02 maio 2009

Aos guerreiros de Santiago


Quando jornalista esportivo se põe a falar sobre torcidas organizadas, é de se esperar críticas as mais duras - e descabidas - possíveis. Não à toa, elas quase sempre descambam para o desrespeito, que é a maneira que essa gente encontra para disfarçar o desconhecimento de causa. É gente que não vai a estádios e, como tal, não sabe quem são seus freqüentadores.

É gente que costuma apelar para argumentos inconsistentes e sem comprovação teórica ou prática. Exemplos: "Esses aí (com o foco da imagem nos organizados) não são torcedores de verdade"; "Esses aí só vão ao estádio pra brigar"; "Esses aí nem assistem ao jogo, ficam só pensando em briga"; "Esses aí vivem às custas do time".

E dá-lhe discurso vazio, normalmente seguido por alguma referência ao tal "torcedor comum", essa figura abstrata que a imprensa criou sem explicar do que se trata. Mas é um tal de dizer que esse é o torcedor que importa, e que os organizados servem apenas para promover episódios de violência. Desconsidera-se assim o nosso apoio incondicional e toda a festa que toma conta da arquibancada.

Quem diz isso não pisa na arquibancada há anos. E é de se espantar que a fragilidade do discurso contamine uns e outros, destes que até vão a campo, mas se dizem contra as torcidas organizadas.

Pois vejam que hoje eu passei no Palestra no final da tarde. Ao sair, encontrei amigos meus que acabavam de chegar do Chile após uma longa viagem de ônibus. Do Chile, vejam vocês! Era o ônibus da Mancha Verde, tantas vezes detonada por esses vagabundos comentaristas de estúdio.

O jogo terminou na quarta-feira e os caras chegaram a SP apenas no sábado. Isso não se deu por algum imprevisto; já era algo sabido e algumas poucas dezenas de torcedores se mostraram dispostos a encarar quase uma semana de estrada apenas e tão somente para apoiar o Palmeiras durante duas horas decisivas, as mesmas que hoje permitem a todo o restante da torcida sonhar com o título.

Os guerreiros chegaram à capital paulista exaustos, é evidente. Foram quase 70 horas de viagem (só a volta), e tudo o que eles queriam era comer alguma coisa, tomar um banho e dormir. Mas eu posso garantir, por experiência própria, que todo o sacrifício para passar uma semana longe de casa é coisa pequena diante do orgulho eterno dos que foram até lá para trazer a classificação.

Este blog faz questão de homenagear cada um desses guerreiros, muitos dos quais são meus amigos de arquibancada. A reverência se estende também aos que foram ao Chile de avião, mas é preciso dedicar uma atenção especial aos que chegaram ao Pacífico cruzando todo o continente por terra. Vocês são guerreiros demais!

Depois de todo esse esforço, eu não sei mais o que precisa ser dito a um imbecil como, sei lá, o tal Flavio Prado para demonstrar amor a um clube de futebol. Em verdade, nem adiantaria dizer mais nada, pois os nossos comentaristas e jornalistas de estúdio desaprenderam o que significa o futebol. E tudo o que nós, torcedores organizados, devemos fazer é sentir um enorme desprezo a cada vez que imbecis como ele abrem a boca para falar de nós.

AQUI É MANCHA!

***
*Sobre a vantagem de decidir fora de casa, o Júnior já matou a questão - e ainda traz números que comprovam porque os malditos gols qualificados favorecem o mandante do primeiro jogo. Em linhas gerais, eu resumiria assim: quando você decide fora, o seu gol passa a valer mais logo no duelo final.

9 comentários:

cesar disse...

Realmente SÃO GUERREIROS!!!! Parabéns a todos que enfrentaram mais essa batalha, e o que foi legal tbm lah foi o clima de amizade entre as Torcidas, eh claro que Valdívia " intermediou " um bom relacionamento, a admiração pelo chileno aproximou Palmeirenses e torcedores do colo colo, mas enfim isso sim que eh Torcida, tem time que tem torcedor fiel, Nós temos TORCEDORES DEVOTOS!!!!....


Cesar - MV - ABC

pedro disse...

Ótima análise do Junior. Sempre achei isso e ele comprovou com os dados. Para mim o caso mais claro foi Plameiras e Cruzeiro, pela copa do Brasil em 96. O 0X0 era nosso (tinha sido 1X1 em Minas), fizemos 1X0 (se 0X0 era nosso, o que dizer 1X0 a favor?), estava fácil. Aí tomamos o empate, Dida fechou o gol, fomos para o abafa, no desespero, Dida fechou o gol... e tomamos o segundo. Fica aquela sensação de que fazer um gol não muda nada, nesse caso. 0X0, é campeão mas se tomar um perde, 1X0 é campeão mas se tomar um...perde também!

A estatística não é significativa para dizer que há vantagem para quem joga a segunda fora mas claramente nos diz que não há vantagem para quem joga em casa!

E tem o agravante de supostamente os mehores times terem a desvantagem. Mas no rádio ouço sempre o Birner dizer que é importantíssimo a vantagem e que o São Paulo só não foi campeão em anos anteriores por ao ter tido essa vantagem...

Se o Birner diz... fico com o Junior.

Abraços,
Pedro.

vitor disse...

eu e o rodrigo já tínhamos esse pensamento.

tanto q eu era o único a comemorar gol do ixpót no bar do izidoro na quarta.

só não tinha comprovado pq era melhor a 2ª fora, como fez o junior.

Vitor MV disse...

É isso mesmo, parabéns a todos esses guerreiros, e depois ainda me dizem que torcedor organizado não vai no estádio torcer pelo time, então estes foram somente conhecer o Chile? Chupa flávio prado!!!
Já vi algumas fotos de amigos no Chile, e são simplismente sensacionais!!

Vamos atropelar as putinhas do Nordeste, engraçado que esta semana o diretorzinho de bosta deles está quietinho né? Quem tem cú tem medo infeliz..

Abraços,

Rafael disse...

" (...) Se as negociações forem realizadas com sucesso a primeira partida entre Chivas (MEX) e São Paulo seria realizada no dia 13 de maio no Morumbi, e o jogo de volta, também no Morumbi, no dia 20 de maio.

'A Comenbol entrou em contato conosco e com os Governos Federal e Estadual. Está difícil para encontrar um país para o jogo e entre as possibilidades, o Brasil é uma boa opção', afirmou João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol do São Paulo."

Uma vez oportunista, sempre oportunista.

Impressionante como elas não tem vergonha nenhuma em dar apoio a uma bizarrice dessas.

http://esportes.terra.com.br/futebol/libertadores/2009/interna/0,,OI3740122-EI12949,00.html

denis disse...

pra mim o cara q fica uma senana viajando assim eh um vagabundo!

Forza Palestra disse...

Pode ser, cara. Mas isso não importa; não é o que está em discussão.

P.S.: É isso o que dá liberar os comentários para qualquer um.

cesar disse...

Quem acha que eh coisa de vagabundo eh pq não sabe eh o que AMAR UM TIME DE VERDADE, não existe razão em Torcer, quem " torce " com razão não torce, apenas simpatiza......

Praxedes SPFC disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.