10 agosto 2011

Respeito zero

Já escrevi antes um post com o título acima. Ele vem repetido porque não há outra expressão que dê conta de traduzir o tratamento destinado pela diretoria do Palmeiras ao seu torcedor. Transcrevo a seguir depoimentos de palmeirenses que ou não puderam entrar no Canindé no sábado ou presenciaram gente voltando para casa devido à mesquinharia dos senhores Tirone e Frizzo:

“Caro fratello Barneschi, cheguei atrasado... e pude ver mais de 5 mil pessoas para fora do estádio, por baixo. Eram famílias inteiras voltando para o cazzo do Shopping D, sem ingresso! Muita gente mesmo, coisa de lotar uma rua inteira... muita gente aglomerada na Churrascaria que fica abaixo das arquibancadas tentando ver o jogo pelas TV`s.”
(Emerson Favaro)

“Sobre o Canindé, a saída do estádio foi o retrato da merda feita. A Rua Azurita - única saída que estava aberta - se tornou um inferno. Demorei meia hora pra sair. Porra, não tô querendo conforto, mas fecharam uma saída e foderam com tudo. A diretoria subestima a torcida demais.”
(Rafael Kuvasney Marcolin)

“Também vi bastante gente sem ingresso indo embora. Amadorismo puro um jogo como este no Canindé.”
(Gustavo Moraes)

“também cheguei atrasado, e na passarela sobre o Tietê cheguei a cogitar que alguma merda tivesse ocorrido...a proporção era de 3 torcedores voltando para cada um que ia ao Canindé....muita, mas MUITA gente ficou de fora da cancha...
(Gabriel Manetta Marquezin)

“Eu estava lá na porta, com a minha esposa e não conseguimos entrar. Chegamos antes das cinco horas e os poucos cambistas que ainda tinham ingressos já ofereciam os ultimos a R$ 80 arquibancada. Eu cheguei a perguntar a um guarda se havia alguma outra bilheteria aberta e fiquei espantando que o mesmo nos informou que deveriamos procurar com os cambistas, como se a pratica fosse legal. O clube perdeu a oportunidade de arrecadar com a venda de ingressos e nós, juntamente com uma multidão de torcedores, perdemos a oportunidade de assistir ao jogo.”
(Carlos Batistini Neto)

“dava para sentir que o jogo encheria, se fosse no Pacaembu-25 mil fácil, pois bem, não tinha comprado antecipadamente, e cheguei no Tamancão às 5h15 da tarde, o movimento era imenso e na rua AZurita, onde tem as galinhadas, o inferno era total, as bilheterias estavam fechadas e só ingresso de 150, na minha frente um cmbista vendendo ingresso de meia-15- por 50 paus, pensei um pouquinho e peguei, consegui entrar, pois não pediram a carteirinha, se pedissem-estava fudido- e voltari pa casa como em uma vez em 1982-num torneio pré copa do mundo-ganho pelo América RJ, pois bem tanta divagção, para dizer o seguinte: a diretoria nos humilha, por favor chega de Canindé, pelo que senti mais de 5 mil pessoas ficaram pra fora”
(Edsino IV Centenário)

“Sai de Valinhos pela manhã, cheguei no Palestra Itália antes de abrir os guichês e só passei nervoso. Tinha uma fila de uns 10 minutos e até as 12h não parava de chegar gente. As vendedoras não devem ter braço nem cérebro, ou eu devo ser muito cagado... não tinha troco! Fiquei bebendo a tarde toda no alviverde e então fui terminar de beber no estádio dos padeiros. Cheguei até que cedo (devia ser 15h), e não tinha mais ingresso. Nem os nossos amigos cambistas tinham... tava escasso. Muito movimento, muitas famílias chegando em cima da hora e voltando para casa.”
(Ivan)

“Eu fui ao estádio e voltei por falta de ingresso. Os cambistas chegaram a me oferecer ingresso por 70 pilas, mas como abomino essa prática eu recusei. Gostaria de ter visto ao menos um jogo no canindé, porém acho que devo manter minha posição de enquanto for tratado como idiota pela diretoria do Palmeiras, me ausentar dos jogos.”
(Elver Pierre)

A íntegra de todos esses depoimentos pode ser conferida nos comentários do post sobre o jogo de sábado. Como eu escrevi antes, o simples fato de UM palmeirense ficar para fora do estádio devido ao fim dos ingressos de arquibancada já seria suficiente para uma manifestação da nossa diretoria, um pedido de desculpas ou qualquer coisa assim. Mas foram muitos os que ficaram de fora. Centenas, milhares, vai saber. Muitos.

Prevalece o silêncio. Ninguém da nossa diretoria se manifestou. Nenhum veículo de comunicação atentou para o fato. Nenhum. Há espaço para todo tipo de palhaçada no nosso "jornalismo esportivo", mas ninguém se preocupa com o que efetivamente importa: o torcedor de arquibancada.

O prejuízo do Palmeiras é enorme pela renda que deixou de ser arrecadada no sábado e incalculável se considerarmos o sentimento da multidão que não pôde entrar.

Qual é a resposta dos senhores Tirone e Frizzo?

Simples: como se não bastasse Prudente/MS, levaram para o Canindé mais um jogo nosso, contra o Bahia, no próximo dia 18.

É uma afronta!

8 comentários:

Rodrigo Queluz disse...

A minha humilde sugestão é que se inicie uma campanha em massa. Vamos bombardear de emails reclamando sobre a situação. Ae sim, mostraremos a nossa insatisfação. Muitos podem dizer que não adianta, que eles vão ignorar. Mas eu digo que é alguma coisa, é um começo. Se fizermos crescer, podemos chegar a algum lugar.

Não tenho o email de nenhum diretor, e no site do Palmeiras não tem um email de contato, apenas link para o mural.

Façamos nossa parte, que vai além de ficar apenas reclamando!!

Anônimo disse...

Além disso a torcida deveria se unir e boicotar a maldita globo! Atrapalhar a transmissão de alguma forma!!!
Lembro-me do melhor jogo do Brasil, foi na despedida do gênio Romário, como foi lindo ouvir a torcida xingar o galvao e sua corja, isso deveria ser repetido em todos os jogos, xingar a merda do horário 22h, o imbecíl do leifer, etc...

Pedro Hugo disse...

Ridiculo, nao moro em SP, mas a situação ta sinistra ate pra quem ve de fora... Com essa onda de protestos que ta acontecendo no mundo hj em dia... qlq hora vai dar a ideia num cidadão de começar a si revoltar, e outro e outro e outro... na real to ate torcendo q aconteça isso, quem sabe assim eles nao criam vergonha na cara e olham direito pra torcida

Luan disse...

Ta uma vergonha muito grande mesmo. Como a diretoria do Palmeiras pode faltar com tanto respeito ao maior patrimônio do time que é a sua torcida? Mandar jogos no canindé é desconhecer por completo a torcida Palestrina. E aquela longíqua cidade lá do MS ?? Pensei que nunca mais veria falar disso, e do nada ressucitam essa praga. Precisamos de uma revolta de toda nossa torcida contra essas atrocidades.

AVANTI PALESTRA!

Anônimo disse...

parabens barneschi!!!!!

Edsinho IV Centenário disse...

Caro Barneschi...Em 1984, Verdão inciou o Paulistão mandando seus jogos no Pacaembu e por ser férias da faculdade, deu para acompanhar todos, pois era julho, eu trabalhava na PçaJoão Mendes-centro de SP-e nos jogos de meio de semana, ia direto, pois moro em São Mateus-ZL, acompanhe os públicos:1/7-SEP 3X1Sto.André-20.772-domingo-; 5/7-SEP2X1Taubaté-20.652-quarta à noite;15/7-SEP3x0Portuguesa-48.321-domingo; SEP3X0Juventus-32.920-quarta á noite e SEP4X1ComercialRP-22.296-quarta à noite; pois bem esse foi o famoso campeonato do MÁRIO SÉRGIO, onde o atleta e o clube foram punidos..., mas a questão é outra; O Palestra deveria estar em reforma, e se a mentalidade da época fosse a mesma de hoje, jogaríamos no Canindé, exceção do jogo com a LUSA, os outros quatro foram contra times pequenos e a média foi de 24.160, naquela época,- lembro bem -, o tobogã custava a metade da bancada e não existia meia entrada, será que Tirone-que lembra um arlequim medieval- sabe disso? Será que tudo mudou tanto, a prova que não mudou é o público de SEP e Flamengo-no mesmo julho-carga total, ou os jogos da Sul Americana do ano passado; contra o Vitória, precisando ganhar de 3, haviam 25 mil no próprio da municipalidade.Que lógica permeia a cabeça desses seres? O que nos resta fazer é pôr a boca no trombone, onde houver espaço lardear estes fatos.Abço a todos

Anônimo disse...

onde vvc viu essa info do jogo contra o bahia no canindé???? certeza???

Forza Palestra disse...

Site da CBF.