11 maio 2012

Avanti, mais um fracasso

Um pequeno grupo de abnegados e bons palestrinos tentou ajudar o Palmeiras no desenvolvimento do projeto de sócio-torcedor do clube. Foi muito ousado para um clube que vive mergulhado em um período de trevas, conduzido que é por mentes retrógradas. O fracasso da tentativa levou ao que se lê abaixo:

Carta aberta aos diretores do Palmeiras
Desligamento do AVANTI


Prezados,

Desde nossa aproximação – a nosso pedido, frise-se – para participar ativamente do programa de sócio torcedor com sugestões e ideias a fim de enriquecê-lo e o deixarmos mais próximo do que buscam os torcedores, trabalhamos com algumas premissas que são, em nossa visão e refletidas nos grandes casos de sucesso do mercado, imprescindíveis.
Entre inúmeros fatores que definem um programa de sucesso ou mais um retumbante fracasso, consideramos extremamente relevante a definição de um estádio na capital paulista como estratégia de ativação e recompensa aos associados neste primeiro momento. Enquanto aguardamos ansiosamente pela inauguração de nossa Arena, teríamos que buscar soluções que fizessem os torcedores se sentirem em casa e, mais, que permitissem a grande massa de palmeirenses estar presente ao local dos jogos, sabedores que somos das grandes dificuldades de locomoção que enfrentamos em uma metrópole como a em que estamos sediados.
Não obstante nosso pedido na única reunião presencial a que fomos convidados, reforçado também diversas vezes pelos representantes da Outplan (que, convenhamos, entendem bem mais de programa de sócio torcedor do que qualquer um de nós), o Palmeiras decidiu que novamente não teria um estádio que pudéssemos chamar de “casa” no período. Repartiu nossos mandos em dois locais no primeiro turno do Campeonato Brasileiro e para o restante da Copa do Brasil e para o segundo turno do Campeonato Brasileiro não temos sequer uma pista do que será decidido, uma vez que esta não é uma decisão pautada em aspectos técnicos e nem estratégicos – é uma mera conveniência do momento.

Além disso, não fomos mais convidados para reuniões de debate sobre o projeto, o que, somado ao tema exposto acima, nos demonstra mais uma vez que há pouca preocupação em relação à real opinião dos torcedores e o que vem sendo feito é apenas uma forma de acalmar os ânimos de parte da torcida que clama por um projeto colaborativo.
C
ontinuamos apoiando a iniciativa e nos associaremos ao programa assim que lançado, como sempre fizemos, aliás, mas pedimos a gentileza de não mais vincularem nossos nomes, grupos ou movimentos ao desenvolvimento do programa, o que é, de fato, inverídico salvo uma única reunião para discussão de ideias, nada mais.
Como já temos um documento pronto com contribuições de diversos palmeirenses que se dispuseram a auxiliar, enviaremos o material à Outplan para que utilize alguns conceitos se assim achar relevante, embora tenhamos a triste percepção de que pouco pode ser feito nas ações quando sequer há definições.

E clamamos, mais uma vez, para que o Palmeiras possa um dia novamente orgulhar seus torcedores, voltando a ser referência em vanguarda fora de campo e excelência dentro. Para isso, é necessário que o torcedor tenha acesso e possa participar da vida do seu clube de coração, o que é praticamente impossível nos dias atuais, a tomar como exemplo o pedido de mais de 80 conselheiros pelas eleições diretas que está engavetado porque duas ou três almas acham que não é o momento ideal.
Nosso entendimento, conforme ressaltado diversas vezes em inúmeras oportunidades por dezenas de lideranças e torcedores é a de que o sócio torcedor deveria ter, também, a possibilidade de voto para eleger o presidente do clube. Mas se não permitimos sequer que os sócios do clube social tenham este direito, como esperar que o tema esteja ao menos em pauta para os sócios torcedores?

Seguimos com o Palmeiras e pelo bem do Palmeiras, sempre, mas não queremos ter nossos nomes vinculados a um período antidemocrático e economicamente retrógrado.

Boa sorte aos envolvidos e muita boa sorte ao nosso amado Palmeiras.


Edson Poli
Felipe Giocondo
Marco Néspoli


###

Sobre horário e local do próximo jogo pela Copa do Brasil, eu escrevo depois, com mais calma e talvez com menos ódio.

7 comentários:

CASSELLl disse...

Alguém vai para o Dorival de Brito na quarta???? Estarei na area....

Anônimo disse...

Se o torcedor desistir de lutar pelo clube quem vai lutar ?

Só isso...

Marco disse...

É o cúmulo da burrice e falta de coordenação da parte da diretoria mesmo mandar 6 jogos para Barueri às vésperas do anúncio do programa Avanti reformulado. Ninguém pensou nisso antes de pedir a mudança do campo?

De qualquer forma, parabéns aos palestrinos que tomaram a iniciativa de tentar ajudar, apesar das inúmeras frustrações e da incapacidade intelectual dos que comandam o Palmeiras.

eu to é puto com isso disse...

Torcer para o Palmeiras hoje é sem dúvida um fardissimo pesado, um ''guindaste'' que temos que carregar.

Eu tenho asco, nojo, repulsa, raiva, ansia de vomito, ódio desses vermes, parasitas, sanguessugas, ignóbeis, carcomidos, safados, fdps, canalhas, ordinários, escroques, incautos, morféticos dirigentes/conselheiros que comandam, mandam e roubam o Palmeiras

Esses caras, além de foder o Palmeiras, nos roubam ainda por cima, e não acontece nada, absolutamente nada....cade os 290 mil????

Anônimo disse...

vai pra curitiba barneschi????

Barneschi disse...

19h30 mata qualquer um. Às 22h, daria pagar pegar um voo no fim do dia e voltar de madrugada. Nesse horário não dá. Vou ficar fora dessa.

Fancio disse...

"...que o Palmeiras possa um dia novamente orgulhar seus torcedores, voltando a ser referência em vanguarda fora de campo e excelência dentro. "

Enquanto não houver democracia essa atual situação perdurará. Só veremos nosso Palmeiras GIGANTE novamente com essa corja fora e ainda assim levará um tempo razoável pra arrumar tudo o que as últimas diretorias estragaram.