13 janeiro 2008

Pré-estréia em Barueri

Pouco (ou quase nada) se pode extrair de um jogo-treino. É mais treino que jogo. O desta tarde/noite (Palmeiras 2 x 1 São Bento/SP), em Barueri, portanto, serviu mais para o time reconhecer a sua casa provisória nas quatro primeiras rodadas caseiras do Paulistão.

Para nós, torcedores, foi uma pré-estréia, uma oportunidade de conhecer o que iremos enfrentar nestes jogos em Barueri.

Quando falo em ‘enfrentar’, faço referência ao cenário externo, nada convidativo.

Não que seja complicado chegar até lá; pelo contrário. O local é um pouco distante, é fato, mas o principal obstáculo é o trânsito caótico, algo que, se não hoje, será problemático nos brilhantes horários do nosso amigo Del Nero.

Os problemas continuam na chegada ao estádio, que fica em uma enorme bocada. Sim, bocada!

E o pior: não tem lugar para estacionar o carro.

Dizem os policiais locais que um estacionamento de dimensões razoáveis, ao lado do portão principal da Arena Barueri, estará aberto na próxima quinta-feira.

É bom que esteja; do contrário, a situação será insustentável.

Há favelas, algumas, ao redor do campo. E uma longa avenida, inabitada e dividida por um córrego. Nada além disso. Não há prédios, nem estacionamentos privados. Fica uma sensação de vazio, até porque não se vê qualquer sinal de transporte público.

Antevejo problemas para estes quatro jogos, com expectativa de público na casa dos 15 mil torcedores.

A tal Arena Barueri pode até vir a ser um estádio-modelo no futuro, mas hoje, ao menos do lado de fora, não passa de um enorme canteiro de obras.

Só para exemplificar: não há bilheterias bem sinalizadas, e o grande destaque do lado externo é um enorme morro que foi concretado.

Resta saber qual será a organização da Prefeitura para estes quatro jogos do Palmeiras. O exemplo de hoje, com portões abertos e cerca de três mil torcedores, não foi nada promissor.

8 comentários:

mancha z/s disse...

quem fez os gols mano????

Craudio disse...

Falei que era uma bocada?

Você conseguiu descobrir o porquê de não usarem o Ibirapuera?

filipe disse...

Área de Restrição, Japonês. Restrição para torcedor, que é bandido, arruaceiro, etc.

Forza Palestra disse...

Mano, conversei sobre isso com o Galuppo ontem. Diz ele que o Ibirapuera não passou nos testes do Contru. Tem a ver com aquela besteira de áreas de acesso, saídas e entradas etc.

Aí o jeito é todos os clubes mandarem seus jogos no Jd. Leonor, pagando o aluguel dos bichas. Até a pobre Portuguesa, vejam só, foi impedida de mandar seus jogos no Canindé.

Abraços

Craudio disse...

Bom, se é por causa de acesso, Barueri deveria ser vetado hahahahahhahahahahahahha...

É cada uma.

Falou, Jujuba!

filipe disse...

Nesse caso, Palestrino, preciso entender ainda se o antiestádio tem mesmo bons acessos. Se esse é o argumento, então sinto muito.
Proíbam aquela merda também.

Forza Palestra disse...

Cara, eu sinceramente não sei se é este o problema - foi um comentário do Galuppo. Aposto mais em alguma iniciativa dos moradores do bairro, visto que a entrada principal, na Abílio Soares, fica em uma área estritamente residencial.

Como dito anteriormente, costumo passar por ali. Outro dia, de bicicleta, parei para olhar com mais atenção. O portão principal está todo enferrujado, com cara de abandono. E lá dentro tem entulho e mato por todo lado.

Seria muito mais fácil colocar o Ibirapuera em ordem e alguns jogos poderiam acontecer por lá.

Sobre o Jd. Leonor, nenhum comentário se faz necessário, né?

Abraços

Daniel disse...

barney, nao tem a menor chance de eu ir pra la mano... é muito fora de mão de onde eu to....