26 setembro 2007

A batalha por um ingresso

Pouco mais de 18 mil pessoas pagaram para ver a vitória do Palmeiras sobre o SCCP, no domingo. Se é quase nada diante do que representa o clássico, muito se deve à fase dos times e, em grande medida, à transmissão ao vivo da emissora-câncer. Também se fala por aí da suposta violência, mas o que ninguém leva em conta é o impacto da recente decisão de não mais vender ingressos em dias de clássicos.

Não poucos torcedores chegam de mãos abanando ao Jd. Leonor. Opções: 1. alimentar a máfia dos cambistas; 2. voltar para casa.


Restringir a venda de bilhetes no dia do jogo é uma solução que não se explica de modo algum, ao menos não nos moldes atuais.

Não à toa, foi tomada na base da pressão de parte da imprensa esportiva (justamente aquela que nunca chegou perto de uma bilheteria) e dos incompetentes do 2º BP Choque.

O argumento é: evitar tumultos e brigas no lado externo.

Rebater é fácil: não há sequer um registro de briga, tumulto ou confusão envolvendo torcedores que compravam ingresso pouco antes de qualquer jogo, clássico ou não. O que existe é incompetência dos clubes e das empresas responsáveis pela venda, as tais BWA e Ingresso Fácil, que merecem prêmios pela extrema incapacidade em executar o que delas se espera.

Confusões já foram vistas em grandes eventos, em finais de campeonato, e é sempre na venda antecipada. Culpa de quem deveria ser responsável pela organização e pela logística do negócio.

Organização? Logística? Planejamento?

Já que falta competência para tanto, é mais fácil botar a culpa no torcedor, que, como sempre, assume o prejuízo.

Se querem institucionalizar a venda antecipada de ingressos, que dêem ao torcedor condições para adquirir os tais bilhetes.

O que não se pode é esperar que o povo seja submetido ao burocrático horário de vendas, aos locais nada acessíveis, aos prazos exíguos, às informações desencontradas e, o pior de tudo, às filas ocasionadas pelo 'genial' sistema da Ingresso Fácil.

Com tudo isso jogando contra, é revoltante ouvir os que defendem a venda antecipada de ingressos como forma de combater a violência (que violência?) nos estádios.

Enquanto sobrarem incompetência e hipocrisia, vai faltar público.

***

Enquete:

O que é mais negócio para os cambistas?

1. Jogos Nestlé?

2. Clássicos sem ingresso na hora?

16 comentários:

Craudio disse...

Acho que o maior problema é exatamente o horário de venda. Tirando o Vitor, que é um vagabundo, a grande maioria da população brasileira trabalha das 10h às 18h. E as bilheterias funcionam das 11h às 17h.

Inteligentíssimo!

Sobre a enquete, faltou a terceira opção, "ambos", que receberia meu voto.

Rodrigo disse...

Faltou citar o Luydy que, apesar de trabalhar, o faz num horário, digamos, pouco ortodoxo...

Pra quê horário de almoço né?

E o Vítor tem um exército de duendes para comprar os ingressos por ele.

Sobre as alternativas, faltou citar uma que foi tratada durante todo o texto:
3 - a incompetência de quem gerencia as vendas.

Afinal, na hora do saco cheio, de ver filas mal organizadas e horários toscos, mta gente prefere pagar a mais para não ter esses aborrecimentos.

E com essa 3a alternativa, eu sinalizaria a 4a: Todas as respostas anteriores.

Forza Palestra disse...

Pois é, japonês, o horário é esdrúxulo. Se querem que o torcedor compre o ingresso antes, que coloquem a venda em um horário decente. Do jeito que é (das 11h às 17h, só o Vitor pode. E nem isso ele fazia, pois, como bem observou o Almeida, ele mandava os duendes fazerem o serviço sujo. Agora, com a chacina das pequenas criaturas, ele terá de voltar a fazer isso.

Falando sério: o horário das 11h às 17h demonstra que os clubes não estão nem aí para o torcedor, pois não fazem o menor esforço para ampliar o acesso de quem quer que seja. Uma escrotidão só...

MANCHA IPIRANGA disse...

NESTLE EH PIOR!!!

luigi sep 1914 disse...

CHUPA, eu compro ingresso!
E outra coisa, pq o dono do blog fica falando de ingresso se ele não paga para entrar nos estádios?

CHUPA fregues!
Vi no outro comentario, q se falava de inveja...
Inveja?! Do que?
Temos mais titulos, mais vitórias nos confrontos direto, mais torcida, estádio, titulos internacionais...
Era só o que faltava...
Odia que eu sentir inveja de um gambá, eu me mato!!!

Lixos!

Craudio disse...

Apesar de ser totalmente contrário à presença do Luydy aqui, ele levantou uma questão importante: o Barneschi NUNCA compra ingresso pro jogo do time dele.

Só que, como sempre, Luydy escorregou e se deixou levar pela raiva incontida e injustificada. O Barneschi compra ingresso só pra ver os bambis...

FORA LUYDY!

vitor disse...

é exatamente esse o ponto q eu ia tocar...o cara reclama da falta de organização na venda dos ingresos???
só se ele estiver reclamando da tal falta de organização nos jogos do santos ou do vasco, já q pra ver jogo do PALMEIRAS ele nunca pagou um ingresso.

Craudio disse...

Vítor, vc está equivocado. O Santos e o Vasco também são os times do coração do Barneschi. Portanto, ele dá carteirada também...

É só jogo dos bambi que ele paga...

Craudio disse...

Ah, mas só pra não deixar passar batido. Admiro extremamente esse meu amigo, que abnega da sua condição privilegiada para defender os pobres compradores de ingresso e suas filas intermináveis.

Um franciscano, praticamente!

Precisamos de mais gente como o Barneschi no mundo. Ao contrário do Luydy, que despreza negros, nordestinos e gays, mas adora aquela vila cheia de barraco na Itália...

FORA LUYDY!

Forza Palestra disse...

Vejo que, em sua última mensagem, o calabrês do Oriente matou a questão.

O fato é que eu não preciso comprar ingresso hoje para saber o sofrimento que existe por trás de tal tarefa. Tampouco preciso passar pelo sofrimento para defender a causa. O calabrês bem sabe disso, pois defende as causas de bolivianos e piauienses mesmo sem carregar o fardo de ser um boliviano ou um piauiense.

Ademais, eu comprei mais ingresso que muito vagabundo aí. Foi assim dos 11 aos quase 20 anos e por mais três anos depois. Sei muito bem o que isso significa, pois já passei por apuros que jamais serão do conhecimento de certas pessoas. Hoje faço valer o meu direito.

No entanto, vou sempre defender o direito dos amigos.

Pena que sejam tão ingratos...

Luydy:
O correto é:
CHUPA! Eu NÃO compro ingresso!

Craudio:
Não entendi isso. Sempre que vou cumprir meu digno dever de lutar contra a sub-raça alienada, faço também valer o meu direito de não pagar ingresso.

Vitor:
Repito: você e os duendes ainda precisam de algumas décadas para igualar o número de vezes em que eu tive de comprar ingresso. Vai tentando...

Pra finalizar: a inveja é uma merda!

luigi sep 1914 disse...

Apenas um erro, Claudio... Desprezo, não! ODEIO!
Como odeio bambi, gambá, sardinha, urubu, bambis mineiros, etc...

Craudio disse...

O Luydy também não compra ingresso? Entra como acompanhante? hahahahahahhahahahahahahhaha...

Cara, minha observação foi feita com base em dados fornecidos por todo mundo que te acompanha no estádio.

Agora, realmente, é fato que vc comprou mais ingressos que o Vitor, por exemplo. Isso já foi até discutido aqui antes.

Ressalto novamente a grandeza do ato de defender as grandes causas. Ao contrário do nosso amigo mussolini.

HOLOCAUSTO DE BAMBI E NAPOLITANOS!!!

luigi sep 1914 disse...

Eu tenho o comprovante de todos os jogos nos quais eu fui...
Os levarei no proximo encontro no Puppy's...

vitor disse...

lógico q o cara comprou mais ingresso do que eu...ele tem 3 times, eu tenho um.

Forza Palestra disse...

É a velha história: a inveja é uma merda!

***

Ah, e vejam só: eu fico impressionando com a inveja de certos cidadãos, que não admitem o privilégio que um amigo tem de não ter de comprar ingressos para os jogos.

E aí vem com esse discursinho infantil de que "fulano tem 3 times e isso e aquilo". Não levam em conta que eu gosto tanto de futebol que me vejo no direito de ir a jogos de outros times: do Vasco, que é meu time no Rio; e de outras equipes que jogam contra SCCP ou SPFC. Como isso acontece bastante com o Santos, vem essa pataquada sem tamanho...

SENTA NO COGUMELO!

luiz uberlândia disse...

Rodrigo!,

fostes ontem ao morumbí?

abs,

Luiz - Uberlândia