24 abril 2010

Por um pouco de respeito

Caro Belluzzo,

Este blog, persistente, teimoso e talvez um tanto ingênuo, parece também incansável no que diz respeito aos pedidos de respeito para com o torcedor palestrino. Desta feita, fica aqui mais uma relevante solicitação, mais uma das tantas que serão ignorados pelo senhor e pelos homens da sua diretoria. Lembro-me que o senhor, ao assumir o cargo de presidente, prometeu que iria se esforçar para que o torcedor fosse respeitado na sua relação com o clube.

Bom, o Avanti está aí para desmentir a promessa, mas eu devo insistir e deixar aqui uma solicitação um tanto mais simples, direcionada a um jogo específico, o da próxima quinta-feira, 29 de abril, às 19h30, no estádio Palestra Itália.

Vou eximir o Palmeiras de culpa pelo horário. Poderia claramente responsabilizar o clube por sua submissão aos interesses escusos da emissora de TV e ao horário cretino, mas não é o caso. O que pesa é que um jogo com grande público às 19h30 em uma metrópole como São Paulo é inviável e será ainda o causador de uma grande tragédia no acesso a um de nossos estádios.

Para reduzir os riscos, uma medida necessária seria vender os ingressos com certa antecedência e em horários e locais mais acessíveis, uma das promessas feitas pelo senhor ao assumir o cargo.

Aí eu pergunto: para as pessoas que trabalham, o que existe de acessível no horário de venda das 10h às 17h? Como poderiam as pessoas que trabalham - ou seja, a esmagadora maioria dos que podem ir a um estádio de futebol - adquirir o ingresso no meio de uma tarde de trabalho? Como seria possível isso?

Considerando que o jogo acontece às 19h30 de uma quinta-feira e que as pessoas novamente terão de chegar quase na hora do jogo e provavelmente conseguirão colocar os pés na arquibancada já com muitos minutos de jogo transcorridos, não seria o caso de pensar em uma alternativa para compensar o desmando da emissora de TV?

Você não é o vagabundo do Del Nero. Você trabalha e, o mais importante, sabe que as pessoas de bem trabalham. E você, até que se prove o contrário, é uma pessoa honesta e bem intencionada. Fica aí o desafio: o que custa estender a venda dos ingressos para além do vagabundo horário das 10h às 17h? Que seja até as 20h para possibilitar ao sujeito sair do trabalho e comprar seu ingresso nos dias que antecedem o jogo... É tão difícil assim? Falta boa vontade? Ou falta respeito mesmo?

***

"Febre de bola", página 54:

"Mas aqueles que reclamam da perda de identidade sofrida pelos torcedores de futebol estão enganados: essa perda de identidade pode ser um processo paradoxalmente enriquecedor. Quem quer ficar o tempo todo preso ao que já é? Eu, por exemplo, de vez em quando tinha vontade de não me sentir um fedelho suburbano de óculos e orelhas de abano; adorava poder assustar os transeuntes em Derby, Norwich ou Southampton (e eles ficavam assustados - dava pra ver). Até então, as oportunidades que eu tivera de intimidar alguém haviam sido limitadas, embora soubesse que não era eu que fazia as pessoas passarem correndo para o outro lado da rua, arrastando os filhos atrás de si; éramos nós, e eu fazia parte de nós, era um órgão do corpo de hooligans. O fato de ser apenas o apêndice - pequeno, inútil e enfiadolá no meio para não atrapalhar - não tinha a menor importância."

11 comentários:

Federico Erdocia disse...

Caro,

o horário sugerido pode ser interessante, mas pensemos que o sujeito que trabalha o faz , normalmente, até às 18hs. Ônibus, metro, etc, chega ao Palestra às 19hs e resta apenas uma hora para as vendas; tensão na certa.
Por que não a venda em agências bancárias?? Caixa, BB, Itaú, qualquer um, iríamos na hora do almoço, ou então o office-boy da empresa quebraria um galho(desde que não fosse gambá, já que não é confiável).
Ou ainda, um cadastro, via internet, no site do clube, com venda por cartão de débito ou crédito, que permitisse a compra, em qualquer setor!!!
É tão difícil??

Abs

Forza Palestra disse...

Federico,

Concordo contigo. A venda deveria ser facilitada de todos os jeitos possíveis, mas o que pega é que essa venda terceirizada já se mostrou ineficaz, mais até do que a que é feita pelo próprio clube. Assim sendo, deveria competir ao Palmeiras a tarefa de ampliar o horário de venda.

Melhor ainda: por que cazzo os ingressos não poderiam estar sendo vendidos hoje mesmo, domingo?

Abraços e valeu pelos comentários

Forza Palestra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paty disse...

Uma solução tão simples, que facilitaria muito a vida do torcedor.Mas os torcedores são tratados como vagabundos..já que não trabalham, tem o dia todo para comprar ingresso.Acho que falta respeito mesmo.

Federico Erdocia disse...

Que compete ao Palmeiras encontrar uma solução eficiente não há nenhuma dúvida.
E como a tabela é divulgada com certa antecedência, nada impede, a não ser a incompetência, que a venda seja realizada em qualquer dia da semana, como por exemplo (tuas palavras) no domingo!!

Abs

Anônimo disse...

Seria interessante se todos os blogs da Midia Palestrina se preocupassem com o torcedor e pedisse, da forma que você fez, ao Sr. Beluzzo a adequação dos horários de venda dos ingressos.

Anônimo disse...

O Palmeiras internamente é um descaso e uma má fé sem fim... Quanto será que entra no bolso de uns e outros ali?

De quem o Fernando (volante promovido das "categorias" de base ao elenco profissional) é filho, sobrinho, etc..??

Alguém o viu jogar na Copinha? Jogador medíocre, reserva, parece um trator sem habilidade nenhuma.

Porque foi promovido? O que acontece internamente?

Sei que aconteceu há um tempo, mas, esse é o futuro que nos espera!

Abraços

Forza Palestra disse...

Caro anônimo,

A tal Mídia Palestrina não existe. Nunca existiu na verdade. O que existe são blogs que defendem ideais ou interesses individuais, coletivos ou nada disso. Alguns querem só fazer graça e ganhar audiência escrevendo sobre o nada.

Eu faço a minha parte. Escrevo o que eu penso, procuro sempre defender o interesse do torcedor palmeirense e do próprio Palmeiras. Às vezes sou chato, eu bem sei, e muita gente não gosta. Não me importa; o que me importa é ter a consciência tranquila e saber que estou fazendo o possível para defender os milhões de palestrinos pelo Brasil.

E posso até ficar sozinho nessa batalha, mas não vou desistir.

Abraços e obrigado

Claudio Yida Jr disse...

Quanto amargor. Você precisa adocicar sua vida.

Nicola disse...

"Às vezes sou chato, eu bem sei, e muita gente não gosta."

Quem não gosta que vá pra puta que pariu mano... Não tenho comentado muito por aqui, mas é porque parece que sou eu que estou escrevendo, assino embaixo de tudo que você tem escrito ultimamente (não que antes não fosse assim também).

Abraços e até quinta (num horário que, pelo menos pra mim, tá ótimo, hehehe)...

Giuliano Palestrino disse...

É simples, abrir a venda de ingressos a todos pela internet, para todos os setores.

Hoje em dia acontece isso, mas somente para quem é sócio do péssimo Avanti. Eu sou um dos poucos sócios, e ontem comprei ingresso da arquibancada vermelha para mim e para um amigo, a meia noite, usando cartao de crédito.

Pelo menos nesse ponto o Avanti é bacana.

Ganhei o desconto de 30% e para meu amigo peguei meia entrada, pois ele possui carteira de estudante.

Por isso, não tem sentido ficar vendendo ingresso em bilheteria. Hoje em dia em qualquer show, qualquer evento, compra-se pela internet. Está na hora dos jogos de futebol serem assim.

Disponibilzem meia duzia de ingressos na bilheteria para os retrógados q insistem que a internet nao é segura para compras ou para os que gostam de ir lá, pagar em dinheiro e pega ro ingresso na hora.

O resto, só vender tudo pela internet. Garanto que o torcedor terá menos transtornos e teremos mais publico. Pois eu mesmo ja deixei de ir em vários jogos por ter q perder tempo até a bilheteria comprar.