01 setembro 2007

O Palestra e a segurança

O Clássico do Ódio aconteceu no Palestra Itália, como tinha de ser.

E nada de errado ocorreu, como já era sabido por todos.

Ou melhor, por quase todos. Menos por quem não queria saber.

Se foi assim, sem incidentes, em 2005 e 2006, em Libertadores, por que não seria agora, em uma simples rodada de Brasileiro?

Estádio mais seguro desta metrópole caótica, o Palestra foi vítima de uma perseguição sem precedentes nas últimas semanas.

Já havia falado sobre o assunto aqui, aqui, aqui e aqui.

Deixando de lado a ladainha leonor, típica desta corja que se arrasta pelos bastidores sórdidos do futebol, coloco em debate a postura da imprensa, que se prestou a um papel deprimente, e, o pior, da corporação que deveria se responsabilizar pela segurança do torcedor.

O clima de guerra criado antes do clássico atende apenas aos interesses do nosso inimigo. E é espantoso – ou não? – que a imprensa tenha mergulhado de cabeça, sem pensar, neste mar de lama.

Atiçada pelo próprio major do 2º BP Choque, que lançou bravatas despropositais muito antes, a mídia se lançou em uma cruzada contra o Palestra Itália.

De repente, parecíamos estar de volta a 1942.

Sem o mínimo de apuração, princípio básico do jornalismo, os veículos de comunicação encamparam o discurso sensacionalista da insegurança e do caos. A troco de nada. Sem questionamentos, criou-se um cenário caótico, em que parecia factível imaginar pessoas sendo executadas no meio da rua, em bairro nobre da zona oeste.

Ninguém foi investigar o histórico de brigas e/ou incidentes ocorridos dentro ou fora do Palestra. Tampouco houve quem se dignasse a fazer comparações com outras praças esportivas desta capital.

Estranho, não?

Nem tanto; se fossem atrás, a matéria cairia.

Pois não encontrariam nada que depusesse contra o Palestra.

Nada, absolutamente nada!

E não se trata de preguiça; foi pura má vontade.

Vou me ater a um único exemplo, a Folha de S. Paulo.

Abre do caderno de Esportes na quarta:
"Riscos do clássico vão da tabela às arquibancadas"

Até aí, tudo no embalo da cruzada anti-Palestra.


Na sub, o papelão da 2º BP Choque:
"PM recomenda 'disfarçe' e torce por frio e chuva"
Comprovação clara da incompetência da autoridade policial, ainda mais evidente com aquela aberração que é o isolamento entre as torcidas.
O problema maior, no entanto, era o abre da segunda página.
Manchete: "Estádio não tem padrão da Fifa para segurança".
Tendenciosa, a matéria deixou duas perguntas sem resposta:
1. Que estádio brasileiro atende a este tal padrão?
2. O que tem a ver a Fifa (e a Copa do Mundo, gancho da reportagem) com o clássico daquela noite?

Em linhas gerais, o papel dos demais veículos de imprensa não foi muito diferente do observado na FSP.

Sensacionalismo barato e ausência de apuração deram o tom.

Pior que isso, só mesmo o 2º BP Choque.

Para azar deles todos, PM, MP, FPF e mídia, não houve um genocídio nas imediações do Palestra Itália. As pessoas foram, viram o jogo e voltaram para suas casas.

Houve quem torcesse pela violência.

Até campanha fizeram.

A verdade e os fatos prevalecem.

Sigamos, pois, contra tudo e contra todos.

Melhor que seja assim.

6 comentários:

luigi sep 1914 disse...

Pra lembrar, esse "grande" goleiro já foi pego no exame antidoping por uso de droga, foi preso, quase encerrou a carreira (reportagem que saiu na Placar), mas como sempre acontece com os bambis, o passado é escondido...

Só queria que acontecesse com esse eterno reserva bambi filho da puta o que aconteceu com o infeliz jogador espanhol no domingo...
Mas bicho (no caso, bicha) ruim não morre!

HOLOCAUSTO de BAMBI! JÁ!

luigi sep 1914 disse...

E sobre o Palestra, PAU no CU de todo mundo!!!
Tenho estádio e jogo no meu estádio qd eu quiser...
Por acaso a pm nos da segurança no dia a dia? Então devemos abandonar a cidade, pois ela não respeita o "padrão" de vida adequado para qq ser humano...

Vão se foder todos voces...

Vão prender bandidos, seus "come de graça"...

"... não importa o que diga essa imprensa de gambá (filha da puta)...
Eu TE sigo em todas as partes...
Oh meu PALMEIRAS, sempre vou TE amar! "

Craudio disse...

Imprensa gambá...

Bom, falando em imprensa, amanhã no esporte espetacular vão fazer uma nova classificação do brasileiro, levando em conta os erros de arbitragem.

Vamo ver no que vai dar...

FORA LUYDY!

Filipe - 97ª festa da 5ª geração disse...

Que estádio no Brasil atende a tal palhaçada internacional que não condiz com a realidade, nem com a cultura brasileira... eis a grande pergunta da semana, quando o único dirigente de clube brasileiro a acompanhar a delegação da FIFA foi o juvenal.
Discutiram de estacionamento na praça pública e trenzinho ao longo da j.j. saad pra baixo.

O caso da pilha e do bambi tosco são emblemáticos.

Palestrino, dom quixote não pode mais perseguir moinhos de vento.
Ou a nossa geração cumpre a justiça que as gerações passadas vacilaram ao cumprir, ou o futuro será rosa demais pra qualquer humanidade. O futebol de verdade já acabou. Vai acabar o de mentira, agora.

A puliça é caso de polícia. Este país é inconstitucional. A situação está feia para o Povo. Não é à toa que a "prosperidade" escrota desses tempos encontra guarida ali, naquele antro, naquela corja imunda.

Mas os dom quixotes continuam a perseguir moinhos...

Ah, máquina do tempo, poderíamos fazer justiça...

Fábio disse...

Semana passada enviei um e-mail ao ombudsman da Folha, para falar sobre as matérias disparatadas que têm sido publicadas no jornal. Aguardo uma resposta, e espero que seja boa. É o cúmulo que o jornal se preste às baixarias que tem feito!!!

Forza Palestra disse...

Fábio,
Sinto dizer, mas, por experiência própria, é quase certo que a resposta, além de demorar, será insatisfatória.
Abraços