18 outubro 2007

O Jogo das Famílias

Galvão Bueno insistiu no papinho de que o Maracanã teria ontem o "Jogo das Famílias". Sem violência, sem torcidas organizadas, sem gritos de guerra, sem palavrões.

"A volta do torcedor comum", naquele linguajar bem babaca dos jornalistas esportivos. Houve que comprasse a idéia, caso da FSP:

"Em vez de torcedores violentos das torcidas organizadas, havia milhares de crianças, casais de namorados e famílias".

Que meigo...

E as famílias fizeram o que delas se espera: um ambiente frígido.


Pelo rádio, mal dava para ouvir as quase 100 mil pessoas que lá estiveram. Mais parecia jogo dos bambis no Jd. Leonor vazio. Mas era, como quis o narrador da emissora-câncer, o "Jogo das Famílias".

O cara tanto fez e tanto defendeu o povão que
logo tomou na cara um "Ôooo, tomar no cu, Galvão...".

E o som-ambiente sumiu, assim sem mais nem menos.

As famílias deram o recado.

***

De resto, importa notar o seguinte:

1. Maracanã bonito, quase 100 mil pessoas. Bom saber que o Maior do Mundo ainda pode receber um público desta magnitude.

2. Ah, mas logo virão os paladinos da moral e dos bons costumes com o discurso de que as pessoas ficaram de pé na antiga geral e nos corredores de passagem da arquibancada e das cadeiras? E daí? Pois os corredores
existem exatamente para isso: para que os torcedores fiquem de pé.

3. E daí se foram descumpridas normas da Fifa?

4. Proibiram a cerveja no Maracanã. A que ponto chegamos?

28 comentários:

Rodrigo disse...

Vale ainda lembrar que, com uma torcida composta por "famílias", a Seleção foi mais vaiada que incentivada durante os 90 minutos. Eram tantos corneteiros que eu cheguei a cogitar a hipótese de que vc tinha ido ontem ao Maracanã, Barney...

Luiz disse...

Rodrigo,

Melhor ainda é abrir o Uol e ler, Luana Piovani e outros famosos no Maracanã.

Pqp! Como odeio gente dessa laia que mal sabe o que é futebol, gente que mal assiste futebol pela TV, se aproveita para aparecer.

É o teatro dos famosos, somente aqueles que nada nos acrescentam, que vivem da exposição , boa ou má, de sua imagem. Quero que todos estes aproveitadores morram.

Para terminar, seleção é do povo o caralho! Foi-se o tempo... A seleção tem dono e o povo é só o instrumento para enriquecer seus proprietários, ou o seu proprietário.

Que se foda a seleção, não consigo nem torcer! Eu quero é jogo do Palmeiras!

mancha z/s disse...

familia eh o caralho!!!!!!!!
aqui eh MANCHA!!!!!!!

Craudio disse...

Jogo da seleção, nos últimos tempos, sempre se pautou pela presença maciça de corneteiros. Ontem vaiaram o Love, o Robinho, o Gaúcho e a Bicha.

E quem resolveu a parada? Ah tá...

Fora isso, a campanha contra a Copa no Brasil continua. E tá confirmado: os estádios do Rio também não terão mais cervejas à venda.

Matam, dia-a-dia, o futebol...

Daniele Moraes disse...

Crianças,
Primeiro: vcs são doentes. (Acho que já sabem, né?)
Segundo: pra quê tanto ódio no coração? Não têm mais com o que se preocuparem e onde colocar tanto "energia"?
Terceiro: um segredo. Acreditem, há coisas mais importantes no mundo que o futebol. Pois é ...
Quarto: todos, até os bossais, têm direito de frequentar o lugar que desejarem. Tolos aqueles que perdem tempo se preocupando com isso ou lendo a respeito.
Quinto: cornetar é péssimo. Mas a falta de consciência disso é fruto da intolerância, que pode ser observada nas cidades, praticada nos estádios ou expressa em Blogs.
Desculpe-me, Ro, mas às vezes, you know, essa sua dupla personalidade fica PHoda e eu não "me aguento"!!!
Sorry, baby!
Beijos a todos!
Paz e amor!
Dani

Daniele Moraes disse...

Ahhh, esqueci!!! Só concordo com uma coisa: o Galvão MERECE!!!
O cara é muito mala!!!
Hahahahaha...
bjs

Forza Palestra disse...

Mas, Dani, eu não escrevi nada demais dessa vez... não se revolte assim!
Beijos

Forza Palestra disse...

Luiz,
Até que enfim um comentário seu sem cornetas! Concordo contigo: aquele camarote é desprezível! E as pessoas, mais ainda.
Abraços

darkness disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
darkness disse...

pO, barney, vc nunca vai escrever um post elogiando alguem ou alguma coisa?

Craudio disse...

Dani, minha amiga Dani, vamos por partes:

1) sim, somos doentes.
2) não acredito que seja ódio no coração, mas sim uma revolta pelas coisas erradas no mundo. E a energia gasta aqui é - pelo menos no meu caso - reservada exclusivamente para esse fim.
3) não sei se há coisa mais importante que o futebol. Até sem sexo e cerveja dá pra se virar, mas pergunte a qualquer um aqui qual é o pior mês do ano (a maioria responderá janeiro, porque não tem jogo).
4) o direito de ir e vir é sagrado. Porém, todos os lugares têm regras que, se desrespeitadas, prevêem punição (xingamentos, agressões, tratamento pouco amistoso etc.).
5) a falta de consciência da cornetagem é mais fruto da ignorância ou é mera provocação mesmo...

No fim, e acho que falo por todos, o futebol aqui não é entretenimento. É algo que vale mais que a nossa própria vida.

Bejos!

Luiz - Uberlândia disse...

Rodrigo, beleza!?

mudando um pouco de assunto, daria para você me explicar sucintamente como foi, quando, etc. que sccp e spfc caíram para a segunda, mas não jogaram-na? estou escrevendo um artigo para a imprensa local e, confesso, não possuo esses dados e também não me lembro de tais fatos (acho que o spfc caiu para a segunda do nacional e o sccp para a segunda do paulista? confere?)

já antecipo que estou defendendo no artigo a impossibilidade (ou inviabilidade) de grandes clubes nacionais "cairem" para divisões inferiores. Como acontece na NBA, grandes agremiações de basquete não "caem", porque lá, o esporte é, antes de mais nada, tratado como 'business' (é assim que se escreve!!?!!) Vejam, bem, não é porque os americanos fazem isso ou aquilo que devemos copiar, mas com isso - tratar o esporte de massa como negócio, eu concordo.

Salvo engano, as escolas de samba fundadoras da liga de escolas de samba do rio de janeiro - salgueiro, mangueira, portela, beija-flor - também são "proibidas" de serem rebaixadas.

Devem existir outras ocorrências, seja no esporte, seja na arte ou na cultura, dessa jaez.

Bom, mas o que importa é se o amigo pode me esclarecer o fato acima. Por favor.

abraços verdes,

Luiz, Uberlândia.

filipe disse...

Como método de emancipação do caráter humano o futebol deve ser tratado como merece, e não como é tratado, e ele é sarcasticamente pisoteado pelo câncer de emissora e por tudo que está detrás dela. É disso que se trata esse post, cara Daniele.
O anseio popular por emancipação do caráter, e portanto social, foi amplamente aviltado. É um processo que tomou conta do nosso futebol nas últimas décadas, que responde a um projeto de sociedade pensado há cinqüenta anos.
Nosso povo foi imbecilizado até se tornar uma ameba. Daí a aceitar que o futebol seja visto por uma arquibancada calada em meio a fumaça rosa.
Imagine, até STRAUSS tocou no Maracanã de 100 mil almas (que quiseram que esse merda de galvão fosse pra puta que pariu com razão).
Valsa no futebol. Quem é torcedor sabe o que isso significa, e é disso que se trata esse post. Ódio não é o termo mais preciso, portanto. E não, nem o dono do blog nem esse bando de louco que se manifesta, ninguém é criança.
Pelo contrário. Observamos nosso direito de torcer ser escrotamente cerceado.

Trocando em miúdos, cada um cuida de sua própria energia. E assim futebol se torna peça-chave nas nossas vidas. E não se torna na vida de outrem - fazer o que?... São os boçais...
Intolerância não é o que é praticado pela torcida (conjunto), mas por alguns moleques e pelo poder público que arma até emboscada (acredite, Daniele, a polícia até isso já fez e pode fazer a qualquer momento). É que o futebol desperta paixão, e um povo apaixonado é muito perigoso...
Mas eles podem nos conter? Não, cara Daniele. Mas não é porque somos mais fortes - e somos mesmo. Mas porque é nosso direito.

É coisa simplória demais a ofensa a outro torcedor, assim como a cornetagem e o oportunismo (pensemos num bambi que nunca pisou no estádio vindo vomitar merda na segunda - exemplo manjado porém perfeito).
É por isso que não somos meros espectadores, como os boçais.
Nós somos torcedores.
Desde a mais tenra infância.

E, remetendo a um comentário anterior, "jogo das famílias" era quando eu, pivete, chamava a minha Vó Palestrina de porca gorda.
Ela retrucava me chamando de gambá imundo.
Isso é que "jogo das famílias", caríssimos.
Coisa de cidadão.

Daniel disse...

Vou te dizer, Barneschi: minha familia me chama de louco pelo que eu sinto pelo verdão. eles precisam conhecer vc e esses seus amigos que escrevem aqui.. rs

Carol disse...

Rô,
o blog era bem melhor antes... :-(
saudades!!!
Bjossssss

luigi sep 1914 disse...

1) Lugar de família é em churrascos;
2) Lugar de atriz/ator vagabundo é nos estúdios ou nas revistas masculinas/femininas ou dando a bunda por aí a procura de um papel melhor na próxima novela;
3) Quem não sente isto nos acha doente, acha que quem faz isso por um clube não é capaz de ser assim por alguém. Mentira, somos... Mas os amores humanos são finitos, trágicos. O amor pelo clube é infinito.
Pode até existir alguma coisa mais importantes que futebol mas não durante os 90 minutos.
Concordo plenamente com o Japones. O pior mês do ano é janeiro. Ficar 30 dias longe(fisicamente) do PALMEIRAS é foda!
4) Todos tem o direito de ir e vir.
Viado tem direito de ir pro inferno! Família tem direito de ir aos churrascos e aniversários de família!
5) Cornetar é a pior coisa que existe e a pior invensão do homem foi essa meda de jogo nestlé. Maldito povão que estraga todas as músicas nos estádios.
6) E pra fortalecer a tese do Japones, que disse que estão matando o futebol dia-a-dia, que fique noto aqui que a arquibancada central do Parque Antártica será ocupada, a partir do mês que vem, pelos banquinhos que já existem no estádio estadual do Jardim Leonor. Além disso, fecharão esse espaço e o preço do mesmo será diferente dos outros setores de arquibancada.

Maldita diretoria! Morram, filhos da puta!

PALMEIRAS, loucura sem cura!
VOCE me mata, mas é o que me mantem vivo!

vitor disse...

o luigi é sem limites e o craudio é pederasta...mas concordo com td o q eles falaram...exceto q janeiro é o pior mês...o pior é entre 5 de dezembro até 15 de janeiro (mais ou menos).

sobre a seleção, qro q ela se exploda...dia 21 estarei na geral amarela xingando os macaquitos q só sabem cantar "eu sou brazileiro, com mto orgulho, com mto amor"

Luiz disse...

Rodrigo,

Desculpe tomar a liberdade, mas vou responder a Daniele.

Daniele:

1 - Não somos doentes. Somos apaixonados pelo nosso clube, pelo estádio e pelo futebol. Portanto tentamos apenas defender as nossas paixões daquilo que sabemos ser um mal para elas. O que há de doente em defender aquilo que se ama??

2 - Por mais que possa parecer estranho, o nosso ódio é direcionado para o bem, mas só quem frequenta o ambiente do futebol pode entender.

3 - Sim, concordo pode até ser. Como diria o ídolo do dono deste blog, "o futebol é a coisa mais importante, dentre as menos importantes" - Milton Neves, mas infelizmente, ou felizmente, sem ele eu não vivo.

4 - Sim, todos tem o direito de frequentar o lugar que quiser, direito este amparado no art. 5º de nossa Constituição. Contudo, quando se vai a um lugar em que não é bem vindo ou não está hbituado, a pessoa deve se portar bem e tentar não incomodar os verdadeiros frequentadores, entenda-se: não comprar nossos ingressos, entender que a fila começa atrás da gente, somente sentar depois que nós estivermos bem acomodados e assim por diante.

5 - Cornetar é ótimo, mas poucos tem o direito e sabem a hora de fazê-lo. Corneto pra caramba, mas nunca irei jogar contra meu time. Quem faz isso tem que ser punido, como já disse Cráudio anteriormente.

6 - Apesar de tudo, concordo plenamente com o seu último paragrafo, esta dupla personalidade do dono do blog é algo muito sério!!

Pra terminar, o Luigi, aquele que me acha bonito, é realmente um cara sem limites.

E você Vitor, vai matar gnomo e senta no cogumelo!

Abraço!

Rodrigo disse...

E digo: não vejo problema algum em ser doente, ser apaixonado por algo, muito pelo contrário.

O resto já foi dito aqui, com a exemplar participação de Luydy. o moderado.

Forza Palestra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Forza Palestra disse...

Dani, querida,

O povo às vezes é até mais radical que eu. E, como você pode imaginar, concordo com tudo o que é dito, seja pelo Filipe, pelo Luigi, pelo Craudio ou pelo Luiz. Temos aqui observações bastante pertinentes, em especial a de que temos direito ao nosso lugar no estádio e, mais que isso, a de que temos direito a inibir a atuação de pessoas que queiram prejudicar o futebol.

Gostaria, no entanto, de ilustrar tudo isso com um breve trecho de reportagem publicada na FSP de ontem. Vejam vocês que a coisa chegou a tal ponto que escalaram a Danuza Leão para escrever uma espécie de coluna social. O texto, não por ela, mas pelo assunto, é desprezível do início. Deixo-os com o encerramento:

"Mas o pior foi quando uma vipérrima disse que ia ver o segundo tempo de casa, pela TV. "No campo, eu não entendo nada", disse ela.

Em linhas gerais, Dani, eu defendo que esse tipo de pessoa seja proibida de pisar em solo sagrado como o do Maracanã.

Eis o que motivou o post.

E, embora já tenha escrito coisas muito piores, entendo o motivo do seu desabafo... sinta-se sempre em casa, apesar de tudo!

Beijos

Craudio disse...

Apesar de ser contra a presença do Luydy nesse blog, ele teve seu momento de lucidez e genialidade. A frase "Lugar de família é em churrascos" deveria ser imortalizada e ganhar destaque.

Fora isso, o menino glutão não perde uma chance de cornetar. Pega na rola do Finazzi, seu merda!

Ah, e sobre a dupla personalidade do dono do blog, esqueci de comentar. Há um erro aí, já que ele torce pro porco, pro santos, pro atletico/mg, pro gremio e pro vasco. Falando em vasco, CHUPA BACALHAU!

Forza Palestra disse...

Réplicas:

Luiz:
1. Milton Neves, outrora um jornalista de respeito, é hoje uma figura patética.
2. De fato, pessoas que não assíduas freqüentadoras de estádio têm por dever observar as regras de convivência no ambiente em questão. Isso vale em qualquer segmento, ainda mais em estádios de futebol. É preciso respeitar o código de ética.
3. A dupla personalidade à qual a Dani faz referência nada tem a ver com o assunto em debate.
4. Já encontramos um dos cogumelos do Vitor.

Luigi:
1. Concordo com o japonês. A frase "Lugar de famílias é em churrascos" é a melhor já proferida neste (e no outro) blog. Só vejo uma capaz de rivalizar com esta: "Família tem direito de ir aos churrascos e aniversários de família". Genial!
2. Genial também é a frase direcionada aos atores e atrizes.

Filipe:
Grande contextualização a sua. Fica, desde já, o convite para que você assine o prefácio do meu livro.

MANCHA IPIRANGA disse...

CHUPA GALVÃO!!!!!!

Luiz - uberlândia disse...

Rodrigo!, sai minha resposta?

abs,

Luiz, uberlândia.

mancha z/s disse...

e amanha eh nois!
4 a 0 pra fazer saldo e afundar o parana!!!!!!

consegui ingresso, tadei! vaeu!

Forza Palestra disse...

Fala, Luiz!

Mal ae... o assunto foi polêmico, e acabei esquecendo. Vamos lá:

1. SCCP: Não me recordo disso. Os gambás quase caíram algumas vezes, mas o regulamento sempre deu um jeito de evitar que isso acontecesse. Não sei se houve problemas em tempos remotos, mas nada de notável houve em tempos recentes.

2. SPFC: A escória caiu para a segunda divisão do Paulista em 1990. Em 91, disputou a Segunda Divisão, mas sob um eufemístico nome de Módulo Amarelo. Enquanto Palmeiras, SCCP e Santos pegavam os times fortes do interior, os bambis enfrentaram as babas do que hoje é a Série A2. O regulamento, feito sob medida, permitiu que os bambis fossem promovidos à Primeira Divisão no mesmo ano da disputa da Segunda. E eles foram campeões da Primeira, mesmo tendo disputado a Segunda. Genial, não?
De resto, não me lembro de nada desabonador nesse sentido. A história deles já é exemplar em sujeiras...

Espero ter ajudado...

Abraços

Anderson Ugiette disse...

naum sei se vcs viram o maldito jogo do Brasil X Equador...
mas, no "jogo das familias" q naum haveria desrespeito e palavrões me deu a impressão q tinha um belissimo coro em moda no maracanã q era assim:
"ÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOO TOMA NO CU GALVÃOOOOO" algo desse tipo....
enfim...
fora tudo isso... devo dizer q acho q a seleção brasileira chamou o anão mal-humorado pra criar uma seleção de BAMBISSSS...
ngm tem coragem de botar o pé na bola feito homem... ngm vai pra uma dividida...
e pra piorar o anão vem dizer q a colombia eh um TIME forte e q o equador q perdeu da venezuela em quito tbm eh FORTISSIMO...
eh um brincalhão... e o GAYVÃO ainda dizia:
O EQUADOR É UMA FORTISSIMA EQUIPE Q JAH FOI A 2, EXATAMENTE, 2 COPAS SEGUIDAMENTE!!!
se ir pra duas malditas copas torna uma equipe forte... camarões e nigeria deveriam ser as mais fortes seleções jah vistas....
naum eh o caso....
enfim....
vou embora...
encheu o saco a seleção...
e qnt o antro de podridão do litoral...
no-coments... moro em recife e nunca fui na vila...
flws pessoallll...