06 março 2008

Por que tanta ganância?

A inflação acumulada (IPCA) desde o início do Plano Real, em 1994, chega perto de 220%, aponta matéria recente da Folha Online. Em uma analogia, reconheço, das mais simplórias, seria possível calcular o preço atualizado dos ingressos de arquibancada com base no valor cobrado à época. Acrescendo 220% aos R$ 6 de então, chegaríamos, pois, a algo em torno de R$ 19,20. Na pior das hipóteses, os tais R$ 20 exigidos pela corja do Del Nero.

É bem menos do que os R$ 30 que ousa pedir a diretoria do Palmeiras em tempos de vacas-magras. Por sinal, é curioso notar que se investe hoje em um time capenga o equivalente a cinco apresentações daqueles anos gloriosos, em que ganhávamos tudo e mais um pouco.

E eu termino a argumentação com a notícia de que torcedores de nosso maior rival podem hoje, neste dispendioso 2008, pagar os mesmos R$ 30, mas para ver três jogos do Paulistão. É uma promoção atípica, mas reveladora do quanto é injustificável a ganância da diretoria alviverde.

Ah, e os caras ainda têm de pagar aluguel...

***

Ainda na mesma temática, devo dizer que me animei ao receber ontem o release da assessoria de imprensa, de que o Palmeiras lançaria uma pacote especial de ingressos para toda a temporada. Parecia que finalmente o nosso clube teria se dado conta de que há torcedores (como eu e muitos dos freqüentadores do blog) que vão a TODOS os jogos e que se disporiam a comprar um carnê para garantir os ingressos que, de outro modo, teriam de ser comprados na bilheteria, um a cada duelo, com igual número de filas, horas de trabalho - e almoço - perdidas etc.

Veio hoje a tal coletiva de apresentação do projeto e, com ela, a decepção: o tal pacote revolucionário fica restrito a míseros 500 lugares do elitista Setor Visa. E o torcedor da arquibancada, aquele que efetivamente apóia o time em todos os momentos, terá de seguir o seu martírio de correr atrás dos ingressos dezenas de vezes por ano.

21 comentários:

Ulisses disse...

Meu caro,

Já comentamos sobre o assunto no jogo contra o Rio Preto e não consegui ainda fazer a pesquisa que planejei para te explicar o que acontece.

Mas já adianto, a inflação brasileira JAMAIS pode ser comparada a inflação do FUTEBOL brasileiro. Tenha em vista que jogadores, técnicos e demais atuantes ganham no minimo 6 vezes mais do que ganhavam em 1994.

Quanto você imagina que era o salário do Rivaldo? Compare com o do Diego Souza ou do Valdivia!!

Quando fizer uma pesquisa mais detalhada vou colocar no blog. Por enquanto, fica o questionamento para reflexão.

E lembre-se, as diretorias a que se refere, são de um rival que está na Segundona (devido a péssima administração) ou de um rival que vive de vendas extraordinárias de jogadores encobrindo o saldo negativo de suas contas!!!

Ulisses disse...

Obs:

Também esperava muito mais desse projeto de carteira de jogos!!

Estou na esperança de um projeto para o brasileiro que beneficie a arquibancada!!

Abraços!!

Luiz disse...

Rodrigo,

Quanto ao preço dos ingressos eu não vou falar nada.

Mas tive a mesma empolgação que você com essa história de carnê.

Só que logo veio a decepção, a promoção foi elitista e não privilegiou o verdadeiro torcedor, aquele da arquibancada, que faça chuva faça sol estará lá no seu lugar.

E é este que perde mais uma vez, ao invés de privilegiar este torcedor, a diretoria do Palmeiras dá cada vez mais espaço ao cambista e as torcidas organizadas.

Confesso, que já estava até pensando em comprar o meu carnê!

Vai Tomar no CU!

Fernando disse...

Cara, lá vou eu discordar de novo, pelo menos num ponto: se for considerar na ponta do lápis e pelo conforto etc., o pacote de 1 Barão lançado hoje até compensa para vocês, que vão em todos. Dá para comprar três pacotes por R$ 2.500, ou seja, R$ 833 cada. Dividido por 24 jogos, que é o mínimo, dá R$ 35 por jogo.

No que se chega à conclusão que, de fato, a arquibancada está cara demais. Mas continuo defendendo a idéia do Visa.

Forza Palestra disse...

Condensando tudo o que já foi comentado, eis o que tenho a acrescentar:

Ulisses:
Não concordo com isso. Não tenho acesso aos salários pagos em 1994, mas te garanto que esta diferença de 6 vezes não procede. Da mesma forma, se os custos aumentaram (e não acredito que tenha sido muito mais do que foi a inflação), aumentaram também as receitas, em especial as advindas de direitos de transmissão (a Globo pagava lá atrás uma merreca), patrocínio, publicidade, licenciamento de produtos etc. Onerar o bolso do torcedor agora é errado. Por fim, te digo que os gastos de SCCP e SPFC são equivalentes, o que torna vergonhoso o valor de R$ 30 pela nossa arquibancada.

Luiz:
É por aí, cara. Pensou-se apenas em 500 abastados, quando o universo de beneficiados teria de ser bem maior. Este povo do Setor Visa já tinha uma enorme comodidade. Pensei que o benefício viria para a arquibancada, mas não estão pensando na gente. O único lado bom de tudo isso é que, ao lançar tal projeto, a diretoria se compromete a mandar jogos sempre no Palestra, sem invenções interioranas.

Fernando:
Hoje eu consigo compreender muito melhor a opinião dos que defendem o Setor Visa. Faz sentido a argumentação e a boa venda (com renda revertida para o clube) é um bom sinal. Mas o problema todo é encarecer também o valor da arquibancada e perder a identidade com a massa (escrevo sobre isso em breve).

MANCHA IPIRANGA disse...

1000 REAIS??????

PO, ESSA DIRETORIA TAH DE SACANAGEM!!!!

vitor disse...

estilo europeu...carne de jogos, ingressos caros...tá td tão claro.

luiz - uberlândia disse...

sempre me perguntei.. qualquer time (grande) do futebol nacional tem, no mínimo, 4000 fanáticos, alucinados. Até o pífio atlético paranaense tem média acima disto... por que, então, não lançam um carnê?! seria economicamente inviável um simples carnê, com descontos (em razão das aquisições antecipadas)?!?!

luiz - uberlândia disse...

falsificações (tem hora que penso que realmente vivemos em terra de ninguém..);

facilitação de acesso à justiça (juizados especiais, dispensa da prensença de advogados, etc);

estatuto do torcedor cheio de firulas..;

procon's e ministério público atuante (mudança de horários, por exemplo, não seriam tolerados..);

enfim, talvez esses sejam alguns dos motivos que inibam vendas antecipadas.. que pensas?!


vítor, amigo:

o futebol veio da europa, meu irmão... vamos nos adequar..

luiz - uberlândia disse...

só mais um detalhe: Ô PARMERA! poxa! cadê você, meu camarada!?

aparece aí!

depois de empatarmos com o Rio Claro, vencermos em Rio Preto agora humilhamos o Rio Tietê e você não fala nada!?!

Forza Palestra disse...

Boa pergunta esta última, Luiz.

vitor disse...

luiz, vamos nos adequar sim.

desde que eu ganhe salário mínimo de 1000 euros e não precise gastar com plano de saúde, segurança, educação, saneamento básico e outras necessidades vitais.

se td isso acontecer, eu fico sentadinho com meu cachecol no meu lugar reservado, de boa.

Forza Palestra disse...

Muito bem observado, Vitor. Reserva um cachecol pra mim.

Ulisses disse...

Rodrigo,

Infelizmente, não consigo encontrar um balanço sequer do Palmeiras para ajudar nas análises.

Decidi utilizar então do Santos FC.

Como a lei é posterior a 2002, não tenho informações disponiveis na internet de períodos anteriores.

Vamos aos números:

Em 2002 a receita do Santos FC, salvo vendas de jogadores, atingiu 19.933 milhões, seguiu em continuo aumento e atingiu em 2006 a quantia de 48.215 milhões. Nota-se uma variação de 141,88%.
O IGPM acumulado de 2002 até 2006 foi 60,89% (demonstrando que a inflação brasileira não equivale ao futebol).

Em 2002 as despesas desse clube foram de 23.899 milhões, nota-se que já havia um saldo negativo. Em 2006 as despesas desse clube foram de 75.067 milhões, ou seja 214,10% de aumento, contra os 141,88% de receita. Mas porque do aumento? Agora lhe explico a questão dos salários. O que houve de 1994 para cá? Leis que obrigaram os clubes a pagar todos os direitos dos atletas, então em 2002 o Santos teve um gasto de 4.753 milhões em diretos de imagem, já em 2006 esse número passou a 27.727 milhões, ou seja 483,35%. Um absurdo para qualquer administrador de empresa cobrir sem um eventual aumento em suas receitas.

Porém, o Santos FC não aumentou suas receitas e cobriu esse déficit com a venda de jogadores em 2005, 93.577 milhões.

Falamos de um clube pequeno como o Santos que não fez o investimento pesado que o Palmeiras fez esse ano.

Se eu conseguir os balanços do Palmeiras será melhor. Mas creio que já serve como um convite a reflexão.

Final da história, o Santos tem um déficit de 2002 até 2006, salvo vendas de jogadores, de 46.193 milhões, e eles mantém a arquibancada a R$ 20,00.

É correto isso?

Um abraço!!

luigi sep 1914 disse...

Ae pilantra!
Parabéns, cara!
Felicidades, sempre!

E parabéns para todas as mulheres tmb!
... Agora que já parabenizei, Vai preparar o almoço!

vitor disse...

parabéns mau-caratér!!!
td d bom sempre.
abs.

Adalberto coelho disse...

A torcida do Palmeiras vive na linha entre o populacho e a ''zelite'',não tem meio termo, é metade rica e metade pobre.A população carceraria palmeirense é baixissima também,quer dizer o palmeirense se acha bandido e na verdade num é

luiz - uberlândia disse...

Adalberto..,

quê!?

("população carcerária", para mim, é tema recorrente de outro time de são paulo..., desculpe-me, não te entendi)

luiz - uberlândia disse...

Rodrigo, não seria caso do (blog do) amigo também ser um dos componentes da mídia palestrina?

vítor!,

acho que não seria para tanto. (Embora eu tivesse tentado colecionar cachecóis de equipes do futebol inglês quando lá viví...)

Mas eu já disse aqui: a TV pagava centavinhos para os times de futebol. Hoje já paga bem melhor (um timeco da 1ª div. do campeonato mineiro recebe nada mais nada menos que R$ 500.000,00 por um campeonato de 40 dias... Cruzeiro, Galo e Federação Mineira receberam R$ 6.000.000 - seis milhões - cada um..)

nossos carros eram: opala, monza, corcel II, corcel I, passat, fusca, brasília e kombi (aquela, pão de forma). Na mesma época, Europa, EUA e Japão (dentre inúmeras outras nações) possuíam os bons automóveis. Quando morei na Europa (90/92) possuí telefone celular e aluguei um carro com teto solar eletrônico (um renault). No Brasil, não tínhamos nada disso... Hoje, tem.

As coisas vão se adequando.. As coisas vão se moldando. E para melhor... Saiba que o amigo ganhará sim, em breve, mais de 1000 euros ou 4000 reais por mês. Fique tranquilo. VOCÊ GANHARÁ MAIS DO QUE ISSO daqui há alguns anos..

Sei que nada disso (ganhar mais ou menos que 4000/mês) vai lhe tirar o ímpeto e a sanha da busca de melhores preços, arquibancada, etc. Até espero que não tire!, mas que o amigo vai acabar entendendo que as coisas se adequam, vai.

Ribeirão!?


abraços verdes,

Luiz, Uberlândia

adalberto coelho disse...

achar que pulacho é gambba [e foda.... pior achar que é bambi...
c acha que caipira que nem voçe é tão comum assim?? aqui é avenida sao João, truta.... não tá ligado o que tá rolando aqui
tem drão sim...
nem chance de ter cachecol.
mas e bandido

vao se moldando em etor visa o caralho...s

luiz - uberlândia disse...

voçe num me intendeu truta. mas tudo bem drão (caetano?). um abrasso pra voçe