03 julho 2010

Aguante Celeste!

Eu já tinha outro post pronto para publicar hoje, mas ele vai ter de esperar. A façanha do Uruguay não pode passar em branco. A façanha do Uruguay precisa ser vivenciada, enaltecida e eternizada nas mentes e nos corações de todos aqueles que amamos o futebol de verdade. A façanha do Uruguay, peço que me entendam, não é chegar entre os quatro; longe disso. Maior do que isso, a façanha do Uruguay é chegar à semifinal da maneira como se deu a classificação de hoje. A façanha do Uruguay é fazer reviver o futebol em meio ao festival de bizarrices que tem vitimado o futebol nesses tempos de futebol tão, como é mesmo a palavra?, modernos.



Chegar entre os quatro, acreditem vocês, não tem o mesmo valor que chegar até lá da maneira como chegou o Uruguay. Mesmo um título pode não significar tanto, porque nem todos os títulos são obtidos por times que jogam como se estivessem em uma guerra. Nem todos os títulos são obtidos no campo de batalha, com o gosto de sangue na boca e com a dose de sacrifício que se requer de um verdadeiro campeão.

O Uruguay mostrou o que é futebol - e o futebol é guerra, porra! O Uruguay, este pequeno grande país, mostrou ao mundo que o futebol resiste a tudo e a todos, e ele às vezes precisa mostrar isso em grande estilo. Precisa reviver pelos pés (e pelas mãos) de um bravo e guerreiro país encravado entre dois outros gigantes latino-americanos. E precisa fazer isso bem debaixo dos olhos de dona Fifa, porque o futebol é mais forte que ela.

Dirão os idiotas, aqueles que gostam de futebol bonito, que o Uruguay chegou a ser dominado em parte do jogo, que só empatou no tempo normal e na prorrogação, que se livrou da derrota com um toque de mão no último lance, que só foi alcançar a vitória nos pênaltis. Dirão tudo isso, é verdade. Mas só dirão isso por não entenderem porra nenhuma do que é o futebol.

Dirão isso tudo porque são imbecis que só se interessam por futebol a cada quatro anos. Dirão isso tudo por desconhecimento e também um pouco por despeito. Dirão isso tudo por não compreenderem o futebol em sua essência. Dirão isso tudo por serem oportunistas que nos infernizam a vida por um mês a cada quatro anos. Dirão isso tudo por não conhecerem o sabor de uma vitória alcançada com sangue, suor e sacrifício. Dirão isso por não saberem que poucos países vivem o futebol como o Uruguay.

Deixemos que digam. Porque vai passar a Copa e o futebol voltará a ser nosso, de quem se importa com ele e de quem o vive na plenitude. Deixemos que digam. Para eles, não vai restar nada a não ser as tardes de festa, as cornetas no ouvido e a sensação de terem vivido algo que desconhecem. Nós ficaremos com o futebol e com a certeza de que ele vive em uma façanha como esta do Uruguay.

***

Suarez, um nome para a história. Suarez, um herói que se sacrificou pela pátria. Suarez, um monstro do tamanho do Centenario de Montevideo. Aguante Celeste!

11 comentários:

Myself disse...

Ótimo texto Barneschi, acompanhei o jogo todo e posso afirmar uma coisa, esses caras jogam com a ALMA, tomaram aquele gol nos acréscimos do primeiro tempo e não se abateram! Empataram o jogo no ínicio de segundo tempo e por pouco não viraram. Juro que vibrei demais na hora que o jogador de Gana perdeu o pênalti (e vibrei mais ainda quando ganharam nos penaltis, vibrei bem mais do que qualquer partida dessa selenike ai). O Uruguai pode não ser campeão, pode nem ir pra final, mas isso vai ficar marcado pra mim como uma das partidas mais heróicas que já assisti em mundiais (e jogos 'normais' tambem!).
Parabéns Suarez!
Quem dera nossos jogadores aqui tivessem metade dessa garra.

Rafael disse...

Myself assino embaixo. Foi de arrepiar essa partida, com certeza uma das melhores se não a melhor que já assisti numa copa. Acreditar até o ultimo segundo, a vontade, a raça desse time foi para deixar todo Uruguaio do tamanho do mundo de orgulho. Independente de se passarão ou não da Holanda eles escreveram os nomes na história hoje. E com certeza esse é um dos jogos que jamais esquecerei.

Robson disse...

impossivel não torcer pelo Uruguai depois de tudo isso. um time que joga a copa do mundo como quem joga uma libertadores. essa classificação teve cara de Palmeiras 99/00. aquele Palmeiras que quando parecia morto ressucitava e alcançava a classificação buscando forças sabe se lá onde. só faltou o Felipão no banco uruguaio.

Anônimo disse...

é só tudo isso mesmo que vc. postou, me esqueci da infeliz partida da seleção após essa épica conquista uruguaia, vai merecer um resultado assim na casa do caralho, parabéns celeste!!


Parmera

Paty disse...

Jogo inesquecível!Emoções que só o verdadeiro futebol pode nos proporcionar.Foi de arrepiar!!!!

Alexandre [SEP] disse...

Realmente.
E fico pensando, se fosse o Uruguay no lugar dos EUA x Gana, Gana não teria feito aquele último gol. Eu mesmo teria descido o cacete fora da grande área mesmo sob pena de martírio seco da imprensinha, rótulo de antijogo e anti fair play. Fifa, um câncer.

João Medeiros disse...

Meu caro Barneschi,

Já imaginou o bem que faria para o NOSSO futebol uma final entre Argentina x Uruguai? De preferência com o Paraguai numa das semi-finais?

Ao fim do jogo, meu único comentário (emocionado) foi: Caralho, isso é a cara do Uruguai !!!!!
A pessoa que estava ao meu lado perguntou: Como assim, a cara do Uruguai?
Olhei pra ela penalizado e disse: Esquece.

P.S: Ensinamento da copa: A imprensa esportiva brasileira é A PIOR DO MUNDO !!!!!!!!!!!!!

Claudio Yida Jr disse...

E essa mão salvadora do Suarez só comprova o tamanho da babaquice que é o tal fair play.

Alexandre [SEP] disse...

Argentina me pareceu europizada hoje, não vi fibração, equipe desorganizada. A Alemanha pela terceira vez jogou de modo que me impressionou.

Marca firme e toca rápido sem firula.

Eu não admiro astros de malabares.

victor briganti disse...

ei rodrigo, voce vai a Piracicaba amanha?

adao disse...

pena que o brasil guerreiro tomou na b*nda