22 julho 2008

Cornetas: relativização necessária

Convencionou-se chamar de corneteiro aquele sujeito que fica na numerada e passa o jogo a xingar o técnico e os jogadores. É um tipo de torcedor (?) que só atrapalha, e Luiz Felipe Scolari foi sábio ao inventar o apelido Turma do Amendoim, lá pelos idos de 1999/2000. Dizia Felipão que o povo da numerada coberta passava o jogo comendo amendoim e xingando. O nome ganhou força, mas com conotação pejorativa: 'amendoim' passou a ser uma designação comum a todos aqueles que criticam o time na hora errada. Desde então, a situação até que melhorou, em parte porque esse tipo de torcedor (?) passou a ser visto com desconfiança e até de maneira pouco amigável pelo resto da torcida.

Feito o intróito, sinto-me na obrigação de relativizar o uso que se faz hoje da palavra corneteiro. Fato é que me incomoda bastante a postura de uma parte da torcida (isso inclui amigos meus) que parece querer blindar os atletas, um em especial, como se eles estivessem imunes a críticas. E aí basta um comentário menos elogioso para que você logo seja chamado de corneteiro.

Eu vejo de outra forma: uma das funções do torcedor é apoiar o time, e isso deve acontecer durante os 90 minutos. Depois disso, no entanto, a cobrança pode - e deve - existir. E é natural que seja feita pelo torcedor, que tem o direito de
fiscalizar e exigir que os jogadores façam o melhor pelo time. Há casos e casos, e é sempre preciso ter um pouco de precaução, mas não se pode execrar um torcedor apenas porque ele tem um perfil, digamos, mais questionador.

A situação é bem simples: jogador de futebol não adora dizer que é profissional? Ok, tudo certo. Já que é assim, deve ser tratado como profissional. Sim, tem direito a ouvir propostas de outros clubes e até de buscar novas oportunidades quando julgar conveniente. Nada a contestar. Mas a recíproca também é verdadeira. Se você, na condição de profissional, é cobrado pelo seu chefe quando seu rendimento cai, é justo que o mesmo aconteça com o jogador de futebol. Aos direitos adquiridos correspondem também os deveres pertinentes.

Estou cansado de patrulha. Estou cansado de ver nego passar a mão na cabeça de jogador. Estou cansado de jogador pedir para ser tratado como profissional, mas só na hora de buscar um contrato melhor. E estou cansado de qualquer um ser chamado de corneteiro apenas e tão somente por fazer críticas que me parecem necessárias.

O Palmeiras está acima de qualquer um!

32 comentários:

Fabiano - Jundiaí disse...

Palmeiras sempre existirá, não importa quem esteja jogando..... Portanto não gostou das críticas ? Pega a mala e vai embora ou joga bola, afinal não é justamente esse o serviço de um atleta de um time de futebol? DOSES DIÁRIAS DE VERGONHA NA CARA AJUDAM A CURAR ESSE TIPO DE DOENÇA QUE AO LONGO DE ANOS VEM ATINGINDO OS JOGADORES CHAMDA VAGABUNDAGEM, ME PARECE QUE É MAS FREQUENTE EM "BOLEIROS" "MALANDROS". Nesse caso peço a esses senhores infectados por esse mal, vão jogar no Rio de janeiro, lá sim a vida é boa. Abraço a todos

luigi sep 1914 disse...

O ídolo de muitos aqui não fez nada em 2006-07, tirando os 3x0 nos gambás, mas não podia ser criticado.
O cara largou o time na mão qd mais precisavam dele, em 95, e mesmo assim continuou ídolo (não meu).
Agora o Valdivia pode. O cara apanha todo jogo, toma amarelo pq mostra pro juiz o nariz sangrando, aí a imprensa fala que ele é cai-cai e o povo acredita...
Pq ninguém fala que o dagoberto é cai-cai? pq ninguém fala que o thiago neves nunca jogou porra nenhuma?
O Valdivia é foda, vai ficar até o final do brasileiro e nos levará ao título!

Viva EL MAGO!
Vai PALMEIRAS!

vitor disse...

nem ligo q me chamem de corneta, graças a Deus o q importa pra mim é o q eu penso.

e o q eu penso tem a ver com o q eu sinto dos jogadores dentro do campo (e isso qq torcedor se conseguir ser fanático mas não passional consegue)

pra exemplificar o q eu qro dizer...o time de 2004 q foi eliminado pelo paulista em araras...saí do estádio parecendo q estava no velório, abatido, triste, mas sabia q o limite daqueles jogadores era aquilo, não tinha mto o q esperar deles. tanto q o único jogador q xinguei naquela época foi o lúcio vagabundo pois ele se achava o 4º melhor do mundo.

o time do estevam soares de 2005 eu JAMAIS xinguei ou cobrei, pelo contrário sempre apoiava, pois sentia q o q os jogadores estavam fazendo era o máximo q eles podiam fazer, tanto apoiava até o fim, q indo pra campinas (6 x 2) falava pro desconfiado Rodrigo q íriamos se classificar pra libertas.

agora, não dá pra apoiar o sr valdívia, pois todos sabemos q ele joga mto mais do q está jogando. qto a zaga, acho q o jeci é fraco msm e não tem culpa, culpa tem qm o trouxe e é aí q eu crítico o luxemburgo q o indicou (assim como outras merdas como capixaba, jumar, jefferson) e critico a parceria q não contratou ngm decente pro brasileiro.

.

Rafael Evangelista disse...

O duro, meu caro, é achar esse caminho do meio. Tem um pessoal que pratica cornetagem por esporte, acha que isso está na essência de ser palmeirense (disso discordo muito, pra mim é tiro no pé). Tem outro pessoal que blinda os fortes e bate nos fracos (e suspeito que com uma orientação meio esquisita, preservando os "bonitinhos" e batendo nos "feiosos" que não tem a cara do time que eles gostariam). E, é claro, tem quem não quer cobrança alguma (aí também não dá). É complicado.

Seu post me deu umas idéias, sobre essa cobrança pública da diretoria com relação a Kleber e Denílson. Se der tempo desenvolvo.

Abraço!

Ademir Castellari disse...

Irretocável meu caro. Vou até reproduzir lá no Blog xará, com a devida permissão, é claro. Eu mesmo sou apelidado, por alguns amigos, de corneta, pois não dei trégua ao Caio Junior. O tempo mostrou que eu tinha razão, a passagem dele pelo Flamengo reafirmará, já está reafirmando, minha certeza. Abraço.

Luiz disse...

Rodrigo,

Acho que você está distorcendo a realidade. Ninguém é contra crítica a esse ou aquele jogador, não existe esse negócio de passar a mão na cabeça de vagabundo.

Não podemos ter uma visão maniqueísta dos fatos, quando ganha é uma coisa e na derrota é outra. Devemos sim, fazem uma análise ampla da real situação do Palmeiras e as coisas nos levaram a ela.

Bom, pensando assim, farei uma análise de acordo com minhas visões sobre atual Palmeiras.

A zaga. Todos, inclusive eu, estão reclamando da atual dupla de zaga, mas nos esquecemos que perdemos praticamente ao mesmo tempo Gustavo e David (machucados) e Henrique (negociado), temos ainda o Maurício, mas por ser mais novo está sendo poupado neste momento.

Pois bem, quem em sã consciência acredita que trouxemos Gladstone e Jeci para formar nossa dupla de zaga titular? Orra, é óbvio que eles vieram para compor o elenco e apenas um deles jogar (se jogar) ao lado do Gustavo ou David.

E não me venham falar em Dininho e Nem, pois eles já foram embora tarde demais. O primeiro, além de um salário gigantesco, estava ultrapassado, enquando o segundo, só vivia machucado.

As laterais. Não temos dúvida sobre os titulares e não acho que os reservas (principalmente o Capixaba) têm culpa, pois o time está com o miolo de zaga totalmente desentrosado e sem o Pierre no meio, o que mudaria bastante a questão da marcação e cobertura das laterais.

Agora, só queria entender o que acontece que o Wendel não joga! O WL poderia falar o que está havendo.

O meio. Estamos carentes de volantes marcadores (o Wendel nunca comprometeu nesse papel), temos apenas o Pierre, enquanto os demais jogadores de meio, todos têm muito mais características ofensivas que defensivas, desde Sandro Silva e Jumar até Diego e Valdívia.

O ataque. Sinceramente, não vejo nenhum problema, aliás, é um dos melhores.

WL. Ainda acho que o time dele vai funcionar. Mas, ele que se diz "um profissional de futebol", deveria explicar porque de repente alguns jogadores simplesmente sumiram dos gramados.

O jogo em Goiania. Por pior que tenha sido, o Palmeiras se fez forte, buscou um resultado adverso de 2 gols e estava melhor no campo, mas a infelicidade em um lance mudou toda a partida.

As expulsões e os cartões. Pode parecer síndrome, mas tenho notado uma forte perseguição ao Kléber (aproveitando, alguém viu o lance?) e (pra variar) ao Valdivia.

A solução?? Acho que deve haver uma ação de bastidores por parte da diretoria reclamando dessa perseguição. Ao mesmo tempo em que os dois jogadores passem a manifestar menos a sua contrariedade em relação aos árbitros.

Mas enfim, acho que é o momento da torcida se unir com o time, pois vamos levá-lo ao título.

Abraço

Craudio disse...

Corneteiro!

Ulisses disse...

Luiz,

No inicio fiquei um pouco transtornado com o post do Barneschi, inclusive com sua resposta ao meu comentário no último post, mas vamos apenas discutir!!

Cornetagem na minha humilde e não tão influenciadora opinião, é aquele ato de agir conforme a maré, sem pensar nas consequências e, aí sim, se BLINDANDO sob a justificativa do Palmeiras ser mais do que o jogador!!

Sejamos inteligentes, é óbvio que o Palmeiras é acima de qualquer jogador...

Agora, é muito comodo postar no blog o seguinte: Kléber, o guerreiro 29/06/08, elogiar o que ele faz e depois dizer que é um ato de burrice sua expulsão (QUE NGM VIU)

Assim como é comodo gritar aos quatro cantos do mundo EO EO EO o Valdivia é o terror após fazer o gol e mandar um cala a boca pra bicha e depois dizer que o mesmo é mercenário e etc...que não está com a cabeça aqui vai embora...

Vc veio me dizer que devo estar de brincadeira...acho que vc distorceu um pouco o sentido das coisas Barneschi, receber uma bolada não é um problema, mas passa a ser quando a mesma depende de vários procedimentos e varia de milhões para mais milhões... OU VC acha que é fácil?? Deve estar de brincadeira né??

temos que analisar o total...e não dois meses!! Faça então, um trabalho simples, de análise do desempenho do mago valdivia e de quantas vezes ele deixou de se doar pelo Palmeiras... aí sim, aceitarei suas tão oportunas criticas!!

Não podemos nos deixar levar pela facilidade das criticas!! O torcedor deve levar o time a vitória, isso não se faz em apenas 90 minutos, dizer isso me soa como uma brincadeira!!

Façamos o seguinte então, sejamos igual aos bambis ridiculos que expulsaram o kakabicha do jd. leonor!! Isso é o certo??
Ou vamos ser inteligentes e confiar nos atletas que ja demonstraram doar o sangue pelo nosso manto...

Claro, tudo tem limite...mas o limite não pode ser apenas 2 meses!!

Me desculpe a sinceridade Barneschi, mas estamos discutindo uma futilidade sem limites...

Lembro quando criticaVAMOS (estou incluido) o Alex...Ele dorme em campo... mil vezes ele dormindo 30 jogos e resolvendo um jogo contra o River do que o Magrão dando o "sangue" durante dois anos!!

Abs!!

rod t.t.i disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Forza Palestra disse...

Bons argumentos todos. Eis o que eu tenho a dizer:


Luigi:
1. Edmundo fez 36 gols entre 2006 e 2007. Não é pouco. Poderia ser mais? Sim, claro que poderia. Mas era um outro Edmundo. Não apenas fez os 36 gols, como também fez assistências importantes e foi essencial em alguns muitos momentos. Faço uma avaliação extremamente positiva da segunda passagem dele pelo Palestra. E, ao final, ele saiu por opção do atual treinador. De resto, ele se arrependeu e pediu milhares de desculpas pela cagada de 1995. Está perdoado e é ídolo eterno. É assim que eu penso. Em relação ao Valdivia, ele sairá em breve. E provavelmente nunca mais voltará.

2. Dagoberto foi citado em um texto meu, logo abaixo, como exemplo de cai-cai. E ganhou a votação dos jogadores em uma edição recente da Placar nessa mesma categoria. E o Thiago Neves joga bola sim. É viadinho e tal, mas joga bola.


Vitor:
Entendo que você exagera de vez em quando, mas entendo e aceito seus argumentos. Você pode até ficar chato nas críticas depois de alguns jogos, mas mantém uma certa coerência.


Rafael:
Concordo. Sem qualquer dose de pretensão, eu procuro me situar no caminho do meio. Não me vejo corneteiro, mas também não hesito em criticar os jogadores quando parece ser o caso. Enfim, quis apenas colocar um tema para discussão. A idéia era relativizar mesmo, sem querer trabalhar com uma verdade absoluta. E não sei qual é a sua opinião sobre a postura da diretoria, mas eu discordo veementemente.


Ademir:
Opa! Aqui é tudo creative commons. Nada me pertence. Manda bala e obrigado!


Luiz:
Eu não estou distorcendo nada, caro amigo. Até porque não estou trabalhando com verdades absolutas e fatos incontestáveis. A idéia, como fica claro pelo título, era relativizar o tema, apresentando uma outra visão àqueles que condenam as críticas. Simples e sem qualquer pretensão. Entendo que suas opiniões e análises são todas válidas. Concordo especialmente com o mistério em torno do Wendel, que, como bem observado, nunca comprometeu. Quanto à agressão do Kléber, eu não vi o lance. Nem mesmo as câmeras da Globo ou o árbitro. O bandeira viu. E, a julgar pela reação do Kléber, ele fez besteira.


Ulisses, caro gladiador:
1. Não há motivo para revolta ou para ficar transtornado. Calma! Como dito acima, é uma questão de relativizar tudo. A sua argumentação, no entanto, apenas ratifica o que eu digo: que há uma parcela da torcida que não aceita críticas aos jogadores, como se isso fosse sinônimo de cornetar. Veja só, meu caro: você condena os que agem "conforme a maré", certo? Mas eu te pergunto: que outro parâmetro pode ser usado a não ser este, o da campanha do time? Dá para pensar em outro referencial?

2. Muito simples a questão do Kléber. Sim, o cara é guerreiro e eu admiro isso. Continuo admirando. Mas aí o cara vai, bate no adversário sem motivo, compromete o time em dois (e talvez mais) jogos e você acha que tem de ficar por isso mesmo? O que eu poderia fazer a não ser dizer que ele foi burro? Ah, e esteja certo de uma coisa: ele bateu no cara sim. Não tenho dúvida disso. Chega de pensar que somos sempre prejudicados.

3. É cômodo comemorar o gol contra os bichas e depois criticar o cara quando ele não joga? Não diria que é cômodo. Diria que é a atitude natural. É como eu disse no post: o cara quer ser profissional? Pois então vai ser também nas obrigações. E terá de ser cobrado quando for o caso. Não tem problema algum nisso. O erro está em esconder o que acontece de errado.

4. Quanto à minha resposta ao post anterior: é apenas um contra-argumento. Gostaria eu de ter um problema como esse do Valdívia. Se é um problema e se está prejudicando o desempenho dele, o cara não está sendo profissional. É uma constatação.

5. Sim, o torcedor leva o time à vitória. São 90 minutos (e um pouco mais) para isso. E a torcida do Palmeiras nunca se negou a incentivar a equipe, mesmo quando ela não merecia. É justo cobrar de quem está do lado de dentro.

6. A situação do Kaká com os bambis é bastante diferente. Nem existe comparação possível.

7. Pra finalizar de minha parte: em momento algum eu proferi críticas contundentes ao Valdivia ou a qualquer outro atleta. Pode procurar à vontade. Eu quis apenas relativizar uma questão que parece oportuna no momento. E vejo muita gente se doendo pelo simples fato de eu entender como razoável alguma crítica ao Valdivia. Mais calma, por favor. Não pedi a saída dele, não disse que chegamos ao limite nem nada do tipo. É tudo uma questão de colocar argumentos contrários, e não necessariamente em causa própria.

8. Eu nunca critiquei o Alex.

Abraços

Ademir Castellari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ademir Castellari disse...

Já está lá, com um pequeno texto introdutório. Valeu. Quinta lá no mesmo lugar, né? Abraço.

Forza Palestra disse...

Fala, Ademir! Obrigado!

É isso aí: quinta no mesmo lugar, por volta de 19h30, com as mesmas companhias, incluindo o nosso amigo albanês.

Abraços

Ulisses disse...

Partindo do conceito de aproveitar o momento, pq não xingaram o Marcos em 1999??

Trata-se de influência e disso não tenho duvida!!

O Marcos é adorado não só por nós mas também pela imprensa, isso o faz ser o que é... A torcida não consegue jamais ir contra ele!!

Claro, não vou comparar nunca o Valdivia e o Santo!!

Mas la vamos nós, o que a imprensa diz de Valdivia desde os primeiros momentos??

- Palmeiras paga alto em desconhecido chileno

- El mago é craque? ESTUDO APROFUNDADO SOBRE O QUE É SER CRAQUE

- El mago é igual a Sansão?

Por aí vai...

Vc nunca verá palavras boas a respeito dele...

E, como costumeiro é, nossa torcida se deixa levar... É uma besteira gigantesca criticá-lo... Até aceito sua indignação pelo futebol apresentado, mas não é nossos gritos ofensivos que farão com que ele retome o excelente futebol do 1º semestre (QUE NOS RENDEU UM TITULO - O ÚNICO DOS PAULISTAS)...muito pelo contrário!!

É provado que os jogadores cobrados nunca rendem nada... Já quando incentivados nos trazem ótimos frutos...

Quer cobrar??

Cobre o WL!! Se o valdivia esta mal não coloca pra jogar...Agora, julgar o cara e perder o elo que temos com o mesmo, pra mim, é cedo, infundado, e uma grande besteira!!

Quanto ao profissionalismo, alguns pontos:
1 - Vc trabalha todos os dias e é medido diariamente pelos seus superiores!!
2 - Tem o maior indice de vendas da empresa, possuí a maior carteira de clientes, etc...
3 - Alguns clientes estão insatisfeitos por alguma besteira que vc deixou de fazer...

Pergunta: É justo vc ser mandado embora??

Outra:
CLT de jogador de futebol é diferente!!

Outra:
Vc nem sempre está disposto em sua empresa, as vezes em um dia D vc acorda mal e pôe tudo por água abaixo, isso não desqualifica o seu trabalho diário!!

Abs!!

Fato é, taí um assunto que jamais concordaremos!!
E, no campo eu xingarei com veemência quem xingar jogadores que não merecem!!

Daniel disse...

EU NAO ME ACHO NEM NUNCA ME ACHEI CORNETEIRO MAS SEMPRE, TENHO UMA VISAO CRITICA DE TODOS AKELES QUE VESTEM A CAMISA VERDE.
ACHO Q VC ACERTA AO EXPOR ESSA SITUACAO PQ, JA VI GENTE APANHAR NO PA SO PORQUE FALOU MAL DE UM JOGADR NUM JOGO QQ..
O TORCEDOR PAGA E O TORCEDOR PODE COBRAR!!!

Raphaello disse...

Vamos tentar novamente e ver se não jogo meu próprio comentário fora:

1) O cara que vai no campo tem que torcer e ponto. Se for para atrapalhar quem tá jogando e quem tá vibrando, fica em casa.

2) Acabou o jogo. Os caras jogaram merda na parede e o Palmeiras deu vexame: tem que cair de pau sim. E todo palmeirense tem o direito legítimo de cair de pau, de Barneschis a Mustafás... Acabou, é simples a questão.

Agora, tem de saber de quem cobrar, não é mesmo? Por exemplo (minha opinião): o Luxemburgo tá enganando todo mundo... Não é a primeira vez que ele faz isso: ele não é Deus, mas finge que é. A verdade é que, como pode acontecer com qualquer técnico, ele NÃO ESTÁ CONSEGUINDO ACERTAR O TIME. E ele sabe que é mais fácil queimar o Denílson e o Kléber nos microfones que ele tanto critica, do que se ver questionado no dia seguinte sobre o porquê de ter contratado o Gladstone, ou porque está escalando o time equivocadamente desde a saída de Pierre.

O que eu acho uma tremenda injustiça é o palmeirense engolir a falácia e cair matando em cima do Kléber... Denílson é um bosta, pouco se me dá se está morto ou vivo. Mas não o Kléber, caralho! Repito: ninguém viu o que aconteceu e o juizão se aproveitou do fato do cara estar marcado para aparecer um pouquinho mais na tela da grobo.

Cornetar é um direito sagrado de qualquer torcedor. Vou até além: uma das atitudes mais corretas que eu vi a Mancha tomar foi quando o Palmeiras empatou com a Ferroviária em casa (depois de ter metido seis em Araraquara, no primeiro turno) e não foi para a final. Lá, aquele técnico realmente merecia ter ido embora com uma chuva de ovos; lá, a torcida revoltada tinha o direito de perder a cabeça e virar o clube de pernas para o ar para ver se acordava aquela italianada morta.

É certo fazer isso? Não. É certo dar pontapés e cotoveladas para se livrar da marcação quando o juíz não vê? Não sei. O que sei é que ali tem dois homens (Marcão e Kléber) e mais um bando de pau-no-cu, alguns que até sabem jogar muito, mas aveadados pelo nosso mundo de plástico.

Eu entendi perfeitamente quando Marcão começou a deixar a bola passar naquele 7 x 2 contra aquele sub-time, numa copa do Brasil. Era um recado de desepero: "ah, é? Vocês vão marcar feito pelada de casado/solteiro? Então toma, seus veados!" A torcida também entendeu.

E espero que entenda agora o recado inconsciente do Guerreiro quando perde a cabeça e fere o adversário. Ele tá dizendo algo como "Porra! Tâmo sendo sacaneados desde o Paulista, só a gente se fode com o juíz e ninguém faz merda nenhuma? Então toma!"

Certo, Barney?

luiz - uberlandia disse...

post dos mais lùcidos que jà lì aqui. Parabèns, mais uma vez.

[SEP] Valmir disse...

Ninguém, mas ninguém mesmo está isento de críticas.

Em um mundo com poucos "heróis" (desculpem a filosofia) qualquer coisa nos diverte.

Analisando a postura "profissional" dos jogadores do Palmeiras, eles foram extremamente profissionais, em procurarem PRIMEIRO A IMPRENSA para falar do "atraso dos salários", quando deveriam PRIMEIRO, falar com a Diretoria do Clube que os contratou.

Não pensaram no NOME DO CLUBE, não pensaram na TORCIDA QUE OS APÓIA, e que depois, passou quase um mês lendo dos adversários, que somos um Clube falido, caloteiro, pequeno, etc e tal.

Então, eles PODEM E DEVEM ser criticados, porque a atuação deles em muitos jogos é tão ridícula que NADA TEM DE PROFISSIONALISMO.

Esses FDP chamados de "boleiros", só se preocupam com a grana no bolso.
Porra, até quando vcs vão achar que eles AMAM O PALMEIRAS ou qualquer outro clube?

Não me venham falar que Valdívia é "craque".
Quem chama um jogador apenas UM POUCO ACIMA DA MÉDIA de "craque", nunca viu um craque de verdade jogar.

Entendo que até pela pouca idade de muitos, isso acontece.

A verdade é que eu não vou "blindar" nenhum "boleiro", porque conheço de perto a raça que eles são.

Meus caros, um TIME que joga como eles jogaram contra o TIME RESERVA DO "Isporti", contra os BAMBIS não MERECE MAIS DO QUE SER CRITICADO.
Isso para citar apenas 2 jogos.
Isso acontece faz tempo!

E olha, isso ainda é pouco.
Houve tempo que os caras cercavam estes vagabundos, e falavam pra eles:
-OU VOCÊ COME GRAMA E DA O SANGUE DENTRO DE CAMPO, OU NÓS TE COBRIMOS DE PORRADA.

Amanhã boa parte deles estará fora do Palmeiras, e FODA-SE EU, VCS e TODOS que estão "quebrando o pau" no bom sentido, em defender esta corja de mercenários da bola.

Neguinho não é pago, e MUITO BEM PAGO pelo Clube?
Não tem mordomias mil?
Não ganha em um ano o que a grande, imensa maioria não irá ganhar durante TODA SUA VIDA?

Então qual o problema em cobrar EMPRENHO, VERGONHA NA CARA, RESPEITO À CAMISA desses caras?


Acho engraçado muitos se queimarem porque o Sr. Valdívia é criticado.
Porra ele não joga nada faz uma cara!

Temos um Técnico EMPRESÁRIO, mais preocupado em indicar babas e receber sua comissão, do que realmente fazer este time ao menos CORRER E SE EMPENHAR EM CAMPO!.

Eu DESCONHEÇO esse WL que hoje é Técnico do meu time.
Ele não é o mesmo!
Basta vcs relembrarem a postura dele diante do fatídico jogo contra o time reserva do "Isporti".
O cara é especialista em DESVIAR O FOCO, como está fazendo agora, jogando a culpa da derrota VEXATÓRIA contra o Goias, no Kleber e no Denilson.
Eles tem a sua parcela de responsabilidade, mas WL tem a maior!
Ele COMANDA, ou FINGI COMANDAR!


Porra, podem me chamar de corneta, do kct a quatro.
Vou meter bronca mesmo, enquanto ver essa MÁ VONTADE dentro de campo.
Esse marasmo, essa pouca vergonha de um time que SE TIVESSE A MÍNIMA VONTADE, estaria liderando esta porra de Brasileiro hoje.


Pode até perder. Eu irei entender se perder LUTANDO EM CAMPO, mas desse jeito que perde EU NÃO ACEITO e não desculpo FDP nenhum que for blindado, protegido da torcida.

Não fecho meus olhos para a realidade.
É um time SEM VONTADE, ou de MÁ VONTADE.
Não tem desculpa alguma para jogar quase sempre desta forma absolutamente RIDÍCULA!


abs

[SEP] Valmir disse...

Ah, antes de qualqeur coisa, nãoe stou criticando a postura de nenhum de vcs.

Estou apenas emitindo a minha opinião, certa ou errada é o que eu vejo.

FUI

Forza Palestra disse...

Ulisses, meu caro amigo,

Confesso que não entendo a sua revolta. Veja só: tudo que eu fiz foi tentar jogar alguma luz sobre essa questão, apresentando um argumento contrário – que não necessariamente é o meu – sobre a polêmica dos cornetas.

Não fiz isso em causa própria, mas porque senti necessidade de falar sobre o assunto.

Pois bem, aí vejo você comparando a falha do Marcos à suposta falta de vontade do Valdívia agora. Alto lá! Uma coisa nada tem a ver com a outra.

E eu me sinto obrigado a dizer que discordo da sua teoria de que o palmeirense se deixa levar pelo que diz a imprensa. Muito pelo contrário, pois é cada vez mais evidente a contrariedade do torcedor a tudo aquilo que a mídia divulga.

De resto, cara, não consegui compreender a sua argumentação no que diz respeito às questões trabalhistas.

E te deixo aqui com o que diz o Valmir, alguns comentários abaixo:

Analisando a postura "profissional" dos jogadores do Palmeiras, eles foram extremamente profissionais, em procurarem PRIMEIRO A IMPRENSA para falar do "atraso dos salários", quando deveriam PRIMEIRO, falar com a Diretoria do Clube que os contratou.

Não pensaram no NOME DO CLUBE, não pensaram na TORCIDA QUE OS APÓIA, e que depois, passou quase um mês lendo dos adversários, que somos um Clube falido, caloteiro, pequeno, etc e tal.

Então, eles PODEM E DEVEM ser criticados, porque a atuação deles em muitos jogos é tão ridícula que NADA TEM DE PROFISSIONALISMO.


Enfim, leve numa boa. E quinta eu te pago uma Brahma antes do jogo.

Abraços

Forza Palestra disse...

Raphaello,

Sim, entendo também que o Madureira deva ser cobrado. É o principal, mesmo porque o investimento que se justificou no primeiro semestre (com apenas uma contusão) parece não fazer agora o mesmo sentido de antes (são muitos caras machucados de uma só vez).

No caso do Kléber, a quem eu admiro, parece-me que faltou cabeça para não prejudicar o grupo.

Abraços

Rafael (da Silva) disse...

Fala Barneschi

Excelente post cara!

Apenas uma coisa que eu gostaria de explicitar e saber se alguém compartilha da mesma opinião:

Fazendo uma comparação utópica, seria ele o novo Edmundo??

Acho que se a Traffic tivesse o mínimo de cérebro, seria de bom grado contratá-lo definitivamente...afinal daqui a 5 meses ele está fora...

Abraços

Forza Palestra disse...

Fala, mano, beleza?

Cara, eu não faria esse tipo de comparação.

Gosto muito do Kléber e me sinto bem à vontade para criticar a atitude dele no último domingo.

De toda forma, gostaria sim que ele ficasse no clube por mais tempo.

Abraços

XERXES disse...

Belíssimo post Barneschi, parabéns!

Excelente os comentários do raphaello e do Valmir.

Cornetar é phoda! E nas arquibancadas do Palestra tem muitos corneteiros. Até diminuiu um pouco, como disse o Barneschi, porém é só o time começar a errar alguns passes, especialmente os “carnes frescas” ou os mais antigos que não estão blindados – geralmente por deméritos próprios – para seus ouvidos transformarem-se em pinicos.

Por outro lado, apoio irrestrito não pode existir. Quem desafinar deve ser cobrado, sempre.
Diretoria, comissão técnica e jogadores.

Daí a reflexão proposta pelo post ser a maior contribuição que um blogueiro poderia fazer ao Palmeiras nessa fase de incertezas, dificuldades e irregularidades.

Encontrar o ponto de virada entre apoiar e cobrar é um exercício difícil, pois acho que esse ponto não existe e, por não existir, a razão do torcedor não consegue alcançá-lo.

Apoio e cobrança não são dois lados da mesma moeda. Eles co-existem na alma e na paixão do torcedor. Geralmente com muito mais emoção que razão. Às vezes me pergunto os motivos que me fizeram admirar jogadores tão diferentes como Alex Cabeção e Tonhão. Edmundo e César Sampaio. Marcão e Valdívia. Só encontro resposta no prazer que eles me proporcionaram ao vestirem o manto do Palmeiras. Puro egoísmo meu.

Nas arquibancadas do Palestra, numeradas e descobertas, a emoção esmaga a razão e a torcida pulsa no ritmo da equipe. E geralmente é sábia. Apóia quando sente que deve apoiar e cobra quando sente que deve cobrar. Às vezes quase simultaneamente. Às vezes injustamente.

E a sabedoria da torcida também identifica quem é quem nesse teatro onde o torcedor entra com a paixão e os assim chamados “profissionais” com seus interesses de ocasião.

Assim é o Palmeiras, barneschi, raphaello, valmir e amigos.

Por isso que esse blog autodefine-se futebol com alma.

Ulisses disse...

Barneschi,

A torcida do Palmeiras apoiava o Basilio, o Munoz, e outros tantos... Pq?? Pq a imprensa dizia que eram bons... os caras eram ridiculos!!

A gente prega um discurso, mas não pratica!! Prega um FODA-SE a imprensa, mas não saí da telinha da globo!!

Eu tenho total certeza que a nossa torcida é sim influenciada pela midia!! E muito!! Você eu sei que não, mas no geral é sim!!

Quanto ao profissionalismo, a gente discute pessoalmente!!

Obs: transtornado é diferente de nervoso!!

Forza Palestra disse...

Ulisses, meu caro,

Tanto a torcida não achava o Basílio bom que inventou a célebre - e irônica - música:

Niiiiiinguéeeem joga maaaaaiiiis... que o Basílio!"

Precisa mais?

Quanto ao Muñoz, ninguém nunca disse que ele era craque. Mas era o que tínhamos à época, assim como tivemos também o Basílio e outras tantas trolhas. E todos receberam apoio porque esta é a função do torcedor.

Não confunda as coisas...

Enfim, discutimos amanhã à noite. Te pago uma Brahma pra você esfriar a cabeça.

Abraços

Forza Palestra disse...

Em tempo: o Basílio jogou bem durante um certo período de 2000. Era um reserva útil.

O mesmo vale para o Muñoz.

Forza Palestra disse...

Ah, Xerxes, obrigado pelos elogios. Valeu mesmo!!! Estamos aí na luta de sempre.

Ulisses disse...

Era um reserva útil?? Eu vi o penalti que aquele nojento bateu contra o Boca!!

A torcida queimava os titulares e soava o coro no Palestra Basilio...Basilio...ridiculo...

Com munoz era igualzinho... Inclusive cheguei a arrumar briga por causa disso... não me lembro quem era o titular, mas o Palmeiras estava ganhando de 3 a 0 e a torcida gritando Munoz...Munoz...

Puxe bem na memória!!

Abs!!

luigi sep 1914 disse...

Palmeiras 3x0 sport boys, a torcida pedia o munoz e queria que o tecnico tirasse o fabio junior.

"ole le, ola la...
tira o fabio junior, poe o gringo pra jogar"

Forza Palestra disse...

Sim, reserva útil. E todos perdem pênaltis. Se é assim com os grandes craques, por que não poderia ser com um reserva útil?

Na boa, Ulisses, você está se saindo mais corneteiro que os corneteiros...

Catedraldeluz disse...

Procuraria substituir a palavra "corneta" por "crítico construtivo" (que é o que cada um de nós deve ser).

Quando criticar, avance com uma alternativa viável como resolução.

Quando criticar, acrescente ao clube, não subtraia dele.

Claro que ninguém é "bôbo" ou "vaca de presépio"; isso precisa ficar bem claro. Todos somos racionais e não sofremos das faculdades mentais.

"Construir para poder conquistar! Acreditar sempre!"