13 junho 2010

Felipão, 10 anos depois...


21 de junho de 2000, Jd. Leonor. Nos pênaltis, depois de um 0 a 0 no tempo normal, o Palmeiras perde o bicampeonato da Libertadores da América para o Boca Juniors. Felipão, já com sua saída quase acertada, conduziu ali o alviverde em sua última decisão efetivamente importante em 10 anos. Felipão foi embora, correu (e conquistou) o mundo, ficou distante por uma década perdida.

Sem ele, o Palmeiras perdeu força: colecionou derrotas inacreditáveis, viu recordes e marcas históricas caírem ano após ano, deu vexames antes inimagináveis, desperdiçou títulos ganhos, perdeu muito de sua identificação com a vitória.

A impressão é que, ainda hoje, pagamos caro por aqueles anos todos, por cada noite histórica sob o comando de Felipão, pela vitória sobre os gambás em 2000, por tantas glórias acumuladas.

Mas o Palmeiras, enfim, parece reencontrar o seu caminho: Felipão voltou. Voltou não apenas para ser o técnico de um time que não se encontra há tempos, mas para restituir o Palmeiras ao seu lugar de direito. Felipão está de volta não só para ser o nosso comandante, mas para colocar novamente do mesmo lado jogadores, diretores e torcedores. Voltou o homem que nos ensinou a ver o futebol de um modo diferente. Com ele, volta também o Palmeiras que conhecemos.

***

O título do post foi pensado ainda cedo, por uma dessas confusões com as datas (elas eram antes tão mais precisas para mim...). O caso é que o Palmeiras foi eliminado pelo Boca da Libertadores também na véspera de um Corpus Christi e aí sim em um 13 de junho (como hoje), mas isso foi em 2001 e não em 2000 (este foi mesmo em 21 de junho). Daí então eu passei a acreditar que a volta se daria exatamente uma década depois daquela perda. Veio o título do post, que, mesmo sem a data precisa (fui perceber isso agora), faz sentido. Foi aí que me dei conta de outro detalhe, mas aí precisamos voltar 17 anos no tempo: 13 de junho de 1993, um domingo como este de agora. Ainda moleque, acordei cedo e fui à banca de jornal perto de casa para comprar todos os jornais do dia. A manchete principal da Folha de S.Paulo daquele domingo ficou para sempre na minha memória: "Morumbi, 17 anos depois...". Neste domingo, passados outros 17 anos, o palmeirense bem poderia ser recebido com uma outra manchete: "Felipão, 10 anos depois..."

12 comentários:

Anônimo disse...

Muito mais do que um Técnico!!!!

FELIPÃO, seja bem-vindo!!!

Anônimo disse...

Numerologia palestrina, fascinante.

Existem jogos que são mais valorosos que títulos e com o Felipão voltaremos a ter a esperança de vê-los. Saudades de ver o Palmeiras ganhar de virada no segundo tempo. O que será que o Felipão fazia com o time no intervalo que voltavam tão turbinados?

Wecome back!

valdemir disse...

Nossas preces foram ouvidas,agora temos um grande treinador para colocar as coisas em ordem sendo que ele para nós não é um simples técnico.Ele é como aquele parente distante que quando nos vem visitar é sempre bem vindo.Agora falta mais alguns reforços de peso para dar condições dele montar uma grande equipe,já trouxeram o Gladiador realmente nossa semana começou ótima falta agora o Mago ai sim a alegria será enorme.Eu sempre critico a diretoria agora mas tambem tenho que reconhecer quando ele fazem o esforço para melhorar o time parabéns para a diretoria pelo esforço,mas sempre ouçam a torcida ela quase sempre tem razão.Agora e juntar forças Técnico,Diretoria,Torcida e Elenco que superamos todas as dificuldades pois quando estamos unidos nda e ninguem nos derruba.

SEJA BEM VINDO FELIPÃO

FODA-SE A SELEÇÃO BRASILEIRA!!


FORZA PALESTRA!!!

Carol disse...

Oi Barneschi

A melhor notícia do ano, sem sombra de dúvidas. O Palmeiras precisa de Homens como o Felipão para restituir a hombridade que tem faltado nesses últimos anos.
Agora vai!

Beijão

Paty disse...

Há tão poucos dias estavamos desanimados, desiludidos..e derrepente a volta do Gladiador, nosso mestre de volta, nosso orgulho resgatado.
Como é bom ver os palmeirenseds novamente sorrindo.
Seja bem-vindo Felipão!!!!

Federico Erdocia disse...

Nunca morri de amores pelo Felipão.

Nunca entendi as incontáveis substituições do Alex pelo Galeano (que nos custaram muitos pontos)e o vejo como o responsável pela nova geração de torcedores terem predileção pela raça e não pela técnica.

Construí minha vida de torcedor nas arquibancadas deste país, principalmente em São Paulo, e sempre impondo nossa técnica à raça adversária. Que o digam os gambás, pobres fregueses eternos, sempre raçudos e sempre derrotados.

Mas reconheço que Felipão é o único técnico que pode apaziguar os ares no Palestra. É o único que pode aproximar a torcida da equipe. É o único que pode despertar em nossos corações aquela sensação de superioridade adormecida(e não confundam com arrogância; isso é coisa dos bambis).

Assim como entendo que de todos os técnicos que vi trabalharem no Palmeiras, Felipão foi o que melhor entendeu o que é ser palmeirense e foi o que mais respeitou nossa paixão.

Se existe alguém que pode nos fazer voltar cantar e gritar como loucos e seguros da vitória é o Felipão.

Voltaremos a nos reunir nos estádios cheios de certeza e esperança, certos de que presenciaremos mais uma vitória.

A cerveja ficará mais gelada, mais saborosa, o riso sairá mais fácil, nossas camisas estarão mais verdes.

É esperar que a diretoria faça sua parte e reforce a equipe, pois Felipão não é Deus nem mágico.

Feito isso, tenho certeza que voltaremos aos dias de glória a que tanto nos acostumados e tanto sentimos falta.

E eu, que nunca morri de amores por ele, gritarei seu nome feliz da vida, comemorando mais um título conquistado com suor e sofrimento e, assim espero, um pouco de técnica.

Abs

Fred

Forza Palestra disse...

Deixo aqui um abraço para Renato Maurício Prado, para a presidentA do Flamengo, para o Zico e para toda a mulambada.

Daniel disse...

mnano vc tb acha que o diego souza precisa voltar agora????

guto disse...

Grande Major!!!

Luigi SEP 1914 disse...

Irmão, vc viu o que o renato mulamba prado escreveu ontem?
Os caras inventam e depois falam merda! Hahahahahaha... São ridiculos!!!

Vai PALMEIRAS!

Forza Palestra disse...

Sobre Diego Souza: se ele estiver disposto a jogar e se pronunciar sobre isso, sim.

Caíssa disse...

O time de 93/94 foi o grande responsável por eu me tornar palmeirense...mas foi o Felipão que me fez FANÁTICA pelo Verdão. Tem algo mais incrível para um técnico de futebol???