24 junho 2010

Dunga, a Globo e a Copa de 94

A Folha de S.Paulo de hoje oferece bons subsídios para um novo post na mesma linha do anterior. Vejamos, ponto a ponto:

O jornal, que nunca escondeu o seu ressentimento com as atitudes e declarações do técnico da seleção brasileira, estampa na capa do caderno de esportes o seguinte enunciado: “Com seu estilo truculento, suas convicções e manias, Dunga doutrina a seleção sem ser contestado por jogadores e comissão técnica”. Isso, na visão da FSP, tem até nome: dunguismo. Aí o jornal procura justificar essa premissa, e é até bem-sucedido. Ok; o ranço dos jornalistas da Folha contra Dunga é notório e eu sinceramente não vou contestar o direito deles de manifestarem isso e criarem suas próprias teorias.

Na mesma página, o jornal publica os “Dez Mandamentos do dunguismo”. Como o conteúdo é fechado e considerando que essa tabela nem apareceu na versão online, publico logo abaixo para apreciação dos leitores.




Meu veredicto: exceção feita ao 6, aí colocado com indisfarçável dose de ironia e maldade, eu concordo com todos os demais mandamentos. Destaques para o 2 (“Nada de privilégios à Rede Globo”), ao 5 (“A imprensa é sempre inimiga”) e ao 10 (“Mais importante é ganhar, não jogar bonito”).

Vejamos que, na mesma página D3 em que foi publicada a tabela, a Folha traz uma outra matéria, com o título “Técnico testa Júlio Batista e Daniel Alves”. Um breve trecho é o que importa: “A Folha acompanhou parte do treinamento secreto do alto de um prédio próximo à faculdade Saint Stithians, em Johannesburgo.” Malandrinhos os enviados especiais, não? Entenderam o “mandamento 5”?

Mais importante, no entanto, é o mandamento 10. Na mesma página D3, Paulo Vinicius Coelho manda bem (ou quase) na sua coluna de hoje. O título? “Não era Dunga”. O colunista procura desmistificar a imagem de Dunga como um jogador tosco e repara uma incorreção histórica ao dizer que “A opinião pública não questionava sua presença, em 1990. Dunga merecia ser titular.
Quando seu relógio marcar 13h36, portanto, uma injustiça histórica completará 20 anos. Nessas duas décadas, Dunga se livrou do rótulo colado em sua testa no Mundial da Itália. Os livros de história não revelam um brucutu. Neles está a imagem do capitão do tetra, levantando a taça, como líder da seleção brasileira.”


É bem por aí: nego passou esse tempo todo falando mal do cara, criou uma era supostamente negativa com o seu nome e agora vem se sentir injustiçado com os maus tratos e com a falta de educação dele? Quer dizer que nego pode avacalhar, xingar, estigmatizar e depois não aceita a postura combativa (e essencialmente pragmática) do treinador da seleção? É realmente de foder!

Do bom texto de PVC, me permito extrair um parágrafo extremamente significativo: “Difícil dizer se o ressentimento de Dunga tem mais a ver com o fato de ter virado símbolo da derrota de 90 ou com o Brasil jamais ter aceitado a vitória de 1994. Se tem a ver com a inócua discussão sobre a preferência nacional ser por vitórias como a de 1994 ou derrotas como a de 1982.”

Para matar a questão de uma vez por todas: eu não sei vocês ou o resto dos brasileiros, mas eu aceito sem qualquer ressalva a vitória de 1994. Foi uma vitória belíssima, de uma seleção exemplar, que protagonizou algumas partidas notáveis (a vitória sobre os EUA, na casa deles e com um a menos, os 3 a 2 sobre a Holanda, o sofrido 1 a 0 contra a Suécia, mesmo os 3 a 0 sobre Camarões).

Foi uma grande Copa, uma grande seleção, um grande momento do futebol brasileiro. Foi uma seleção que, depois de duas décadas de derrotas, fez o que precisava fazer. Foi em busca de um objetivo, entendeu que o futebol não é essa viadagem idealizada por Armandos Nogueiras da vida, mostrou fidelidade a uma concepção tática, alcançou as vitórias que precisava passo a passo. Fez sete jogos, ganhou cinco, empatou contra uma complicada Suécia (1 a 1, belo gol de Romário) e depois na final contra a Italia. Marcou 11 gols e tomou apenas 3.

(A própria Copa de 94 é uma injustiçada. Foi uma Copa com final disputada por dois gigantes. Teve uma decisão de tricampeões. Foi uma Copa de jogos memoráveis, de grandes feitos, de alguns times brilhantes. Uma Copa de uma Bulgária em fase unicamente brilhante, de uma Romênia de Hagi, de uma Suécia consistente e com um folclórico Ravelli no gol. Uma Copa de um Maradona injustiçado, de gols notáveis, de estádios enormes e lotados, de um país que precisava ser conquistado pelo futebol. Foi a Copa de Romário, o maior craque daquela década.)

Podem chamar de “Futebol pragmático”, “Futebol de resultados” ou como bem entenderem. Eu chamo de “Futebol vencedor”. Ao contrário de outras decantadas seleções de Copas anteriores, a de 1994 venceu. E convenceu. Fez o que dela se esperava, e o futebol é acima de tudo uma competição que adquire um caráter bélico a depender da visão de cada um. Querem espetáculo? Pois que façam bom proveito do circo, do teatro ou de qualquer dessas artes. O futebol não é nada disso.

Assim, ao contrário do que afirma PVC, eu aceito a seleção de 1994. Aceito a vitória (de um tempo onde eu ainda torcia pelo Brasil), o time, Dunga, Romário, Parreira, até o Bebeto. Aceito aquela conquista, cada gol, cada jogo, cada vitória, cada passo rumo a um título que as poéticas seleções anteriores deixaram escapar em meio às aspirações fantasiosas de um futebol como espetáculo.

Se Dunga é um símbolo da vitória de 1994, eu estou com ele. Mesmo sem torcer por esta seleção atual, me coloco ao lado do treinador da seleção nessa batalha contra a Globo e contra toda a ala reacionária e hipócrita da nossa imprensa esportiva. Porrada neles, Dunga!

***

Em tempo: a Folha de hoje é ao menos transparente ao trazer a seguinte notícia: “Fãs de Dunga realizam campanha pelo treinador”. Eu não chamaria esse povo todo de “fãs de Dunga”. São muito mais as pessoas que, como eu, abominam a emissora câncer. Todos os que estiverem contra a Rede Globo têm o meu apoio incondicional, amplo e irrestrito. PORRADA NELES, DUNGA!

19 comentários:

Juk Art's disse...

Olá.

Se possível, gostaria que você desse uma olhada na última publicação do meu Blog, a respeito da "Mundo Palmeiras", pois é um tema que tem me incomodado bastante e não vejo ninguém falar a respeito.

Como sempre acompanho seu Blog, acredito que sua opinião a respeito deste tema seria bem interessante.


Abraços.

www.espiritosdeporco.com.br

valdemir disse...

Concordo com vc 94 foi uma seleção de guerreiros.Como voce mesmo disse quer espetáculo vá no circo,teatro,show musical e outros,porque futebol eu vejo como guerra é fácil para muitos sentar em um sofá e assistir a um jogo de futebol pela tv.Comigo é diferente gosto de ir ao estádio e participar do jogo como torcedor.Ai vem a emissora cancer e a FSP querer vender a idéia de que o torcedor esta sendo mal tratado pelo técnico querendo colocar o torcedor contra a seleção e por o Dunga como o pior ser humano.Para mim futebol e brigado tem que ter vibração,dividida,chegar junto e este é o estilo Dunga raça pura.
Quando eu falo foda-se a seleção eu falo desta seleção que esta ai que representa o mais puro capitalismo é uma seleção sem alma,e é isso que o Dunga esta tentado resgatar nesta seleção.Não me amarro nesta febre que esta sendo a copa tem gente que não sabe nem o que é futebol mas nessa época viram torcedores fervorosos.

Foda-se a seleção Brasileira!

Porrada neles !!!

FORZA PALESTRA

Anônimo disse...

foda-se

Anônimo disse...

A Globo é um patrimonio do Brasil cara-palhidas.....comprar beiga com ela é duro de ganhar viu o

Anônimo disse...

comprar briga com a Globo é duro de ganhar a Globo passar pr cima como um rolo conpresor a Globo domina o Brasil felizmente ou infelizmente, depende do ponto de vista de cada um de nós em tal questão

Dinho Maniasi disse...

já dizia meu nono: gosto é que nem bunda, cada um tem a sua.
Não gosto do Dunga, do futebol que ele jogava nem do que ele representa. Não acho que a bunda, opa, o gosto de um, possa ser qualificado como melhor do que o de outro. Cada um torce do seu jeito, da sua maneira, como melhor lhe convier. Eu torço pelo Palmeiras, as vezes no estádio, as vezes no sofá, mas isso não me faz menos palmeirista do que qquer outro, muito pelo contrário.
Dinho Maniasi

Anônimo disse...

pelo que eu to sabendo o palmeirasacertou contrato de publicidade com a record e a GLOBO ameaça retaliar o Palmeiras...eu ja disse comprar briga com a Poderosa é duro meu...o Palmeiras sairá perdendo com isso a globo domina tudo é a realidade nua e crua a globo vai diminyuir os jogos do Palmeiras na tv e com isso o Palmeiras vai perder torcida e dinheiro po, vai trabalhar mais contra ainda o Palmeiras e tudo mais...o Palmeiras tedm que ser ''amigo'' da Globo será que não entenden a questão???????/

Claudio Yida Jr disse...

Dunga, Romário e Parreira são grandes heróis nacionais por 94. Podem ter cometidos erros, podem ter gênio difícil, mas são heróis nacionais. Isso já basta para que todo esse bafafá seja nada mais que uma campanha ridícula da emissora câncer para alavancar sua audiência e tentar diminuir o prejuízo causado por uma Copa marcada pela transmissão mais democrática da história.

1994 foi a última vez em que vibramos com a seleção com o coração. Só por isso já merece ser louvada por todos que vivem o futebol.

No mais, chupa, pragmatismo!

Ademir Castellari disse...

Irretocável em todas as letras, vírgulas e parágrafos. Além disso, a tal seleção do espetáculo, aquela perdedora de 82, não era tudo isso que falam, e no fim perdeu para uma Itália, que se fez uma primeira fase mediana (à la Itália, eu diria), cresceu nas outras fases e derrotou o Brasil, mostrando mais conjunto, mais equilíbrio, tal qual a nossa (sim, eu reconheço a vitória, e a comemorei, em 94) na vitória nos EEAA. Com as devidas vênias este texto será reproduzido, ná íntegra, lá no Divino. Abraço.

Anônimo disse...

Acho o Parreira um bosta, principalmente porque ele quase deixou o Romário de fora da porra da seleção de 94. Mas não tem o que falar, aquele título foi fodido e vale muito mais do que a derrota de 82, 86 ou qualquer outra porra. Então, mesmo com Parreira, acho a Copa de 94 um dos grandes momentos da seleção, com um time firme (Aldair, Mauro Silva e Dunga dominavam) e o Romário lá na frente, um gênio de verdade, melhor atacante que ví jogar. Pau no cu da Globo, da Folha e de todos os idiotas que não sabem o que é vencer de 1x0.

Forza Palestra disse...

Anônimo cara-palhida (sic)
Boa, cara! Você vai longe com esse pensamento pequeno.

Dinho
Mas logo nesse post eu não falei sobre torcedor de estádio ou sofá... não entendi!

Anônimo medroso
Sério que você tá com esse medo todo? Pô, cara, nem parece palmeirense assim. Te deixo uma pergunta: o Palmeiras precisa mais da Globo ou o contrário? Pense bem antes de responder errado.
Pau no cu da Rede Globo! É guerra!

Ademir
Avanti, meu caro! Obrigado e abraços

Juk Art´s
Entendo seu post e a sua argumentação, mas entendo que é uma estratégia válida para desovar o estoque que eles têm. É algo promocional e fica bem claro que não é a camisa nova e tal. Não vi grande problema não. Mas respeito sua opinião.

Samora Jr disse...

FAla BArney.

Irretocável esse texto... E entre os jogos memoráveis de 94, aquele contra os EUA foi em um 4 de julho, e quem já esteve nos eua num dia 4 de julho sabe que a batalha de 10 contra 11 aquele dia foi um feito...

Aquela foi uma puta seleção e injustiçaa para caralho...

Anônimo disse...

eu respondo sem a menor sombra de duvída: o palmeiras precisa e muio da globo meu caro pois conprando briga com ela ficará mais dificil passar jogo do palmeiras a tv, trabalhará contra o clube e muitas outras retalhiações é facil pensar nisso compramdo briga com a globo=diminuição de jogos na tv+pouco tempo na tv+''ostracismo''+juizada nos roubando jogo a jogo=diminuição de torcida.......uma conta facil de se faser, uma facil constatação só enxerga quem não quer ou é cego desculpa falar mas é a realidade

Rafael Perobeli disse...

Caraca Rodrigão! Que belo Post! Parabéns!!! Concordo com tudo!

"Querem espetáculo? Pois que façam bom proveito do circo, do teatro ou de qualquer dessas artes. O futebol não é nada disso."

Dá vontade dar porrada na cara de quem tenta comparar o futebol com teatro, óperas, etc...

Abraços

Claudio Yida Jr disse...

Pq você não responde ao "Chupa, pragmatismo"?

#tuitaluydy

Corinthiano disse...

Inimigo do meu inimigo é meu amigo. Vai Dunga, porrada neles. Novemente excelente post.

Perobeli, mudou de idéia? Outro dia disse que preferia perder jogando bonito...

Anônimo disse...

e mudando de assunto....tao dizendo que o Nilmar vem ai, hein.........pqp será que adiretoria conseguiria acertar mais esta??? seria sensacional....
abs.porcocareca

Anônimo disse...

e mudando de assunto....tao dizendo que o Nilmar vem ai, hein.........pqp será que adiretoria conseguiria acertar mais esta??? seria sensacional....
abs.porcocareca

mavalem disse...

É isso aí cara, ótimo post!
Eu fico puto qdo a imprensa mete o pau na seleção de 94 e enche a bola da merda de 82.
Aquele time não era tudo isso não! Pegou baba na primeira fase e só jogou bem contra a Argentina, então campeã mundial. Um time que tinha o Waldir "frangueiro" Peres, o Júnior que só queria rodinha de samba, o amarelão do Toninho Cerezo, o "Dr. Cachaceiro", a galinha do Zico e um poste de centroavante não poderia ser campeão. Só o Falcão se salvou.

Saudações Alviverdes!
Marcelo
Memória Alviverde