15 fevereiro 2012

Até as Malvinas, Fifa?



A última da Fifa:

A AFA decidiu nomear o Clausura/2012, que teve início no último final de semana, como Torneo Crucero General Belgrano, homenagem ao navio afundado pelos ingleses durante a Guerra das Malvinas (que completa agora 30 anos). Também por ocasião disso, a Copa da Argentina foi rebatizada como Copa Gaucho Rivero, referência a um soldado que liderou a resistência à ocupação da ilha pelos ingleses.

Eis então que a Fifa, esta entidade decrépita dirigida por uma corja de velhos sujos, emitiu um estúpido comunicado que diz mais ou menos o seguinte:
"A Fifa pediu que a AFA forneça mais informações sobre este assunto, e lembrou à AFA do artigo 3 dos estatutos da Fifa que proíbe quaisquer tipos de discriminação contra um país, pessoa privada ou grupo de pessoas por conta de origem étnica, gênero, idioma, religião, política ou qualquer outra razão. Uma potencial mudança de nome da Liga de Primera División claramente infringiria o artivo acima mencionado e pode sofrer sanções de acordo com os estatutos da Fifa."

Eu não quero me debruçar sobre a história por trás das Malvinas e mesmo sobre tudo o que levou à situação de guerra entre os dois países. Não é o caso. Mas o ponto todo é que um país como a Argentina, sabidamente zeloso de sua história, tem todo o direito de nomear o seus campeonatos nacionais da maneira que bem entender. E é belíssimo o nome de Crucero General Belgrano, porque, acima de qualquer confronto com outra nação, faz referência a um episódio histórico importante para um povo e para as mais de 300 vítimas do naufrágio. Assim como Gaucho Rivero, um nome que consegue, por si só, traduzir o espírito de resistência e luta do argentino.

Mas a Fifa, este órgão censor e destruidor do futebol, resolveu criar polêmica sobre a questão. Vejam que absurdo: ninguém reclama de campeonatos com nome de empresas, mas a Argentina não pode homenagear a sua história no nome do campeonato nacional? Naming rights? Ah, isso ok. Homenagens históricas? Aí os velhos malditos resolvem intervir.

Querem mesmo acabar com o futebol...

###

A foto que abre o post é do Estadio Islas Malvinas, no bairro Floresta, em Buenos Aires. É a casa do pequeno grande All Boys.

12 comentários:

Ivan disse...

Esse politicamente correto adotado pela Fifa e seguido à risca pelas federações me enoja demais.
O futebol tá definhando. A cultura torcedora aqui em SP já morreu.
O que a dona Fifa quer com isso, afinal?

Obs: por simpatizar com o grande Chicago de Mataderos, não consigo gostar desse tal All Boys e sua cancha. hahaha
Só essa foto estragou.

Anônimo disse...

Essa foto lembra muito o estádio Moisés Lucarelli e a torcida da Ponte Preta....rsrs

Gustavo disse...

Cara, fico admirado com a quantidade de canchas em Buenos Aires. A cidade é bem menor que São Paulo e tem pelo menos 10 estádios que tem capacidade relativamente boa e que são propícios a prática futebolística de verdade( alambrados, arquibancada proxima do gramado, capacidade nao muito grande, gramado pequeno, etc). Sem contar a quantidade de clubes tradicionais da capital hermana. Porra, aí vem os malucos me dizer que o Brasil é o país do futebol? Não há no Brasil, uma cidade que tenha mais de 4 clubes tradicionais, muito menos mais que 4 canchas decentes.
Doce ilusão......

Raul Dias disse...

A fifa é aquela mesma que reconhece os gambás como campeões do mundo? Ah, tá!!!

Ettore disse...

Por falar em argentina, o Barcos já mostrou que não gosta de palhaçada e chamou um repórter de fdp.

Anônimo disse...

Gostei muito da atitude do barcos!!!!! Vai tirar barato da pqp......isso aeh grobo do caraio.....porco carecareca

Anônimo disse...

se fosse assim não se chamaria Copa Libertadores da América....é política isso ou não?
ridículo esse comunicado.

Raphael

Leonardo disse...

A atitude da FIFA não é digna de comentários.

Andre disse...

A resposta do Barcos vale um post, até qdo temos que aguentar esses babacas que fingem fazer jornalismo esportivo?

CASSELLI disse...

Eu se fosse o Barcos na próxima gracinha sairia trocando....

Barcos el pirata...

Rafael-DF disse...

Parabéns ao povo argentino q tem noção da grandeza e respeita sua história.
Hj o Barcos deu uma demonstração dessa mentalidade de respeito próprio ao por mais um filhote de tiago leifert no devido lugar.

Barneschi disse...

Ivan e anônimo
O All Boys é um pequeno gigante. E, de fato, essa foto aí deixa o estádio muito parecido com o Moisés Lucarelli. Semelhança impressionante!

Gustavo
Depois te passo a lista completa, mas a verdade é que Buenos Aires tem pelo menos 12 estádios de grande porte. Se você somar ainda a região metropolitana, dá para chegar perto dos 30. Todos com história, todos de um clube, todos com uma torcida grande toda semana. É outro nível. O futebol vive na Argentina.