imediatos. Às vezes, demoram além do recomendável, mas este blog, repito, é amador. E os textos
podem até trazer novas informações, mas elas são essencialmente sobre a arquibancada - ou sobre algo captado a partir dela.

Dirigentes são odiados por aqui, em especial quando tomam atitudes que prejudicam o torcedor.
Por sinal, cabe ressaltar que sou contra a elitização, contra europeizações babacas e contra o tal futebol moderno. Prevalece por aqui o romantismo do futebol com alma.

Por fim, ressalto que este é um blog escrito por um torcedor para outros torcedores (dentro do princípio apresentado lá em cima). Os leitores não necessariamente precisam torcer pelo mesmo time que eu; basta compartilhar os mesmos princípios. É o que acontece com alguns comentaristas habituais desta página, que torcem por rivais, mas têm seus comentários respeitados simplesmente por não faltarem com respeito.

O espaço está aberto. Só se pede que o futebol seja encarado não com a visão oportunista dos que o vêem como uma grife para ostentação vazia, mas com o sentimento dos que sabem que nenhuma conquista vale mais do que o orgulho de lutar pelo seu clube.

É tudo muito radical, extremista e passional. Mas assim é o futebol. E por aqui ele é levado muito a sério. É tudo uma questão de alma.

FORZA PALESTRA!

23 comentários:

Pedro Pellegrino disse...

Perfeito. Vai escrever bem assim lá na Itália. Mantenho o meu blog também desde 2003. E concordo o Cruz de Savóia é realmente espetacular.Abraços.

Daniel disse...

boa mano... volta logo!!!!

Irineu Constantino disse...

Bom dia!
Respeito sua visão acerca do que seja "torcedor". Como você diz, é uma opinião, e mesmo as mais grotescas delas tem que se respeitar. Nunca me sinto um "simpatizante" Palestrino por estar a 180 km do palco onde esse mesmo Palestra exibe as suas glórias, tampouco me coloco como "simpatizante" por não conseguir assistir a jogo algum desse clube que aprendi a amar desde que nasci. Gosto desse blog, simples e objetivo, e do seu direito de defender os frequentadores das arquibancadas (colocar a bunda no concreto, como você diz). Sei que seu estilo radical gerz antipatia, mas é seu estilo, e seu blog, devido a isso o respeito, e muito, mas, também sei e convivi a história das nossas origens. Minha família quando chegou ao Brasil se instalou no interior paulista, e saiba que fomos extremamente discriminados desde então, porém com muito trabalho, caráter e orgulho levantamos a "Terceira" potência do Brasil, o interior paulista. E nosso amor pelo Palestra é um dos prêmios que recebemos por essa luta. Talvez não tenho argumentos plausíveis para convencê-lo que por não frequentar arquibancadas, não seja torcedor, mas aceitaria, ao menos desse blog, o título de "Simpatizante Palestrino", se o mesmo não soasse de uma forma pejorativa, e creio no seu bom senso.
Então, mesmo sendo "Simpatizante Palestrino" venho lhe desejar um ano repleto de sucesso, segundo os seus princípios, é claro. Continuarei leitor desse blog.
Obrigado pela atenção
Irineu Constantino Curtulo Junior (sinceramente, nunca gostei de "Junior", mesmo levando o nome de meu pai. Preferia que fosse "Filho", mas isso é outra história...)

cruzdesavoia disse...

Bom, já que ganhei essa deferencia do blogueiro que mais me inspira nesta Mídia (desde que meu blogue foi ao ar), acho que se torna válida minha opiniao sobre este blogue, no espírito de apresentá-lo um pouco mais aos seus novos leitores.

O Forza Palestra é único, porque Barneschi escreve o que pensa, com esse talento demonstrado aí acima, mas, principalmente, escreve o que pensa.

Egozinho nao rola por aqui...

Infelizmente, em todas as torcidas de Sao Paulo, vemos crescer as fileiras de contaminados pelos ideais da sub-raca alienada, e no Palmeiras nao é diferente. Este blogue, no entanto, é feito por um torcedor genuíno, o famoso Arquibaldo, o extinto Geraldino.

Barneschi já esteve lá mais de seiscentas vezes, no cimentao. E sabe o que se passa com a alma e os nervos do verdadeiro Palestrino, portanto, nao é para qualquer um que ele escreve.

Egozinho aqui nao rola. Pode ser que muitos palmeirenses se sintam incomodados com algumas coisas que lerao por aqui, vez por outra, mas saibam que isso é fruto de alguém que escreve com sinceridade e paixao pelo Palestra, e nao visando agradar certos setores da torcida.

Barneschi, como eu, escreve porque é torcedor, e expressar o amor pelo nosso time é um exercício que nao se contem nas arquibancadas da vida. Aqui se busca tao somente aplacar a paixao do espírito, Barneschi nao quer a recompensa de ninguém.

Forza Palestra disse...

Irineu, meu caro,

Veja que eu já me antecipei no texto por saber que isso gera polêmicas. De forma geral, admito que talvez fosse necessário relativizar um pouco essa questão, em especial quanto aos palmeirenses do interior. A audiência deste blog é bastante relevante no interior, e eu tenho mesmo alguns amigos que moram longe de SP e passam por aqui diariamente. Isso não os torna mais ou menos torcedores que ninguém. Não é isso que está em jogo, e talvez a minha afirmação seja aplicável apenas a quem mora por aqui.

Não discuto, portanto, o quanto você é palmeirense. Jamais faria isso, pois meu avô, que me ensinou a amar o Palestra, mora hoje no interior e não pode ir aos jogos. É um grande exemplo que eu tenho, e eu jamais seria capaz de discutir o quanto ele ama o clube.

Se eu morasse no interior, provavelmente não teria condições de ir a todos os jogos. Mas eu não entendo como alguém pode morar em SP e não ir ao estádio para ver o seu time. Não entendo mesmo, e disso eu não abro mão.

Espero que tenha ficado mais claro assim e peço desculpas se a mensagem não foi, digamos, agradável em um primeiro momento. Não era essa a intenção.

Obrigado pela audiência de sempre e um ótimo 2009!

Abraços

Jonas disse...

Parabens pelo blog, pela froma de enxergar o futebol e peçlas opinioes.
Eu nao concordo com mta coisa mas respeito o q vc escreve pq vc procura justificar o q pensa.
Bom saber q voltou.
[]'s

Claudio Yida Jr disse...

O que houve com aquele fã teu dos tempos de blig, que pegou a foto da lateral e colocou no perfil do orkut dele? Aliás, aquela foto era bem chabi, mordendo o ingresso...

No mais, vocês, porcada, têm que se orgulhar e muito dessa rede de blogues que se formou. E digo que este endereço aqui é um dos pilares dessa rede, porque desde muito tempo ouvia amigos falando sobre o "louco do Barneschi" ou o "radical do Forza Palestra". Respondia a todos que isso era o maior elogio que o dono do blogue poderia receber.

luiz - uberlândia disse...

assim como o Jonas e o Irineu, também quero registrar o fato de não concordar com muito do que foi escrito.

Mas jamais pretenderia discutir as suas próprias idéiais, acerca dos seus próprios conceitos. Ademais, "lê quem quer".

Se me permite, todavia, gostaria apenas de consignar meus veementes protestos com o uso da palavra ou expressão "simpatizante" para aqueles Palmeirenses que não podem (ou não querem) frequentar o estádio. Essa expressão o amigo poderia ter deixado para os sãopaulinos ou mesmo para aqueles que se intitulam 'bando de loucos'...

abraços verdes,

luiz, Uberlândia.

luiz - uberlândia disse...

a expressão ("simpatizante") ao meu ver não pode ser utilizada para se discutir "o 'quanto' se é ou Palmeirense" mas sim O QUE É ser Palmeirense.

SER um verdadeiro Palmeirense, na minha opinião, (entre outras coisas) é jamais aceitar a palavra "simpatizante" para exprimir qualquer conceito ou empreitada na sua própria vida.

um grande abraço!, espero que a sua recuperação tenha sido plena!!!

Luiz, Uberlândia.

Forza Palestra disse...

Notem, por favor, que eu já fiz uma importante ressalva aqui nos comentários em relação aos palmeirenses do interior.

Vitor MV disse...

Perfeito Barneschi, e mais uma vez parabéns pelo blog e pelos ótimos textos.

Abraços a todos.

Xadrezderua disse...

Creio que conheço o Barneschi há uns 15 anos.

Dentro de uma turma de adolescentes da minha região, devo dizer que ele sempre chamou a atenção.

Em primeiro lugar, pelo silêncio que ma ntia quando de situações complexas aos olhos da adolescência da região. Silêncio, não por não saber o que dizer, mas por ter a noção de que "existem sempre 2 lados em uma situação", qualquer que seja.. Pra mim, sinal de maturidade e inteligência.

POR outro lado, quando abria a boca para expôr o seu ponto de vista, sempre o fez com conteúdo e competência, de longe muito acima da média geral da idade que possuía.

JURO que jamais tive qualquer dúvida sobre o sucesso pessal e profissional que ele teria.

Se vc. nunca soube, saiba, Rodrigo: há uma grande admiração e um enorme respeito pela postura pessoal e profissional que vc. sempre teve. Pra quem te conheceu como "moleque" é gratificante verificar que as minhas impressões sobre vc. não foram em vão...

PS: Apesar do clima meio Sâo Paulixo, não sou viado e muito menos o Rodrigo que, aliás, tem uma namorada maravilhosa...

Parab´nes, cara... Sucesso sempre a vc...

Carlos disse...

deixa ver se eu entendi: vc diz que soh pode ser chamado ded torcedor quem vai a todos os jogos??

Vitor MV disse...

Carlos, com todo respeito, vc só pode ser um brincalhão, não é possivel..

Forza Palestra disse...

Valeu, Vitor.

Carlos:
Numa boa: será que é tão difícil assim entender o que eu escrevo? Cara, se eu vou a todos os jogos, isso é problema meu e eu reconheço que tenho um perfil bastante doentio. Ninguém precisa ser assim, e isso não torna ninguém mais ou menos torcedor. Não é isso que está em jogo. Só o que eu entendo é que é incompatível "torcer" sem ir ao estádio. E aqui não está em julgamento o número de jogos no estádio ou a freqüência. Enfim...

Raphaello, Craudio e Armando:
Obrigado pelos depoimentos!

Abraços

Lugano disse...

Esse blog é elogiável, primeiro, por toda a paixão e polêmica que ele evoca. Torcedores como o Rodrigo são cada vez mais raros, o que é triste para o futebol sim...

Claro que discordo em relação a várias coisas, a muitas verdades históricas do savóia(altamente constestáveis. Rodrigo, como jornalista, sabe disso, sempre há um outro lado).

Não concordo que SEP e SPFC devam ser inimgos pra sempre, como se prega aqui.


Mas, mesmo assim, ainda acho que, neste blog, há espaço pra deixar minha opiniões.


abraços

Marco Túlio disse...

Cara,

Não me vejo " simpatizante " porque moro à +/- 400km do Palestra. Sou SIM PALMEIRENSE ... torço muito pelo Palmeiras ... FICO PUTO quando perde ... Mas não sou corneta! Odeio CORNETA - eles só atrapalham o time ... ( NÃO estou falando q vc é corneta!! )

Acompanho TODA a Midia Palestrina - PTD - 3vv - SOP - PARMERISTA - Canal Palmeiras - Mondo Palmeiras - Maglia Verde - FORZA PALESTRA - POL - Coisa Verde - Sobre Porcos E Ratos ...

Me vejo SIM PALMEIRENSE ... pq :

" Palmeirense = a mim , pode ter. MAIS q a mim - DUVIDO "

obs.: Respeito a sua opiniao, mas cara moro em MG tenho 16 anos - não sou rico - como q eu vo ao Palestra ? é caro velho ... não é facil não ...

Obrigado

Forza Palestra disse...

Lugano:
Sim, o espaço está aberto. Obrigado pelo comentário.

Marco Túlio:
Pô, cara, veja os comentários que vêm antes do seu. Isso já foi relativizado. Ninguém é mais torcedor que ninguém. É tudo uma questão de conceito. O meu está bem colocado e justificado aí, e eu penso que é necessário retomar isso para que entendam o que é dito neste blog. Numa boa. Quando vier ao Palestra, pode me procurar e a gente toma umas antes do jogo.

Abraços

Lucas Palmeirense disse...

ir ao estadio eh diferente de poder ir. eu se pudesse ia direto mas n posso pq sou de salvador. sei q tem aquelas excursoes mas eh mt perigoso e caro. so qd palmeiras joga contra bahia ou vitoria q eu vou

Conrado disse...

barneschi, seus textos sao uma fonte de inspiracao. me remete aos primordios da minha relacao com o palmeiras, pura e intensa.

abracao e continue assim, meu velho

Marco Túlio disse...

Opa,

Claro Barneschi

Não é nada contra naum veio ...

Esse ano agora sem falta eu vou ao Palestra ... antes da reforma da Arena ... e com certeza eu vou falar ( se encontrar ) com vc ou com qlqr outro da Midia Palestrina...
NA PAZ hehe

marcel mv zl disse...

Major,

Não concordo com seu post. Torcedor de verdade é aquele que em dia de jogo vai ao aniversário da sobrinha da namorada, marca aquele churrasco com os amigos pra todos assistirem o jogo, ficam em casa assistindo no ppv, etc, o torcedor verdadeiro sempre tem alguma coisa pra fazer ou precisa descançar no começo do campeonato... , mas calma, quando o time estiver indo bem, o torcedor de verdade vai te ligar perguntando se vc consegue comprar ingresso pra ele, porque ele precisa ir no jogo...

Lamentável.

Ah, macarrão com arroz é di fude!!! hahahah

Abraço, até amanha!

((Rapha)) disse...

Sensacional este post.

Há tempos acompanho o blog, mas nem sempre deixo comentários. Dessa vez, senti a necessidade de me expressar.

Justamente por compartilhar muitos desses princípios, me tornei um admirador deste blog.

Espero que o Forza Palestra ainda permaneça por muitos anos.

Parabéns pela iniciativa e nunca mude.

Abraço