01 abril 2010

Politicagem suja

Causou surpresa o pronunciamento ontem do senhor Ricardo Teixeira sobre o estádio do Jd. Leonor na malfadada Copa de 2014. Nem tanto pela mensagem, mas pela forma um tanto virulenta de proclamar “novos” fatos dessa putaria indecente que já encheu o saco. E este blog, até por não dar a mínima importância à Copa por aqui, sente-se no dever de manter a coerência e avaliar toda essa patifaria sem se deixar levar pelo ódio contra a corja bambi. Vejam os senhores que Ricardo Teixeira, o tirano, utiliza o seu poder junto à Fifa para pressionar o SPFW na politicagem em curso para eleger Kléber Leite como presidente do C13. Não sei se vocês todos estão acompanhando as notícias dos últimos dias, mas a coisa tá feia. Teixeira quer controlar também os clubes e, para isso, aposta na figura de Kléber Leite, que não consegue despertar a simpatia nem mesmo da atual direção de seu clube, o Flamengo. E aí Teixeira faz força, ameaça, pressiona, lança bravatas. A pressão, cumpre dizer, começa pelo SPFW, pois há esse fato (de) concreto que interessa às moças, mas vale para todos os demais clubes que já manifestaram apoio a Fabio Koff. Para fazer o trabalho sujo, Teixeira tem um capanga: Marco Polo Del Nero. O presidente da FPF, que acaba de ser reeleito até 2014, tem articulado um movimento junto aos clubes que até agora não surtiu efeito. Del Nero, é bom lembrar, é capanga da Rede Globo de televisão no caso da lei que proíbe jogos de futebol na madrugada. E, vejam como as coisas se encaixam, a mais recente entrevista de Ricardo Teixeira sobre o caso Jd. Leonor na Copa foi concedida à emissora câncer do Jardim Botânico, a mesma que se sente tão incomodada pelo projeto que foi aprovado também pelo senhor vereador anão de jardim. E o SPFW, é justo dizer, é o único entre todos os clubes paulistas que tomou posição contra a Globo.

Vejam só: o futebol brasileiro está tão sujo que Teixeira, Del Nero, Globo e Fifa conseguem fazer este blog manifestar uma posição favorável à escória leonor. Onde vamos parar?

***

Por sinal, a CBF, em troca da eleição de Kléber Leite no C13, admite abrir mão até mesmo da organização do Campeonato Brasileiro, com a criação de uma liga dos clubes. Segundo esta matéria da Folha de S.Paulo, “a CBF não quer mais ter dor de cabeça com o Nacional, principalmente no que se refere a organização e arbitragem.”

Dá pra acreditar?
Sem o Brasileiro, para que serve a porra da CBF?

***

"Febre de bola", página 127:

"... após seis semanas seguidas de semifinais e finais, de escuta no rádio e procura por ingressos para Wembley, a confusão do futebol se fora e não havia nada com o que substituí-la. Finalmente tive de pensar no que ia fazer, em vez de no que o técnico do Arsenal ia fazer."

14 comentários:

Rafael disse...

Parem as máquinas!!

Isto realmente foi o fim....

Conhecendo vc, imagino a angústia e desprazer que vc teve ao digitar palavras favoráveis à meninada alegre de V. Sônia...


"Sem o Brasileiro, para que serve a porra da CBF?"

Resposta: E quem vai ganhar dinheiro fácil??

j. disse...

porra vc tah defendno o morumbi na copa?????? vc ta loucO????

Adão disse...

Cara, meus parabéns, não por ter defendido o SPFC (não é o que vc fez), mas por ter defendido a verdade.

Sim, a eleição de Kleber Leite é um jogada suja que só vai piorar ainda mais (se é que é possível) a desgraça em que se encontra o futebol brasileiro.

Obrigado por ter deixado de lado o ranço em relação ao SPFC e defender a verdade. Mostrou caráter

Claudio Yida Jr disse...

E aí eu vou além: a CBF, por comandar algo de interesse nacional e amplo, não deveria ter seus diretores eleitos pelo povo? Não deveria funcionar como órgão público?

Rafael disse...

Ô Japonês

Se a CBF já é esse antro hoje, imagina se todo mundo la virar funcionário público...

tá feita a merda

hahhaahahaha

mas a idéia da eleição popular é boa...mesmo que seja só de uma parte da população, aquela que ainda quer o bem do futebol...

Forza Palestra disse...

J.,
Eu não defendi porra nenhuma de Jd. Leonor. A questão aí é outra e importa muito mais do que um eventual jogo de abertura da Copa. Devemos combater a alienação fora do Jd. Leonor também. É só isso.

Conrado disse...

a barracao do morumbi vai muito alem de ser sede da copa ou nao. foda-se a copa. o que nao se pode permitir nem defender é nada que permita que os bambis possam incrementar seu patrimonio e recuperar aquela merda, que foi por muito tempo o unico fator que os fez ficarem mais importantes do que sao.

o fato do morumbambi ser ou nao beneficiado com as verbas publicas, ser ou nao reformado pegando carona na realizacao da copa, é uma questao estrategica fundamental, e tem que ser combatida a qualquer custo.

j. disse...

mas vc acha mesmo q o morumi tenm condicao de ser sede da copa??????????

Guto disse...

a cada dia que passa a desgraca aumenta..

VAI PALMEIRAS

Forza Palestra disse...

J.,
Você acha mesmo que eu estou preocupado com a Copa do Mundo?
O que me preocupa é isso que o Conrado cita no comentário anterior.

Nicola disse...

Exatamente o que o Conrado falou... E foda-se a Copa.

Ulisses disse...

J., saiba interpretar um texto. Se não consegue, não faça comentários.

Parabéns pelo excelente post Barneschi. Se cada brasileiro soubesse destinguir o joio do trigo como vc o fez, seríamos um país muito melhor.

Ter opinião contrária a certa situação, não significa alienar-se e encarar tudo que é oposto a tal como verdade.

CBF já não existe há muito tempo. Um orgão ditador, público, que atende a interesses privado. Dominado por um Senhor Filho de um puta e com eleições obscuras as quais não entendemos, exatamente, como funcionam.

Abs!!

Cangatux disse...

Desse jeito a CBF vai virar uma FA, a federação inglesa de futebol. Lembrando que a Premiere League não é organizada por ela.
Só creio que o mesmo "sucesso" inglês não se repetirá MESMO por aqui.

Claudio Yida Jr disse...

Rafael, eu fiz a sugestão propositalmente para ver quem iria responder como você. Acontece que, do jeito que está, a gente, no máximo, pode processar a CBF. Se passar a ser órgão público, terá que dar explicações à população. Seus membros, se fizerem o que fazem hoje em dia, ou não seriam reeleitos ou pagariam pelas presepadas (ao menos com a humilhação pública).

Pegue 2010, por exemplo. Já iremos escolher Deputados federais e estaduais, senadores, governador e presidenta (hehehehe). Por que não embutir, talvez na eleição municipal, um representante do Desporto? Que seja no formato do legislativo, e aí esses caras votariam num presidente. É apenas uma sugestão, até porque dinheiro público vai pra CBF de qualquer jeito.