30 novembro 2010

Uma torcida que não tem time

São Caetano, ASA/AL, Paulista, Santo André, Ipatinga, Ixpót, Vitória, Atlético/GO, Goiás. Esses times todos, um menor que o outro, superaram o Palmeiras em confrontos eliminatórios na última década. À exceção do Ixpót e do CAG, eles todos fizeram isso na nossa casa, diante de olhares incrédulos de um estádio sempre lotado. As eliminações vieram quase sempre no limite (nos pênaltis, no “gol fora de casa” ou coisa do tipo), mas com o agravante de serem sempre derrotas absurdas, daquelas que doem fundo na alma.

No mesmo período, sofremos ainda outras derrotas decisivas em casa, quando a torcida mais confiava, como se a presença de público fosse proporcional à decepção dentro de campo. Boca (2 vezes), Vasco, Flamengo e SPFW tiveram também a oportunidade de nos derrotar em casa. É tanta a incompetência palestrina que o clube consegue até protagonizar fracassos retumbantes em campeonatos de pontos corridos, como provam as derrotas vexatórias para Atlético/MG e Botafogo na última rodada dos Brasileiros de 2007 e 2008. Isso para não falar no fato de o clube colecionar derrotas na comemoração do seu aniversário: 2004 (Cruzeiro e SCCP) e 2010 (Atlético/GO), para ficarmos em alguns exemplos.

Se voltarmos ainda mais no tempo, aos anos da fila, podemos nos lembrar de coisas como XV de Jaú, Inter de Limeira, Ferroviária e Bragantino, todos eles, exceção feita ao último, proporcionando decepções profundas à nossa torcida aqui em SP mesmo.

Não há um clube grande sequer que tenha sofrido tanto com rivais inexpressivos dentro de casa. Não existe sequer margem de comparação. Mas o que mais impressiona na trajetória palestrina nesta década é a capacidade inesgotável de avançar sempre um pouco mais na arte das derrotas absurdas, inexplicáveis e impossíveis (só o Palmeiras foi roubado na disputa de pênaltis, só o Palmeiras conseguiu ceder um empate em 4 a 4 depois de igualdade em três gols fora, só o Palmeiras tomou uma virada de 3 a 0 para 3 a 4, só o Palmeiras perdeu três pênaltis seguidos em uma decisão, só o Palmeiras perdeu para clubes rebaixados, eliminados e sem salário. Só o Palmeiras). Acreditem: o Palmeiras sempre é capaz de novas façanhas. Sempre dentro de casa e sempre diante de um estádio lotado, como que se tivesse o alviverde uma atração pelo sofrimento da multidão que vai atrás dele.

A dor da derrota de quarta não passou ainda - e nem vai passar. Ouso dizer, ainda que seja pouco o tempo para curar a ferida, que foi a pior derrota que já sofremos em meio a esses tantos absurdos. O passar dos dias apenas ratificou a sensação de que nunca uma derrota doeu tanto na alma palestrina. Enquanto as imagens da noite de quarta insistem em povoar a memória, o sentimento que fica é o de traição, e eu nunca conseguirei perdoar todos aqueles que desonraram a nossa camisa no Pacaembu.

Resta saber até quando vamos confiar na grandeza do time e até quando vamos acreditar que seremos capazes novamente de pisar na cabeça dos times pequenos em vez de sofrer humilhações em casa.

***

O título do post, os mais atentos já devem ter percebido, foi copiado da coluna de Ugo Giorgetti no Estadão de domingo. O primeiro a me ligar para falar sobre esse texto foi o FH, mas depois conversei sobre isso com outros palestrinos. Faço questão de publicar a imagem:


***

Se os vagabundos não tivessem feito a merda que fizeram na quarta, o clima em Barueri seria bem diferente. Não haveria revolta da torcida, e o jogo contra o Fluminense seria encarado de outra maneira. Mais até: se não tivessem feito merda, os vagabundos sequer precisariam ir até Barueri e nada disso teria acontecido. Nem ninguém estaria falando besteira agora.

O ponto é: quem, como eu, foi a Barueri no domingo não merece crítica alguma. As críticas devem ser dirigidas aos vagabundos que desonraram a nossa camisa na quarta. A truculência da torcida em Barueri foi resultado dessa derrota e da soma de todos os fracassos dos últimos anos. Eu entendo e aceito todas as manifestações da torcida, desde que sem violência. Qualquer tipo de crítica feita à torcida ignora as circunstâncias do jogo, a rivalidade com o SCCP e tudo o que tem acontecido no último mês. Mais até: ignora o fato de o futebol ser movido por paixão.

O curioso é ouvir a expressão “verdadeiros palmeirenses” (como se fossem os que ficaram em casa em vez de ir a Barueri) da boca de jornalista vagabundo que defende os pontos corridos ou mesmo de torcedores palmeirenses que nunca fizeram muita coisa para defender o clube. Tem gente aí que se vendeu à hipocrisia barata e ao politicamente correto que impera nos dias de hoje.

AQUI É PALMEIRAS!

28 comentários:

Anônimo disse...

Defender o clube é entregar o jogo?

Sem mais.

Luiz disse...

Tem uma parte de uma música do Huracan que expressa perfeitamente o nosso sentimento:

♪♫♪ Y si perdemos, tampoco me hago problema, soy cada día mas hincha, del Globo y de la Quema!! ♪♫♪

Não tenho muito o que falar, pois ainda não digeri o que aconteceu. Espero que as coisas mudem na próxima década.

Forza Palestra disse...

E os moralistas e falsos hipócritas seguem com os comentários vazios...

Rafael disse...

Tal qual André Rizek, o sr. Kfuro estava esbravejando ontem no Linha de Passe, sobre a entrega e sobre a torcida torcer por uma derrota do próprio time.

Até o ranzinza e antiquado Zé Trajano rebateu tal afirmação, ao dizer que o jogador deve prestar contas à sua torcida, e que uma eventual vitória ou empate seria alimentar ainda mais a ira da torcida após a eliminação.

Os caras tem memória fraca...esqueceram completamente do ano passado...

abs pilantra!

alemão disse...

sou palmeirense desde1976 e fui ver meu time campeao apos 17 anos em 1993, por este e por outros motivos sou movido a paixao por este clube que é nada mais e nada menos a minha vida e tenho por ele o mesmo sentimento de amor e paixao que tenho por minha mae e minha filha. nao vivo sem nenhum deles!
mas o Palmeiras é especial, sei que minha mae e filha sao mortais assim como eu, mas o Palmeiras é IMORTAL é GRANDE e isso eu nao admito que o tirem.
na minha vida pessoal e profissional eu nunca passei por nenhuma humilhacao ou sentimento de vergonha tanto quanto esta ultima decada com esses jogadores medicres e vagabundos vestindo a camisa do Palmeiras.
sou Palmeirense por vocacao, por amor pela paixao incondicional a um clube de futebol que proporcionou ate hj a maior alegria da minha vida... O MARCOS PEGANDO O PENALTI DO MERCELINHO EM 2000....nada nessa vida foi tao intenso e maravilhoso como aquele momento.
nessa ultima quarta-feira estava na bancada ali na Mancha Verde catando...A TAÇA LIBERTADORES OBSESSAO TEM JOGAR COM A ALMA E O CORACAO, OLÊ...OLÊ....esse grito ecoou e fez as arquibancadas do Pacaembu explodirem apos o nosso primeiro gol. Naquele momento eu parei de pular por um segundo e pensei: é isso! sao essas demonstraçoes de amor e paixao que emana de cada um de nós que faz eu ser tao apaixonado por este clube. Sao momentos como aquele que nao me faz desistir que me dao forças e me enchem de orgulho por fazer parte dessa NAÇÃO MARAVILHOSA que é a TORCIDA DO PALMEIRAS!
As minhas alegrias ultimamentre é ir ao estadio e ovacionar nao aqueles que vestem a nossa gloriosa camisa e sim ser um narcisista convicto de amar e idolatrar a nós mesmos...A NAÇÃO PALMEIRENSE.
estou mau ate hoje, quase uma semana depois daquela quarta-feira fatídica, estou de luto, com ódio se eu ficar um segundo sem alguma atividade penso em tudo aquilo que aconteceu e seguro as lagrimas. A revolta é grande!
mas como dizia um amigo que já se foi...se o Palmeiras ganhar ficarei feliz e o amarei sempre. Agora se o Palmeiras perder eu o amarei com mais intensidade eu vou segui-lo com mais braveza porque ele é a razao da minha existencia!
vou terminando por aqui, porque as lagrimas rolam soltas.
Atte. Alexader Parro.

Sylvio Toshiro disse...

Não, defender o clube não é entregar jogo. Defender o clube é não compactuar com baboseiras impostas pela mídia e por uns falsos moralistas de merda.
Vamos aos fatos, o Palmeiras não correu por si, vai correr pelos outros? Quer dizer além de humilhados na quarta ainda teriamos de aguentar mais gozação de outros por temos feito por eles o que não fizemos por nós?
A verdadeira tragédia de domingo não está no comportamento da torcida, está na escolha impossível que aqueles que mandam no clube a submeteram! Quem apequena o Palmeiras são aqueles que ano após ano o submetem a sua incompetência e estupidez.

Anônimo disse...

Quando foi que perdemos a honra e a dignidade?

Sem mais, mesmo.

Anônimo disse...

2007 não foi o ano em que ganhamos as 3 das gambazada?

3x0 no paulista
e
1X0 e
1X0 no brasileiro?

Forza Palestra disse...

Tem razão. Eu me confundi com tantos jogos e números. Já vou tirar de lá.
Abraços

Sergio Mendonça disse...

Ola amigo, retornava do jogo domingo e pude ouvir o Sr.Felipão ou melhor Sr."Fanfarrão" dizendo que os verdadeiros palmeirenses eram os que estiveram na quarta-feira no Pacaembu e que somente havia torcedores do Fluminense em Barueri. Ele pode dizer o que bem entender, porém deve respeitar a torcida do Palmeiras, pois afinal ela o respeita demais, acho que até muito mais do que deveria, para mim ele tem grande parcela pela derrota ocorrida frente ao time goiano, bem como não tem conseguido ganhar um único classico no segundo semestre.

Forza Palestra disse...

Fala, Sergio! É bem por aí mesmo: nego pode até não concordar com a postura de quem esteve lá em Barueri (como eu e você), mas aí é um pouco demais ouvir esse tipo de declaração de alguns figuras que nunca colocaram os pés numa arquibancada. Ouvi isso também do Felipão, mas vou até relevar: meu recado é mais para jornalistas canalhas e para torcedores que vêm agora contestar o direito de se revoltar com esses vagabundos que nos tiraram da final da Sul-Americana.
E concordo também: o Felipão teve muita culpa na derrota.
Abraços e obrigado

Paty disse...

Triste constatação que somos uma torcida sem time!E muito triste ver essa patrulha dos moralistas.
Gente que como eu, ficou em casa torcendo contra e concordando com vcs que estavam lá e agora jogam pedras.
Tantos problemas que nos temos e criticamos a unica coisa boa que nos resta que é nossa torcida.

Forza Verde disse...

Deixarei minha honestissima opiniao. Bem simples e facil de ser compreendida:

VAO TOMAR NO CU, VAO PRA PUTA QUE LHES PARIU, FODAM-SE TODOS AQUELES QUE VEM COM ESSE PAPO FURADO E HIPOCRITA.

QUEREM FALAR DE MORAL E ETICA? POIS PEGUEM UM LIVRO E ENFIEM NO MEIO DO CU DE VCS.

VAO A MERDA TODOS VCS.

VERDADEIRO PALMEIRENSE E' AQUELE QUE TORCEU CONTRA O PALMEIRAS DOMINGO. E AS RAZOES PRA ISSO JA SAO MAIS DO QUE CONHECIDAS E PERFEITAMENTE EXPLICADAS PELO BARNESCHI, MAURO C.PEREIRA...

Forza Verde disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Moral e ética, a Unimed compra.

"VERDADEIRO PALMEIRENSE E' AQUELE QUE TORCEU CONTRA O PALMEIRAS"

Quando foi que perdemos nossa dignidade?

Forza Verde disse...

Em tempo, guardadas as difernças de opinioes, é inacreditavel a capacidade de escrever merda que mtos tem. O que tem de imbecil, de otario, de babaca escrevendo merda em blogs da tal "Midia Palestrina" é extraordinario. Mas os piores estao no Cruz de Savoia incluindo Seo Cruz que proporcionou um texto infeliz (pra nao dizer ridiculo) e naquele que se acha o dono do 'Mondo'. PQP! Como tem gente mediocre.

Forza Verde disse...

Esse anonimo CAGAO ai acima é um exemplar perfeito dos otarios aos quais me refiro. Ser ridiculo com as merdas que escreve é, ser homem de colocar o nome nao é.

Cesar disse...

É como eu costumo dizer, o jogo deles é jogo nosso tbm e vice-versa!!

A rivalidade nos proporciona isso, vai além apenas da alegria da vitória do nosso time, um torcedor apaixonado sempre vai torcer contra o seu rival pois a sua derrota eh a nossa vitória, o Palmeiras não se prejudicou perdendo domingo, mas prejudicaria a sua torcida se ganhasse, o time tem que jogar pra Torcida, e ponto...

Anônimo disse...

Nem todo o Palmeirense concorda com esse bobalhão do Forza Verde, que só sabe xingar como uma criança de 8 anos de idade. Nem todo Palmeirense é a favor de ficar ameaçando jogador pra entregar jogo, essa coisa lastimável. Várias torcidas pediram pra entregar seus jogos (acho até justo), mas ninguém chegou a esse ponto - foi ridículo. (Uma parte) da torcida tem que ter a autocrítica de ver que também está fazendo merda com essas atitudes infantilóides, coisa de gente que NÃO tem o que fazer. Tem muita coisa errada no Palmeiras, como esse blog costuma denunciar, mas será que também não está na hora de repreender alguns supostos "apaixonados", que fazem arruaça, influenciam na diretoria do clube e só jogam o time cada vez mais pro buraco? Fica a dica...

Bruno Prado disse...

Não vejo nada de errado em entregar o jogo pra tirar dos gambás o título. Não somos obrigados a colaborar com o sistema de pontos corridos só porque o impuseram. Não é o melhor sistema e pronto ué. Se esperam bom senso dos times, façam alguma coisa a respeito, mudem o formato. Admiro o Deola que se esforçou, ele como profissional fez o que tinha que fazer. Porém você dises bem: quantas vezes só esse ano fomos ao estádio e gritamos mais de 90 minutos e o time não fez a parte dele?
É só colocar na balança.
Ciao.

Caio disse...

O Palmeiras precisa voltar aos anos 60 em questão de títulos, ou então a era Parmalat. Um time dessa grandeza não pode se contentar em ganhar só um título da Série B e um Paulistinha em toda uma década. Eu tenho 13 anos, e não me lembro de títulos expressivos do Palmeiras. Mesmo a Copa Mercosul e a Libertadores de 99, eu era muito pequeno e nem sabia o que era futebol. Corinthianos, São Paulinos e Santistas todos se lembram de títulos expressivos de seus times. Libertadores no caso do São Paulo, Copa do Brasil no caso dos outros 2, e os tres conquistaram um Brasileirão. E o Palmeiras? Espero que essa próxima década seja bem melhor do que a década que passou.

Antonio Peregrino disse...

entregar jogo é errado. Jogadores nao tinham que correr a menos nem a mais, jogar normal. So isso. Nao tinhamos que ajudar, nem tinhamos que atrapalhar. Digo mais, se o Palmeiras ganha ou empata com Fluminense, aceitaria as brincadeiras de outros torcedores e responderia: diria que meu time é grande demais para fazer baixarias. usaria de exemplo para meu filho que viu o jogo comigo e diria satisfeito para ele que o nosso time tem espirito e coracao de time grande. Sem mais.

Anônimo disse...

SENSACIONAL, VC DISSE TUDO. E AINDA TEMOS QUE OUVIR , OS VERDADEIROS PALMEIRENSES TORCEM PARA O PALMEIRAS...QUERO Q O SCCP SE FODA E A IMPRENSA DE SP TBEM...
QUANTO A DECLARAÇÃO DO FELIPE SCOLARI, ELE FALA QUE ESSA IMPRENSA DE MERDA QUER OUVIR, ACHO QUE TODOS QUEREM FODER ELE....NÃO DEVEMOS LEVAR A SÉRIO O QUE O FELIPÃO FALA NA IMPRENSA QUE SÓ TEM GALINHADA

Nespoli disse...

Cara,por isso gosto dos seus textos. Não sei como vc ainda tem estômago pra escrever tão bem, ainda não digeri a derrota para o Goiás e vai ser difícil digerir.

Além do seu ótimo texto, copiei uma parte do texto do Ugo que acho que reflete tudo que pensamos e somos pelo Palmeiras.

"Talvez essa torcida magnífica tenha tomado pra si, independente dos resultados, dos dirigentes e do resto, a defesa do nome e da grandeza desse clube. E, se alguma coisa puder mudar essa situação humilhante, ela virá dessa multidão que, sem arena, sob chuva, sol, e mal-acomodada, enche qualquer estádio para ver esse time perder."

Anônimo disse...

Concordo, com muitos dos comentários aqui postados. O Ugo Giorgetti, mostrou-se um grande palmeirense, mas acho que exagerou, somente no comentário: "Um time que tem uma torcida". Vejam a média de público do campeonato deste ano.O 14ª lugar neste ranking, não é muito pouco, para a 4º torcida do Brasil?
Chegaram, Kléber "gladiador", Valdívia "Mago" e Felipão. Pode descontar, a "mudança de casa", mas nada justifica, o 14º no ranking.

27.446 Corinthians/SP (19)
23.467 Ceará/CE (19)
21.993 Fluminense/RJ (18)
19.198 Grêmio/RS (18)
18.945 Flamengo/RJ (19)
18.728 Botafogo/RJ (19)
16.738 Atlético/PR (18)
16.630 Internacional/RS (19)
16.065 Cruzeiro/MG (18)
14.978 São Paulo/SP (18)
14.785 Vitória/BA (18)
14.467 Vasco/RJ (18)
13.447 Atlético/MG (19)
10.971 Palmeiras/SP (19)
9.447 Avaí/SC (19)
9.206 Santos/SP (18)
7.891 Atlético/GO (19)
7.739 Guarani/SP (19)
6.804 Goiás/GO (18)
4.754 Prudente/SP (18)

Forza Palestra disse...

Anônimo,

Começo por dizer que você tem um seríssimo problema com vírgulas. A bem da verdade, embora sério, parece ser fácil de resolver, uma vez que você consegue errar simplesmente todas as vírgulas entre o sujeito e o predicado. É uma coisa que salta aos olhos. Vá se tratar, por favor.

Quanto à média de público, ela é reflexo de uma série de fatores: pontos corridos, um time que passou 80% do campeonato sem qualquer aspiração, jogos em Barueri e depois até mesmo no interior mesmo, partidas disputadas sem que o Palmeiras tivesse qualquer interesse e mais o que você quiser. A torcida se concentrou em um único campeonato e deixou de lado este Brasileiro modorrento e que só deve agradar a uma meia dúzia de boçais que defende os pontos corridos até a morte. Sua ironia não funcionou, caro inimigo da vírgula. Não mesmo. O que está por trás do texto do Giorgetti (e dos meus também) não diz respeito a um único (e atípico) campeonato.

Anônimo disse...

Sim, sou o inimigo da vírgula.Obrigado pela constatação, daqui pra frente, estudarei a vígula e essa colônia italiana/preconceituosa chamada palmeiras.

E se não diz respeito a um único campeonato, é uma pena, que nos faltam dados e fatos na última década.

Infelizmente, as inúmeras críticas à imprensa, jornalistas, forma de disputa do campeonato e rivais em geral, levam à um só caminho: O da Lusa.

Anônimo disse...

Vou falar uma coisa como Palestrino que sou. Realmente Ugo Giorgetti exagerou no ponto da torcida. Eu duvido, e apostaria o que fosse, que se a maioria dos palmeirenses não tivesse a certeza que passaria pelo Goiás, teria tanta gente no estádio. Duvido. Quantas vezes não fui ao estádio, quando 'não tínhamos mais chances', pelo menos teoricamente falando, e para os mais céticos. Quantas vezes estava no estádio, e não via mais do que 5 mil torcedores. Então não venha com essa!