05 janeiro 2011

Desesperança

Voltaram de férias os vagabundos que protagonizaram no final do ano passado o vexame que condensa o nosso sofrimento de uma década. Peço licença então para voltar a um certo domingo de janeiro de 1990 (ok, dia 28), quando eu, ainda muito muito moleque, abri o jornal logo cedo e vi a manchete: “Palmeiras inicia mais uma temporada para sair da fila”. Era algo assim, talvez com outras palavras, mas o impacto da mensagem ficou na minha cabeça desde então. Havia na matéria um tom de desesperança, como se aquele time estivesse iniciando mais um ano de sofrimento para a torcida, e como se nada fosse possível para tirar o gigante Palmeiras daquela situação em que os títulos só se aproximavam para que, na iminência deles, fôssemos apresentados a derrotas improváveis.

O alviverde, quase 14 anos sem um título sequer àquela altura, jogou na tarde de domingo contra a Ferroviária, no Canindé – era a isso que fazia referência o jornal. O time venceu, em um típico 1-0 contra o time de Araraquara – o placar se repetiria, então de maneira triunfal, nos anos de 1993 (lá) e 1995 (aqui), sempre pelos pés de Edmundo. A questão toda é uma só: a desesperança de hoje é ainda mais intensa que a daqueles anos aparentemente tão sombrios.

Pode ser fruto do meu amadurecimento em duas décadas, do sofrimento acumulado em quase sete centenas de jogos no estádio ou mesmo do cenário caótico em que estamos mergulhados, mas o fato incontestável é que nenhum palmeirense com um mínimo de senso crítico pode esperar por algo de positivo da temporada que se inicia agora. É verdade que o futebol costuma nos surpreender a toda hora, mas isso só tem acontecido contra o Palmeiras - e nunca a favor.

É então que, confrontado com a notícia de que voltaram de férias os vagabundos que conseguiram impor à torcida alviverde um vexame sem precedentes há 40 dias, eu passei a invejar um pouco a sensação daquele menino que, 21 anos atrás, leu o jornal e enxergou algo além da desesperança por trás daquelas poucas palavras. Senti inveja da inocência de quem não sabia o que se passava nas alamedas do Palestra Italia e, portanto, se permitia sonhar com a redenção ao final da temporada.

O título não veio em 1990. Também não em 1991, tampouco em 1992. Mas 1993 chegou e marcou o início de sete anos de títulos em profusão e de elencos que, de tão bons, conseguiam vencer os adversários e também o próprio Palmeiras. A esperança reprimida do início dos anos 1990 abriu espaço para outras sensações, e o futebol passou a fazer ainda mais sentido do que antes.

O problema é que agora, depois de tanta demonstração de incompetência, de vergonhas que se sucedem uma após a outra e de acompanhar ano após ano um time que avança de maneira inacreditável na arte das derrotas absurdas, o palmeirense já não se permite nem mesmo o direito à ilusão comum a cada início de temporada. Longe de imaginar quem será o destaque da temporada ou até onde poderemos chegar em cada competição, o torcedor já se prepara para novos fracassos e para mais crises criadas dentro de casa e até especula, diante da mais uma vez convidativa tabela da Copa do Brasil, contra qual pequeno e desprezível clube vamos cair dentro de casa.

Em meio aos ídolos que fracassaram no retorno, à completa falta de reforços, aos dirigentes que só sabem criar problemas em vez de resolvê-los e diante de uma negociação desproposital e constrangedora com este certo vagabundo que já foi jogador de futebol um dia, tudo é desesperança. E agora, para piorar, sequer temos um lugar para chamar de casa.

19 comentários:

Paulo Vitor disse...

Falou tudo cara.

Mais um ano que se inicia e a mesma desesperança de todo inicio de ano, já até parei de buscar noticias sobre o verdao nas midias esportivas pois só tem noticia ruim a respeito de nossa grande SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS. Brigas, crise financeira, vaidade de jogadores e por ae vai. LAMENTAVEL.

Abraços.

Ótimo Blog.

Luan disse...

ta brabo!

Felipe disse...

Entendo todos os desesperos e compartilho de quase todos eles.
Discordo levemente sobre o episódio Ronaldo Gaúcho. Apesar de não estar na sua melhor forma e fase, ele ainda é um jogador valioso para nós. Ou vai dizer que ele não tá melhor que o Valdívia? Sem falar no marketing e o dinheiro indireto que ele trará para o Palmeiras, coisa que a gente precisa e muito.
Mas para isso, teremos que ter um braço firme para fazer com que ele ande na linha, o mínimo possível.
No entanto, discordo veementemente com a sua revolta sobre não termos casa. Poxa, qualquer Palmeirense em sã consciência quer ter um estádio digno do primeiro mundo. Amo o Palestra Itália como ele era, mas se deixarmos o amor e o ego de lado, vemos que se compara a um estádio da segunda divisão inglesa ou espanhola. E um dos maiores times do mundo, não merece um estádio antigo.

E agora? Vamos rezar...
Forza!

Barui disse...

ótimo, então pare de torcer para o Palmeiras, e torça pros bambis, ou gambás, ou o time de pesqueiros... ja dizia o proverbio, se a esperança morre, morre tb a vida, então se a desesperança em vc em relação ao Palmeiras não há tb um coração torcedor que bate, e sim q ja parou de bater... Ser Palmeirense não é opção, e não somos nós que escolhemos torcer para esse time, e sim esse glorioso time Alviverde que escolheu a nós verdadeiros torcedores. Num é pq perdemos pra time sem expressão nacional, q vou abandonar o meu Palmeiras... Acreditar sempre... desonrar o verdão Jamais. Serei Palmeirense Confiante nas vitorias ate o meu ultimo suspiro de Vida, ate mesmo que ate esse suspiro meu, meus olhos não vejam meu Verdão ganhar um só jogo.
Ps. Não discordo com as criticas que fez sobre tudo que acontece nos bastidores do Palmeiras, realmente é a pior de todos os tempos... mas a Sociedade Esportiva Palmeiras, é maior do que qualquer Gestão ou Jogador.
Torcedor Verdadeiro é assim, se quarta ou domingo tem jogo, estamos lá torcendo e acreditando sempre.

Forza Palestra disse...

Felipe
Respeito sua opinião, Felipe, mas entendo que o efeito marketing do tal Gaúcho nunca poderia ser equiparado ao do Ronaldo no SCCP, por exemplo. São casos diferentes, o vagabundo aí tá a fim só de comer em churrascaria e encher a cara nas baladas e não vem – se e para onde vier – com nenhum comprometimento. Eu não quero vagabundos assim no meu time. Ele vai mais arrombar as finanças do que trazer qualquer tipo de resultado. O Ronaldo fez uma negociação honesta com o SCCP; o Gaúcho está fazendo um leilão absurdo e os valores ventilados pela mídia são abusivos e certamente trariam complicações financeiras ainda maiores para um clube já afundado em dívidas.
Quanto ao estádio, também respeito o seu pensamento, mas a minha visão de futebol é completamente outra. Em muitos casos, a dignidade de um clube da segunda divisão inglesa é bem maior que a de um Chelsea da vida. Mas enfim, é como eu penso o futebol.
Valeu pelo comentário e abraços

Barui
Cara, numa boa: quem é você pra falar alguma coisa de mim? Eu nem te conheço, e você tem mais é que pensar antes de escrever tanta besteira em espaço tão curto. Dá pra sentir que você não entendeu (ou não quis entender) nada do que eu escrevi. Quem é você pra falar do meu sentimento ou da minha dedicação pelo Palmeiras? Quem é você para falar de ir a estádios? Quem é você para falar de ir atrás do time mesmo na hora em que não se acredita nele? Quem é você para falar em torcedor verdadeiro? Quem é você para falar em “desonrar o Verdão”? E desde quando eu comparei Palmeiras com dirigentes ou jogadores? Desde quando eu dei importância para jogadores, porra? Numa boa de novo: vai tomar no meio do seu cu!

Barui disse...

Vou te falar quem sou... "Ninguem". Como ninguém é perfeito, ja sabes quem eu sou!hahaha, Mas na boa mano, sou somente um torcedor apaixonado, e em nenhum momento do meu comentario eu falei alguma baixaria, ou ofendi vc... e não espere q vou igualar a seu nivel pq não vou... desde o anunciado eu vi bem que tipo de pessoa vc é... nem precisa escrever essas baixarias... vc deve ser um bamby reprimido isso sim... agora na boa, antes de postar alguma coisa na net, ja post sabendo que quase a maioria vai discordar do que disse, pois a net não é sua e a razão tb não... assim como tb a minha... não vale nada... mas volto a dizer, se te ofendi, me perdoa não era essa a inteção. abraços...

Isabella disse...

Boa tarde! Sempre leio seu blog e, como todas as vezes, ótimo texto! Parabéns pela dedicação que tem ao nosso Pameiras!
E forza a todos os palestrinos!

José Antonio disse...

Barui disse:
"em nenhum momento do meu comentario eu falei alguma baixaria, ou ofendi vc... e não espere q vou igualar a seu nivel pq não vou..."
e
"...se te ofendi, me perdoa não era essa a inteção. abraços..."

huahuahuahuahuahua

Que papinho de revistinha de fofoca hein...

Agora sim vi quem é o BAMBI enrustido.
VAI TOMAR NO MEIO DO SEU CU.

Forza Palestra

Luan disse...

Barneschi, esse tal de barui mexeu aonde não devia. Nunca em hipótese alguma da vida pode-se chamar um Palestrino de verdade de bambi. Isso não se admite! É mexer no fundo da alma alviverde!
Podem me chamar de qualquer coisa, de filho da puta, de qualquer coisa, menos de bambi. Tenho medo do que pode acontecer a esse imbecil depois dessa infelicidade tamanha que foi te chamar de bambi. Que ele receba o que merece.


AVANTI PALESTRA!

Anônimo disse...

é triste sim....é exatamente este sentimento que tenho pelo ano que se inicia.....eu ja começo o ano imaginando as desculpas que terei que dar ao longo do ano....PQ Palestrino não deixarei de ser, e vergonha continuarei passando.....mas que assim seja!!! antes um palestrino envergonhado com as derrotas momentaneas do seu time do que um maldito bambi "orgulhoso" com o seu time de novela !!!!


PS - MUDANDO DE ASSUNTO - domingo devo ir a jaguariuna assitir o sub do palestra x mirassol, pois é pertinho daqui e será num horário bom (14h00). Alguem aqui tb pensou em ir?

abs,
Porco Careca.

Forza Palestra disse...

Barui,
Seu comentário fala por você. Meu blog fala por mim.

Fábio Niterói disse...

Tristeza não tem fim, felicidade sim. Às vezes penso, será que esta profecia já se cumpriu para nós palmeirenses? A desesperança é muito forte, só não digo que acabou de vez porque ainda me resta ânimo para acompanhar todos os jogos do Palmeiras em 2011. Tenho assistido a reportagens sobre torcedores ilustres do América, do Bangu, do Juventus. Estes clubes não se comparam ao Palmeiras, obviamente, pois mesmo no seu ápice brilharam tanto como a Lua ao lado do Sol. Mas começo a sentir uma identificação com estes senhores: estamos ficando curtidos pelo sofrimento sem fim, como eles. O consolo é que tudo aquilo que foi curtido, como se sabe, não estraga.

south park disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Que não seja permitido que este cara que um dia jogou futebol enfie aquela cara de cavalo-marinho no manto alviverde...

O pior é que a falta de competência destes VELHOS MALDITOS só leva a uma "atitude" que ridiculariza o nome da SEP. Sem fundamento e sem consistência.

Sempre e sempre, e de novo e de novo, outra vez e outra vez...

Palavras ao vento fruto da demência senil que assola o maior clube da história do Brasil.

TÁ FODA! REALMENTE TÁ FODA.

Abs,

Gabriel, verde até o osso

Rafael disse...

engraçado como nossos dirigentes tem memória curta:

1. Keirrison...moveram montanhas pra trazer o cara 3 meses antes do que deveria. O que o cara fez??

2. V. Love...fizeram mundos e fundos pra trazer o cara. Adiantou de que?

3. Valdívia...vende o cara por 8 milhões e 2 anos depois compra por 12...ajudou no que o time?

esses filhos da puta da diretoria tem que parar de ser deslumbrados com jogador de nome

Anônimo disse...

TUDO ISSO PQ VCS SAO PEQUENOS CHUPA PORCADA

Filipe disse...

Texto perfeito e consciente. Por todos os motivos que vc citou, não dá pra ter ilusões de algo melhor nesse ano.

Fábio Niterói disse...

Aproveitando a deixa dos colegas, acho que todo palmeirense consciente já tem claro que nossos presidentes e diretores reúnem absolutamente tudo o que há de pior, em doses cavalares. Eles são exemplos de livro. Vejamos: desrespeito ao torcedor palmeirense; deslumbramento com falsos craques; idolatria ao futebol "moderno"; vaidade; gosto pelo poder; falta de critério em tudo, não só para contratar; esclerose; incontinência verbal; amadorismo; paternalismo; falta de visão histórica, que é: não saber avaliar o passado, não saber o que é a grandeza do Palmeiras.

Cesar disse...

Infelizmente começamos mais um ano dessa maneira... nos últimos anos vinha achando que isso seria até "bom", pois é aquela história quando menor a abrangência dos nossos sonhos dói menos a queda quando eles não se realizam, o problema é que esse sonho com o qual nem sonhamos mais é uma realidade cada vez mais distante...

Ao Barui, não confunda desesperança com abandono, o Palmeirense pode até achar que o time não tem chances, mas na hora do jogo ele vai ao estádio para ajudar o time a ter chances!!