12 julho 2013

Uma sexta-feira qualquer

Sexta-feira à noite. O Palmeiras vai a campo.

Não é o dia mais comum para a prática do futebol, mas o passado (nem tão) recente ficou marcado por algumas inesquecíveis noites de sexta-feira. Para justificar o título (os cinéfilos entenderão), queria ficar apenas com uma dessas tantas sextas-feiras, mas há pelo menos duas que precisam ser lembradas:

21.05.1999, 6ª feira, 21h40 - Copa do Brasil/1999
Palmeiras 4-2 Flamengo/RJ - Palestra, 30.000



O vídeo acima fala melhor do que qualquer relato sobre o que foi aquela noite de 21 de maio de 1999. Para tudo fazer mais sentido e para entender o porquê de um jogo decisivo numa sexta-feira à noite, deixo-os com a sequência dos jogos disputados pelo Palmeiras entre os meses de maio e junho de 1999:

05.05.1999, 4ª feira: Palmeiras 2-0 SCCP/SP - Libertadores
07.05.1999, 6ª feira: Rio Branco/SP 2-3 Palmeiras - Paulista
09.05.1999, domingo: SPFW/SP 5-1 Palmeiras - Paulista
12.05.1999, 4ª feira: SCCP 2(2)-0(4) Palmeiras - Libertadores
14.05.1999, 6ª feira: Flamengo/RJ 2-1 Palmeiras - Copa do Brasil
16.05.1999, domingo: Palmeiras 4-1 Internacional/SP - Paulista
19.05.1999, 4ª feira: River Plate/ARG 1-0 Palmeiras - Libertadores
21.05.1999, 6ª feira: Palmeiras 4-2 Flamengo/RJ - Copa do Brasil
23.05.1999, domingo: Matonense/SP 0-2 Palmeiras - Paulista
26.05.1999, 4ª feira: Palmeiras 3-0 River Plate/ARG - Libertadores
28.05.1999, 6ª feira: Palmeiras 1-1 Botafogo/RJ - Copa do Brasil
30.05.1999, domingo: Palmeiras 4-3 Portuguesa/SP - Paulista
02.06.1999, 4ª feira: Deportivo Cali/COL 1-0 Palmeiras - Libertadores
05.06.1999, sábado: Santos/SP 2-1 Palmeiras - Paulista
08.06.1999, 3ª feira: Palmeiras 2-1 Santos/SP - Paulista
11.06.1999, 6ª feira: Botafogo/RJ 1(4)-1(2) Palmeiras - Copa do BR
13.06.1999, domingo: SCCP/SP 3-0 Palmeiras - Paulista
16.06.1999, final da Libertadores...

Notem os senhores que a arrancada para o título acontece exatamente a partir deste duelo contra o Flamengo. E tão importante quanto lembrar todas as reviravoltas daquele inesquecível 4-2 é o fato de termos buscado no Maracanã, ainda no jogo de ida, o gol que nos permitiria viver esses momentos inesquecíveis. Jogo de ida, uma sexta-feira antes, Flamengo/RJ 2-1 Palmeiras:
1-0: Caio (Flamengo), 32' do 2º (sim, é o comentarista)
2-0: Romário (Flamengo), 41' do 2º
2-1: Paulo Nunes (Palmeiras), 46' do 2º

O time que bateu o Flamengo no Palestra foi este: Marcos; Arce (Euller), Roque Jr., Agnaldo e Júnior; Rogério, Sampaio (Evair), Alex e Zinho; Paulo Nunes e Oséas (Galeano). Luiz Felipe Scolari.

A contagem dos gols:
0-1: Rodrigo Mendes (Flamengo), 1' do 1º
1-1: Oséas (Palmeiras), 12' do 2º
1-2: Rodrigo Mendes (Flamengo), 14' do 2º
2-2: Júnior (Palmeiras), 15' do 2º
3-2: Euller (Palmeiras), 41' do 2º
4-2: Euller (Palmeiras), 44' do 2º

Para quem tiver mais tempo disponível, recomendo o "Jogos para Sempre", programa do Sportv sobre este Palmeiras 4-2 Flamengo. Aqui. Para quem tiver ainda mais tempo, a íntegra do jogo.

###

22.10.1999, 6ª feira, 21h40 - Copa Mercosul
Palmeiras 7-3 Cruzeiro/MG - Palestra, 8.293



Este foi o jogo de ida da 2ª fase da Copa Mercosul. Depois dos 7-3 em casa, o Palmeiras perdeu por 0-2 em Minas e garantiu a vaga para a semifinal (quando bateu o San Lorenzo).

O time: Marcos; Zé Maria (Euller), Roque Jr., Galeano e Júnior; Rogério, Sampaio, Alex (Tiago) e Zinho; Paulo Nunes e Oséas (Evair). Luiz Felipe Scolari.

Gol a gol:
1-0: Paulo Nunes (Palmeiras), 10 seg. do 1º
1-1: Isaías (Cruzeiro), 17' do 1º
1-2: Ricardinho (Cruzeiro), 27' do 1º
2-2: Evair (Palmeiras), 13' do 2º
3-2: Alex (Palmeiras), 31' do 2º
4-2: Evair (Palmeiras), 34' do 2º
4-3: Marcelo Ramos (Cruzeiro), 39' do 2º
5-3: Euller (Palmeiras), 41' do 2º
6-3: Paulo Nunes (Palmeiras), 47' do 2º
7-3: Euller (Palmeiras), 48' do 2º

###

_Vale lembrar que esses duelos às sextas-feiras eram muito comuns naqueles inesquecíveis anos 1990. Jogava-se muito, quase sem folga, uma vez que os campeonatos se atropelavam de um jeito quase insustentável. Times como o Palmeiras podiam entrar em campo quase 100 vezes em uma única temporada. Em 2000, por exemplo, foram 92 jogos oficiais: Rio-SP (10), Paulista (18), Copa do Brasil (4), Libertadores (14), Copa dos Campeões (5), Brasileiro/João Havelange (28) e Mercosul (13).

_Como as tabelas não eram lá muito inteligentes, era comum que o time fosse a campo três vezes em uma mesma semana: terça, quinta e domingo ou quarta, sexta e domingo. Houve casos até de quatro jogos em uma semana: domingo, terça, quinta e sábado.

10 comentários:

Anônimo disse...

e ai cara,

cade o post sobre a odiosa rede globo???

cade o post prometido???

que desrespeito é esse com os seus leitores cara,

se toca meu

voce desrespeita e depois vem cobrar respeito de órgãos publicos, dirigentes e td mais cara,

se liga meu

mais respeito com o leitor

se voce não vai fazer o post, então não prometa cara

Waldemar disse...

Caro Barneschi,

Lembro daquele texto das "Noites Felipônicas", muito bom por sinal, e estas duas noites felipônicas foram inesquecíveis, principalmente os 4x2.

Aproveitando o gancho com a coluna anterior, quais noites felipônicas você destacaria na segunda passagem do Felipão pelo Palestra?


Waldemar

Anônimo disse...

Boa dia a todos, Barneschi, no jogo contra as `´marias ´´ de minas, eu e amigos saímos sem voz de tantos gols, pois o time jogava com raça, e um bom toque de bola, realmente um espetáculo, sendo que acredito ser um fato raro hoje com o time medíocre que Paulo Nobre esta montando, mas vamos esperar, lembrando a você que ontem foi publicado pela mídia predatória, a contratação de um `´profissional´´, de mercado que assumira a gerencia financeira do Palmeiras, ate este detalhe não há nada de anormal, mas quando é relacionado o parentesco com um membro da chapa Fanfulla, que já tem oito diretorias, sendo o salario do gerente é de R$ 35.000,00, e sendo um funcionatio da The Bostn Consulting Group, ai a coisa fede, pois o FUTSAL do Palmeiras custa por mês R$ 27.000,00 e traz títulos, sendo a modalidade junto a do Basquete, que mais torna-se visível perante a mídia, já que há transmissões em canais fechados , para todo o planeta, desta maneira o tal `´profissionalismo´´, não tem meritocracia, mas sim nepotismo escandaloso , fato que não pode ser ignorado, em forma ou conteúdo.
A matéria sobre a deusa platinada do rio, pode ser ainda mais recheada de episódios, quando ocorrerem as divulgações dos descalabros financeiros , e trapaças cometidas pelos adotivos clubes desta entidade FDP, que mantem sua suja politica populista de beneficiar em gênero e grau a rale do esporte nacional!
Claudio Longo!

Luan disse...

muito legal seus posts sobre histórias marcantes do Palmeiras.

Me lembro bem desses dois jogos e comemorei muito as duas grandes vitórias que marcaram ainda mais meu coração palestrino na minha infância

Luiz Fernando Sanchez disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Fernando Sanchez disse...

Vale lembrar q neste jogo da copa do brasil,o interminável Pimentel ainda meteu uma bola na trave do Marcos no último minuto

Barneschi disse...

Anônimo
Cara, você tá bem?

Waldemar
Olha, entrariam nessa segunda passagem do Felipão os quatro duelos finais da Copa do Brasil (Grêmio e Coritiba) e mais a passagem de fase na Sul-Americana de 2010 contra o Vitória (3-0 aqui). E, se tivéssemos escapado do rebaixamento no final de 2012, alguma das partidas que tivemos no Pacaembu: Ixpót ou Ponte Preta talvez.

Daniel Avventurato disse...

Esse jogo aí contra o Flamerda, mesmo após 19 anos de arquibancada e não decidindo título, continua sendo o mais espetacular que já fui.
E como o amigo acima lembrou, esse lance do Pimentel foi 1 minuto após o gol. Nesse jogo o Palmeiras embalou, para dps ganhar do River na semana seguinte.
Valeu pela lembrança.

Rodrigo Gregorio disse...

Me lembro bem daquele jogo contra o River... 2 gols de Alex...
1 gol do Roque Jr... estava atrás do gol... vi perfeitamente os gols de Alex... memoráveis!
Aquele que a "mídia especialista" chamava de dorminhoco... praticamente
a final antecipada... que jogo!

Anônimo disse...

Eu tambem estava atras do gol onde o Alex fez o terceiro gol contra o River. Alias, fui uma das melhores partidas do Alex com a camisa do PALESTRA.

Esse jogo de 7 gols contra o cruzeiro foi legal pra caralho. Nao tinha muito gente no estadio mas fizemos uma pusta festa no final. Foi mais um ano onde a mafia azul nao deu as caras no PALESTRA ITALIA. hahahaha