04 junho 2010

A volta do Gladiador


Kleber, o Gladiador, está de volta! Se é mesmo verdade (isso pressupõe acreditar no comunicado oficial da nossa diretoria), significa que ele vai reencontrar a torcida alviverde na noite de quinta-feira, 15 de julho, em um clássico no Pacaembu contra os moleques mimados do Santos FC. Vê-lo com a camisa 30 em campo não será o bastante; a volta só estará consumada quando for desferida a primeira cotovelada, talvez naquele moleque imbecil que veste a 7 dos lambaris. É um bom presságio, diga-se.

A volta do Gladiador ao lugar de onde nunca deveria ter saído (só a Traffic não pensava assim) recoloca muita coisa no devido lugar. É um presente para o palmeirense, tão sofrido e tão carente de ídolos. É também um reconhecimento à identidade que se criou muito rapidamente entre jogador, clube e torcida. Aliás, considerando o fato de este blog, ao contrário de outros, nunca ficar na mesmice, eis aqui uma leitura particular dos fatos:

Kléber chegou ao Palmeiras como um ilustre desconhecido, como um achado da nossa diretoria (é justo reconhecer). Ficou no Palmeiras só nove meses, mas a identificação foi imediata, como poucas vezes antes. Kléber virou ídolo um pouco pela carência do torcedor, um outro tanto devido às boas atuações a ao título conquistado naquele ano, mas essencialmente pelo perfil guerreiro, batalhador, lutador. Era o ‘bandido’ que todo time de bem precisa ter em suas fileiras.

Os números não dão conta de explicar a idolatria instantânea. Em nove meses, foram 47 jogos, 12 gols, muitos cartões amarelos, algumas expulsões, um cotovelo na cara de um zagueiro leonor e mais alguns de brinde para outros rivais e inimigos.

Vejam os senhores que foram “apenas” 12 gols em 47 jogos, média de um a cada quatro jogos. É pouco, dirão as estatísticas, mas o que elas encobrem é a importância dos gols. Porque, ao contrário de certos atacantes firuleiros, Kléber não é do tipo que acumula gols inexpressivos contra rivais menores para então sumir nas decisões contra os grandes: o Gladiador é autor de gols grandiosos e quase sempre decisivos.

Kléber começou a fazer seus gols logo na estréia, em uma virada emocionante contra a Ponte Preta no Palestra: 2 a 1, dois dele. Foi virar ídolo ainda em março, em outra virada, desta vez no clássico contra os bichas em Ribeirão Preto: veio dele o gol do empate para a construção dos 4 a 1. Além disso, mandou uma bela cotovelada na cara de André Dias. O Gladiador deixou sua marca em outros duelos importantes: o 1 a 0 da primeira final do Paulista, em Campinas, e mais um no 2 a 2 contra os bambis, já pelo Brasileiro, no Palestra, só para ficarmos em exemplos mais contundentes.

A ida para BH foi daqueles episódios que só acontecem com times sem alma: Kléber não queria ir, o Palmeiras não tinha dinheiro para segurá-lo, a Traffic não quis investir, e os ucranianos fizeram então a besteira de mandar Kléber como moeda de troca para a contratação de um zé-ninguém dos marias. Ele foi a contragosto, e deixou isso bem claro, tanto quanto o desejo de voltar para o Palmeiras.

Durante o ano e meio a serviço do insípido Cruzeiro, Kléber apresentou números muito mais expressivos: 38 gols em 58 jogos, com direito a duas participações na Libertadores. Isso tudo, no entanto, não se traduziu em idolatria, em identificação ou seja lá o nome que vocês quiserem dar. Porque o Cruzeiro é um time sem alma e sua torcida é apática e desprezível. E Kléber, o Gladiador, é tudo menos isso. Não deu liga.

Seja bem-vindo, Gladiador. Aqui é a sua casa!



***

O povo do Esporte da FSP errou feio hoje: fez um infográfico enorme em que os gols de Kléber pelos marias são tratados como se fossem gols pelo Palmeiras. Tudo porque queriam traduzir em números a identidade entre Kléber, o Palmeiras e seu torcedor. Erro crasso.

16 comentários:

valdemir disse...

Voltou para o lugar onde nunca devia ter saído o Palestra e sua casa seja muito bem vindo guerreiro precisamos de voce como nunca,espero que no primeiro jogo de sua volta contra as sardinhas possa deixar sua marca.Vou ser sincero quando ele chegou vindo da
Ucrania todos diziam que era um ex bambi,torci o nariz.Quando começou a jogar logo mostrou que tinha nossa cara guerreiro,que não tem medo de cara feia caiu como um presente para nós.
Agora é esperar maus uns tres ou quatro reforços de bom nível para podermos sonhar com alguma coisa,porque somente o Kleber não dá.
Seja bem vindo Kleber e junto com voce sua raça,força de vontade e amor ao nosso Palmeiras e Torcida.


Forza Palestra

Foda-se a seleção Brasileira!!!

Daniel disse...

ole ole ole ole kleber kleber!!!!!!!!!!!

Ju'83 MV UN - Giovanni disse...

Major, olha esse video de um maria...

Ah, que isso, elas estão descontroladas!!!

http://www.youtube.com/watch?v=8Zfzefs4SS8

Luigi SEP 1914 disse...

O Santo, o Gladiador... só falta o Mago e aí o bicho vai pegar!!!

Vai PALMEIRAS!

davi disse...

Acho que a estréia do Gladiador foi contra os gambás, jogo que vencemos por 1x0! Depois do goleiro rebater um chute dele, El Mago tirou o placar do zero!!

Camila R disse...

Eu apoio uma cotovelada fora de campo... Quando o digníssimo senhor J. Hawilla estiver de bobeira...

Anônimo disse...

Já tinha passado da hora dele voltar......

Mudando um pouco de assunto, o Forza, outro dia vc postou aqui os 10 jogos inesquecíveis no Palestra...... Ontem estava de bobeira em casa vendo umas camisetas de times que tenho, e lembrei de como foi bacana ter uma camisa do River Plate....

Depois da eliminação dos gambás da libertadores de 2006 para o River, rolou um jogo do Palmeiras x não sei quem......

Tá lembrado deste jogo??

Foi sensacional......hahahahaha...

Tinha uma faixa gozando os gambás pela queda da libertadores.....tava presa nas grades lá de cima...próximo ao placar.....
Um coxinha foi lá e rancou a faixa...pq estava gozando os gambás e não podia e bla,bla,bla.....ok....não deu um minuto um torcedor foi lá e colocou uma camisa do River Plate presa na grade !!! PQP o estádio delirou....na sequencia + 1 camisa....e outra...e outra....e claro, a minha tb.....,,pqp foi muito maneiro....cada camisa que era colocada o estádio delirava.....
qnd percebemos havia + de 20 camisas do River !!! hahahahahahaha.....

Será que alguém tem foto desta cena inédita ???

Contra quem foi o jogo mesmo?? hahhaa

vou pesquisar tb...

Abs,
Porcocareca

Anônimo disse...

Já tinha passado da hora dele voltar......

Mudando um pouco de assunto, o Forza, outro dia vc postou aqui os 10 jogos inesquecíveis no Palestra...... Ontem estava de bobeira em casa vendo umas camisetas de times que tenho, e lembrei de como foi bacana ter uma camisa do River Plate....

Depois da eliminação dos gambás da libertadores de 2006 para o River, rolou um jogo do Palmeiras x não sei quem......

Tá lembrado deste jogo??

Foi sensacional......hahahahaha...

Tinha uma faixa gozando os gambás pela queda da libertadores.....tava presa nas grades lá de cima...próximo ao placar.....
Um coxinha foi lá e rancou a faixa...pq estava gozando os gambás e não podia e bla,bla,bla.....ok....não deu um minuto um torcedor foi lá e colocou uma camisa do River Plate presa na grade !!! PQP o estádio delirou....na sequencia + 1 camisa....e outra...e outra....e claro, a minha tb.....,,pqp foi muito maneiro....cada camisa que era colocada o estádio delirava.....
qnd percebemos havia + de 20 camisas do River !!! hahahahahahaha.....

Será que alguém tem foto desta cena inédita ???

Contra quem foi o jogo mesmo?? hahhaa

vou pesquisar tb...

Abs,
Porcocareca

Vinicius Toledo (Australia) disse...

Caralho.. eu tava nesse jogo atras do gol...
Essa cena aconteceu do lado do placar,se nao me engano no intervalo,nao eh?

O gambe era um cara-de-pau total, nao tinha o por que de tirar o negocio zuando os lixos la de cima.. nao tinha desculpa.

Foi chingado pelo estadio inteiro e ainda viu o varal de camisas do River se formar.. se fodeu hehehe

Ai

Vinicius Toledo (Australia) disse...

Abs

Forza Palestra disse...

Fala, Porco Careca, beleza?

Cara, o que eu me lembro mais claramente é do Palmeiras 5 x 0 Mogi Mirim de 2003 (pela Série B), que foi disputado em um sábado, logo depois da eliminação dos gambás pelo River. A Mancha fez um mosaico lá no meio do campo. Coisa linda!

Abraços

Anônimo disse...

era assunto de outro post, o da geração vitrine, mas vamos lá, tudo que você sintetiza naquele post cabe a seleção brasileira?

Pois muito do que tem ali bate com a seleção e essa época de copa.

E acho que nosso futuro está prometendo uma melhora, que já não era sem hora.

E como tão favorecendo a gambazada, eles tão sem moral para falar dos bambis, será outro campeonato de pontos roubados?

Abraço e saudações palestrinas.

Parmera

Anônimo disse...

porra rodrigo, coisa linda aquele mosaico com a reprodução do ingresso da final do pta de 93? é esse q vc tá falando? c não for, foi mal, só lembro desse, c for, o jogo foi contra o CRB e achei o mosaico ridículo, nem dava pra ler o q estava escrito.

e essa das camisas do river eu lembro, mas não sei contra qm foi.

Luigi SEP 1914 disse...

O jogo das camisas do River foi contra o CRB, 4x0(3 gols do Diego Souza bunda gorda) e o jogo do mosaico foi o 5x0 contra o Mogi Mirim...

Vai PALMEIRAS!

Anônimo disse...

eu não confio no luydy

Anônimo disse...

bem....sinceramente, devido à algumas substancias nem sempre legais, acabei não conseguindo me lembrar contra quem foi o jogo ou quem fez o gol...hahahaha...só lembro das camisas do river e o estádio delirando....o que vale é o momento !!!!

Foi bacana mesmo....sempre é bacana tirar um barato dos virgens da américa, né...

hahahahah

abs aos amigos,
André Godoy.