14 abril 2013

Efeito Pacaembu

















O Palestra Italia como conhecemos fechou as portas em 9 de julho de 2010. São quase três anos, e durante todo esse tempo, tivemos de conviver com as decisões estapafúrdias de cretinos como Tirone e Frizzo, que viam o Pacaembu como a "casa dos gambás" - isso para não mencionar os jogadores e mesmo o técnico que andaram falando besteira sobre o assunto. Daí então viramos um time itinerante, trocando de estádio a torto e a direito, sem critério, sem embasamento, sem lógica. Era Canindé pra lá, Barueri pra cá, Prudente pro outro lado. Uma aberração atrás da outra.

Se há um mérito que deve ser creditado à nova gestão, este seria a decisão de manter a cancha municipal como a casa do Palmeiras durante a reconstrução do nosso estádio. Sem invencionices, sem negociatas, sem mesquinharia. Pacaembu e ponto. Uma casa à altura do gigante Palmeiras.

Bastou a oficialização para que o rendimento alviverde no Paulo Machado Carvalho experimentasse significativo incremento. Se entre 2010 (segundo semestre) e 2012 o aproveitamento de pontos ficou em débeis 50,6%, o índice na atual temporada já atinge expressivos 82,0%. São 13 jogos como mandante no Pacaembu nesta temporada, com 10 vitórias, 2 empates e apenas 1 derrota. É um desempenho superior até mesmo ao historicamente obtido no bom e velho Palestra Italia. Os outros números todos são igualmente favoráveis: foram apenas sete gols sofridos em 13 jogos, com um ataque que chega à média de 1,76 por jogo (para efeito de comparação, a média entre 2010 e 2012 era de ínfimos 1,33).

E isso tudo, senhores, com um time bem inferior aos anteriores...

Não é coincidência; os bons números têm relação direta com a decisão de mandar todos os jogos em um só estádio - o único que fazia sentido. E o que vimos hoje à tarde, com a belíssima vitória sobre o Guarani, é mais um exemplo do "efeito Pacaembu".

###

_Não vou falar sobre o público (baixíssimo). Os que foram ao estádio na quinta e resolveram não ir hoje devem ter lá seus motivos, não é? Mas que não venham encher o saco depois.

_Fomos rebaixados no BR-2012 porque Frizzo e Tirone fizeram o Palmeiras jogar todo o primeiro turno em Barueri, para jogos esvaziados e que impunham ao torcedor um sacrifício sem tamanho. Deu no que deu. Se tivéssemos jogado no Pacaembu desde o início, a história poderia ser outra.

###

A foto lá do alto só poderia mesmo ser do incansável Gabriel Uchida (Foto Torcida). Valeu, mano!

15 comentários:

Bruno D'Angelo disse...

E dentro desses 82%,os empates aconteceram em clássicos, fato que é perfeitamente normal e aceitável.

acreano disse...

jogo muito bom de se acompanhar no estádio...
infelizmente tivemos um público muito baixo...
com nossa campanha deveríamos ter no mínimo uns 15 mil pagantes....

@anakan

Leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo disse...

Concordo quanto a melhora de rendimento do Palmeiras jogando como mandante graças a escolha do Pacaembu, mas a média de público deste ano é baixíssima. Na Libertadores, a torcida cumpriu seu papel perfeitamente, mas no Paulista faltou apoio.

Tivemos públicos muito baixos em alguns jogos e no único clássico como mandante não haviam 15 mil palmeirenses em um domingo à tarde.

Ontem mesmo, depois de quatro vitórias seguidas - sendo duas delas importantíssimas - e brigando para garantir o mando nas quartas-de-final, não haviam 10 mil pessoas. Isto com ingressos a preços reduzidos - ainda que longe de estarem baratos.

Leonardo Nakamura

Anônimo disse...

Estive mais uma vez no pacaembu, esse ano apenas perdi os jogos contra Tigres e Sporting Crystal por problemas diversos.
A Mancha voltou a ser Mancha e ta mto bonito a festa desde o jogo contra o Libertad. Simples, sem bandeiras, papel picado, rolo de paple higienico, bexigas..simplesmente na força da voz e do folego.
A torcida do Palmeiras está jogsndo junto e os jogadores tem superado seus limites.

Espero que isso gere um titulo para nós.

Outra coisa importante, mto bom ter o avanti, é inacreditavel como tem gente que ainda nao fez..sao os R$60,00 mais bem pagos

Riick disse...

Se morasse em SP ou próximo da cidade eu teria ido com certeza ontem, mas neah, viajar 240km não é fácil, e não tenho condições financeiras para tal... infelizmente.

Quinta estava lá no Pacaembu, gritei e torci como deve ser em todos os jogos. Sim apenas 7 mil é baixo perto do que o time precisa.

Pacaembu é mais nosso do que do time da mídia, todos sabem isso, a história conta, apenas essa imprensa lixo quer ir contra.... Que continue assim.

Pedro (PR) disse...

Com ou sem torcida o time vem ganhando. E o time é um dos mais forte montados nos últimos anos. Basta analisar o elenco. Saem 11 ou 12 entram outros e o time não muda. Quem mais desmerece o time não é a tal da "imprensa gambá", mas a própria torcida, que nem ao estádio comparece.

Barneschi disse...

Bruno,
Na verdade, entra nessa conta apenas o empate contra o Santos (0-0). O outro empate, contra o SCCP, foi com mando deles e, portanto, não está contabilizado. Se estivesse, seriam 14 jogos, com 10 vitórias, 3 empates e 1 derrota.
Abraços

Gaucho disse...

Fim de semana com rebaixamento do são caetano e de dois times sem tradição aqui no rs, o canoas e cerâmica. espero que não voltem nunca mais.

César SEP disse...

6937 pessoas é um público muito baixo, esperava ter uns 15 mil pelo menos, após a vitória de quinta.
O que existe hoje não são torcedores, e sim OPORTUNISTAS. Já ouvi de muita gente entre sexta e domingo a preocupação em conseguir ingresso para as oitavas de final da Libertadores, mas que não estão nem ai para o clube quando disputa Paulistão, Série B...
Barneschi, acho q só veremos um público superior aos 30 mil na Libertadores (até onde for) e no final do ano, quando o Palmeiras estiver na iminência de ser campeão, e lógico, no jogo em que for levantar a taça (assim esperamos!).
E a PM continua fechando a escada que dá acesso à praça Charles Miller..

Porra! Caralho! Mancha! Palmeeeeeeiras....

Abs

Raul Martins Dias disse...

É, aqueles tempos de Palmeiras itinerante deram no saco mesmo. Eu marcava a passagem para o dia do jogo, aí, 10 dias antes, passavam o jogo para Barueri e a CPTM fechava a estação do Jardim Belval. Ou quando jogava no Canindé e era um sufoco para sair (tudo sob um argumento ridículo de que "dava sorte"). Nessa a diretoria atual acertou.

Raul Martins Dias disse...

Em tempo, hoje a tal emissora anunciou sua novela que tem uma personagem gambá. E tem gente que acha isso absolutamente normal.

Anônimo disse...

6937 o publico????

que grande merda ein!!!

felipe disse...

"Já ouvi de muita gente entre sexta e domingo a preocupação em conseguir ingresso para as oitavas de final da Libertadores, mas que não estão nem ai para o clube quando disputa Paulistão, Série B..."

Que grande besteira misturar Paulistão e Série B, hein, amigo?

Paulistão é um campeonato que já anda desinteressante e, não bastasse isso, ainda tem uma primeira fase com intermináveis 19 rodadas contra 15 times pequenos.

Já a Série B é o Campeonato Brasileiro, pô, é o Nacional. Será o repeteco de 2003 em relação à torcida. Todos que conheço estão animados para acompanhar o time nos estádios na B. Porque a força dos torcedores vai ser fundamental, como foi há dez anos.

Em suma, os baixos públicos do Paulista não indicam que a Série B será esse fracasso também. Porque não será. Não confunda as coisas.


César SEP disse...


felipe

Não estou confundindo as coisas não amigo, não interessa qual competição o Palmeiras dispute, o verdadeiro torcedor (o de arquibancada) sempre vai estar (e vai fazer o maior esforço possível para comparecer) presente nos estádios quando a camisa entrar em campo. Tanto quinta quanto domingo, o Palmeiras foi a campo. Concordo com vc, o Paulistão é um campeonato bem chato, são rodadas que parecem não ter fim, ingresso muito caro, horários ruins para o torcedor, etc. Mas mesmo assim - com todas esses obstáculos - o público do Palmeiras é muuuito pequeno. Se vc pegar os jogos desde o início do ano até hoje, vc vai reparar que o público nos estádios é vergonhoso. Contra o Penapolense, São Bernardo, Atlético Sorocaba, Guarani, Bragantino, Santos, Guarani (etc) o público foi abaixo dos 10 mil pagantes. Houve jogos que teve apenas 4000 pessoas (contra o Atlético Sorocaba teve uns 3500), ou seja, é muito pouco para um torcida que diz ter 16 milhões de "torcedores". No clássico (!!) contra o Santos, em um final de semana, teve 11 mil só. A diferença do jogo de domingo contra o Guarani para o de quinta contra o Libertad, é de quase 30 mil pessoas, vc já parou para raciocinar isso? E sim, acho q o público na série B será baixo também. Acredito que só iremos ter um bom público nas rodadas iniciais, e em algum momento do campeonato, quando o time embalar alguma sequência de vitórias, e lógico, na reta final, quando os oportunistas aparecem no estádio com câmeras, tirando foto para colocar nas redes sócias dizendo que "sempre esteve apoiando o Verdão..." E olha que o Palmeiras - com a vitória de domingo - teve a 5º vitória consecutiva, e tinha acabado de se classificar para as oitavas da Libertadores, e mesmo assim, com o ingresso um pouco mais barato, teve 6900 pessoas contra o Guarani.
Obs: isso não é exclusividade da torcida do Palmeiras, acontece em todas as outras.

Abs