01 janeiro 2008

Direto do Rio

Para começar bem o ano, três pequenas observações após mais uma virada de ano na Cidade Maravilhosa:

1. Fui ao Maracanã, na quinta passada, assistir ao festivo Flamengo 1987 8 x 5 Amigos do Zico. Antes que venham comentários idiotas, ressalto que foi um fato casual, já que eu estava de passagem pela Tijuca pouco antes do tal jogo. No fim das contas, foi bom rever Djalminha, Edmundo e Zinho, entre outros. Como é bom também reencontrar o Maracanã (mesmo com o gramado detonado) e, vá lá, ver uma torcida que ama o time de verdade (35 mil pagantes por quase nada). E aí vem o contraste com aquela gentalha alienada do Jd. Leonor. Muito porque o jogo era uma rememoração do time campeão brasileiro de 1987. E, com base neste reencontro e na história que não se traveste nem se inventa – ao menos para quem é digno –, os bambis ficam ainda mais repugnantes a cada vez que reivindicam algo que o rubro-negro carioca já conseguiu há 15 anos.

2. Por falar em Flamengo e em Maracanã, parece cada vez mais improvável a ocorrência de brigas entre RRN e TJF. É claro que há desentendimentos – eu mesmo vi dois no intervalo –, mas o fato é que a TJF acabou. Enquanto a Raça fazia a sua parte no lugar de sempre, os amiguinhos dos bambis não foram capazes de reunir mais do que 30 torcedores lá do outro lado da arquibancada. Não mais do que 30 a cantar músicas escrotas e a fazer aquele velho sinal da turma da Xuxa. Ao que parece, foram desbancados pela tal Urubuzada.

3. A Libertadores movimenta tricolores e rubro-negros. No segundo caso, é até aceitável, pois os caras têm tradição, um título e bom número de participações. Em relação ao time das Laranjeiras, no entanto, a empolgação só retrata o que eles são: um clube que pode ser grande em
âmbito regional e, com boa vontade, nacional, mas que é pequeno quando o assunto é a competição sul-americana. 23 anos sem uma participação? E esta última foi também a única? Pô, até o São Caetano inspira mais respeito. O dinheiro da Unimed pode até bancar todos esses reforços, mas a camisa sem força vai se encarregar de colocar as coisas em seu devido lugar.

9 comentários:

Carol disse...

feliz ano novo rooooooo

bjos, bjos

una cultore ragazza disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Daniel disse...

ae barney.... bom ano pra todos nos!!!
so me explica esse odio do Fluminense??? heeheh
abs

mancha z/s disse...

2008 eh nosso ano irmaum!!!!!!

Rodrigo disse...

Complicado no RJ foi explicar aos praticantes de frescobol que Luydy, A Lenda, não estava presente em solo carioca...

O pessoal via o Barney e já vinha com bloquinhos pra pegar autógrafos do Luydy...brincadeira...

Junior FJV Tijuca disse...

koéee brother!!! de passagem pela tijuca??? eh nois! m,as ae, jogo do flamerda eh vacilo, brother. os caras zoaram o dinamite e o ed pelo que eiu ouvi ai....
e se liga: a tjf eh essa merdinha q vc falou. mas antes rolava uma parada de uns malukos q colavam ali por causa das tretas e tal., agora eh essa meia duzia msm.
[]´s

Craudio disse...

Não sei porque você perde tempo falando do Fluminense.

As únicas glórias dos caras é ter como torcedores o Nelson Rodrigues e o Chico Buarque. Só.

Sobre o frescobol, Luydy já se prepara para o grande Torneio Início nas areias do Guarujá, em frente ao Casa Grande Hotel.

E o Zico, veja bem, ainda joga pra caralho, mesmo com toda aquela pança. Além de ser Corinthians (palavras dele)...

luiz - uberlândia disse...

Sei não, Rodrigo. Arrisco (arriscadamente, confesso) um bom palpite no Fluminense, neste ano, para a taça libertadores...

eles fizeram - na minha opinião - excelentes contratações. Acho que farão um bom trabalho. Ademais, estatísticas, penso, nesta altura do campeonato, já não conta mais. Se estão no campeonato, a chance de vencerem, pelo menos em tese, é a mesma das outras equipes; basta ir bem, irem vencendo..

Em 84 eles não participaram?

abraços verdes,

Luiz, uberlândia

Forza Palestra disse...

Então, Luiz, eles participaram em 1985 (por causa do título brasileiro de 84). Foi a primeira e única vez.