04 junho 2008

O futebol no Projac

Há quem não entenda minhas incansáveis críticas àquela que chamo de emissora câncer do futebol. Pensam tratar-se de exagero - mais um dos tantos que eu pratico - e até defendem que os executivos globais podem fazer o que bem entendem com os jogos porque, afinal, estão pagando para isso. É a lógica do sujeito que se sente no direito de maltratar o garçom do restaurante só porque vai pagar a conta.

Assim, horários como o das 22h de quarta passam a ser normais.

Mas vejam o que traz o Painel FC de hoje:


Anônimo. O Clube dos 13 pediu que a Globo retire do contrato do Brasileiro, a partir de 2009, a exigência de numeração fixa e nome nas camisas. Atletas saem, e os uniformes encalham nas lojas.

Famosos. A emissora topa o fim do número fixo, mas quer a manutenção dos nomes. As letras podem ser colocadas a cada partida.

Pode ser ignorância minha, mas eu não imaginava que as coisas pudessem chegar a esse nível. Porra, os caras têm, por contrato, autonomia para interferir em discussões técnicas? O que mais será que existe neste acordo secreto entre Globo e C13?

Sei que essa coisa de numeração e nome na camisa é besteira, mas o que incomoda é notar que o futebol é apenas mais um entre os tantos produtos televisivos sob o guarda-chuva global.

Isso explica os horários cretinos, os atrasos para o último beijo da novela e até uma final de Brasileiro (1998) que teve seu horário definido praticamente no mesmo dia porque o pessoal do Jd. Botânico precisava passar a porra de um programa da Xuxa.

O futebol é um produto pequeno para a Globo. Menor que jornais, novelas, Faustões, filmes e o escambu. É só uma atração a mais na grade de programação, motivo pelo qual deixou de ser transmitido lá no MT (leiam a notícia aqui e depois voltem).

Portanto, não se assustem se um dia tivermos de ir ao estádios às 22h50 de uma quarta-feira. Vale tudo pela novela.

Não duvido muito que um dia construam um estádio dentro do Projac para que os jogos aconteçam lá, com maior qualidade técnica e espaço de sobra para instalação de câmeras revolucionárias.

13 comentários:

Rafael Let's Gol! disse...

E não bastasse criar essas dificuldades para o torcedor e para os clubes, essa emissora é a principal defensora da nova ideologia do futebol, essa que quer 'selecionar' o público frequentador de estádios, que apóia essa onda de interfêrencia dos tribunais esportivos, que aparecem o tempo todo para punições cada vez mais pesadas sobre infrações mínimas.

É incrível como eles querem interferir em tudo. Nada pode estar fora do 'padrão globo de qualidade'.

Forza Palestra disse...

Espero que alguns entendam o porquê de eu sempre ajudar a destuir aquelas televisões de papelão que a Globo levava para a arquibancada no início da década.

Melhor ainda seria se todos entendessem que torcedores que levam cartazes de "Filma eu" devem ser coagidos a não mais se portarem como palhaços.

Luiz disse...

Caro Major,

Você anda muito nervoso, o que lhe aflige?

Luiz

ClaudioYidaJr disse...

É sério isso mesmo???

Pelo amor...

Barba verde disse...

É sério??? Não amigos é mais que sério é ultrajante.
Digo isso com base nos meus estudos, me formei em comunicação e sei que o poder manipulador da Rede Globo é maior do que parece e vem de décadas... Talvez para a grande maioria do nosso povo, essas intervenções sejam apenas irritantes, mas pra quem conhece a histórica supremacia dos Marinhos sabe que isso foi calcado sobre muita falcatrua.
Crescimento repentido no inicio com a ajuda descarada do regime Militar, controle sobre o poder judíciario, políticos "vagabundos de terno" ganhando presentinhos a toda hora e por ai vai....
Me desculpem se estiver sendo leviano e misturando as coisas, mas isso me lembra de outra sub-raça que também usa e abusa de tais artíficios para garantir um lugar de destaque. Logo concluo e sem medo de errar que os inicidentes entre polícia X torcida, PAlmeiras X Bambis, juízes X Palmeiras e outros tantos,também foram produtos de manipulação certo. Bom então não preciso dizer porque nós e tantos outros clubes estão sendo punidos até por bombinhas soltadas em jogos escolares e a sub -raça continua fazendo sempre o papel de galã das novelas.

[SEP] Valmir disse...

Bem, a arrogÂncia Global começa pelo lazarento, incompetente, FDP, Corno, safado, pilantra, picareta, do Galvão Bueno!

Vcs já repararam que ele não anda narrando jogos nos estádios brasileiros?
É por causa da recepção calorosa de TODAS as torcidas.

EI GALVÃO, VTNC!!!

HUAHUAHUAHAUAUUAHUAHAU

Galera a globo cria conceitos, do tipo SER GAY É CHARMOSO, SER LÉSBICA É NORMAL, e aí segue pela política, pelos costumes, por tudo.

Não é de se admirar que ela mande e desmande no futebol.
Quem mais lucra com o futebol é a Globo, pois imaginem por quanto ela vende as cotas de patrocínio e repassa aos clubes MENDIGOS apenas uma parcela muito pequena.

Os clubes que tem Diretorias medíocres, aceitam as migalhas, não brigam por condições melhores de vender o espetáculo.


Conclusão?
O futebol é só uma vitrine, um produto que é vendido por muito dinheiro, mas que os clubes recebem pouco ou quase nada.

A verdade é que os únicos que de fato amam o clube, são apenas nós os otários, e aqueles ainda mais abnegados que não perdem um jogo, na chuva, no sol, nas arquibancadas sem conforto, levando porrada de PM e PAGANDO PRA ISSO.

abs

[SEP] Valmir disse...

Em tempo.

A Record ( que eu não morro de amores por ter o dono que tem) tinha começado um projeto de tomar da Globo a soberania no futebol.
Montou equipes esportivas, comprou equipamentos e parou!
Alguém sabe porque?

Forza Palestra disse...

Valmir,

A título de informação: Galvão Bueno não vive mais no Brasil. Mudou-se para o principado de Mônaco. Só o que faz é narrar corridas de F-1 e jogos da seleção brasileira.

Quanto à Record, eles tentaram de toda forma tomar os direitos de transmissão da Globo. Não conseguiram, pois o C13 parece ter algum pacto maléfico com a emissora câncer. A única coisa que a Record conseguiu foi tirar da Globo os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. E isso pode servir como moeda de troca para futuras negociações.

Abraços

Anderson Ugiette disse...

MEU DEUS!!!
foda-se a globo...
não assisto os jogos pela emissora do cancer...
quando meus times jogam longe de minha terra escuto pelo radio... quando jogam por aqui vou ao campo.
enfim....
concordo plenamente barney!!!
abraços!!

[SEP] Valmir disse...

Caraca!!!
O cara mudou-se para Mônaco?
E maravilha hein?
Falar merda na TV deu grana pra esse LIXO ir morar em um dos lugares mais caros do mundo!

PQP, não sei ganhar dinheiro mesmo!
BEM AMIGOS DA REDE GLOBO!!!!


HUAHUAHUAHAUHAUAHAUA

abs

Fernando disse...

Olha, eu sempre fui a favor dos números fixos, um pouco por fixação de criança pela Libertadores e pela Copa do Mundo, e até profissionalmente acho que facilita pra caramba e evitaria um monte de asneiras. Agora, isso estar exigido pela Globo por contrato é ridículo. É uma decisão técnica.
Ainda assim, sou a favor, inclusive e com números na frente da camisa e no calção, porque nego não imagina o sufoco de fazer uma legenda de um jogo entre Ipatinga e Náutico.

Forza Palestra disse...

Eu também, cara. Sempre gostei da numeração fixa. E acho que deve continuar. O que pode ficar de fora, no caso das camisas vendidas nas lojas, é o nome do jogador. Até porque ninguém vai a uma loja para comprar a camisa 17 ou a 23. Todo mundo vai de 7, 9, 10, 11...

PERIQUITO VERDE E BRANCO disse...

ÉÉÉÉÉ........O ROBERTO MARINHO DEVE TA DANDO GARGALHADAS LA NO INFERNO!!!!!!!!!!!ERA FLAMENGUISTA ESSE VERME