08 abril 2010

Uma torcida abandonada

Falta ainda muito tempo até lá, não aconteceu nem mesmo o jogo de ida, mas já me sinto impelido a escrever desde agora sobre o duelo entre Brisa/PR e Palmeiras em Curitiba, no próximo 21 de abril. A questão é que vamos decidir a vaga fora de casa e, em situações assim, a presença da torcida é fundamental. Supondo que a diretoria alviverde torça pela classificação do Palmeiras, seria de se esperar um esforço mínimo no sentido de ter o seu torcedor ao lado do time lá em Curitiba.

Seria, se estivéssemos falando de um clube (ou melhor, de uma direção) que tem pelo seu torcedor algum tipo de respeito. Não é o caso dos homens que comandam o nosso Palestra. Só para ficarmos em alguns exemplos:

-Somos confrontados já há algum tempo - e sem qualquer motivo - com o ingresso mais caro do Brasil;

-Tivemos o nosso estádio fatiado e entregue a empresas, uma das quais tomou de assalto o lugar mais privilegiado da arquibancada para enfiar ali um monte de cadeirinhas, hoje ocupadas por oportunistas ou 'torcedores' de ocasião. A pressão, antes insuportável para o adversário, deixou de existir;

-O Palmeiras é referência mundial quando se trata de incompetência para vender ingressos;

-A atual diretoria alviverde nos enrolou por meses para então lançar este tal Avanti, o mais cretino programa de relacionamento entre clube e torcedor (ou consumidor, no caso);

-Não há na história recente qualquer iniciativa no sentido de promover o bem-estar do torcedor habitual do clube, aquele que vai a todos os jogos, contra qualquer adversidade.

Para este post específico, me interessa o último item, e então eu vou tratar do desprezo concedido por nossos diretores ao grupo de torcedores mais expressivo que qualquer clube pode ter: aquele que vai a todos os jogos em casa e ainda viaja Brasil afora para acompanhar o time. Este grupo de torcedores, do qual eu faço parte, longe de desfrutar de qualquer benefício em casa, ainda sofre sozinho para lutar, longe de casa, por um ingresso que deveria ser vendido antes no estádio Palestra Itália.

Notem que, por força de lei, os clubes visitantes em torneios promovidos pela CBF têm direito a 10% do total de ingressos colocados à venda. 10%. Tais bilhetes deveriam, a se considerar um raciocínio lógico, ser comercializados com antecedência na casa do clube visitante, facilitando a aquisição dos mesmos pela torcida.

Seria este o procedimento normal, mas a diretoria do Palmeiras não dá a mínima para isso. Tanto é assim que as bilheterias do estádio Palestra Itália nunca abrem antes de jogo como este de Curitiba.

Assim, sofremos o inimaginável para conseguir algo que deveria chegar até nós com certa facilidade: um ingresso.

Da última vez que estive em Curitiba, pelo Brasileirão-2008, não pude entrar na Arena da Baixada. Viajei daqui até lá, ida e volta, para bater a cara no portão do estádio e voltar. Como alguns dos meus conseguiram entrar, tive de ouvir o jogo pelo rádio, do lado de fora, antes de pegar a estada. Pior situação viveu a caravana da Mancha: os ingressos prometidos não foram entregues, e todos os cinco ônibus bateram na porta da Arena e, sem que os torcedores pudessem descer, regressaram para SP.

Isso tudo gerou uma carta à diretoria, em apelo publicado por este blog. Não levou a lugar algum. Quase dois anos depois, eis-me aqui escrevendo sobre o mesmo assunto, o que comprova a situação de abandono de que somos vítimas nesta e em qualquer outra gestão.

Neste feriado de 21 de abril, quarta-feira, muitos palmeirenses gostaríamos de ir a Curitiba para empurrar o Palmeiras à classificação. Afinal, a Copa do Brasil é o que nos resta pelos próximos meses, a caminhada depois da Brisa/PR é bem confortável e tudo o que se poderia esperar era a força do torcedor palmeirense (de São Paulo) para levar o time à vitória.

E eu, que vou a todos os jogos em SP e viajo para qualquer lugar atrás do meu time, devo seguir daqui até Curitiba sem ingresso e sob a grave ameaça de bater a cara na porta do estádio e voltar sem poder apoiar o clube que eu amo. Só porque a diretoria da S.E. Palmeiras não dá a mínima importância para o seu torcedor.

Há torcidas que abandonam seus clubes.
O Palmeiras é um clube que abandona a sua torcida.

***

Isso tudo, de certa forma, vale como resposta (e como um desafio) a dirigentes ou jogadores que, nos maus momentos, vêm a público solicitar que o torcedor compareça ao estádio para incentivar o clube. "Precisamos do apoio da torcida", dizem. Ok. Mas nem seria preciso pedir isso; nós vamos de qualquer jeito. Não por eles, mas pelo nosso sentimento pelo clube. Vamos não influenciados por qualquer pedido, mas porque amamos o Palmeiras e seguimos atrás dele mesmo contra qualquer adversidade.

Agora, caros diretores, é a nossa vez de vir a público: queremos ir ao jogo em Curitiba - e a todos os outros. Mas aí depende de vocês também. E aí, como ficamos? Seria possível levantar a bunda da cadeira, tomar uma atitude e trazer para SP os NOSSOS ingressos?

Com a palavra, Belluzzo, Del Grande, Cipullo, Prado, Savério etc.

***

"Febre de bola", páginas 107 e 109:

"Meus companheiros naquela tarde eram sujeitos de meia-idade já trintões e quarentões, afáveis e de boa índole, que simplesmente não tinham a menor concepção da importância daquela tarde para o restante de nós. Para eles aquilo era um dia de folga, uma coisa divertida para se fazer numa tarde de sábado; se alguma vez eu os reencontrasse, acho que não conseguiriam se lembrar do placar do jogo, nem de quem marcou o gol (passaram o intervalo falando de futricas no trabalho), e de certo modo, fiquei com inveja daquela indiferença.
(...)
... para eles, aquilo era realmente apenas um jogo, e provavelmente me fez até bem passar um tempo com gente que se comportava, em tudo e por tudo, como se o futebol fosse um espetáculo divertido feito o rúgbi, o golfe ou o críquete. É claro que não é nada disso, mas foi interessante e instrutivo passar pelo menos uma tarde com gente que acreditava que fosse."

10 comentários:

Sergio Mendonca disse...

Ola amigo. Já estive pesquisando como faço para assistir este jogo e o unico jeito foi pela empresa Futebol Tour, que esta vendendo um pacote completo, acredito que os ingressos no setor de visitante, serão adquiridos em Curitiba por alguem da agência de viagem. Porém o valor não é para o bolso de todos, cerca de R$ 600,00. Quanto a diretoria eles não estão e nunca vão ficar pensando na torcida, somente lembram dos torcedores em entrevistas demagogicas. Vale lembrar o que presenciei na final de 2008 em Campinas. Chegou um ônibus no estádio da Caprioli, com as cortininhas e vidros fechados, parecia vazio, porém que
qual não foi a minha surpresa que diretores e conselheiros, além dos eterno convidados do Palmeiras desceram e rapidamente, sem qualquer identificação do time entraram para um setor que foi montado pela FPF. Cara, são uns bundoes, sem comentário porque da até vergonha....

Gustavo disse...

Há torcidas que abandonam seus clubes.
O Palmeiras é um clube que abandona a sua torcida.

Sem mais.

Vinicius disse...

Eu estou combinando de ir de carro com alguns amigos. Mas não fazemos idéia de como conseguir os ingressos lá, e não quero viajar 6h de carro para chegar lá e bater a cara no portão do estádio.

Como posso adquirir os ingressos?

Por favor, preciso muito dessa informação.

Abraços

Rafael disse...

pq nao meteram o visa onde é o cazzo do setor familia?

pq tirar o melhor lugar do estadio??? como vc mesmo disse...

agora um contraponto engraçado...vc foi na veia quando falou da referencia mundial na incompetencia para venda de ingressos....por mais canalhas que fossem...será que os Balsamelli eram tão incompetentes quanto a diretoria saiu aos 4 cantos??

pq ao que parece a tal da Outplan é a BWA genérica...

abraço mano!

Roberto Kamarad disse...

Vamo nessa, mano! "De qualquer jeito!"

"Há torcidas que abandonam seus clubes. O Palmeiras é um clube que abandona a sua torcida."

Forza Palestra!
Roberto Kamarad

Aldo disse...

eu sou de ctba e tenho direito de ver o jogo

. disse...

Bem , eu sou aki de Curitiba, e como torcedora eu vou fazer de tudo para poder ir ao estadio. Creio que essa falta de ingresso, nao seja tanto a culpa do Palmeiras, mas sim da diretoria do Atleticú-Pr.Que se aproveita qndo times grandesjogam lah na baixada.Há comentarios aki que so serão disponibilizados apenas 900 ingressos! Eh muuuuitoo poucoo! Para torcedores aki de Curitiba, do interior do Paraná, alguns de SC, RS e torcedores de SP!
Eu sei como todos os palmeirenses de todo o brasil, querem ir nesse jogo, justamente por ser decisão. Mas para nós curitibanos eh mais complicado, nós soh vemos o Palmeiras jogar aki, 1/2 vezes no ano! e nem todos vão conseguir ingresso (fato)! E todos aki vamos ter que madrugar na fila para "tentar" conseguir um ingresso! Tenho certeza de que todos os Palmeirenses que forem no jogo vão fazer uma festa maravilhosa, incentivar ateh o fim nosso verdãO'

Forza Palestra !

Forza Palestra disse...

Sergio
Valeu pelo comentário. O jeito vai ser a carnificina para conseguir um ingresso lá mesmo. Se depender dessa diretoria, nunca teremos nada.

Vinicius
Foi o que eu escrevi no post, cara: essa informação é tudo que eu queria saber. É tudo o que queremos: ingressos à venda. Não é pedir demais, é?

Rafa
Acredite: nada pode ser pior que a BWA.

Aldo
Sim, você tem esse direito. Depois de mim e de todos os palestrinos de SP que se dispuserem a viajar daqui até Curitiba.

.
Você levantou um ponto interessante: estamos lidando com a diretoria do Atlético/PR, um dos clubes que mais desrespeitam a torcida adversária no Brasil. Portanto, é de se esperar que eles façam qualquer tipo de patifaria, a exemplo do que aconteceu em anos anteriores. A Arena da Baixada é o estádio que mais restringe a participação do público, com a proibição de tudo. E caberia então ao Palmeiras a obrigação de solicitar a entrega da sua cota de 10% de ingressos aqui em SP. Só isso.

MaRcO MaLuF disse...

Cara, respeito muito sua opiniao, pois acho q voce é uma pessoa q sempre faz comentarios excelente, e ate muitas coisas q nao sao todos q se dispoe a falar, mas vc mandou muito mal ao falar das "cadeirinhas".
Sim, pode ser q elas estejam no lugar errado, mas definir todos que utilizam deste setor, como: "oportunistas ou 'torcedores' de ocasião", foi um comentario extremamente infeliz da sua parte, nao se pode generalizar todos ali por causa de alguns. Eu mesmo sou de do interior do Paraná, e estava em Sao Paulo na ocasiao a trabalho ate poucas horas antes do jogo, e só pude ir pois comprei um ingresso para aquele setor, inclusive tinha sido a primeira vez q fui ao Palestra, felizmente contra o bambi, qndo vencemos por 2 a 0. Nao vou ao estadio pois como disse moro longe de SP, mas acompanho varios sites da midia Palestrina sempre tentando me manter o mais informado possivel a respeito do clube que amo, na tentativa de tornar essa distancia fisica um pouco menor, e tenho certeza q nao sou nenhum dos dois que voce citou....

e agora deixo uma pergunta, Voce disse ao Aldo que ele tem direito de ir ao jogo, depois de vc e qualquer um q fosse de SP para Curitiba..... pq depois de voces? Vcs sao mais Palmeirenses que ele?

Saudacoes Palestrinas!

Forza Palestra disse...

Marco Maluf,

Sobre a resposta para o Aldo, eis aqui o que eu sugiro como leitura: http://forzapalestra.blogspot.com/2010/03/desesperanca.html

Está tudo aí e no post recomendado, sobre direitos adquiridos.

Abraços e obrigado