13 abril 2010

O refúgio dos covardes

Painel FC, 8 de abril de 2010:

Ufa!
Jogadores do Palmeiras comemoram o fato de a diretoria anunciar para breve o começo das obras da arena do clube. Alegam que terão de atuar somente por mais quatro ou cinco jogos no Palestra Itália e se verão livre dos torcedores corneteiros.

Pedido. Os atletas, inclusive, querem propor ao presidente Luiz Gonzaga Belluzzo que, no projeto do estádio, a "turma do amendoim" fique bem distante do gramado, a fim de diminuir a pressão.


As notas acima foram publicadas na Folha de S.Paulo da última quinta-feira. A fonte não é nada confiável, mas o que está dito reflete muito de um senso comum que se criou há poucos anos e que hoje é tomado como se fosse verdade. Alguns setores da imprensa inventaram até um nome, em tom jocoso, para isso: é o fantasma do estádio Palestra Itália.

Se é verdade ou não o que se diz nas notas do Arruda, pouco importa. Elas estão aí por seu efeito ilustrativo; certo mesmo é que há jogadores (e não só) na história recente do Palmeiras que fizeram disso uma ladainha, um escapismo dos mais covardes, um refúgio para esconder a própria incompetência. Sim, há covardes que se refugiam atrás de ideias, de preceitos ou de conceitos. E, convenhamos, um “fantasma” cumpre bem esse papel.

Cabe então desmistificar – ao menos em parte – essa balela.

Fato é que o Palmeiras é historicamente um dos clubes brasileiros que registra o melhor aproveitamento como mandante. São os números, ok? Foi assim por décadas e só recentemente, em parte pelo pouco comprometimento de uns e outros e também pelo baixíssimo nível técnico de algumas peças, o time passou a colecionar fracassos seguidos em seu estádio.

Foram muitos, é bem verdade, mas o que se deve discutir não é tanto a quebra de certos tabus ou a perda da mística de um Palmeiras quase imbatível no Palestra. A questão que se discute é outra: afinal, a pressão e as cobranças da torcida são causa ou consequência dos maus resultados?

Sempre que este blog traz uma pergunta, os senhores já devem saber, vem logo uma resposta. Vamos a ela: a pressão é consequência e não causa. Porque se é ameaçadora a cobrança exercida pelo torcedor palmeirense (time grande é assim!), ela se deve aos maus resultados do clube e mesmo ao baixo comprometimento de alguns atletas – e aqui, senhores, o bicho pega.

É preciso dizer ainda que tem muito vagabundo nesse elenco atual que não resistiria à pressão de tempos anteriores. Sim, porque é justo dizer que a cobrança já foi muito maior e que mesmo a tal Turma do Amendoim - na boa, existe isso ainda? - já foi mais implacável do que é hoje. Já houve tempos em que as manifestações eram mais cruéis do que hoje. O que se vê agora - guardados os casos mais extremos - é até pouco diante do merecido.

Portanto, se é inegável que o Palmeiras perdeu muito de sua força no Palestra em especial nesta última década, é ainda mais incontestável que isso nada tem a ver com o papel da torcida - pelo contrário. Não há interferência (negativa) da torcida. O palestrino, contra tudo e contra todos, faz o que é possível para levar o time à vitória. Os jogadores é que não têm correspondido e aí se escondem atrás desse tal fantasma. É o reflexo da covardia de uns e outros que já vestiram (e ainda vestem) a nossa camisa.

Acontece que dentro de dois dias, na próxima quinta, teremos mais uma decisão no Palestra. Será a primeira de uma série de quatro finais em casa. Quatro finais, quatro chances para esses jogadores provarem que não são covardes, quatro passos para o título.

Nós vamos estar na arquibancada e vamos fazer a nossa parte - como sempre fazemos. O resto é com os jogadores. Fantasma é o caralho, seus vagabundos! Tratem de jogar futebol! Aqui é Palmeiras!

***

"Febre de bola", página 244:

"O que aconteceu é mais perturbador ainda: comecei a saborear o sofrimento que o futebol proporciona. Estou ansioso por mais campeonatos, por mais idas a Wembley, por mais vitórias de último minuto sobre o Tottenham em White Hart Lane, é claro que estou, e quando isso acontecer vou ensandecer feito todo mundo."

11 comentários:

VenusEstetica disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
ian disse...

essa 2ª notinha é tão escrota que desde quando diretoria/construtora/investidor tem que ouvir jogador onde deve ficar a torcida no estádio?

até porque muitos desses filhos de puta estarão desfilando esse 'futebolzinho' bem longe do palestra quando as obras terminarem.

Néspoli disse...

Esta muito sussegado pelo que fizeram o ano passado. Tempos atrás varios deles não conseguiriam subir as escadas do vestiário, de tanto as pernas tremerem, mas os tempos são outros.

São 4 finais e nossa parte a gente sabe como fazer, basta que eles façam o mínimo que se espera que é HONRAREM A CAMISA.

Aliás como vc vai pra Curitiba ?

FC disse...

Engraçado como só o Palmeiras tem este tipo de fatasma revivido sempre pela imprensa, não?

Nunca ouvimos de "Fantasma da Libertadores" ou "Fantasma do mata-mata".

De qualquer forma concordo 100% com o texto, está perfeito. As cobranças são claras consequências de um time e um clube sem direção.

Vamos na quinta pelo Palmeiras(que não se resume a um presidente que virou o fio, nem a um Dir. de Futebol que está sempre na pendência de um fax).

Vou pq me sinto bem ali, memso com um time que parece detestar estar ali.

Vou pq ser palmeirense é parte do que sou, moldou minha vida e meu caráter.

Vou por uma mistura de sentimentos que não consigo explicar, mas que passam longe de obrigação ou algum tipo de raiva.

É muitíssimo difícil ganharmos a Copa do Braisl e até mesmo este jogo.

Podemos ser campeões, até contra nosso próprio histórico de ganharmos normalmente quando estamos bem e MUITO melhores do que os adversários.

Dificilmente passaremos desta fase como já não passamos por Ceará, Ipatinga, Sport e Santo André em outros anos de Copa do Brasil. Mas estaremos lá fazendo nossa parte e COBRANDO sim.

Grande Abraço,
FC

Paty disse...

Acho que essa declaração de supostos jogadore na verdade é da nossa diretoria covarde.Já fugiram uma vez e estão loucos pra fugir de novo.Mais fácil dizer que são os jogadores.Essa corja que hoje dirige o Palmeiras não supota críticas.

Rafael disse...

o engraçado é q no ano passado so perdemos 3 jogos em casa
q fantasma é esse q so surgiu esse ano?

pra uma torcida q ja cornetou Alex 10, Diego sono, marquinhos e outros tão ouvindo pouco mesmo

se naum quer torcida no estádio vai jogar nos bambis caralho

Forza Palestra disse...

Claudia,

Numa boa: você pode até ter sido bem intencionada, mas este blog não é o espaço para esse tipo de divulgação. Numa boa. Por isso eu tive de excluir o comentário.

Thiago disse...

É mais uma opinião de quem não sabe o que é ser torcedor, principalmente ser torcedor do Palmeiras. Como comentaram anteriormente, já virou um coro por toda a mídia que o problema do Palmeiras é a torcida... vejam que coisa interessante, uma equipe de futebol não vai bem porque a torcida faz pressão... realmente se não quer torcida no estádio vão pro lado dos bambi, e essa história de arena, espero que não seja do mesmo autor do Avanti, pois já sabemos onde acaba.

palestraimortal disse...

Fantasma é o caralho. Essa impren$a maldita não perde oportunidade.

Mas convenhamos, desde que afastaram os torcedores da região central das arquibancadas perdemos poder de fogo.

Os bonecos de posto que ganahram espaço neste local pouco contribuem na pressão que o adversário (este sim) deveria sentir ao jogar na nossa casa.

É isso ai. Futebol mudernu é outra coisa. Nós que somos torcedorers nunca entenderemos!

Forza Palestra disse...

Ah, Néspoli, faltou te responder: vou pra Curitiba sim. Com ou sem ingresso. Aliás, sem ingresso, já que não dá pra esperar nada da nossa diretoria de pilantras.

E vou de carro mesmo, saindo de SP na quarta bem cedo.

Abraços

Daniel disse...

ingresso comprado pra amanhã!!!! 20 conto é suave!