12 fevereiro 2012

Camisa 9

Memórias de arquibancada nem sempre são confiáveis - e até por isso têm mais valor. O gol que eu vi no estádio nem sempre é o gol que eu vejo depois na TV. Às vezes penso que a bola entrou em um canto quando, em realidade, ela entrou no outro. E, não raro, o que ficou guardado na minha memória de estádio sequer é parecido com o que de fato aconteceu. Difícil explicar o que leva a tal situação, mas é assim que é. E eu prefiro ficar com a impressão que tive no estádio, de tal sorte que, em alguns casos, acabo nem vendo o lance depois.

Este intróito tem a função única de justificar o que se segue:

A partir da arquibancada, o gol assinalado na tarde deste sábado pelo camisa 29 do Palmeiras me fez lembrar um outro gol, de um camisa 9 único, há quase 18 anos:



Há, talvez, três semelhanças entre um e outro: o estádio, o dia da semana e a cabeça empurrando a bola para o gol. De resto, admito agora, não há mais nada em comum. Eu até poderia forçar a barra dizendo que tanto Evair quanto o camisa 29 escoraram cruzamentos da direita já quase encostados na trave do adversário, mas prefiro me limitar ao que efetivamente importa: no momento do segundo gol contra o Ituano, veio à mente de maneira instantânea o gol marcado pelo gigante Evair quase duas décadas atrás.

Aí me dei conta que o camisa 29 tem a enorme responsabilidade de ser o camisa 9 que não temos há muito tempo. E percebi também que, em tempos recentes, o Palmeiras nunca teve sucesso algum sem um camisa 9 de respeito. Tivemos um 9 em todas as últimas conquistas: Evair, Luizão, Oséas, aquele outro que está hoje no Flamengo, até mesmo Alex Mineiro, um bom 9. Sem um cara assim no comando de ataque, não conseguimos chegar a lugar algum.

E então, sob a chuva que insistiu em cair durante os 90 minutos na cancha municipal, fui tomado por uma esperança que sempre insiste em voltar. Por mais acostumados que estejamos às derrotas vexatórias dos últimos anos, não estamos imunes ainda. Dá para sonhar. Que o 29 seja o 9 de que precisamos...

###

_O time vai ficando mais encorpado a cada jogo. A exemplo do que ocorreu no início e no final de 2011, é extremamente difícil bater o Palmeiras de Scolari. O time nem sempre convence - e às vezes empata demais -, mas parece sólido o bastante para crescer.

_11.193 pagantes: considerando a chuva incessante, até que foi um público razoável. Mas poderia - e deveria - ser melhor.

###

A imagem do fim de semana:

13 comentários:

Anônimo disse...

Levou jeito de 9 mesmo... Além de aparecer na hora certa pra botar pra dentro PARECE que sabe girar, jogar de costas e distribuir o jogo. Não lembro de nenhuma ter batido na canela e espirrado de volta pra qualquer lugar...

PARECE...

Abs

Gabriel, verde até o osso

Ivan disse...

- Vamos parar de nos enganar. A torcida do Palmeiras tá uma merda e não é de hoje. Torcida tiete de Luan e técnico. torcida que só vai na boa e abandonou o time ano passado.
O público de ontem foi vergonhoso e já era.
Porém, não tira o fato dos jogos às 22 da madrugada tirarem esses 5 mil a mais da arquibancada.

- Barcos está no lugar certo, na hora certa. Se fosse o Luan naquela bola, teria me acertado na arquibancada (Ricardo Malo teria tropeçado na própria perna e ralado a testa no campo). O cara se portou bem no jogo.

- Infelizmente para o Cicinho, precisamos desse moleque Arthur de titular. 2 jogos, 2 gols... ele sim aparenta ser o nosso nove salvador. hahaha

- Ultimo jogo bom do Patrick foi no Canindé contra o São Bernardo, se me lembro bem. Não só fez o gol ontem como também não me deixou nervoso (tirando alguns passes errados de 3 metros). Fato é que ontem deu tudo certo e a torcida presente esteve em êxtase como há muito não se via.

- Não ganhamos de ninguém.

- Prudente não!

Leonardo disse...

Barcos vem me surpreendo nestas duas partidas. Aguerrido e aparenta qualidade, parece ser um bom atacante. Vamos aguardar mais um pouco.

Felipão está fazendo um bom trabalho na formação deste time. Na zaga e na lateral-direita, temos boas opções com jogadores brigando pela titularidade jogo a jogo. Valdívia não foi a campo, mas em nenhum momento a armação das jogadas ficou comprometida.

Público, mais uma vez, fraco. Sábado às 17 horas, início de ano muito bom, vitória em clássico, todos estes são fatores que deveriam levar mais de 15 mil palmeirenses ao Pacaembu, independente da chuva.

Já é o quarto jogo seguido que a torcida decepciona, assim como no ano passado. Não dá pra dizer que a torcida tem entrado em campo.

Bruno D'Angelo disse...

Barneschi, senti isso que vc tão bem esreveu, no 1° gol. Eu estava exatamente atrás do gol e não entendi nada. Só percebi quando a bola tocou o fundo das redes.
Entre o 1° e o 2° gol, fiquei pensando se valia todo o esforço de ir ver os jogos e não ter a comodidade de ver e rever os lances e etc. Além do que, eu levo meu moleque - que tem 4 anos - nos ombros desde a esquina da Turiaçu x Monte Alegre até o estádio e ainda assim, preciso ficar com ele nos ombros para que ele possa enxergar.
Só que logo veio o 2°gol e meu filho me deu um "sacode". Ele ficou de joelhos, todo molhado, olhou pro alto e gritou: "Vamos Palmeiraaaaaaaas!".
Foi aí que eu ví que é muito melhor tomar chuva, sentir frio e fazer uma força física enorme, ao invés de ficar sentado no sofá com todo conforto.
Prá terminar, esse camisa 29 leva jeito.
Abraços.

Anônimo disse...

pq vc nao escrebe o nome dos jogadores atuais e so os numeros?

Anônimo disse...

Eu gostei mto do Barcos no Sábado,tem boa presença de área e uma boa habilidade,discordo um pouco do Ivan em relação a nossa torcida,se vc for ver bem o tietismo aumentou em todas as torcidas até na dos gambás,e outra pra mim não importa mto o público desde q seja participativo e jogue com o time,não adianta ter 500 mil babacas q só reclamam no estádio, o q importa eh o apoio

Luiz Fernando

Myself disse...

Ah Barneschi, linda foto dos nossos dois últimos ídolos. Sábado eu chorei junto com o Marcos na quadra. A homenagem foi muito bonita!

Anônimo disse...

Fica agora a questão para o blog: Pq o público do amistoso do Ajax foi bem superior ao jogo do Ituano que valia a liderança do campeonato realizado no mesmo local sábado a tarde? Qual é a desculpa agora: a Globo, o horário, Prudente ou a chuva? A realidade é que o torcedor não acredita nesse time!!!

Barneschi disse...

Vou começar da seguinte maneira:

À merda os que estão enchendo o saco com questionamentos sobre o público de sábado. Eu faço a minha parte e vou a todos os jogos, mas não posso responder pelos outros. Portanto, não tenho nada a responder sobre isso, porque cumpro com a minha obrigação. Que se fodam os que não fazem isso.

De toda forma, se for para estabelecer um parâmetro, lembro que os gambás levaram 16 mil ao Pacaembu no sábado anterior. O SCCP era líder, não estava chovendo e tudo mais. E não é um público assim tão maior. Não fosse a chuva de sábado, acredito que teríamos algo perto dos 15 mil. Portanto, não me encham o saco.

Algumas outras considerações:

Anônimo 1
Porque jogadores de futebol não passam de números de camisa. Só o que importa é a camisa.

Anônimo 3
É claro que o torcedor não acredita no time. Eu também não acredito. E não é por isso que deixo de ir ao estádio; pelo contrário. Por que foram 25 mil contra o Ajax e 11 mil no sábado? Sei lá, cara. Vai perguntar para os 14 mil que não foram no sábado.

Anônimo disse...

Meu Deus!!Essa imagem pra mim eh tudo...meus dois maiores idolos com a camisa da Mancha!
Sou o que sou por causa dos dois..um eh na porrada outro no amor...

Leonardo disse...

Mas que grande imagem!

Marcos e Edmundo, jogadores que merecem ter seus nomes lembrados sempre! Grandes ídolos!

Lamentei o público em minha postagem anterior, mas penso com a mesma linha de raciocínio de blog. Todos nós palmeirenses temos colegas, amigos ou parentes que vão a jogos de grande repercussão, mas passam o resto do ano no sofá. Eu faço a minha parte e meu dever não é cobrar nenhum torcedor de fazer a sua.

FORÇA, PALESTRA!

Anônimo disse...

Faltou nessa foto o grande Gladiador!!!
Ele sempre batia no peito e aparecia na quadra da mancha!!!

Anônimo disse...

http://verdadebancoop.wordpress.com/2012/02/14/a-mancha-verde-no-passado-de-fernando-capez-psdb/