19 fevereiro 2009

Blindagem garantida

A julgar pela blindagem orquestrada pela imprensa esportiva, o SPFW nem precisaria de assessoria de imprensa para evitar desgastes à sua imagem depois da confusão do último domingo. Há exceções pontuais e até surpreendentes (a FSP chegou a usar a expressão "Barril de Pólvora"), mas os esforços buscam quase sempre "tirar da reta" o antro que os bichas sonham ver como sede da agourenta Copa-2014. No entanto, infelizmente não é só isso que está em jogo.

Eu ouvi e li tanta besteira nos últimos dias que nem saberia como ordenar as idéias todas e montar um texto decente com início, meio e fim. Assim sendo, vou jogando as coisas sem ordenamento lógico, pois o tempo é curto e os oportunistas não têm limites.

Comecemos pelo inimigo que está em evidência:

Paulo Castilho, o promotor, teve o que queria. Deu até coletiva, e tudo o que soube fazer foi disparar impropérios contra o torcedor de futebol (e não apenas o organizado). Por sinal, é curioso notar como se deu a ascensão de Castilho, o aprendiz de Capez. O cara surgiu faz três ou quatro anos, se tanto. Despontou após um Palmeiras x Santos no Palestra Itália e veio com uma pauta bem definida: atacar o nosso estádio. Castilho tem o mérito de ser coerente, pois manteve a ofensiva contra a nossa casa antes da semifinal de 2008 contra o SPFW, dias depois de deixar o estádio do Jd. Leonor carregando uma sacola com produtos adquiridos na loja oficial do mandante. Depois fez o que fez na final do ano passado. Voltou no final do de 2008 pedindo a extinção da Mancha Verde. Na seqüência, obrigou a torcida em questão a deixar sua sede na rua Turiassu. E agora é o artífice de um ataque frontal não contra a Mancha ou qualquer torcida organizada, mas contra o torcedor de futebol neste país.

O promotor, vejam os senhores, está propondo a redução da carga de ingressos para torcidas visitantes dos atuais 10% para 5%. E ele faz isso valendo-se de uma confusão ocasionada pelos próprios bambis, e logo na semana seguinte à desastrada tentativa de cercear a presença de torcedores do rival em um clássico que sempre foi marcado pela divisão igualitária de ingressos. A quem pode interessar tal medida?


Fato é que tudo é muito bem orquestrado, e este blog voltará ao tema "torcida única" nos próximos dias.

Quando se fala em Paulo Castilho, é inevitável chegar à corja de dirigentes bambis. Aos nomes: Juvenal Juvêncio, Júlio Casares, Marco Aurélio Cunha, João Paulo de Jesus Lopes e Carlos Augusto de Barros Silva, o Leco. Todos carregam a genética de Laudo Natel, Adhemar de Barros e que tais. Não há novidades, portanto, no modus operandi dessa gente. O que impressiona é a falta de limites e, claro, o apoio midiático a cada dia mais descarado.

Vejam como eles derrapam na própria incoerência:

Abril de 2008. Palmeiras x SPFW no Palestra. Inconformados por terem de visitar a nossa casa, os leonores armam a farsa do gás no nosso vestiário e jogam a culpa no Palmeiras. Alegação: “Cabe ao mandante garantir a segurança e prevenir distúrbios em sua praça esportiva”. Ou algo nessa linha.

Fevereiro de 2009. SPFW x SCCP no Jd. Leonor. Os fatos estão aí: muro improvisado, bomba atirada do estacionamento bambi, torcedores esmagados, polícia despreparada. Tudo depois de um cenário de caos criado pela própria direção bambi. Mas aí não “cabe garantir a segurança e prevenir distúrbios em sua praça esportiva”?

Não, aí não vale.

E o problema não é tanto a incoerência bambi, mas sim o fato de a imprensa amplificar o discurso oportunista. É assim que agem os veículos de comunicação, logo eles que deveriam fiscalizar e investigar um fato tão grave como o deste final de semana. Não, não se trata de preguiça. É má intenção mesmo.

Notem que o Palmeiras foi condenado antes de qualquer coisa, permanecendo assim mesmo diante de laudos técnicos e das seguidas evidências de que o gás teria partido de dentro do próprio vestiário leonor. A condenação, que nos levou inclusive à perda de um mando de campo, foi quase unânime, sendo que o trouxa que gosta de mamar no bezerrão insiste até agora com o assunto.

E são logo esses sujeitos os que se prontificam a absolver o SPFW em situação bastante mais grave. Sim, é sempre mais fácil colocar a culpa nos "bandidos" das torcidas organizadas.

Mas é bom ficarmos atentos, pois há outros tantos inimigos. Há, por exemplo, um velho conhecido nosso, o senhor Marco Polo Del Nero. Vejam que agora, depois de levar Palmeiras x SCCP para Prudente de maneira arbitrária e de não contestar o mando leonor, ele vem agora com o papinho furado de que vai conversar com os clubes para decidir onde será o clássico do dia 29/03. Quero só ver...

Encerro aqui, pois as idéias se misturam demais. O jeito é tratar de cada coisa a seu tempo, e é assim que as coisas caminham.

Por enquanto, deixo abaixo alguns links bastante relevantes do guerrilheiro Cruz de Savóia:


A imprensa esportiva de SP: o verdadeiro barril de pólvora
Juvenal Juvêncio: um barril de pólvora

SPFC: o barril de pólvora

Dia 29/03 chega logo mais, e será a nossa vez de visitar o antro dos leonores. E eu faço questão apenas de ser tratado como o inimigo! Aqui é Palestra!


A GUERRA CONTINUA!

22 comentários:

Claudio Yida Jr disse...

Só uma correção: NÃO HOUVE BOMBA DO ESTACIONAMENTO BAMBI. Aquela sub-sub-raça não seria capaz nem disso. As bombas vieram TODAS da PM.

No mais, o troço de torcida única é mais um passo em direção à modernização. A torcida única, caros, é a torcida família, para o "jogo das famílias" que o Galvão tanto adora.

E alguém viu o super especial glorificando a corja bambi hoje na Vênus Platinada? Pena que o Independiente resolveu estragar a "festa"...

Forza Palestra disse...

Pois é, japonês, posso imaginar. Mas essa foi uma das versões apresentadas pela própria PM, e caberia à imprensa trabalhar também com essa hipótese, não?

Acontece que simplesmente desprezaram isso, e ficou tudo por isso mesmo...

Por falar em PM, em quem não se deve confiar nunca, o que foi aquele comandante dos caras dando entrevista após o jogo? Porra, não digo que o cara deva ter o dom da oralidade, mas ele precisa apenas saber se expressar para transmitir a versão dos fatos. E precisa também ter um pouco de postura, algo que faltou durante toda a “entrevista coletiva”.

O Marinho pelo menos conseguia se expressar de maneira correta. E, claro, a guerra era declarada, pois ele sempre deixou claro que não gostava da gente. O mesmo aconteceu depois, com o Rego, que não perdia a oportunidade de dizer seus absurdos contra as torcidas organizadas. E, verdade seja dita, ele fazia isso para os próprios líderes...

Bons tempos...

Forza Palestra disse...

Ontem, voltando para casa, me lembrei dos tempos de Bonde Boulevard e da seguinte música, sempre entoada na volta pra casa:

"Pensou que era fácil
Mas foi pura ilusão

Pra acabar com a Mancha Verde
Tem que ter disposição

Ô, ô, ô, pau no cu do promotor
Ô, ô, ô, pau no cu do promotor"

Daniel disse...

boa mano!

Independente disse...

porkinhosssssss
taum com inveja por causa da bicicleta do borges ontemmmm..... chupaaaaaa... fikaram zikando e se foderom no final....

kkkkkkkkkkkk


o seu terrooooorr

Forza Verde disse...

Qdo a gente pensa que chegaram no limite do ridículo, eia que surge um débio mental pior que o outro. Pois é, realmente não há limites pra bandidagem, pro oportunismo, pras sujeiras e pra alienação dessa gentalha canalha, dessa sub-raça de merda, enfim, dessa escória imunda.

cruzdesavoia disse...

Escória imunda é pouca para esses ratos de esgoto que não saem daqui. Valeu pelas referências, Barneschi. E Claudião: a bomba no estacionamento foi relatada não só pela PM, mas por corinthianos presentes. Vc estava lá e diz que não houve, e acredito em você pois sei que vc não ia falar merda. Agora me responda: alguém viu as duas bombas achadas na torcida alvinegra? Mostraram, apresentaram à imprensa, há fotos desses artefatos? Ou seria somente mais um gás de pimenta misterioso que nunca existiu?

Anderson Ugiette disse...

sinceramente... eu acho que é só mais um gás de pimenta...
a pm, jogou com essa historia de bomba do estacionamento e depois deixou a duvida "partiu do estacionamento ou da propria torcida do SCCP??"
ainda tem mais...
falaram que tinha apenas 6 PM's na saida da torcida alvi-negra e que quando a bomba foi lançada os corinthianos partiram pra cima desses 6, e que devido a isso (poucos PM's e muitos corinthianos) eles reagiram com bombas de efeito moral...
agora me respondam:
1º vc está saindo do estadio, explode uma bomba nas proximidades, só tem PM por perto, vc vai pensar que foi quem que atirou??? o governador???
2º POR QUE CARALHO SÓ TINHAM 6 PM'S NA SAIDA DA TORCIDA DO CORINTHIANS???
3ºVcs apostam quanto que, depois da "investigação", a culpa será da torcida corinthiana???

abraços!!!

PELO SPORT TUDO!!!

FORZA PALESTRA!

Craudio disse...

Pois é, a bomba relatada por corinthianos foi a que a PM jogou, mas que, por conta da martelação dessa versão oficialesca, acabou sendo computada na nossa conta.

Ah, só uma coisa: até a bicicleta desse futebol moderno não é mais a mesma...

Anderson Ugiette disse...

realmente craudio, cade a bicicleta na qual o autor pairava cerca de 1 metro acima do chão??? atualmente as bicicletas são praticamente com as costas coladas no chão e o povo acha bonito, pensa que tem que ir pra seleção do linha de passe....
fala serio!
abraços!

Mario disse...

Caro Barneschi,
Veja esse trecho de um post do digno, ético e culto Alberto Helena:

21/04/2008 - 16:31
INTERDIÇÃO INEVITÁVEL

Não resta a menor sombra de dúvida de que o Palestra Itália deva ser interditado pelo tribunal. O episódio do gás espargido no vestiário do São Paulo é inaceitável e condenável sob qualquer aspecto.

Cabe, é verdade, à polícia investigar o caso e caçar o(s) culpado(s) pela ação. Mas, qualquer que seja o desfecho dessas investigações, uma coisa é certa: a segurança, dentro do estádio, é de responsabilidade do Palmeiras. Ponto.

Até mesmo se comprovada a mirabolante hipótese aventada por Luxemburgo de que poderia ser alguém do próprio São Paulo o autor do ato imbecil, ainda assim a responsabilidade pela vigilância interna é do Palmeiras. Nesse caso, prende-se o tricolor insano e se interdita o estádio do mesmo jeito.

..."

Não preciso grifar os trechos e substituí-los pelo que aconteceu no privadão. Eles estão ali muito claros, como está bem clara e escancarada a posição do homem que tem um livro contanto a história do nosso time: ...a segurança, dentro do estádio, é de responsabilidade do mandante. Ponto.

"Interdição!", bradou a voz da ética, junto com todos superamigos na sala da justiça.

Incomodado com a contradição, deixei um comentário, bastante educado aliás, pedindo que ele se posicionasse a esse respeito.
E o que fez o digníssimo jornalista? Silêncio.

Nem uma palavra a respeito.
Nada contra, tivesse ele silenciado também no caso do gás.

Não se trata de dizer que o Palmeiras é inocente naquele caso, podemos até debater o assunto, mas o ponto é como a imprensa toda (Helena é o exemplo mais drástico, por sua alta credibilidade) rasgou o que escreveu à época sem a menor cerimônia.

Não precisaram nem se justificar, nem debater, apenas um silêncio cúmplice. Aquele de quem testemunha um crime e vai para casa comer pizza com a família.

Meu respeito por esse senhor deixou de existir.
Espero, sinceramente, que tenhamos um dia um livro bem editado escrito por alguém que nos mereça.

abs,

Mauro Aguiar disse...

A verdade sobre o caso do gás é a seguinte: o sujeito que detonou o gás lá dentro fez muito bem feito, porque até agora ninguém chegou a uma conclusão (com provas!) de quem foi o culpado. O resto é suposição.

Forza Palestra disse...

Mario:
Belo argumento. Vou aproveitar isso em um dos próximos posts, tudo bem?

Mauro:
Ok, seu comentário faz bastante sentido. Então eu vou usar a sua lógica, tá? Se nada ficou provado, são suposições tanto a acusação de que o gás foi atirado de fora para dentro – por um palmeirense – quanto a hipótese de que teria sido uma farsa dos dirigentes do SPFW. De acordo? Pois bem, se o Palmeiras foi condenado na ocasião por não conseguir reprimir ‘desordens’ no seu estádio, por que isso não vale agora, quando a merda acontece na casa dos leonores? Onde foi parar a reciprocidade, meu caro?

Mario disse...

Barneschi,
Fique à vontade!
Abraços,

Zhu Sha Zang disse...

Por que raios SPFW levou como mandante dos dois principais "clássicos"?

SORTEIO????

Nicola disse...

"Mauro:
Ok, seu comentário faz bastante sentido. Então eu vou usar a sua lógica, tá? Se nada ficou provado, são suposições tanto a acusação de que o gás foi atirado de fora para dentro – por um palmeirense – quanto a hipótese de que teria sido uma farsa dos dirigentes do SPFW. De acordo? Pois bem, se o Palmeiras foi condenado na ocasião por não conseguir reprimir ‘desordens’ no seu estádio, por que isso não vale agora, quando a merda acontece na casa dos leonores? Onde foi parar a reciprocidade, meu caro?"

Exatamente cara. E só tenho uma coisa a dizer: Se ainda assim algum bambi discorda que o timinho da ditadura não é protegido por tribunais, federações e afins (claro que isto inclui a impren$inha, para manipular a massa alienada), e que o tratamento para o Palmeiras é totalmente diferente, QUE VÁ TOMAR NO CU, FILHO DA PUTA!

Escória maldita, que em breve voltará para seu devido lugar: o ostracismo. Bem diferente de um jejum de títulos, ou mesmo de estar nas cabeças das competições mas não ganhar nada.

Nicola disse...

3VV:

Dividida

"Esperava que, sobre o tumulto no Morumbi, o [são-paulino] Edison Zago fosse ágil como foi para denunciar o Palmeiras no caso do gás"

--------------------------------------------------------------------------------

De SERAPHIM DEL GRANDE , conselheiro do Palmeiras, sobre o procurador do TJD paulista e membro do conselho do São Paulo."


É, já é um começo.
Mas dá pra fazer muito melhor...

Mauro Aguiar disse...

Rodrigo,

Em nenhum momento eu comentei sobre reciprocidade ou o caso no Morumbi. Aliás, nem no caso do gás no Palestra, nem no caso da bomba do Morumbi, tenho opinião sobre quem deva (ou deveria) ser punido.

Apenas disse, e repito, que quem fez isso fez bem feito, pois ninguém prova nada e o caso é comentado à exaustão.

Forza Palestra disse...

Ok. Concordo. As evidências e o laudo técnico apontam para uma farsa bambi, mas a imprensa se calou. Tudo o que fez foi levantar acusações vazias (o Lance! chegou a falar que um torcedor organizado foi identificado, e depois o assunto morreu) e criar uma dessas tantas lendas urbanas, já com um culpado.

Renato disse...

Vi no jornal do SBT (ou redetv?) que pegaram o "tal" torcedor que jogou a bomba do estacionamento bambi.

Disse a reportagem que prenderam um rapaz, deram o nome e disseram que ele já era um conhecido fabricante de bombas caseiras e que foi pego nas imediações do privadão no dia do jogo com bolas de sinuca no bolso, que são usadas na fabricação....

Agora o que vcs acham? Plantada ou não ???

Renato disse...

Fora que se pegaram, era famoso e foi ele, porque não anuciaram no dia???

ta me cheirando a marketing do mal

Verdaço disse...

Ao simpatizante do timeco sujo.....vossos jogadores não fazem uma " bicicleta".....elas dão BICHACLETAS!!
Entendeu ou quer que eu desenhe,ô bixinha?