01 outubro 2013

Londrina/PR
















Está de parabéns a diretoria do Palmeiras. Pode ter demorado, mas ela enfim tomou uma atitude pensando no torcedor (e não em migalhas do Pantanal ou de outras paragens).

Londrina/PR é, ao menos na opinião deste blog, uma decisão acertada. É uma grande cidade (mais de 500 mil habitantes), é o epicentro de uma região com enorme concentração de palmeirenses e, o mais importante, não recebe qualquer jogo do alviverde há 17 anos. Transformou-se, enfim, o problema em uma oportunidade.

Do ponto de vista pessoal (e um tanto egoísta, admito), eu bem preferia que os dois jogos fossem realizados em Campinas, em Itu, em Sorocaba ou em qualquer outra cidade a pouco mais de uma hora da capital. Porque aí daria para sair de SP e voltar logo depois de ver o jogo sem grandes transtornos.

Do ponto de vista do Palmeiras (e de seu torcedor), no entanto, esta é uma opção muito mais rentável e benéfica (em curto e em longo prazo). Porque, além de uma boa renda (o jogo de 1996 foi visto por mais de 23 mil torcedores), é justo considerar o benefício decorrente da aproximação com um contingente da torcida que hoje tem muito pouco contato com o clube.

Acima de tudo, faço questão de elogiar a diretoria porque a decisão parece ter levado em conta não as migalhas que costumam ser oferecidas por um certo prefeitinho do Mato Grosso do Sul, mas sim a grande torcida que temos no norte do Paraná - e, para isso, nada melhor do que escolher a maior e mais importante cidade da região.

O Estádio do Café tem tudo para ficar lotado duas vezes em uma mesma semana. Infelizmente, calhou de os jogos acontecerem em dias úteis à noite - o que dificulta a viagem de torcedores das cidades vizinhas. Ainda assim, fica a expectativa de grandes públicos e de um ambiente todo favorável ao Palmeiras.

 

Para que o resultado seja o melhor possível (em termos de engajamento e de receitas), vale pensar em ações complementares. Nada muito elaborado - o tempo urge -, mas deixo algumas ideias:

_Ingressos a preços acessíveis: não adianta querer explorar o torcedor local - em especial porque serão dois jogos em horários pouco convidativos.

_"Venda casada": nem sei se é possível, mas talvez fosse o caso de oferecer algum desconto para o torcedor que comprar ingressos para as duas partidas na sequência.

_Ações de marketing: dá para aproveitar muito bem a recém-inaugurada loja do Palmeiras no Shopping Catuaí para realizar ações com ex-jogadores, por exemplo. É algo que poderia garantir uma adesão ainda mais expressiva por parte do torcedor local - isso sem falar nas vendas de produtos.

_Ainda sobre os ingressos, é importante que a venda para os sócios Avanti tenha início o quanto antes. Porque aí dá para abrir a comercialização dos bilhetes na cidade já neste final de semana.

_Como os dois jogos serão realizados à noite, uma boa forma de vender os bilhetes antecipadamente para torcedores de cidades próximas seria por meio de pontos de venda itinerantes. Se falta tempo para uma programação mais consistente, podem ser priorizadas as praças mais populosas: Maringá/PR (385 mil habitantes) desponta como a mais importante nesse sentido.

_Algum tipo de parceria com a Prefeitura da cidade, buscando uma divulgação mais ampla dos dois jogos - imagino que isso já tenha sido discutido desde o início das conversas.

_Vale considerar algum estímulo especial para as crianças que forem ao jogo. Pensem no efeito, em longo prazo, de um moleque de 10 anos que vai ter a oportunidade de entrar em campo com o time na sua cidade. Estamos falando de um torcedor para a vida toda. São situações como esta que reforçam o relacionamento entre clube e torcida.

Enfim, são só ideias...

###

Eu já havia defendido muito tempo atrás a opção por Londrina/PR e um sujeito veio me perguntar que diferença existiria entre a cidade paranaense e Presidente Prudente/MS. Em quatro pontos:

-Logística
Saindo de SP em direção ao oeste paulista, chega-se a Londrina/PR após 530 km e a Presidente Prudente/MS após 560 km. Essa diferença de 30 km é enganosa, uma vez que as rotas se separam em Ourinhos/SP e então há uma distância de 160 km entre uma e outra. De carro, o tempo de percurso da capital até qualquer das duas é equivalente. Mas experimente fazer o mesmo trajeto de ônibus: a única viação que leva até Prudente/MS tem pouquíssimas opções de horário e você perde quase o dia todo na estrada; para Londrina, há ao menos três empresas e as alternativas são muito mais razoáveis. Por fim, a parte aérea: Prudente/MS é servida por três voos diários da Gol e outros três da Azul (a partir de Campinas) - havia antes um da finada Pantanal, mas a TAM eliminou de sua malha. Em Londrina, por outro lado, três companhias operam voos regulares: são nove rotas diárias da Gol (saindo de CGH ou de GRU), três da TAM (a partir de CGH ou de GRU) e mais três da Azul (de VCP).

-Tradição
De um lado, Londrina tem um time (agora em recuperação) que já disputou o Brasileirão algumas vezes e que tem certa relevância no cenário local. Tanto é assim que o Estádio do Café responde pelo maior público dos últimos cinco anos em jogos do Campeonato Paranaense (29.116 pagantes para Londrina x Coritiba, com direito a briga entre as torcidas). Do outro lado, a cidade de Presidente Prudente/MS vive mendigando a presença dos grandes clubes por lá e, sem história no esporte, vive situações como esta aqui.

-Estrutura
Prudente/MS, 218 mil habitantes, é uma cidade sem alma com um enorme estádio perdido em um canto qualquer. Não há atrativo além da cancha em si e isso se traduz na falta de estrutura da cidade (notadamente em termos de hotelaria) para receber gente de fora. Londrina, por sua vez, é a segunda maior cidade do Paraná e epicentro de uma importante região do estado. Sua população, 537 mil habitantes, fica no meio do caminho entre as paulistas Ribeirão Preto, 649 mil, e São José do Rio Preto, 434 mil.

-Novidade
Ninguém mais aguentava ouvir falar em jogos do Palmeiras na maldita Presidente Prudente/MS. Foram mais de dez nos últimos anos anos e os públicos eram menores a cada nova presepada de nossos dirigentes (tudo começou com Belluzzo, mas a gestão anterior deu sequência e a atual arrematou com mais uma partida). Da mesma forma, Ribeirão Preto ou Rio Preto não seriam novidade - o Palmeiras as visita quase todo ano. O mesmo se aplicaria a Itu, Jundiaí, Mogi Mirim ou qualquer outra das cidades com times na Série A. Era o momento de buscar novas opções, e, entre todas as que se apresentaram, Londrina acaba sendo a mais acertada.

###

Como não vai dar para ver o jogo da terça-feira às 19h30, o jeito foi garantir lugar ao menos na segunda partida por lá, na sexta-feira. As passagens aéreas já foram compradas.

17 comentários:

Anderson Garou disse...

Boa sorte lá no 2° jogo cara!

Ponto para o PN nesta situação. Uma bela limonada com esses limões que os FDP'S do stjdzinho adoram jogar pra nós.

Emerson disse...

Londrina opção legal. O Nordeste seria melhor, jogaria 05/10 em Natal, seguiria pra Fortaleza, o jogo do Verdão com o Ceará teve um público de + de 46 mil, arena novinha, faria os 2 jogos e seguiria para enfrentar o Icasa.

Frederico disse...

Barneschi, como sou de Maringá, vai ser difícil ir no primeiro jogo, mas no segundo estarei lá com certeza.

Ainda vou tentar me programar pra ir no primeiro, vamos ver.

Será que sócio avanti vai conseguir comprar ingresso pela internet?

Pode ter certeza, vai lotar!!!

Rafael disse...

Também sou de Maringá e estarei lá. Barneschi, aproveitando a oportunidade, a última vez que o Palmeiras jogou em Maringá foi em 2005, contra o Paraná Clube, você chegou a escrever sobre esse jogo? Gostaria de saber o que achou do estádio e da partida de baixo de muita chuva.
Abraço

Raul Martins Dias disse...

Eu JURO que acabei de ler em um fórum do Palmeiras um cidadão defendendo que esses jogos deveriam ser realizados em Prudente. Tem horas que a gente prefere ficar quieto para não falar alguma besteira.

De resto, segui sua dica de procurar por voos na Azul, mas, pelas opções disponíveis, eu chegaria em Londrina depois da meia-noite, quando o jogo já teria terminado. De toda forma, valeu pela dica. Agora é pensar no jogo com o São Caetano, se o STJD não inventar outra merda para nos atrapalhar.

Raul Martins Dias disse...

Finalizando, também achei Londrina uma boa escolha. Apesar de ter complicado para mim, do ponto de vista do clube foi uma decisão acertada - sempre levando-se em conta a necessidade de se transformar um transtorno em oportunidade, como você sempre diz, e o fato de que, em não havendo nenhum outro motivo de força maior como esse, os jogos DEVEM SER NO PACAEMBU.

Anônimo disse...

Oi moro em Londrina a espectativa para os jogos é enorme.Os ingressos vão se esgotar rapidinho, e sabendo disso a diretoria não vai aproveitar nenhuma das suas ótimas idéias pode ter certeza.

At,

edu

Daniel Portero disse...

Não seria o caso de pleitear, junto à CBF, a mudança da data do jogo de sexta para sábado (12) às 16h20?

Lembro que a data prevista já era 12/10 no Pacaembu e só foi alterada para 11/10 pois o Santos irá jogar no Pacaembu dia 12.

Como dia 12/10 é Dia das Crianças, poderia ser realizada uma promoção especial para as crianças.

Não sei se há tempo hábil para solicitar a alteração, mas fica a minha sugestão.

No mais, parabéns à diretoria pela escolha.

Bruna Lima disse...

Gostaria que fosse em Ribeirão Preto por egoísmo meu! rs... Também seria uma boa escolha, pois aqui tem muito Palmeirense e está para inaugurar a Academia Store na cidade, seria um grande evento! Mas a escolha por Londrina foi mais acertada, Ribeirão Preto recebe jogos quase todo ano (embora esse ano não tenha recebido) e Londrina não.

abç.

Luiz Claudio disse...

Otima escolha.....
Parabens para a Diretoria

Barneschi disse...

Emerson
Entendo a sua colocação do ponto de vista de logística sobre Fortaleza (faz sentido sim), mas a quantidade de torcedores na região não justificaria tanto quanto Londrina. Se fosse um jogo em um sábado, daria para pensar em atrair gente de outros estados, mas, sendo em uma terça à noite, dificilmente teríamos mais do que 10 mil pagantes.

Frederico
Sim, a venda (ou reserva) para Avanti vai acontecer normalmente.

Rafael
Lembro desse jogo em Maringá, mas não pude encarar essa viagem na época. Então não tenho muito como falar sobre o Willie Davis. Quem sabe em breve voltamos a jogar em Maringá?

Edu
Se não fizerem nenhuma ação específica e o estádio ficar cheio mesmo assim, sem problemas.

Daniel Portero
Cara, eu entendo que o nosso jogo estava marcado para o dia 11 por uma questão de logística (devido ao jogo em Juazeiro do Norte na terça seguinte). Possivelmente o Santos optou pelo Pacaembu depois disso. Mas eu entendo sim que valeria essa briga para alterar o jogo para o dia 12. Seria muito melhor para a torcida.

Anônimo disse...

Concordo com a decisão. Para mim, é ruim já que terei que ficar de fora, mas o que realmente importa são os palmeirenses de todo Brasil terem a oportunidade que nós, paulistas, temos. Não há nada como um jogo do Palmeiras.

Que o Estádio do Café lote nas duas partidas e conquistemos os seis pontos.

Leonardo Nakamura

cristiano disse...

"""""" A GRANDE TRANSAÇÃO """"""
Isso mesmo caros Palestrinos,esta semana a GRANDE TRANSAÇÃO foi realizada e relatada pelo senhor Conrado Cacace, ex integrante do grupo Fanfulha um dos grupos políticos formados por conselheiros da SEP. O mesmo postou em seu site(VERDAZZO) a notícia que adorei ler e há muito esperava. O senhor PN, conseguiu fechar um acordo nunca antes visto no futebol, em que levanta uma enorme quantia em dinheiro a juros muito pequenos, essa quantia vem logicamente para o futebol, como quitar empréstimos a curto prazo e de juros exorbitantes que sempre oneravam as receitas do Verdão. Na matéria acreditem se quiserem, o Conrado que conhece muito bem a política interna do clube pois viveu muito tempo la dentro, conta que pessoas la de dentro confirmam que o Palmeiras no ano que vem estará no mercado muito forte, como sempre foi de nosso costume, graças ao relaxamento das contas obtidas por Nobre. Essa transação foi iniciada pelo Belluzo mas o Sr. Mustafa conseguiu desaprovar, como também se o PN não contasse com o apoio do dito cujo e COF não conseguiria. Enfim uma notícia que ao meu ver é para se comemorar muito.

Emerson disse...

Barneschi, olha ai os Palestrinos de Fortaleza se organizando para ir de buzão pra Natal(RN), e são + ou - 530 Km:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=582850238444374&set=gm.716130858401444&type=1&theater

Mas, Londrina tbm ta valendo.

Sds,

claudio longo disse...

Parabéns pelo comentário, Barneschi, tenho familiares em Londrina, que possui uma grande torcida Alviverde, além de mencionar outras cinco cidades próximas!

cristiano disse...

comentei no blog do Dr. Osmar que estou resignado com a atitude dos Palmeirenses, tudo porque estou pedindo para ajudar o Corinthians a construir o estadio deles. Temos que ser generosos, o presidente já mandou todo resto de lixo e entulho do Palestra pra ajudar, mais já acabou, temos que juntar todo lixo e entulho que pudermos e mandar pra eles, se não quiserem fazer isso pelo Curintia, vamos fazer pela copa que já esta aí...vamu colaborar hahahahahahaha

Helder Oldani disse...

Barneschi

Também concordo que a medida foi acertada, já assisti a um jogo do Londrina no estádio em 2011, não paguei ingressos para assistir, e ainda o preço do sorvete e amendoim lá dentro era em torno de 2 reais. Espero um publico para pelo menos 15 mil terça e 20 mil sexta...Se tudo der certo vamos fechar um carro para pegar a estrada na sexta.

Abss